Follow by Email

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

O PONTO NEGRO

(Autor Desconhecido)
Certo dia, um professor chegou à sala de aula e disse aos alunos para se prepararem para uma prova - relâmpago.
Todos acertaram suas filas, aguardando assustados o teste que viria.
O professor foi entregando, então, a folha da prova com a parte do texto virada para baixo, como era de costume.
Depois que todos receberam, pediu que desvirassem a folha.
Para surpresa de todos, não havia uma só pergunta ou texto, apenas um ponto negro, no meio da folha.
O professor, analisando a expressão de surpresa que todos faziam, disse o seguinte:
“Agora, vocês vão escrever um texto sobre o que estão vendo.”
Todos os alunos, confusos, começaram, então, a difícil e inexplicável tarefa. Terminado o tempo, o mestre recolheu as folhas, colocou-se na Frente da turma e começou a ler as redações em voz alta.
Todas, sem exceção, definiram o ponto negro, tentando dar Explicações por sua presença no centro da folha.
Terminada a leitura, a sala em silêncio, o professor então começou a explicar:
-“Esse teste não será para nota, apenas serve de lição para todos nós. Ninguém na sala falou sobre a folha em branco. Todos centralizaram suas atenções no ponto negro.”
Assim acontece em nossas vidas.
Temos uma folha em branco inteira para observar e aproveitar, mas sempre nos centralizamos nos pontos negros.
A vida é um presente da natureza dado a cada um de nós, com extremo carinho e cuidado.
Temos motivos para comemorar sempre!
A natureza que se renova, os amigos que se fazem presentes, o emprego que nos dá o sustento, os milagres que diariamente presenciamos.
No entanto, insistimos em olhar apenas para o ponto negro!
O problema de saúde que nos preocupa, a falta de dinheiro, o relacionamento difícil com um familiar, a decepção com um amigo.
Os pontos negros são mínimos em comparação com tudo aquilo que temos diariamente, mas são eles que povoam nossa mente.
Tire os olhos dos pontos negros de sua vida.
Aproveite cada bênção, cada momento que o Criador te dá.
Tranqüilize-se e seja...
FELIZ!
Raciocine nisso!
Somente enxerga e entende a LUZ quem se desfoca das trevas, a matéria. Racional é positivo e consciente!

domingo, 26 de agosto de 2012

ALCANCE O SEU OBJETIVO RACIONAL

(Valdir Santos Alexandrino – www. http://rccvsarcn.wordpress.com)
A Cultura Racional é o Conhecimento para o desenvolvimento do raciocínio, para se ligar, depois de desenvolvido, ao Mundo Racional.
Depois de ligado, vai saber, na Cultura Racional, o porquê que aqui nasceu, nesse Mundo de Matéria e o porquê que aqui não nascerá mais.
E cessa a ação do pensamento, por a pessoa estar ligada em um Mundo Superior a este, que é o Mundo Racional.
Dessa forma, fica a pessoa desligada da ação elétrica e magnética, por estar ligada ao seu verdadeiro Mundo de origem o Mundo Racional, por a pessoa ser de origem Racional. Racional é a verdadeira origem e dessa forma, está ligado ao seu verdadeiro natural de Racional.
Racional: raciocínio.
Raciocínio: Racional.
Depois de toda a humanidade ligada ao Mundo Racional, o Mundo se tornará um Paraíso Racional e a vida se tornara consciente e positiva, por todos estarem ligados no seu verdadeiro Mundo de Origem, no seu verdadeiro natural.
E daí, sendo desenvolvida a Vidência Racional.
Depois de desenvolvida, todos verão o Mundo Racional e seus Habitantes e entrarão em contato com Eles, recebendo todas as orientações precisas e tudo dando certo na vida de todos.
Dessa forma, na Cultura Racional, vão conhecer a verdadeira origem da humanidade, o princípio e o fim desse Mundo passageiro.
Todos sabendo de onde vieram, como vieram e porque vieram parar aqui, com essa vida provisória e para onde todos vão, como vão, e porque vão e de que forma vão, para o seu verdadeiro Mundo de Origem, o Mundo Racional, a causa dessa Deformação Racional, porque não há efeito sem causa.
É o desligamento desse Mundo que não é o nosso, o elétrico e magnético e a ligação no nosso verdadeiro Mundo, do nosso natural, o Mundo Racional.
Fica a pessoa ligada no seu verdadeiro Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL, de Razão Suprema a tudo e a todos.
Está aí a descoberta do nosso verdadeiro Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL e como entrar em contato com os seus Habitantes e como se ligar ao Mundo eterno, em vida, o MUNDO RACIONAL, ficando assim, todos ligados à Energia Racional.
A continuação em detalhes, desse assunto, está nos Livros de CULTURA RACIONAL,. com lógica, com Base, que é o MUNDO RACIONAL, com provas e comprovações.
Peça o Livro “Universo em Desencanto” nos endereços do site oficial da Cultura Racional:
http://www.culturaracional.com.br/
Saúde e Paz para todos, pelo desenvolvimento do raciocínio.

sábado, 25 de agosto de 2012

O MUNDO TEM DONO E FALA PARA TODA A HUMANIDADE

O mundo em que vivemos tem DONO. É o RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNIOS e a ENERGIA SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS, Habitante do primeiro Mundo, o MUNDO RACIONAL, origem deste mundo material em que vivemos.
Um RACIONAL SUPERIOR aos Racionais deformados e enclausurados na vida da matéria, visível e invisível.
É o DONO ABSOLUTO de tudo e de todos: DEUS!
E a humanidade sofre e clama por ELE, que atendendo ao clamor de todos, mandou seu representante, pela última vez à Terra, para trazer a solução definida e definitiva de todos os nossos problemas, de todos os nossos negócios e de nossa vida.
A solução já está na Terra, nos Livros ditados por ELE aqui no Brasil, Universo em Desencanto.
Mas, a humanidade, indiferente à Providência Divina, em maioria, ignora e não quer tomar conhecimento da SOLUÇÃO.
E ELE nos diz em seu 13º volume da Obra de Cultura Racional:
“Hoje estão sabendo o porquê assim são e o porquê ficaram nessa situação sem solução, nessa categoria de animal, sem saber por que.
Hoje, todos sabendo, porque está aí esclarecido em suas mãos o porquê desse presépio de matéria, desse presépio do mal, desse presépio pavoroso. Pavoroso, sim, que o sofrimento não faz graça para ninguém rir. Todos sofrendo. Uns mais, outros menos e outros que já não resistem mais.
Está aí o paraíso de lama, o paraíso dos falsos sábios, da falsa sabedoria, do falso saber e, por ser falso, é que o sofrimento sempre se multiplicou, por ser falso é que os tormentos sempre se multiplicaram por ser falso é que gerou daí as multiplicações de todas as ruínas.
Vejam os que vivem iludidos consigo mesmos, pensando e sonhando aquilo que não são. Estavam aí perdidos nesse mundo sem saber o porquê dele e o porquê de sua existência.
Vejam quantas ilusões e quanto saber só para sofrer. Por isso, sofre quem sabe, sofre quem diz que sabe e sofre quem nada sabe, porque é um saber aparente, é um saber ludibriador o saber da matéria, é um saber que sempre multiplicou os males da vida e do corpo, que nunca deu garantias a ninguém. E, assim, iludidos com a sabedoria sem proveito algum e, por isso, sofre quem sabe e sofre quem nada sabe, sofre quem diz que sabe e sofrem os que nada sabem.
Vejam a vida da verdadeira hipocrisia, do verdadeiro fingimento e da verdadeira traição a si mesmo.
E assim tinha que ser, porque o que é que um animal de certo pode saber? Coisa alguma! Nunca soube. Soube o certo aparente, mas, aparências não são verdades. Por isso, é certo hoje e amanhã não é, está certo hoje e amanhã já não está. O certo aparente, o certo ludibriador, o falso certo.
Vejam a vida tumultuosa de todos. Todos tumultuados, cheios de preocupações que já não agüentam mais. Vivendo assim horrivelmente, penando e aparentando serem aquilo que não são. Aparentando serem felizes e traindo a si mesmos. Onde se viu felicidade na matéria? Onde se viu felicidade no mal? Onde se viu sofredores serem felizes? Aparência só. Todos em amarguras, amargurado por isto, amargurado por aquilo, amargurado por aquil’outro; preocupado com isto, preocupado com aquilo, preocupado com aquil’outro e, assim, sucessivamente. Um rosário de calamidades, com esta vida calamitosa, com essa vida perturbada.
Assim sempre foi a vida do animal, por estar nessa categoria de animal. Mas, agora já passaram para Aparelho Racional e tudo entrando em forma Racional.
Esses comentários são sempre necessários, para que sintam e vejam a categoria de animal, como sempre foi uma categoria de sofrimentos e de horrores. Assim sempre foi a vida dos sem fim, que nunca souberam como foi o seu princípio e nunca souberam o porquê do seu fim. Então, a vida dos sem fim, que nunca souberam o porquê de sua vida aparente, nunca souberam o porquê de viverem assim, nunca souberam o porquê de serem assim. Vivendo igual a um outro animal qualquer, que não sabe dizer o porquê de sua existência em cima dessa Terra, o porquê de sua existência no mundo, que não conhece o porquê dele. Vivendo de sonhos e ilusões, sofrendo a vida inteira, passando por uma infinidade de períodos na vida, até que chegue o amadurecimento necessário e caia na realidade da vida.
Então, diz: “Tudo é sonho, ilusão, fantasia, hipocrisia e nada mais. Uma vida perdia. Quem fui eu? Quem sou hoje? Derrotado pelos anos, alquebrado, esperando o término aqui, angustiado e a qualquer momento. E já não sou mais deste mundo! Que vida! Em poucos anos tudo se acaba. E não sabemos que mal é este, o porquê desta vida, o porquê viemos parar aqui para termos estas decepções tão desagradáveis.” Sim, porque ninguém quer morrer. Morre porque é lei natural da matéria, mas, ninguém se conforma. E agora, todos sabendo o porquê de tudo isso e dizendo: “É verdade! Até que enfim fomos acordados pelo nosso verdadeiro mundo de origem, o MUNDO RACIONAL. Até que enfim estamos cientes do por que desta vida do nada. Até que enfim estamos de volta para o nosso verdadeiro mundo, o MUNDO RACIONAL. Sabíamos que este mundo de matéria não era nosso e não sabíamos por que. Hoje estamos cientes do por que viemos aqui parar para sofrer sem querer sofrer.”
Hoje, todos de parabéns, por conhecerem a estrada certa, a estrada Racional, a estrada da volta ao vosso verdadeiro mundo, o MUNDO RACIONAL, o mundo verdadeiro do aparelho Racional.
Hoje, sim, estão completos da verdade das verdades e chegando ao fim da jornada da matéria e dizendo: “Hoje estamos cientes, com base e com lógica, de que estamos certos, na verdadeira estrada certa, a estrada Racional. Até então vivíamos nas trevas, na escuridão.
Hoje, está aqui a nossa LUZ Verdadeira, a LUZ RACIONAL, a LUZ Verdadeira do aparelho Racional.
Hoje sabemos o porquê aqui estamos vivendo. Hoje sabemos por que estamos aqui com vida. Hoje sabemos o porquê da vida. Hoje sabemos de onde viemos e para onde vamos. Hoje sabemos o porquê deste mundo de matéria. Até que afinal chegou a hora da absolvição de todos os martírios da matéria. Até que chegou a hora. Até que chegou o dia, porque ninguém estava mais suportando esta vida aqui na matéria. As lutas eram demais. Ninguém estava mais agüentando esta vida poluída em tudo. A poluição de um modo geral, pois, basta ser matéria, mal, para por si mesmo se destruir e, por isso, tudo se acaba.”
Hoje, todos felicíssimos para o resto da vida, por saberem e terem certeza, com base e com lógica, que nesse mundo de matéria não vão nascer mais.
Hoje, a satisfação de todos é deslumbrante, por saberem que não vão mais voltar aí para continuarem com os mesmos martírios, os mesmos queixumes, as mesmas agonias, os mesmos sofrimentos e padecimentos.”
Para ver, minha Gente, que a solução já está na Terra, bastando apenas que todos tomem conhecimento dela e a coloquem em prática.
A continuação desta mensagem se encontra na página 173 do 13º volume do Livro Universo em Desencanto.
Que todos, desta vez, façamos caso, muito seriamente, das mensagens do RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNOS, para construirmos a verdadeira paz, o verdadeiro amor, a verdadeira fraternidade e a CONCÓRDIA UNIVERSAL, que nunca tiveram morada na Terra.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

