Follow by Email

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

A VERDADEIRA ORIGEM DA HUMANIDADE

Antoine Laurent Lavoisier (Paris, 26/08/1743 – 08/05/1794) provou que “nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”. Mas... ficou a pergunta: por que e para que?
Já o ilustre Albert Einstein (Ulm, 14/03/1879 – Princeton, EUA, 18/04/1955), físico de origem alemã, naturalizado norte americano, prêmio Nobel de física em 1921, provou que nós vivemos em um oceano elétrico e magnético, ou seja, que tudo é energia elétrica e magnética transformada em seres de diferentes formas e funções. E essa dualidade, elétrica e magnética, de fato está presente em todo o universo, senão, vejamos: macho (elétrico) versus fêmea (magnético); positivo (elétrico) versus negativo (magnético); yang (elétrico) versus ying (magnético); dia (elétrico) versus noite (magnético). E se continuarmos a catalogar tudo existente neste universo em que vivemos, resumiremos esse tudo em dois pólos: elétrico e magnético, que são opostos. Exercem força de atração um sobre o outro, mas, não se misturam, mantendo sempre cada um a sua natureza diferente.
Por isso, não se somam.
Porém, qual a origem dessa força elétrica e magnética? Por que surgiu? Como se deu sua formação? Neste ponto ficou paralisado o trabalho de Einstein.
A ciência sabe muito bem que a descoberta da origem do eletromagnetismo é a resposta para a origem do universo em que vivemos e, conseqüentemente, a desmistificação da origem da humanidade.
Essa, por sua vez, é a solução de todas as questões universais e a solução do equilíbrio dos seres humanos. Equilíbrio esse que nunca se realizou, embargado que ficou pelo mistério do eletromagnetismo.
Razão porque o mundo sempre foi e continua sendo de lutas e guerras: uns contra os outros, destruindo uns aos outros. E a paz verdadeira? Essa sempre muda ficou!
Ora, sabemos muito bem que não existe efeito sem causa. A causa do filho, por exemplo, é o pai, pois não há filho sem pai. O filho pode até desconhecer seu pai, mas sabe que existe em algum lugar ou existiu um homem, cujo espermatozóide fez possível a geração dele, filho.
Portanto, assim como tudo tem uma causa, uma origem, este mundo em que vivemos também tem a sua causa, a sua origem.
Existe, de fato, um mundo superior que deu origem a este em que vivemos. E como tudo isso começou? É o que vamos resumir a seguir e que está contido, com riqueza de detalhes, em 1006 livros, intitulados UNIVERSO EM DESENCANTO, onde está condensada a CULTURA RACIONAL, a Cultura do Desenvolvimento do Raciocínio (também conhecido como Glândula Pineal ou Epífise, localizada no istmo do mesencéfalo).
Antes de ser o que somos, corpos elétricos e magnéticos, o que éramos? Éramos corpos de massa cósmica pura, limpa, perfeita.
Vivíamos onde? Num mundo eterno, onde a energia é também pura, limpa e perfeita, ou seja, RACIONAL, não variante, por não existir nesse mundo nem eletricidade (positivo aparente), nem magnetismo (negativo). Por isso, um mundo onde não existe a lei da transformação, porque é pleno, totalmente equilibrado. Daí ser denominado MUNDO RACIONAL, ou PLANÍCIE RACIONAL.
Então, vamos iniciar a verdadeira história da humanidade.
Há 21 eternidades atrás (cada eternidade tem um número incontável de anos), uns tantos habitantes da PLANÍCIE RACIONAL, resolveram adentrar em uma pequena parte da PLANÍCIE, que não estava pronta para o progresso (o progresso de pureza que é desenvolvido na PLANÍCIE RACIONAL).
Foram avisados que não deveriam adentrar nessa parte, mas quiseram adentrar assim mesmo. E lá, sendo um mundo de pureza, não há coação à liberdade.
Assim, aquela parte não estando pronta, ou seja, apesar de pura, limpa e perfeita, não estar em progresso Racional, houve uma troca de energia, não tendo condições de suportar a energia em progresso dos habitantes que lá adentraram. Essa parte, então começou a deslocar da origem. Ao se deslocar, desligou-se do MUNDO RACIONAL.
Quando aqueles habitantes deram pelo deslocamento, quiseram retroceder, retornar ao MUNDO RACIONAL, o que não foi possível, em virtude do desligamento.
Nesse ponto, uns tantos resolveram paralisar aquele progresso formando, então, o ASTRAL SUPERIOR. Os demais resolveram continuar progredindo. Nessa continuação do progresso é que começaram a perder as virtudes, essas se reunindo em foco de luz fosca prateada que, mais tarde, deu origem ao que hoje é o sol.
Depois de iniciada a perda das virtudes, e o início da formação do sol, houve, assim, o desligamento do ASTRAL SUPERIOR.