TUDO QUE EXISTE É PORQUE É PRECISO E NECESSÁRIO

À medida que a pessoa vai amadurecendo, vai compreendendo que tudo que existe é preciso e necessário.
Sim, por que o Universo, à semelhança do nosso próprio corpo, tem suas organizações. A parte cósmica, a parte dos astros e a parte dependente das anteriores, como é a Terra e seus habitantes, visíveis e invisíveis, assim como na parte cósmica e dos astros existe a parte visível e invisível.
Cada parte dessas mereceu a atenção, a observação, a pesquisa e o estudo dos habitantes da Terra, que sempre procuraram desvendar os mistérios da natureza, para entendê-la e poderem se entender.
Sim, porque até mesmo os mais rudes homens da época das cavernas, já sentiam a influência dos astros e de toda natureza em suas vidas, entendendo que sem a natureza não poderiam sobreviver.
Daí surgiram os estudos cosmológicos, astrológicos, de astronomia, antropologia, biologia, etc. que hoje estão incluídos direta ou indiretamente em infinidades de profissões, que infelizmente foram desvirtuadas, perdendo sua função primitiva de contribuir para o nosso entendimento da natureza, transformando-se em simples meios de obtenção de riquezas materiais.
Aí, o ser humano se tornou materialista, desligou-se da natureza, que é a representação feminina de DEUS, ficando isolado em si mesmo, escravo de seu materialismo, desconhecido da natureza e desentendido de suas influências sobre a humanidade, por ser a Natureza a força geradora, criadora e mantenedora de tudo e de todos, por ser a representação feminina de DEUS.
Desligado da Natureza, desligado de DEUS.
Desentendido da Natureza, desentendido de DEUS.
Tornou-se um fragmento inútil, por não compreender que é parte de um todo ao qual deve obedecer e seguir, porque este todo é pertence de DEUS, que é quem dita as normas cosmológicas, astrológicas e terrenas, visíveis e invisíveis, porque tudo que existe tem origem divina.
E se tudo é diferente, é devido à degeneração e deformação causada por todos que compõem este Universo transitório em que vivemos, causada por nós e, não, por DEUS, porque DEUS fez tudo puro, limpo e perfeito, no outro UNIVERSO que existe, onde não existem diferenças. DEUS é perfeito, e um ser perfeito não faz imperfeições, assim como laranjeira só dá laranja, como todo ser somente dá origem a outro ser da mesma categoria e classe.
Tudo era um coisa só que se degenerou e se deformou, fragmentando-se em infinidade de seres de categorias e classes diferentes. Mas, o antes de ser o que hoje somos, era tudo uma energia só, ENERGIA RACIONAL pura, limpa e perfeita.
Por isso que tudo que existe é preciso e necessário, por fazer parte de um todo deformado, que carece de todas as fragmentações para se recompor e voltar ao estado natural.
Portanto, quando a pessoa acorda e toma conhecimento disso, não admite, em hipótese alguma que alguém seja contra alguém ou contra alguma coisa, por estar obstando a reconstituição do todo para retorno ao estado natural de RACIONAL puro, limpo e perfeito.
Aí está a importância de se conhecer e conhecer a natureza, para ter consciência do estrago universal que causamos e do nosso dever de reconstruir tudo, o que será possível somente quando todos estiverem ligados à essência da Natureza, que tem a planta, o mapa e a bússola para a reconstrução do universo, por essa essência ser DEUS, a VERDADE das verdades.
E para se ligar à essência da natureza, que é DEUS, somente através da mente superior, que é o raciocínio, a centelha divina que nos foi dada por DEUS, na nossa geração como animal Racional.
O pensamento e a imaginação pertencem à deformação material, pertencem à parte bruta animal, fragmentada da Natureza. Por isso o pensamento não tem força, nem poder para nos ligar à essência, que é DEUS, somente o raciocínio tem essa força e poder, porque o raciocínio é dELE.
E por isso, somente quando a pessoa começa a desenvolver o raciocínio é que vai compreender e entender que tudo que existe é preciso e necessário. Mas, antes disso, a pessoa faz uma confusão danada, porque ainda está pensando e imaginando, e o pensamento e a imaginação não têm alcance para atingir essas alturas da verdadeira consistência Divina, que não exclui nada nem ninguém, porque DEUS é PAI de tudo e de todos, DONO ABSOLUTO de tudo e de todos. E, aliás, só isso já deveria ser motivo bastante e suficiente para ninguém ter qualquer tipo de preconceito ou exclusão.
Mas, como a maioria ainda está pensando e imaginando, continuam vivendo uns contra os outros, porque o pensamento não foi feito para acertar, foi feito para lapidar o pensador, jogando uns contra os outros para sofrimento de todos.
E DEUS está em todo lugar, em todos os lares, em todos os cantos, em todas as nações, assistindo esse lamentável e vergonhoso proceder dos pensadores, que ainda ousam falar de coisas que não conhecem e, muitas vezes, condenando o que é de mais puro e divino, e compactuando, por ignorância, com forças que há milhões de milênios vêm escravizando a humanidade.
Acorda, minha gente, enquanto há tempo! Conheçamos a verdade das verdades nos Livros de Cultura Racional, Universo em Desencanto, para desenvolvimento do nosso raciocínio, porque com o pensamento ninguém resolve mais nada, porque a sua fase terminou desde 1935.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

PARA ALERTAR E ESCLARECER AS PESSOAS MAL INFORMADAS

(Severino dos Reis)
Amigos leitores do nosso blog!
Considerando as inúmeras e conflitantes posturas, de cada segmento da humanidade, esse nosso comentário pretende esclarecer e alertar as pessoas menos informadas, que se acham com o direito de deslustrar e macular aquilo que venha a ser, a CULTURA RACIONAL.
Pois ela é o conhecimento, que emana das páginas brilhantes, da respeitável obra, UNIVERSO EM DESENCANTO!
Logicamente, quem encontra a solução, para uma causa já considerada perdida, seja ela qual for, a primeira atitude sensata, é receitá-la à outra pessoa que, por ventura, tenha um problema semelhante.
E na certeza de que todos os seres humanos têm pelo menos uma causa perdida, quanto mais não seja a vida, porque todos morrem, é fácil deduzir, que todos os estudiosos que adentram na CULTURA RACIONAL, passam a divulgá-la; levando, então, a enormes agrupamentos de leitores de UNIVERSO EM DESENCANTO, que se vestem de branco e saem às ruas das Cidades, do Brasil e do mundo, para contar aos outros, que a vida e todos os seus problemas já têm solução, com a dedicação aos estudos da CULTURA RACIONAL.
É bem verdade que a eloqüência de muitos iniciantes, sem de todo abalizar-se ao conhecimento, misturem a sua bagagem religiosa ao fazer uma propaganda, sem deixar claro os verdadeiros objetivos da obra. Todavia, isso não dá o direito a ninguém de cognominar a CULTURA RACIONAL, como sendo filosofia ou uma nova religião; e nem fazer nenhum outro julgamento, sem primeiro conhecer, com profunda segurança, o seu conteúdo e a sua essência, sobre pena de incorrer no erro peculiar aos afobados e mal informados, partidários do ignorantismo.
E também não é correto e nem inteligente, estabelecer uma analogia precipitada, baseada nas atitudes pusilânimes de alguns leitores, que se deliberaram a divulgar a CULTURA RACIONAL, sem eximir da autopromoção e sem resguardar a união, que é próprio dessa grandiosa Obra, uma vez que essas formas não são procedentes da CULTURA RACIONAL.
Logicamente, a perniciosidade desses leitores, os desvirtuam e impedem de uma divulgação sadia e necessária ao engrandecimento humano. Pois, enquanto se preocupam em levar vantagem ou falar dos outros, a vida passa e eles continuam a bailar, no campo vazio do nada ser, sem nada ter. Insistindo na nota destoante do atraso, que já é conhecida há milênios, que serve apenas para preparar os seus fracassos e frustrações.
A evolução da história do homem é muito conflitante; por isso, longe da CULTURA RACIONAL endossar as idéias que transformaram a humanidade em grupos diversos, porque o pensamento divide; mas se esforça para conscientizar o homem, que só com a união, própria do Raciocínio, de um por todos e todos por um, pode se chegar à paz, ao verdadeiro amor e à concórdia universal.
Pois, as divisões são as verdadeiras causas das batalhas, freqüentemente sangrentas, as quais travaram os homens, sempre convencidos de estarem com a razão. Se a descoberta de cada pedaço do grande quebra cabeça, que é a origem do universo e da vida, é que vai dar finalmente a imagem exata do mundo!
A colocação de todos esses fragmentos necessita de um esforço tremendo do pensamento, uma ascensão contínua e penosa, a CULTURA RACIONAL nos entusiasma, pois nos leva ao ponto mais alto do saber, de onde podemos contemplar a verdade e a harmonia sem sofrimentos.
A Natureza segue em frente a sua evolução e quem quiser progredir, tem que acompanhá-la; retalhar o suporte da união seria abandonar a Natureza e regredir no tempo.
Os movimentos são os verdadeiros significados da vida; não podemos permanecer sempre no mesmo lugar onde estamos; essa é a lei da Natureza.
E agora, ou se evolui para um padrão elevado de consciência que é o Raciocínio, ou retrocede-se, aos grupos primitivos dos irracionais. A escolha é de cada um; para tanto, impera o livre arbítrio; mas não se pode deixar de escolher, pois a própria indiferença, já é uma sutil escolha.
E nesse ponto, é onde pesa o valor de conhecer tudo para ter opção; ninguém extrai o brilhante, sem remover o cascalho.
Na obra UNIVERSO EM DESENCANTO, aprende-se que o homem, é o cume da evolução inconsciente com o pensamento; mas é também, o ponto de partida para evolução consciente, que é o Raciocínio.
Por isso, antes de fazer um julgamento, o prudente, é procurar conhecer, se permitir avaliar, para não cometer falhas imperdoáveis contra si mesmo.
Não podemos deixar de admitir o Religioso e o filosófico, nem o científico nem as emoções, nem o intelecto, nem o Racional e nem o irracional.
Precisamos ser flexíveis, pois, só assim a capacidade de flutuar de um pólo ao outro, vai nos permitir, dar ou aceitar a mão do semelhante, para concretizar a ascensão do homem, em sua totalidade.
A CULTURA RACIONAL é sublime na sua essência; mas, é necessário, estudá-la com muita meticulosidade, para se falar dela. Pois, as más interpretações constantes, as suposições depreciativas dos que ainda não a conhecem, são decorrentes, de alguns leitores de UNIVERSO EM DESENCANTO um tanto afoitos, em razão do entusiasmo, a sua emoção passa a ser explorada pelas pessoas de má fé.
O Juiz permanente da ação humana é a consciência; e é o que diferencia o homem de outros animais, além da inteligência.
A consciência leva o homem à perfeição; mas para tanto, é preciso se revestir de muito esforço, de muita humildade, de muita solidariedade; e depois, é necessário despir dos preconceitos.
Assim, aconselhamos aos que não conhecem a CULTURA RACIONAL, para abjugar-se dos preconceitos, ao ler o livro UNIVERSO EM DESENCANTO; fazer uma análise consciente e reflexiva, para não ficar enclausurados nos termos insignificantes; mas, aliar-se aos seus grandes significados.
Portanto, aconselhamos aos maus versadores, que antes de emitir opiniões sobre a CULTURA RACIONAL, que se permitam ler e reler a obra UNIVERSO EM DESENCANTO, pois, assim procedendo, além de assumirem uma postura elogiável, respeitável, decente e dignificante, garantimos que a atitude seguinte, será a de unirem-se aos milhões de estudantes da CULTURA RACIONAL, para divulgá-la por todo Brasil e exportá-la para o mundo.
Pois, nenhum ser inteligente e benfeitor, se negaria em ser um portador do conhecimento que tanto necessita a humanidade; e lendo o livro UNIVERSO EM DESENCANTO, o Raciocínio assume o comando da vida, amenizando, o sofrimento humano.

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

MISTÉRIOS

Tudo que não se conhece, torna-se um mistério.
Tudo que constitui mistério, torna-se obstáculo.
Tudo que constitui obstáculo, mantém as trevas.
Tudo que se mantém em trevas, opõe-se à Verdade.
Tudo que se opõe à Verdade, gera sofrimento.
E tudo que gera sofrimento aniquila o SER, por falta do SE CONHECER.
Aí está a causa do sofrimento da humanidade: o NÃO SE CONHECER.
E, assim, é preciso se conhecer, para não fazer da vida um mistério, criando obstáculos na própria vida, que entra em trevas, por se opor à Verdade e colher as conseqüências que são os sofrimentos dia e noite, por NÃO SE CONHECER.
Todos já concluíram que existe uma FONTE, UMA ORIGEM SUPERIOR.
Nessa fonte está a VERDADE. E por nessa fonte está a VERDADE, nela não existem mistérios.
E por que a humanidade sofre?
Por não conhecer essa FONTE, a ORIGEM SUPERIOR.
Todos a admitem, todos a adoram, todos a veneram, mas, não a conhecem. Para conhecê-la, precisamos todos nos habilitar culturalmente, preparando-nos culturalmente, para entrarmos em entendimento com ela e dela absorvermos a VERDADE, ligando-nos a ela, pondo fim na falsidade, na traição, na ganância, na ambição, na inveja, no ciúme, nas monstruosidades, enfim, nas trevas, que é o sofrimento.
Ligando-nos, isso é fundamental, pois não adianta apenas admití-la, venerá-la e adorá-la. É preciso que adotemos no dia a dia o que essa FONTE determina que seja, por ser ela a DONA absoluta DE TUDO E DE TODOS: DEUS!
E como reconhecer essa FONTE entre tantas coisas que nos chegam às mãos?
Muito simples! A verdadeira é aquela onde todos os mistérios são desmistificados. Pois, onde existem mistérios, não existem verdades, não existe o saber verdadeiro e, por não existir, apenas tem pontos de verdade que mantêm o sofrer. Meras anestesias!
E assim caminha a humanidade, sempre em sofrimentos, por adotar o falso saber, o saber primário, que nunca conseguiu, com todo o seu poder, implantar a paz neste mundo terreno.
Então, que poder é esse, poder somente para manter o sofrer?
Está chegando o fim de todos refletirem e pararem de pensar, porque a fase das trevas já terminou há muito, desde 1935, colocando fim em todos os mistérios, nos Livros Universo em Desencanto, de Cultura Racional, a Cultura da FONTE, para libertação de todos encantados com a matéria, pelo desenvolvimento do raciocínio.
Chega de mistérios, precisamos é da VERDADE, para construirmos a nossa união, a nossa paz, o nosso amor, a nossa fraternidade e a CONCÓRDIA UNIVERSAL!
Chega de embusteirismos grosseiros, chega de mistérios! Chega de sofrimento!
E VIVA A VERDADE!

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

NEM EXTRATERRENOS, NEM INTRATERRENOS

(Severino dos Reis)
No comentário: “os Deuses não eram astronautas”, nós falamos sobre alguns dos inumeráveis enigmas que ainda cercam a moderna e avançada raça humana, questionados pelo ilustre escritor e pesquisador ERICH VON DÄNIKEN, que teve uma grande audiência em nosso programa de Rádio e também resultou numa ótima repercussão em nossos blogs. Em conseqüência disso, redundou em uma outra série de perguntas, estimuladas pelos temas interessantes das PIRÂMIDES, CIVILIZAÇÕES EXTINTAS, a vida fora da terra e muitos outros.
Obviamente, é impossível responder a todas as perguntas, inerentes a assuntos tão vastos, uma vez que o nosso objetivo primeiro é divulgar para o mundo a obra UNIVERSA EM DESENCANTO, que é a CULTURA RACIONAL.
Mas, seguramente, todos que adentrarem aos estudos da CULTURA RACIONAL, terão definições para tudo quanto é enigmático e respostas para todas as perguntas. Porque a chave de todos os segredos está no descortinar a origem do universo e da vida, que até hoje o homem não sabe de onde veio e para onde vai; a nossa ciência ainda está à procura da origem do Universo.
E o livro UNIVERSO EM DESENCANTO começa exatamente explicando a origem: o antes ser tudo que existe, o que era e qual o mundo que deu causa ao nosso mundo, uma vez que não há efeito sem causa; e com segurança, vai dizendo quem somos de onde viemos e para onde vamos. Qual o percurso que fizemos, quantos ciclos de evolução que percorremos, para chegarmos ao estágio que estamos. E quem conhece os por menores da criação do Universo e sabe tudo que se passou na trajetória do seguimento da vida, até o progresso da civilização atual, logicamente sabe elucidar todos os questionamentos do homem.
Contudo, sabemos que comentar e explicar outros pontos curiosos e enigmáticos da terra é ilustrar mais, a importância da CULTURA RACIONAL, no saber da humanidade. Nas interrogações de ERICH VON DÄNIKEN, ele comenta também a falta de explicações para as cavernas, túneis e passagens que são verdadeiras estradas subterrâneas, de centenas de milhares de quilômetros, que se estendem por todo o globo terrestre. Dentre elas, ele destaca uma caverna, onde num ponto bem distante da superfície da terra, ela se expande numa espécie de sala de reuniões. Com o piso nivelado, paredes e teto bem trabalhado, com uma mesa grande no centro e muitas poltronas em volta, tudo construído de pedra. Em cima da mesa encontrava-se um livro: as suas folhas eram de um metal amarelo, tão fino como papel e a escrita era indecifrável, com letras desconhecidas, que não se enquadram em nenhum alfabeto dos quais temos na terra; e a sua idade também é desconhecida.
Então, novamente ele pergunta: seria obra dos extraterrenos ou dos intra-terrenos? Tenho certeza que não, Ilustre e tenaz pesquisador e escritor, ERICH VON DÄNIKEN. No futuro os abrigos de guerras, poderão até ser no espaço; mas, por enquanto, ainda são subterrâneos; e em tempos de guerra, os Governantes, os Generais, poderão usá-los como salas de reuniões, para traçar as suas diretrizes. Paralelo a isso, ainda temos as galerias da extração de minério, de centenas de metros de profundidade e milhares de km de extensão, em todos os países e túnel por globo terrestre!
E as dezenas de civilizações que foram extintas, todas elas também fizeram as suas escavações, os seus abrigos e seus túneis. Por isso, as cavernas consideradas como naturais, são escavações de civilizações extintas há milhões de anos, tão antigas, que não tem mais vestígios de trabalho humano, por causa da erosão do tempo, da formação de lagos, os desmoronamentos, a formação de cristais etc. Esta é a razão da terra ser toda crivada por túneis, cavernas e até ligações marítimas subterrâneas. Portanto, o salão subterrâneo, mesa e poltronas de pedra, o livro de metal, são obras dos terrenos, de outras antiguíssimas civilizações extintas, anteriores à nossa. Porque os extraterrenos e os intra-terrenos, não fazem escavações, porque não precisam de abrigos.
Existem, sim, vidas no centro da terra, nos planetas, nas estrelas e em todos os recantos do Universo: mas vidas de luz, de energias. Mas, seres humanos palpáveis de matéria, mortais, só na superfície da terra.
O planeta Terra é o único feito especificamente para desenvolver a raça humana. Não existe similar humano, em nenhum ponto do Universo, porque só aqui tem essa genética. Agora é que a CULTURA RACIONAL vem explicar, que a criação desse mundo de sofrimento e morte não foi a vontade de Deus; mas, produto da desobediência dos Racionais, que não deram importância aos avisos do RACIONAL SUPERIOR e deram início a transformação da planície, que culminou na formação desse nosso mundo de vidas infectas. Porque, a PLANÍCIE, RACIONAL, se transformou em terra e água e mais tarde, formou a lua, as estrelas e os animais Irracionais; e a energia dos Racionais, se transformou no Sol, nos Planetas e nos animais Racionais que somos nós. Que viemos, evoluindo, progredindo, de eternidade em eternidade, transformando, os resquícios das civilizações extintas, em lendas; e depois, da transformação de uma vida para outra, nós transformamos as lendas em nossas crenças, nas nossas Religiões, nas nossas verdades.
Essas lendas surgiram na pré-história, criadas por seres rudes e atrasados daquele tempo, para dominar a ferocidade dos animais humanos pelo temor. Mas a humanidade evoluiu e nada ficou parado, tudo se transformou, progrediu e já estamos civilizados; já desenvolvemos a imaginação e o pensamento. Agora, a CULTURA RACIONAL já está aí! E nós precisamos desenvolver o Raciocínio, para voltarmos ao nosso estado natural, que é eterno no MUNDO RACIONAL; precisamos seguir em frente, não podemos mais ficar presos a criações de pré-históricos, que não tinham nenhuma evolução, que viam as coisas acontecer e deduziam pelo temor sem questionar, por falta de conhecimentos.
Qual o poder de análise, de conhecimento, que tinham aqueles símios de milhões de anos, aqueles trogloditas de vinte, trinta mil anos, aqueles bárbaros de três, quatro mil anos atrás, que idealizaram essas histórias que estão aí, que nós temos como verdades? Que ensinamos aos nossos filhos e tentamos catequizar todos, para acreditar que é verdade? E o mais interessante, é que os que se prestam a essas catequeses, na maioria são Doutores abalizados no avanço da Ciência, da tecnologia; que sabem que essas histórias foram criadas por trogloditas analfabetos. Naquele tempo foi necessário, mas, agora a inocência acabou, estamos vivendo a fase virtual, já estamos na fase Racional e ninguém mais consegue burlar o óbvio. Mas, às vezes ensinam por conveniência; uns acreditam por boa fé, outros por simplicidade e outros envolvidos na auto-sugestão.
Mas, os habitantes do MUNDO RACIONAL, os extraterrestres como são chamados, já estão na terra, para divulgar a cultura deles, a CULTURA RACIONAL; esse é o objetivo. Eles não falam na CULTURA RACIONAL ainda, porque estão fazendo uma propaganda de forma global, de forma envolvente, despertando a atenção de todos no mundo com as suas aparições, preparando a humanidade de forma geral. Até bem pouco tempo, era ridicularizado e até proibido declarar que viu um Disco Voador; mas as aparições foram se intensificando e hoje é assunto de primeira linha em toda imprensa do mundo.
Todos querem saber sobre os Discos Voadores, sobre os extraterrestres; mas, ignoram o livro deles, UNIVERSO EM DESENCANTO! Os intelectuais dizem que o livro é imbecil; e os Religiosos dizem que o livro é do demônio. Não faz mal: as aparições continuaram intensificando e chegará o momento deles mostrarem o livro no Céu para todos verem no mundo inteiro. Nessa hora, as filas circularão as Cidades para comprar o livro UNIVERSO EM DESENCANTO, porque nesse tempo, será a única realidade que restará para a raça humana. E eu afirmo isso, com tranqüilidade, sem medo de errar.

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

APARÊNCIAS NÃO SÃO VERDADES

A internet trouxe para dentro de nossas casas o retrato do mundo. Um retrato onde nem todas as nuances são agradáveis.
De repente a gente começa a constatar que a humanidade é mais teimosa do que desinformada. Mais vaidosa que sofredora. Mais prepotente do que fraterna. Mais arrogante que amorosa.
Sim, mais teimosa do que desinformada, pois, a quantidade de pessoas que utiliza a internet para recomendar comportamentos nobilíssimos é muito grande! Em contrapartida a quantidade de pessoas no mundo que age de forma atrasada, selvagem é muito maior. Será que o que andam recomendando não serve para os próprios que recomendam?
E porque mais vaidosa que sofredora?
Porque todos sofrem muito, os desequilíbrios são assustadores, mas, nem assim, com tanto sofrimento, a maioria não se rende à paz, ao amor e à fraternidade. E isso é vaidade, por julgarem-se certos, donos da verdade, como diz: “o outro é que está errado”.
E dessa teimosia e vaidade, vem a prepotência (ignorando a fraternidade) e a arrogância, que desconhece o amor.
Sendo tudo isso fruto de um grande atraso, onde julgam que sabem e que não precisam aprender mais nada de novo, virando as costas para as coisas inéditas, ainda desconhecidas da humanidade, acostumados que ficaram com o viver de aparências.
Mas, aí vem o sofrimento e prova ao atrasado que ele não sabe nada, pois, quem sabe não sofre.
Onde está a sabedoria de um sofredor, que não o livra do sofrimento e da dor? E aí é que reina a ignorância, de se acomodar com o que aprendeu, mesmo debaixo de muito sofrimento, prejudicando a si mesmo e aos demais, por nada de real saber da vida, do mundo e de si mesmo.
Aparências não são verdades! Verdade que traz sacrifícios, lágrimas, dores, padecimentos: ela mesmo já está dizendo que não é verdade, parece que é, mas, aparências não são verdades!
E, por isso, por a humanidade admitir aparências como verdades é que o sofrimento é o maior brilhante do dia e da noite.
Enquanto a humanidade viver de aparências, admitindo a mentira como verdade, continuará sofrendo terrivelmente e cada vez mais e pior.
A mentira tornou todos escravos da matéria, fanatizados com a matéria, embriagados com a matéria, obsedados pela matéria, por todos viverem DESCONHECIDOS de si mesmo e da Natureza.
E quem NÃO SE CONHECE, PADECE! Padece, por viver de aparências, admitindo aparências como verdades, passando a ser um traidor de si mesmo, por viver SEM SE CONHECER e, portanto, vivendo completamente contra a Natureza. E quem vive contra a Natureza, não tem com quem contar nem onde se agarrar, porque é da Natureza que dependemos em tudo para viver.
Procuremos, então, conhecer a nós mesmos e à Natureza, deixando os pré-conceitos de lado e tratando de conhecer a cultura mais elevada que existe, a cultura natural da Mãe Natureza, para poder nos entender, nos conhecer e entender e conhecer a nossa geradora, criadora e mantenedora, que é a Natureza.
Só assim conseguiremos sair deste grande atraso milenar, que nos manteve escravos da ferocidade, da vaidade, da ambição, da ganância, dos sonhos, das fantasias e das ilusões, que fizeram do mundo um mar de lama ao invés de um doce abrigo.
Procuremos conhecer e estudar a cultura natural da Natureza, a Cultura Racional.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

UM DISTRAÍDO É UM PERDIDO

Quem não aprecia a Natureza? Quem não se sente bem em contato com Ela?
Todos apreciam, todos se sentem bem.
Por que?
Porque ela é desprendida, acolhe, gera, cria e mantém todos de graça. E mais ainda, porque nela não há nada artificial. E aí está a razão de nos sentirmos tão bem em contato com Ela: Ela é o que é, sem qualquer artifício e é a nossa Mãe Verdadeira. E quem não se sente bem no aconchego materno?
Todos se sentem bem, porque toda mãe quer o melhor para seus filhos, mesmo que não seja correspondida no seu amor, mesmo que não seja respeitada.
Mas, os seres “humanos”, distraídos com seus inventos artificiais (a maioria desnecessária para a manutenção da vida), encantou-se com suas criações e se esqueceu de sua Mãe benfeitora, afastando-se dela.
E pior, passou a valorizar muito mais os seus feitos artificiais, do que os feitos da Mãe benfeitora, a Natureza.
E, assim, perdeu o respeito pelos animais, pelos vegetais, pelos minerais, pelos rios, mares e cachoeiras e até por seus semelhantes, os animais Racionais.
Julgando-se assim mais que a Mãe benfeitora.
E isso veio repercutir na rotina da vida de todos, distraídos com os artifícios, que hoje dão mais valor à sua profissão, à cultura artificial que abraçam, esquecendo-se até de que seus semelhantes precisam é de carinho, amor, atenção.
Se formos exemplificar o que acontece dentro das famílias, nos ambientes de trabalho, ou onde quer que exista uma reunião de pessoas, ficaremos muito tristes e decepcionados com o nosso proceder modernista, materialista, que está sempre a sobrepor o artifício, as aparências ao cultivo do amor ao próximo (que às vezes está tão próximo da gente e é ignorado).
E um distraído é um perdido. Perde a oportunidade de desenvolver sua potencialidade mais nobre e elevada que é o raciocínio, o bom senso superior, que não admite nada que desvalorize os feitos da Mãe benfeitora.
Está em tempo ainda de reverter esse quadro tão vergonhoso, que demonstra um atraso muito grande do ser humano materialista.
Vamos voltar a ser humanos?
Mas, para ser verdadeiramente humanos, precisamos dar à nossa Mãe Natureza toda a atenção que Ela merece.
Abracemos nossa Mãe Querida, abraçando a cultura dEla, a cultura natural, que nos tira da distração com a matéria, da perdição material, aproximando-nos uns dos outros e de nós mesmos.
E onde está essa cultura?
Nos Livros Universo em Desencanto.

AS SETE PARTES DO PORQUE NÓS ASSIM SOMOS

(João Evangelista Saraiva)
S O L
Eu sou o sol. O primeiro feito de transformação do UNIVERSO. Devido ser minha formação proveniente das virtudes (VIDAS) que os Racionais que entraram e permaneceram na planície, devido o livre arbítrio, com o tempo, foram perdendo. Essas virtudes eram vidas de um brilho fulgurante, por isso a razão de minha luz. Sou o principio e a causa de toda essa deformação. Através da intensidade do meu calor é que houve a transformação da planície em resina e goma. A resina ao receber meu calor, transformou-se em terra e a goma em água. Sou o responsável por todas as vidas terrenas, pois sem meu calor nada existiria. Sem a minha interferência não haveria micróbios, vírus ou micro vírus. Assim sendo, me orgulho de ser o rei dos astros, o gerador, criador e destruidor. Em resumo, sou o manipulador. Às vezes me escondo por um bom tempo, isso devido ao mau tempo (modo de dizer), mas sou a favor de tudo, pois sou o coordenador da Natureza.
Á G U A
Eu sou a ÁGUA. O único líquido precioso existente no Universo. Todos dependem de mim. Sem mim nada sobrevive. Isso é extensivo à toda espécie animal e vegetal. Através das minhas virtudes perdidas, resultaram-se a Lua e as Estrelas. Por isso essas vaidosas, brilham como eu. Dependo do Engenheiro Chefe... o sol. Mas sou a fonte da energia elétrica. Em resumo eu sou a única fonte geradora de uma energia poderosa, mas infelizmente degenerada, pois somente reproduzo quando choco, mas sem mim não há vidas.
Um dos fatos mais importantes que realizei foi a invasão das terras, quando as partes mais sólidas e mais altas ficaram, formando assim os Continentes . O meu surgimento foi devido o calor do sol em uma parte da planície que começou a se derreter, ficando mole, gomosa, formando um líquido grosso; e com o tempo, mais fino, tornando-me o que sou.
Muitas vezes, sou obrigada a chamar atenção dos seres humanos em razão dos seus abusos, para que eles aprendam que, o abuso é o fracasso dos abusados. Aí paga o justo pelos infratores.
L U A
Eu sou a lua. Sou derivada das virtudes perdidas da resina (TERRA) e da goma (ÁGUA). Minha influência na terra é enorme. Devido essa grande influência é que mexo com tudo e com todos. Sou um corpo magnético, como o sexo feminino, que também já é próprio para receber cargas e descargas. Assim sou eu; depois de carregada, me vêem grande, bonita e formosa, depois de descarregada, daquela energia quase desapareço. Nessas modificações é que surge o que se chama de lua cheia, quando estou carregada de energia magnética; quarto crescente, quando estou carregando; quarto minguante, quando estou descarregando e nova quando estou descarregada. Esses movimentos são proporcionados, em virtude da própria natureza universal ser um conjunto fluídico elétrico e magnético. Trabalho como uma bateria de carga e descarga. Pelos eflúvios das ondas e das correntes, da própria natureza. Já fui até há bem pouco tempo, cantada e decantada pelos poetas e compositores. Mas ainda sou o encanto dos namorados.
Na cheia sou mais vaidosa
A crescente sou mais forte
Na minguante mais humilde
Na nova transmito sorte.
V E G E T A I S
Eu sou o vegetal. Sou derivado de uma composição de água e terra. Também dependo do sol, da lua, da água e da terra. Devido à planície virar água e essa água misturada na terra; com o tempo mofou, infeccionou, apodreceu, formando os micróbios, vírus etc., assim eu fui gerado. Mas minha importância é vital ao ser humano, pois sem mim o que seria de vocês. Sou útil de todas as formas, como remédios, alimentos, como tecidos, ou madeira e principalmente como o oxigênio que lhes forneço. Sou o autor de um importante processo, para a produção da energia necessária para a sobrevivência humana; denominada Fotossíntese.
ANIMAIS (IRRACIONAIS E RACIONAIS)
IRRACIONAIS
Somos animais irracionais de categoria inferiores por não termos raciocínio, pois somos provenientes de uma partícula minúscula, quase extinta. Razão pela qual somos comandados pela energia magnética pura. Assim como os vegetais, somos frutos da mistura de água e terra, onde se gerou os micróbios, vírus e micro vírus. Daí surgimos. Dependemos do sol, da lua, das estrelas, da terra, da água e dos vegetais e nenhuma destas partes dependem de nós. Também somos frutos de transformações sempre em classe inferiores. Servimos aos animais superiores (Racionais) em vários setores, cada qual com sua serventia, inclusive como alimento. Devemos frisar bem que não raciocinamos, mas temos um pensamento curto e intuitivo. Nossa família é enorme. Nela se incluem os quadrúpedes, os insetos, as aves, os peixes, crustáceos, etc. etc.
RACIONAIS
Diferenciamos dos componentes das seis partes citadas, por sermos portadores da potência máxima divina que é o Raciocínio, ou seja, o único elo identificador da nossa saudosa origem. O Raciocínio é a justa, força e razão, que quer dizer justiça e poder Racional, ou seja, equilíbrio. Coincidência ou não, uma vez que não há efeito sem causa, estas iniciais das sete partes do por que assim somos formam a palavra - S AL V A-TE.
Sol
Água
Lua
Vegetais
Animais
Terra
Estrelas
Temos que retornar ao nosso mundo de origem através do desenvolvimento e desmaterialização do Raciocínio. Esse retorno significa nossa salvação. Através deste desenvolvimento, vamos recuperar as partículas que no princípio deixamos nas sete partes. Mas queremos deixar bem claro que tudo isso será em vida, nesta vida da matéria, não será depois de morrermos. A verdadeira salvação se dará através do equilíbrio absoluto, compreensão e confraternização Universal. Na medida em que vamos nos imunizando, vamos retirando as partículas do sol, da água, da lua etc. Assim essas partes irão diminuindo, diminuindo e repetindo o mesmo processo pelas quais foram formadas, voltando ao que eram. E o que eram?
Racionais puros, limpos, prefeitos e sem defeitos. Nós somos a causa e elas os feitos. Vivemos com toda prepotência dizendo sermos os donos do mundo. No entanto através do que foi dito, somos dependentes de todas as seis partes, com a atenuante de que elas não dependem de nós em ponto algum. Muito pelo contrário, se não fossem as leis universais e a intervenção divina, já há muito teríamos destruído o mundo. Hoje conhecendo as mudanças e transformações do passado, sabemos que como monstrinho era um, como monstrodonte, outro, como monstrões, outro. Daí conseguimos a transformação evolutiva para primitivos selvagens, que não deixou de ser um grande progresso. Melhoramos nosso entendimento e modo de compreender. Com muito sofrimento e com a evolução das transformações, alcançamos a fase da civilização. Surgindo assim o principio da noção das coisas com o desenvolvimento do pensamento e da imaginação. Começou assim a surgir o principio do progresso artificial e nesse ponto elevado surgiu a civilização numa grande evolução cultural. Nessa evolução alcançamos o amadurecimento e conseqüentemente a Fase Racional. A Energia que passou a nos governar, pois, através dela conseguiremos desenvolver o nosso raciocínio. Como já dizia o grande cientista, Albert Einstein: “Se chegássemos ao ponto de usarmos todo o nosso cérebro, seríamos energia pura e não precisaríamos de um corpo.
T E R R A
Eu sou a Terra. Fui há épocas remotíssimas a produtora dos animais, quando todos nasciam do chão. Assim como, até hoje, gero vegetais, sem necessidade de plantar, de mim nasciam seres do sexo masculino e feminino. Ainda hoje sou a incubadeira e a água a fertilizadora. As minhas virtudes perdidas ajudaram na formação da lua e das estrelas. Também dependo do Engenheiro chefe o sol, da lua, da água, pois sem eles nada produzo. Em resumo, eu sou a única força criadora do Universo.
E S T R E L A S
Nós somos as estrelas. Somos formadas pelas virtudes perdidas da água e da terra. No princípio, nosso nome era Oruatares, querendo dizer: ”O altar dos Encantados”. Éramos objetos de muitas lendas, contos e histórias. Por sermos o magnetismo do alto, dominamos as imaginações dos poetas, escritores e namorados. Somos a fonte do magnetismo.
UM PEQUENO COMENTÁRIO
O conjunto destas sete partes é a Natureza. Quem não compreendê-la por bem, irá compreendê-la por mal. Aos rudes, aos endurecidos, o sofrimento tira essas manhas, o orgulho, a vaidade, a presunção. Vivendo contra a Natureza, estamos remando contra a maré. Sempre desfavorecidos em tudo, uma hora nos compreendendo e na mesma hora descompreendidos, amigos hoje, inimigos amanhã. Mas não devemos esquecer que o que se planta no presente se colhe no futuro.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

LER

(Porfirio Jesus das Neves)
Este é um verbo de grande significado na existência humana, pois é através da leitura que os olhos do ser humano se enchem de conhecimentos diversos e culturais.
Tempestivamente, a palavra “LER” também pode representar uma sigla de três letras, que está em acordo com o grande significado da leitura do livro Universo em Desencanto: Liberdade de Expressão Racional.
Se alguém está lendo é porque houve a liberdade de outrem para escrever e expressar seu entendimento através da escrita.
Não houvesse a liberdade de expressão, nada de novo teríamos para ler, pois estaríamos sempre lendo as mesmas coisas que alguém, ou grupos de alguém, assim o desejasse.
A liberdade é um imperativo da Natureza! Portanto, a liberdade de expressão é uma forma cultural de todos poderem avançar e se desenvolver. Caso contrário, seria negar a própria evolução.
Sem liberdade não há evolução. Sem liberdade de expressão não há avanços na compreensão de um Conhecimento, nem da vida. Enfim, sem Liberdade de Expressão Racional não se desenvolve o Raciocínio.
Portanto, se não houvesse a Liberdade de Expressão Racional, jamais o livro Universo em Desencanto poderia apresentar o NOVO. E acabaria ficando embaixo das prateleiras dos intelectuais.
Como apresentar o NOVO se não houvesse liberdade de expressão? Entendam isto, senhores e senhoras intelectuais, ou senhores e senhoras “ditadores” - que ditam regras - usando a gentileza de suas próprias razões.
O NOVO significa uma nova maneira de avançar nos sentidos e na compreensão de uma nova existência.
É desta forma que o livro Universo em Desencanto, obra e graça de um Mundo muito Superior ao nosso, se apresenta para a nossa leitura, usando uma necessária liberdade de expressão, que ultrapassa e, ao mesmo tempo, parece agredir normas gramaticais. Não são agressões gramaticais, é uma nova forma de apresentar um NOVO ENTENDIMENTO. Como poderiam surgir novos entendimentos entre nós se estivéssemos sempre entendendo as coisas da mesma forma, dentro das mesmas regras? Há que haver alguma liberdade! E aí está a Liberdade de Expressão Racional (LER).
É com esta argumentação que devemos encarar as coisas novas para podermos justificar o avanço dos entendimentos.
Assim, o Livro Universo em Desencanto, no uso desta liberdade de expressão, justamente nos apresentando o NOVO, está escrito num idioma diferenciado do Português gramatical rígido, ou doutrinado pelas regras gramaticais; o Livro Universo em Desencanto está escrito num “Português Racional”, onde a palavra “Racional” tem sua semântica ligada à ORIGEM.
O uso da palavra RACIONAL também busca traduzir o NOVO e, por isso, é usada neste livro com um sentido diferenciado, para nos fazer compreender o que seria incompreensível se estivéssemos presos ao sentido das regras gramaticais.
RACIONAL é a origem de tudo, porque tudo tem uma RAZÃO de ser! A razão de ser de algo ou de alguém, é que nos faz compreender o sentimento de “origem causal”, pois não há efeito sem causa. Não existe acaso; nada existe por acaso. O que se diz casual é quando não se conhecem as razões de tal fato; por isso é dito casual ou eventual. Mas sempre há uma causa.
Desta forma a palavra RACIONAL não serve apenas de adjetivo para a palavra CULTURA na expressão “Cultura Racional”, serve muito mais para apontar para um NOVO CONHECIMENTO em relação à nossa fraca compreensão da vida, que se baseia apenas no pensamento intelectual ou no “pensamento gramaticalizado”.
Surgem assim, através desta leitura RACIONAL, neologismos e novas expressões que se tornam necessárias para conduzir nosso entendimento ao real conteúdo de um Livro que, definitivamente e definidamente, não está preso às regras gramaticais.
Por isso o título do livro é Universo em Desencanto: solução e definição e libertação em todos os sentidos e não apenas no aspecto gramatical do pensamento humano. A comunicação é muito mais importante que as regras gramaticais.
Muito cuidado ao ler este Livro, lembre-se de LER e reler. E..., cuidado para não ter alguma “Lesão por Esforço Repetitivo”, a leitura deve ser sem esforço, simples e natural, garantindo assim a permanente liberdade de expressão Racional.
Aliás, esta Liberdade de Expressão Racional deve ser contínua, inclusive nas maneiras e formas de se divulgar esta Obra.
Por isso o próprio livro recomenda a divulgação de todas as formas, jeitos e maneiras, não estabelecendo qualquer tipo de restrição. Vejam, assim, nesta orientação, um ato de coerência com o que propõe o Dono do Livro – o livro da libertação.
As restrições que acontecem, infelizmente, são feitas por pessoas desatentas, que ainda não aprenderam a LER, que ainda não aprenderam o real sentido da Liberdade da Expressão Racional.
Nesses casos, é muito bem apropriada a expressão: -“você ainda não aprendeu a LER”! Você ainda não aprendeu a Liberdade de Expressão Racional.
E ainda podemos constatar com o verbo RELER, uma Recomendação Especial da Liberdade de Expressão Racional. Portanto, ler e reler o livro Universo em Desencanto é ser coerente com a nossa própria natureza de liberdade.
Enfim, o Desencanto. Desencanto quer dizer: liberdade. Libertou-se, desencantou. Passou a acertar em tudo.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O SER VERDADEIRO REAL É O SER RACIONAL

(Valdir Santos Alexandrino - http://rccvsarcn.wordpress.com)
O Fluido elétrico e magnético é o fluxo efluente desta base do ser irracional. E, é afluente da Personalidade Fluídica que é o “Eu” de cada pessoa, onde se faz dominante. Ligada a esse afluente animal, é por ele comandada através do pensamento e da imaginação; e então, a pessoa pensa como animal.
Os Seres Humanos, por serem feitos por este Encanto Fluídico, com a formação de Aparelhos elétricos e magnéticos vivem sob orientação efluvial elétrica e magnética. Daí, nunca que iam poder encontrar, por si mesmos, o equilíbrio de razão Suprema ao qual só se pode chegar, por meio do desenvolvimento do raciocínio.
O raciocínio – enquanto Ente de razão – ele é a razão da vida eterna. Já, enquanto Ente da realidade, Ele é o Habitante do Mundo Racional, o causador (por conta própria) deste Mundo de mentiras; no qual, todos que aqui estão; as conseqüências que estão sofrendo, elas são os frutos daquilo que, para si mesmo, cada qual conseguiu. E o pior do que conseguiu, foi ficar vivendo sem conhecer a si mesmo; dentro desta caverna (ou caveira) que é a cabeça de sucessivos Seres Pensantes; cada qual, pensando ser o que não podia ser e, nem era o que protagonizava ser, em seu imaginário de iludido sonhador. Morrendo e nascendo, morrendo e nascendo; sonhando que tinha vida e no acordar do sonho fantástico; então, desiludido da ilusão de ótica, deparava-se com a morte que, sempre fez, faz e fará parte de cada vida vivente provisória inconsciente.
De tão inconsciente, propiciou a criação de mitos imaginários, Seres fictícios, produto do imaginário, das ficções imaginárias; como a de ter esta perfeição aparente; essa perfeição às avessas; que é uma imperfeição cheia de defeitos, sendo tida como se, a perfeição verdadeira, ela fosse. Achavam até que raciocinavam! O raciocínio, o que é? É um corpo de Energia Racional que se materializou na forma de animal Racional. Quando se extinguiu em cima de um campo de energia transformado em matéria – por se extinguir em cima da formação inicial que tinha esse campo – então, perdeu a vida de Racional e se transformou de Racional para Racional que, materializado ficou, nesta classe de animal Racional. Onde tomou essa forma de máquina do raciocínio.
E para que o raciocínio – hoje, depois de milhões de milênios - seja, de fato, compreendido; tem que ser desenvolvido pela Energia Imunizante Racional grafada, sob forma discursiva e também dialógica, em linguagem simples das mais simples, ao alcance dos mais humildes em leitura, nos numerosos volumes e fascículos do Livro desembargador do desencanto: o Livro “Universo em Desencanto”, de Cultura Racional. Já nos primeiros vinte e um volumes, lendo e relendo e apurando-se, a pessoa até então Encantada por viver repleta de um acervo de convicções erradas; ela lendo, passa a ser beneficiária dos efeitos antígenos do Conhecimento Racional verdadeiro que lhe vai embargando o seu Encanto de vida fluídica.
Neste início de conversa, o que se pode recomendar é que ninguém tarde ainda mais a sua ligação ao Mundo Racional, para não sofrer as conseqüências de seu descuido, por ficarem mais ligados ao fluido animal. E ligados ao fluido animal, pensam como animal; num desequilíbrio infernal.
Nesta Fase Racional da Natureza e, por conseguinte, da natureza humana; o maior tesouro da humanidade é a Cultura Racional que, lhe dá a definição exata de o porquê do seu Ser; para a restauração do equilíbrio universal. Não se precipite em achar que seja uma coisa das mesmas raízes do Encanto.
Não, não se trata da mesma Cultura de inconscientes, do imaginário de Encantados pela Deformação Racional; uma cultura da Fase do animal Racional em lapidação; extraída de mentes variantes, de livres pensadores; definitivamente não é uma Cultura Artificial; muito boa somente para lapidação do animal Racional. O Ser Verdadeiro, o Ser Racional é que é o nosso Ser certo.
Dirija-se aos livros de Cultura Racional e verá a clara diferença entre uma coisa e outra coisa; e então, você verá que não é tudo a mesma coisa. Na origem lá onde fomos Racionais; de lá saímos e para cá viemos. E hoje, aqui e já dentro da Fase Racional, somos Aparelhos Humanos Racionais; depois de ter terminado a Fase de animal Racional. Saúde e Paz para todos, pelo desenvolvimento do raciocínio!

terça-feira, 7 de agosto de 2012

AMAR A SI MESMO

As coisas mais simples é que nos levam à compreensão do que é verdade.
Nunca, anteriormente ao nosso tempo, se falou tanto em amar a si mesmo para ser capaz de amar aos semelhantes e à Natureza, que nos gera, cria, mantém e governa.
Então, raciocinemos: se ganho um presente, bem embalado, embalagem linda, suntuosa, bem enfeitada e me encanto com ela, a ponto de esquecer o presente que ela conduz, ignorando o presente, como posso dizer que gostei do presente, se nem cheguei a desembalá-lo para saber de que se trata?
Assim somos nós.
Nosso corpo é uma mera embalagem (com cabeça, tronco e membros), conduzindo o grande presente que DEUS nos deu: ELE mesmo! A semelhança DELE em forma de máquina do raciocínio.
Ficamos eternidades encantados com a embalagem: a máquina do pensamento e da imaginação no cérebro e o restante do corpo, certos de que tudo isso era o nosso SER VERDADEIRO e, por isso, imaginávamos DEUS como um homem – também com cabeça, tronco e membros.
E DEUS é ENERGIA, SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS!
E quanto tempo já perdemos e sofremos por causa dessa “embalagem”, que é o nosso corpo, uns até mesmo se sujeitando a cirurgias plásticas, na ilusão de estar assim levantando o seu astral, o seu EU, que nada tem a ver com a matéria.
Esquecemos da presença de uma glândula em nosso cérebro, que a Medicina chegou até a alegar (não nos dias de hoje), que ela não tinha função.
Ignorávamos, em maioria, que nessa glândula (a Pineal) estava nosso EU verdadeiro, nossa essência. E, assim, fomos nos encantando com a embalagem dela: nosso corpo de matéria.
A Natureza, tal como nós, conduz a sua essência, mas, acostumados a enxergar e valorizar somente nossa embalagem, passamos, paralelamente a enxergar como Natureza somente a parte de embalagem dela: o sol com sua luz visível, mas, não sua essência e da mesma forma encarando os demais seres e componentes do mundo em que vivemos.
Daí, termos desenvolvido uma cultura aparente, onde somente se valoriza o que conduz e, não, a essência conduzida, que é o SER real de todo e qualquer ser.
Desenvolvemos, assim, uma vidência apenas material – visível e invisível (a matéria fina), sem conseguirmos transcender às “embalagens”, as formas aparentes.
Essa vidência material é a parte do nada, onde tudo é diferente, por se tratar de uma deformação de parte da essência, ficando a essência pura, que é superior, relegada a inferior.
Criamos, assim, uma sabedoria invertida, colocando o inferior acima do SUPERIOR. Isso nos colocou contra a verdadeira Natureza, muito diferente da Natureza deformada! Um disparate e uma grande loucura de desrespeito a quem tudo devemos! E a conseqüência? Dando uma olhadinha na situação lastimável do mundo, encontramos a resposta: SOFRIMENTO PURO! Mas, a Natureza (a não deformada), Mãe bondosa, resolve acordar seus filhos. Para isso, deixou de alimentar nossas máquinas pensantes e imaginantes (parte animal, a parte das aparências), através das quais nos relacionamos com a parte deformada da Natureza, induzindo-nos a procurar em nós mesmos outra máquina interior para comunicação com o exterior.
E para nos facilitar esse achado, ELA nos presenteia com todos os conhecimentos pertinentes ao nosso SER Verdadeiro, o SER RACIONAL.
E ao tomarmos conhecimento dessa sabedoria ímpar vamos, passo a passo, desembrulhando o grande presente, colocando fim na embalagem e dela nos DESENCANTANDO, até encontrarmos o grande tesouro que, há milhões de milênios vínhamos inconscientemente conduzindo, vida, após vida, através de diferentes embalagens (femininas, masculinas e de todas as raças), sem nunca nos ter dado conta de que se tratava este presente de DEUS VERDADEIRO dentro de nós.
Vamos desembrulhar o presente?
Vamos conhecer nosso EU Verdadeiro?
Quando todos responderem SIM a essas perguntas e assim procederem, desencantar-se-ão das embalagens (tudo de material) e passarão a se amar intensa e eternamente, pelo encontro esplendoroso com o nosso EU Verdadeiro (que é UM só em todas as cabeças, não há diferenças), que é o representante legítimo de DEUS, o RACIONAL SUPERIOR.
E onde estão os esclarecimentos para nos DESENCANTAR da matéria, podendo desembrulhar este precioso tesouro?
Nos Livros de Cultura Racional, Universo em Desencanto.
É nas páginas brilhantes desses grandiosos Livros que cada um de nós, em nossa casa, aprende a amar a si próprio, transformando-se de mero animal Racional, para Verdadeiro Racional.
E, assim, encerram-se as transformações de uma vida para outra neste mundo material, por retornar e se ligar em vida, à Origem, o MUNDO RACIONAL, através da ligação da nossa essência, o RACIOCÍNIO, à essência RACIONAL de todos os seres da Natureza – É O FIM DA MORTE, É O FIM DAS APARÊNCIAS, por termos aprendido a “AMAR A SI MESMO”, pelo desenvolvimento do raciocínio.

ACENDENDO A LUZ ETERNA

Uma vela é mantida acessa enquanto há parafina.
Assim, o animal Racional: com sua luz artificial mantida pela combustão das energias elétrica e magnética, enquanto houver reserva dessas energias na máquina do pensamento e da imaginação, respectivamente.
Antes de 1935 a Natureza alimentava essa carga elétrica e magnética nessas duas máquinas, sempre que essa carga baixava seu nível de equilíbrio. Nesse tempo, fase da civilização (2º milênio), quem governava a natureza era a energia elétrica e magnética.
E, assim, a Natureza mantinha nosso relativo equilíbrio. Mantendo acesa a luz artificial da vida artificial. Artificial, por não ser o estado verídico, natural, original.
A partir de 1935, a Natureza mudou de fase. Concluiu estar na hora de nos dar vida e luz verdadeiras, entrando em vigor sua parte essencial, RACIONAL. Entra em vigor, então, a ENERGIA RACIONAL, que passa a alimentar sua máquina correspondente: do raciocínio (glândula pineal), adormecido há milhões de milênios, sendo conduzido vida após vida, até que se alcançasse a fase do seu funcionamento.
E por ter terminado a fase do pensamento, a Natureza deixou de alimentar o nosso pensamento/imaginação.
Estamos vivendo com a carga eletromagnética remanescente que, dia a dia enfraquece, enfraquecendo nossa luz artificial , até que a carga termine, quando ficamos sem luz, nas trevas, completamente desequilibrados.
Aí, irão perguntar: “Mas, a Natureza não está alimentando o raciocínio?” Sim, está, mas, num processo muito lento, tão lento, que antes que se acenda nossa luz verdadeira, a artificial, da maioria, há de se apagar.
Por isso, precisamos colaborar com a Natureza e buscar, numa usina de Energia Verdadeira Original, o fornecimento mais rápido dessa Luz Eterna. Que depois de acesa, por ser dada pelo SUPREMO CRIADOR, o RACIONAL SUPERIOR, ela não se apaga, por pertencer à eternidade.
E que usina é essa?
São os Livros Universo em Desencanto, de Cultura Racional, a cultura natural da Natureza.
Acendamos todos a Luz Divina Racional, desenvolvendo o nosso raciocínio, com a leitura diária dos Livros Universo em Desencanto, antes que nossa luz artificial, eletromagnética se apague, secando nosso pensamento, o que torna também seco o sentimento.
O pavio de todos está se aproximando do seu fim.

SIMPLICIDADE

Ser SIMPLES, eis a chave que abre as portas da sabedoria.
Por quê?
Porque simples é a ORIGEM, onde tudo vibra amor, paz, fraternidade e concórdia, por não haver divisões. É um SER só: puro, limpo e perfeito: RACIONAL.
Isso é que resume a palavra RACIONAL.
Então, ser SIMPLES é ser RACIONAL, é se identificar com a UNIDADE e, não, com as fragmentações.
Muito diferente de ser animal, onde tudo e todos são diferentes, identificados com as fragmentações, que mistificam o SER, tornando-o degenerado em relação à ORIGEM, mantendo-o fora da forma original, portanto, deformado e poluído (o conjunto de fragmentações que vai admitindo, fragmentações essas que constituem negação do verdadeiro SER, o SER RACIONAL.
A simplicidade, por não admitir fragmentações, dá ao ser força e poder absolutos – identifica-se com a ORIGEM, raiz mestra da fecundação de tudo e de todos.
Sendo, assim, a simplicidade é de um poderio incalculável sobre tudo e sobre todos, por nela residir a UNIÃO – e na UNIÃO está a Concórdia UNIVERSAL.
E, assim, o verdadeiro sábio procura não questionar nada nem ninguém, procurando enxergar tudo e todos pela ótica da simplicidade, ou seja, procurando se entender com o SER RACIONAL, o ser simples, que existe em todos e tudo que compõem o UNIVERSO e, não, com o ser deformado, degenerado, poluído e enfraquecido animal, que é o ser material.
Somente assim consegue resolver tudo através da pacificação, por se unir ao ser real de todos os seres, onde reside a paz de tudo e de todos.
Daí, deixa de ser um ser destruidor para ser um ser construtor. Deixa de ser contra tudo e contra todos, para ser EM favor de tudo e de todos.
EM favor é muito diferente de A favor. EM favor significa: EM BENEFÍCIO. Não devo ser a favor, por exemplo, da corrupção, mas tenho o dever de ser em favor dos corruptos, ou seja, em benefício da recuperação dos corruptos. RACIONAL não é contra nada nem ninguém.
E para viver EM BENEFÍCIO de tudo e de todos, precisamos ser indiferentes ao ser animal, o ser fragmentado material, o ser deformado cheio de defeitos e imperfeições e dar primazia ao SER RACIONAL, o ser simples dos simples.
E esse é o caminho do BEM, unindo-se ao SER REAL de tudo e de todos, concretizando a GRANDE SOMA, unindo todas as peças do colossal quebra-cabeças Universal, por dar valor somente ao que tem valor e importância ao que realmente é importante: o SER RACIONAL.
Sejamos simples, adotemos a simplicidade, tomando conhecimento da conduta e dos moldes deste SER SUPERIOR, o SER RACIONAL, nos Livros Universo em Desencanto.

46 Terceiro Milênio - As flores e os seres humanos

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

A GRANDE COMUNIDADE DE CONFÚNCIO (E OUTRAS PROFECIAS), CONCLUI-SE COM A CULTURA RACIONAL.

(Severino dos Reis)
Amigos leitores do nosso blog, mais uma vez, queremos reafirmar a importância, a necessidade de todos os seres humanos conhecerem, certificarem- se e, depois, ler os livros UNIVERSO EM DESENCANTO: estudar mesmo, a CULTURA RACIONAL.
Pois, na contagem regressiva das eras, já presenciamos o século vinte desaparecer no horizonte; já ouvimos os últimos sussurros do segundo milênio, na voz desesperada da humanidade, através do aquecimento global, da escassez de água no planeta, da insuficiência de alimentos para a população mundial, da crise econômica mundial quebrando todos os países do mundo, do degelo das calotas polares, dos incêndios no mundo inteiro no verão e nas enchentes, raios e tempestades no inverno.
Através da poluição, que já é quase insuportável em todo planeta, através das drogas, cujo tráfico cada dia mais ousado, que saiu dos recantos sombrios das favelas, das esquinas no silêncio das madrugadas e foi para dentro das salas de aulas, para dentro dos lares, em plena luz do dia e a qualquer hora: espalhando o vício, a morte, terror e o desespero das famílias.
Através da AIDS que avança sem nenhum obstáculo, rumo à contaminação da humanidade; através das invasões, dos protestos, rebeliões, arrastões, seqüestros, explosão de caixas eletrônicos e a matança de todas as formas.
Mata-se nas guerras, nos atentados de grupos extremistas, no trânsito, nos lares, nas baladas e nas ruas, o sangue dos nossos jovens corre a jorro.
A pedofilia virou moda: nos lares, nas Escolas, nas Igrejas e espalhou pela Internet! E tantos outros milhões de acontecimentos gigantescos que assolam a raça humana.
Mas felizmente também, já pudemos ver o cintilar da aurora do terceiro milênio, numa luminosidade jamais vista em nosso baixo mundo de matéria. Já podemos ver o clarão da luz RACIONAL; já é possível sentir as vibrações do nosso mundo de origem, o MUNDO RACIONAL.
Portanto, agora, se estudarmos a CULTURA RACIONAL, já pode se concretizar, o que Confúcio chamou de a grande comunidade. Onde a terra será propriedade de todos; onde as crianças e adultos serão bem alimentados, onde todos os velhos terão os seus últimos dias tranqüilos e os fortes terão o seu trabalho útil.
Onde as viúvas e os órfãos, os fracos e os enfermos encontrarão amparo; e todos os homens terão os seus empregos e as mulheres os seus lares; onde todos trabalharão em prol de toda comunidade. Por isso não farão falta as fechaduras, poderão deixar as portas abertas, porque não haverá bandidos e nem ladrões.
Também já e possível concretizar o que foi escrito por IZAIAS: onde as nações não mais levantarão contra nações; onde as lanças serão transformadas em arados e as armas de guerra em instrumentos de agricultura. Onde o lobo habitará com o cordeiro e o leopardo com o cabrito se deitará; o bezerro e o filho do leão dormirão juntos e um menino pequeno os conduzirá; a vaca e a ursa pastarão juntas, o leão comerá palha com o boi e uma criança de peito brincará sobre a toca da serpente e uma outra já desmamada, meterá a sua mão na cova do basilisco; e nenhum mal se fará em meu santo monte, porque a terra se encherá de conhecimento do senhor, como as águas cobrem mar.
Que coisa linda! Mas porque nenhuma dessas maravilhas e tantas outras, ainda não aconteceram?
E, ao contrário, estamos cada dia mais distantes de tais afirmações, se atualmente se roubam de todos os jeitos: roubam cargas de caminhões, carros, saqueiam bancos supermercados, Escolas; e a humanidade está ficando cada dia mais enclausurada nas suas residências, ao em vez de deixar as portas abertas.
E olha que Confúcio idealizou a grande comunidade, 600 anos antes de CRISTO; a mensagem de IZAIAS remonta aos tempos Bíblicos e outras predições que remontam à pré-história. E por que ainda nada disso aconteceu?
É exatamente porque é impossível fazer a grandeza de tais modificações, sem mudar a mentalidade humana; sem romper com as tradições, sem remover os resíduos de energias antigas e conectar-se a uma energia nova. Pois, não é o que descreve as escrituras também? Eis que tudo se fez novo!
Mas, não poderia desligar as energias antigas que alimentavam o pensamento, antes de chegar à energia nova, a energia Racional, para iniciar o desenvolvimento do Raciocínio, que vai substituir o pensamento e renovar a mentalidade do homem.
Para isso, Deus, o RACIONAL SUPERIOR, que é um Raciocínio Superior a todos os Raciocínios, em 1.935 mudou a fase da Natureza: de animal Racional para a fase Racional. Para abrir a vertente e liberar a nascente da energia Racional, que desenvolve o Raciocínio, que cancela e substitui o pensamento, porque já chegou o tempo.
Agora está aí a CULTURA RACIONAL, para cumprir todas as predições, daqueles grandes visionários do passado; para mudar a personalidade sórdida do homem, causada pela imperfeição da matéria, que torna-se o ser humano antagônico e cada dia mais longe do amor recíproco, mais distante da solidariedade coletiva, porque o pensamento sempre dividiu as opiniões. Pois, ele foi feito para isso, para dividir a humanidade: em grupos religiosos, em classes sociais, para lapidar; preparar os seres humanos, para um dia voltar à eternidade.
Portanto, não é salvação! É o retorno à sua origem, ao seu estado natural que é o MUNDO RACIONAL de onde nós saímos.
Mas quem quiser voltar, tem que desenvolver o Raciocínio; e só desenvolve o Raciocínio, com a energia Racional; e a única fonte da energia Racional é a CULTURA RACIONAL. Por isso, que é importantíssimo e extremamente necessário, todos os seres humanos indistintamente, ler os livro UNIVERSO EM DESENCANTO; estudar mesmo a CULTURA RACIONAL, cuja didática é oriunda de mensagens ditadas por Deus, para encher a terra de energia Racional, o verdadeiro conhecimento do Senhor, que é o RACIONAL SUPERIOR.
Agora fica uma pergunta: por que ficamos enclausurados só aos métodos, as formas de interpretar a salvação como outros homens nos ensinam? E muitos até cobram para ensinar, se é tão fácil. É só obedecer a Jesus: examinai todas as Escrituras, que nelas encontrarás a verdade; e a verdade os libertará.
Ele já disse isso, porque sabia que no tempo certo, viria uma outra escrituração, também com todo cunho de verdade. Por isso, não podemos ficar presos às interpretações ou conveniências de outros.
Então, vamos examinar a CULTURA RACIONAL, que é uma escrituração e tirar as nossas próprias conclusões, se é verdade ou não. E, é o que, os homens que até agora nos ensinaram, também devem fazer, para não incorrer no erro de falar sem examinar, e depois ser medido com a mesma medida, porque mediu, sem ter conhecimento.

domingo, 5 de agosto de 2012

43 - TERCEIRO MILÊNIO - PENSAR É RENEGAR O DIREITO QUE DEUS DEU A TODOS DE RACIOCINAR

O PODER DOS PODERES

(Mensagem Do RACIONAL SUPERIOR)
De onde provém o Poder dos Poderes?
Na origem está a força do poder que constitui a Vida.
E assim sendo, a Força do equilíbrio da Vida está na sua verdadeira origem de Racional.
Então, Racional tudo é, porque Racional é a origem existente.
Existindo a origem, emana-se o Poder da origem para a solução daquilo que pertence à origem.
O que pertence à origem é Racional. Então, para que a pessoa encontre o equilíbrio e a razão de SER, é conhecer a sua Verdadeira Origem de Racional.
Assim, vai encontrar ou se ligar à Força que os fez, que é de sua verdadeira origem Racional.
Então, procure conhecer o porquê és um animal Racional para saber o que é Racional e saberes o que é animal.
Então, a força mais poderosa do Universo é a Força de sua verdadeira origem, a Força Racional.
Se teve força para lhe fazer assim, de lhe gerar assim, também tem força para resolver o seu equilíbrio na vida da matéria, desde que se ligue à sua Origem, o MUNDO RACIONAL.
(A continuação dessa mensagem se encontra nos Livros Universo em Desencanto)

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

AUTENTICIDADE: MODELO

Lendo um artigo de Amigo do Google+ em seu blog, comprovei, mais uma vez como a Natureza está evoluindo as cabecinhas no mundo inteiro. È a nova fase da Natureza se impondo, a Fase Racional!
O Paulo Jorge Pedra, em seu texto, chama-nos à atenção sobre a autenticidade.
Diz o Paulo: “Você pode tomar como modelo algum artista, alguma pessoa conhecida, mas, NUNCA esqueça que você é você e não o seu modelo. Terá que fazer ajustes em você, terá que se aproximar mais de si mesmo.”
Aí está uma grandeVERDADE, que subentende-se o SE CONHECER. Mas, não é conhecer a sua parte animal, a parte das imperfeições e, sim, a parte que lhe deu o sobrenome, o nome de sua raça, de sua família real, a família DIVINA, a família RACIONAL.
Animal é a parte da deformação, da inconsciência, dos defeitos que nos tornam diferentes uns dos outros. Racional é a parte da estirpe pura, limpa e perfeita, de onde saímos como filhos pródigos e, hoje, sofrendo as conseqüências de termos abandonado a família real, a Casa Paterna, que, aqui na Terra chamam de CÉU.
Sim, minha gente, não somos daqui. Constituímos este mundo material por uso da vontade, extrapolando os limites que nos mantinham eternamente puros, limpos e perfeitos.
Mas, não perdemos a eternidade. Ela está dentro de nós. E cada qual está apartado dela pela parte animal, que difere de uma pessoa para outra.
E, assim, para sermos novamente o que fomos um dia, é preciso conhecer essa parte ÚNICA, IDÊNTICA dentro de cada um de nós, conhecer os moldes e a conduta desse SER RACIONAL, para podermos, de posse desse conhecimento, cada qual fazer os ajustes precisos e necessários para alcançar o SEU VERDADEIRO SER.
Portanto, fica evidente que os ajustes serão diferentes de uma pessoa para outra, sendo impossível estabelecer uma conduta única nessa empreitada de recuperação, porque todos são diferentes na parte animal.
E para lapidar essa parte animal, todos foram encaminhados para formas diferentes de lapidação, através das filosofias, das ciências, das religiões, enfim, através de todos os segmentos existentes nestes artifícios de lapidação criados pela Natureza, através do pensamento e da imaginação.
Agora, o que a gente vê? Uns querendo convencer aos demais que o artifício em que se encontra é o melhor. Ora, querem saber mais do que a Natureza? Vamos respeitar e deixar cada qual no segmento artificial que a Mãe natureza julgou preciso e necessário para cada qual e, por isso, encaminhou a pessoa para aquela opção.
Respeitemos nossa Mãe, respeitando as “opções” filosóficas, científicas, religiosas etc. de cada qual.
Porém, quem já se sente bem lapidado e preparado, que procure ir avante para SE CONHECER. E para se conhecer é fundamental conhecer o seu SER REAL, que nada tem a ver com filosofias, crenças, políticas, ciências, religiões etc.
Por que?
Porque o SER REAL não necessita de nada disso, por ter em si todo o conhecimento UNIVERSAL da ORIGEM, de onde nunca deveria ter saído.
Muitos estão prontos, preparados, outros precisam ainda se preparar nas filosofias, ciências, religiões etc. Sejamos compreensivos, fraternos, maduros para não prejudicar o caminho que cada qual precisa e necessita percorrer.
Cada qual tem sua hora certa de acordar. Ninguém acorda enquanto ainda está sonhando com o que não existe. Somente as provas em si mesmo, através das lapidações, vai acordando de pouco em pouco os dorminhocos.
A autenticidade está na ORIGEM. A ORIGEM está materializada dentro de cada qual, em forma de máquina do raciocínio, que é o que restou do Habitante do CÉU, do MUNDO RACIONAL, que se deformou por transbordamento da vontade, pois, tudo tem limite. A pureza fora do limite, transforma-se em impureza, deformação, mas, mantém a semente pura, eterna.
É chegada a hora do retorno. É chegada a hora de sermos autênticos RACIONAIS, tendo para isso como modelo, o Habitante do MUNDO RACIONAL que está materializado em forma de máquina do raciocínio em nossas cabeças, na glândula pineal.
Aí está o que é verdadeiramente um ser autêntico. Aí está o modelo que devemos seguir. Mas, esse modelo DIVINO somente nos abrirá a porta da eternidade que têm em si, quando estivermos culturalmente ao nível dele, incorporando seus moldes e sua conduta.
E onde adquirir essa cultura?
Nos Livros Universo em Desencanto.

PERDENDO TEMPO

O tempo somente existe no mundo deformado, no mundo das imperfeições.
Onde cada qual é diferente um do outro, não existe estabilidade, equilíbrio, por isso, há a lacuna entre um e outro: O TEMPO.
É preciso vencer o tempo e, não, deixá-lo à PERDIÇÃO.
Perdição é não se ocupar de diminuí-lo (O TEMPO), diminuindo as divergências, decorrentes da deformação, que são as imperfeições.
Imperfeição é tudo aquilo que difere do natural.
Natural é tudo que compreende a consistência da ORIGEM, onde nada prejudica a ninguém nem a coisa alguma, daí, a eternidade, a UNIDADE.
Origem é a RAIZ MESTRA FECUNDADORA de tudo e de todos. É a BASE que nos dá a LÓGICA – o comportamento correspondente à BASE.
E quem não conhece a ORIGEM, não conhece a BASE. E não conhecendo a BASE, não conhece a LÓGICA. Portanto, vive sem base e sem lógica, aumentando suas imperfeições, sua deformação do natural, sem perceber, aumentando a lacuna entre seus semelhantes, estendendo o TEMPO, ao invés de reduzí-lo e transformá-lo em eternidade – tempo perdido!
E o tempo para transformar o TEMPO em eternidade está chegando ao fim. E quem deixa essa providência DIVINA para a última hora, vai perder o último trem que nos conduz à eternidade: a Fase Racional. E vai chorar lágrimas de sangue, porque esta linha de trem é única e faz uma única viagem, porque a próxima é para as classes inferiores de bicho irracional de quatro pés e de dois pés.
Mas, antes, terá obrigatoriamente de pegar o trem dos que optarem por estender o tempo nessa maldição de matéria. Essa é uma viagem tenebrosa. Leva ao campo invisível do espaço, onde os habitantes (Astral Térreo) tomam novas formas: de chifre, de rabo e de garfão na mão, para espetar os materialistas e compreender, enfim, que a matéria NADA é! Depois de correr toda a hierarquia dessa horrorosa fauna, retornam à Terra, materializados como animais irracionais de quatro pés e de dois pés.
E quantos vão ler esta matéria e vão caçoar, debochar duvidar! Mas, não tem importância, está próximo o dia em que vão ter provas do que aqui está sendo advertido com tanto amor e fraternidade! O dia em que terão a vidência dessas transformações na hora da morte de teimosos e abusados. Portanto, procurem não dar opiniões naquilo que ainda, nem de longe, têm o conhecimento.
Pesquisem, enquanto é tempo, os Livros de Cultura Racional, Universo em Desencanto, parem de perder tempo com o que já passou e só nos deixou de legado um mundo completamente em chamas.
ACORDA, MINHA GENTE, não percamos o primeiro trem!