Novamente, uns tantos resolveram interromper o progresso, quiseram retornar ao ASTRAL SUPERIOR, mas não puderam, já havia sido feito o desligamento daquele campo energético.
Esses que paralisaram o progresso nesse estágio, vieram a formar o ASTRAL INFERIOR.
Vejam bem, os habitantes do ASTRAL SUPERIOR, apesar de terem sido desligados do MUNDO RACIONAL, não perderam as suas virtudes. Apenas ficaram sem a ligação ao MUNDO RACIONAL. Por conseguinte, são corpos de energia pura, limpa, mas, não perfeita, por faltar a ligação ao mundo de origem, o MUNDO RACIONAL. Foi assim formado o campo de energia denominada ENERGIA MEDIADORA CONSCIENTE.
Já os que perderam as primeiras virtudes, dando início à formação do sol, que hoje, depois de totalmente deformado, é o pólo elétrico e magnético, esses, então, ficaram sob o comando e dependência desse pólo, completamente trancados, sem qualquer possibilidade de retorno, deformando-se cada vez mais, porque o foco de luz ia esquentando e deformando tudo. Ficaram submetidos a esse pólo que se tornou, com o tempo, um pólo elétrico e magnético, que é o sol. Tornaram-se, então, corpos elétricos e magnéticos invisíveis. São os chamados espíritos (outros dão nome de anjos, santos etc.), mas, na verdade, são corpos de energia elétrica e magnética e são eternos. Da parte elétrica, os bons (que é o bem aparente, pois são deformados) e da parte magnética, os maus.
Bem, continuando no longo histórico da nossa formação e criação, novamente os demais, que não quiseram paralisar o progresso, continuaram a progredir por conta própria até se extinguirem completamente, perdendo todas as virtudes, desligando-se do ASTRAL INFERIOR, e se ligando na goma (que se tornou água) e na resina (que se tornou terra). Deu-se então a formação da matéria bruta com dois pólos. Positivo, os que se extinguiram e se materializaram na goma (o macho) e negativo, os que se extinguiram em cima da resina (a fêmea). Todos corpos elétricos e magnéticos materializados, sem qualquer possibilidade, nessas condições, de retorno à sua origem, o MUNDO RACIONAL.
Uma explicação. A energia pura, limpa e perfeita daquela parte da PLANÍCIE que não estava pronta para entrar em progresso, com o deslocamento começou a se deformar e degenerar, transformando-se numa goma, que se transformou em líquido e, mais tarde se tornou água. Enquanto goma, dela começou a sair uma resina, que com a deformação provocada pelo foco de luz, foi esquentado, empolando, torrando, virando cinza, o que hoje conhecemos como terra.
Assim, em resumo, temos três campos de energia, que são três naturezas distintas: elétrica e magnética (ASTRAL INFERIOR), mediadora consciente (ASTRAL SUPERIOR) e RACIONAL (MUNDO RACIONAL).
Bem, a natureza, então, por estarmos fora do nosso estado natural, sendo elétrica e magnética, mediadora consciente e Racional, vem tratando, ao longo dessas 21 eternidades que já passamos, vem tratando de nos reconduzir à origem, ao estado natural de RACIONAL. Então, são três poderes trabalhando para isso, de baixo para cima: o ASTRAL INFERIOR, O ASTRAL SUPERIOR e o MUNDO RACIONAL.
Foi um trabalho fantástico! Primeiro, a FORMAÇÃO dos corpos na matéria, com o primordial: a formação no cérebro da máquina da imaginação, da máquina do pensamento e da máquina do raciocínio (a Glândula Pineal ou Epífise). Depois o DESENVOLVIMENTO DA MÁQUINA DA IMAGINAÇÃO pela energia magnética, para o desenvolvimento do ser humano dentro do campo material, para aprender a conviver com ele. Seguido do DESENVOLVIMENTO DA MÁQUINA DO PENSAMENTO pela energia elétrica, para ligação do ser humano ao ASTRAL INFERIOR. Foi nessa fase que surgiu a Astrologia. O alfabeto astrológico, orientado pelo ASTRAL SUPERIOR e repassado ao ASTRAL INFERIOR (os bons desse Astral) que repassavam ao ser humano. Então, naquele tempo todos se orientavam pelo alfabeto que está na palma das mãos, que dizia onde cada um tinha que viver, que profissão deveria abraçar, com quem deveria se unir, os filhos que deveria ter. Era um alfabeto muito bom, porque tinha limites, não permitindo a fixação do vivente na matéria, fazendo a ligação do vivente aos bons do ASTRAL INFERIOR, dando início ao retorno de todos ao seu mundo de origem, o MUNDO RACIONAL. Mas, por ser um alfabeto com limites, não dava vazão aos gostos e às vontades sem limites, que é própria de todos os seres materiais, dos seres que vivem na matéria. Aí, uns tantos se revoltavam e começaram a criar um novo alfabeto, sem orientação espiritual, com orientação simplesmente do seu interior deformado, ou seja, material, da matéria, achando que iam evitar o sofrimento, pois poderiam com esse alfabeto dar vazão a todos os gostos e realizar todos os sonhos e vontades. Resultado, ao invés de se ligarem nos bons do ASTRAL INFERIOR, se ligaram ainda mais na matéria. A natureza revoltada, deixou vir à Terra os marginais do espaço, que aqui estão até hoje lapidando a humanidade que, sob essas influências, tornou-se completamente desequilibrada, como está até hoje e cada vez mais. Se tivéssemos continuado com o alfabeto astrológico, a essa altura da vida, já estaríamos ligados ao ASTRAL SUPERIOR e ao MUNDO RACIONAL. Já estaríamos imunizados de todo o mal e equilibradíssimos. Então, a situação do ser humano tornou-se seriíssima, pois já íamos entrar na 22ª eternidade, cuja transformação é para as classes inferiores de animal irracional. O MUNDO RACIONAL, então, interveio em nosso socorro, enviando um dos nossos irmãos, Habitante do MUNDO RACIONAL, para se deformar de livre e espontânea vontade até à instância da matéria, materializando-se como bicho, tal como nós, pois somos bichos, mas já com a máquina do raciocínio completamente desenvolvida e funcionando, para, através de contatos com o RACIONAL SUPERIOR, receber orientação de como contar toda a trajetória de geração, formação e criação do mundo e de todos os seus pertences, para que, através desse conhecimento acordemos do sono de pedra material, religando-nos: primeiro, aos bons do ASTRAL INFERIOR; segundo, aos guias e protetores do ASTRAL SUPERIOR e, finalmente, aos habitantes do MUNDO RACIONAL.
Tudo isso através da leitura dos Livros Universo em Desencanto. E o nosso irmão que se materializou entre nós para nos ensinar o caminho de retorno, é o Sr. Manoel Jacintho Coelho, que nasceu no antigo Distrito Federal em 30 de dezembro de 1903, e que no dia do seu nascimento uma enorme luz cintilante apareceu até chegar à porta da casa onde, D. Rosa, sua mãe, estava em trabalho de parto, nascendo, assim o VERDADEIRO SALVADOR DA HUMANIDADE, anunciado por vários sábios e profetas, e na bíblia como o FILHO DO HOMEM, que trouxe, conforme diz no Apocalipse de São João, o livro que desvenda o segredo dos 7 selos e que nós, estudantes de CULTURA RACIONAL, sabemos que são AS SETE PARTES DO PORQUE ASSIM SOMOS, capítulo do 1º volume da obra.
Portanto, novamente estamos sendo lembrados pelo RACIONAL SUPERIOR. Novamente advertidos. Esta é a última chance para retorno à origem, caso contrário esse retorno far-se-á com a descida de classe para as classes inferiores, transformando-se nas infinidades de classes do irracional, até chegar a granito, voltar a ser água, depois goma, depois energia, até se tornar Planície Racional que não estava pronta para entrar em progresso. Portanto, aí tendo que esperar a fase necessária para estar pronto, para depois, então, retornar ao MUNDO RACIONAL.
Esse percurso pela porta de baixo vai demorar 7 eternidades.
Portanto, é bem melhor interromper agora essa ligação na matéria, através do estudo do Livro Universo em Desencanto, e retornar ainda nesta vida para a vida eterna, juntos dos eternos, puros, limpos e perfeitos. Ou seja, é melhor retornar pela PORTA DE CIMA.
Um esclarecimento: a fase do desenvolvimento da máquina da imaginação foi a fase do 1º milênio. A fase do desenvolvimento da máquina do pensamento, foi a fase do 2º milênio. E a fase atual, a fase do desenvolvimento do raciocínio (Glândula Pineal ou Epífise), é a fase do 3º milênio, que teve início em 1935, pondo fim na fase do pensamento. Por isso, com o pensamento ninguém resolve mais nada, porque a sua fase já terminou.
Então, quem quiser ter equilíbrio para viver, ter a proteção da natureza em tudo na sua vida, tem que desenvolver o raciocínio, com a simples leitura diária e assídua dos livros do desenvolvimento do raciocínio, UNIVERSO EM DESENCANTO. Caso contrário, ficará contra a natureza.
E ficar contra quem tudo nos dá, não é uma boa coisa, já que dependemos da natureza em tudo para viver. E ela não depende de nós para nada!
(Contatos, dentre outros, tel. 0xx 31 2555-0054)

www.universoemdesencanto.com.br
www.imunizacaoracional.com.br
http://nalubnalub7.spaces.live.com
http://u-01.spaces.live.com
http://divulgacaoracional-21.spaces.live.com
http://novopainelracional.blogspot.com
http://br.youtube.com/nalub7
http://trueoriginworld.blogspot.com

Nenhum comentário: