Follow by Email

quinta-feira, 28 de junho de 2012

A VERDADE

A verdade é um conjunto de conhecimentos, cuja prática faz a união de tudo e de todos.
Então, verdade é vida! Mentira é morte! União é vida, desunião é morte! E por a verdade fazer a união de tudo e de todos, traz, conseqüentemente, o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia universalmente.
Assim sendo, fácil se torna reconhecer onde ela se encontra e onde ela não se encontra.
Para quem anseia pela paz, pelo amor, pela fraternidade, basta se afastar de tudo aquilo que encerra desamor, guerra, egoísmo e discórdia, para que encontre a paz, o amor e a fraternidade.
Para quem anseia pela paz, pelo amor, pela fraternidade, basta negar-se a qualquer atitude que encerra desamor, guerra, egoísmo e discórdia, para que encontre a paz, o amor e a fraternidade.
Sendo a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia fruto da união, afastar-se do que divide a humanidade, nos coloca na estrada firme e alcandorada da paz, do amor, da fraternidade e da concórdia, universalmente, na estrada da VERDADE.
Sendo a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia fruto da união, negar-se a atitudes que dividem a humanidade, nos coloca na estrada firme e alcandorada da paz, do amor, da fraternidade e da concórdia, universalmente, na estrada da VERDADE.
Sem o amor, sem a paz, sem a fraternidade, sem a concórdia, não há razão de viver.
Por quê?
Porque o desamor (ódio), a guerra, o egoísmo e a discórdia são destruidores da vida, não dão causa à vida, dão causa à morte. Não são, portanto, a RAZÃO da vida. E não sendo a RAZÃO da vida, não são RACIONAIS.
Então, o que é que dá causa à vida, sendo a razão da vida?
O amor, a paz, a fraternidade e a concórdia universalmente.
Razão porque o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia universalmente são RACIONAIS.
Como a VERDADE é tudo aquilo que une tudo e todos, que traz amor, paz, fraternidade e concórdia universalmente e sendo o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia RACIONAIS, concluímos que a VERDADE é RACIONAL.
E sendo RACIONAL a VERDADE, a cultura que deva nortear a humanidade é a cultura que congrega todos os conhecimentos que conduzem à paz, ao amor, à fraternidade e à concórdia universalmente, conhecimentos que unem e, não, que dividem, conhecimentos RACIONAIS, conhecimentos de CULTURA RACIONAL.
E esses conhecimentos já se encontram na Terra, para abrilhantar todos com a VERDADE das verdades, nos Livros UNIVERSO EM DESENCANTO.
E fora desses Conhecimentos Racionais tudo que existe é preciso e necessário, para lapidar a humanidade e prepará-la, para que fique em condições de conhecer e adotar a VERDADE!
E onde estão esses Conhecimentos Racionais, que se resumem a verdade e cuja prática faz a união de tudo e de todos?
REPETIMOS: nos livros Universo em Desencanto.

DOAÇÃO REQUER PREPARAÇÃO

Ninguém pode dar aquilo que não tem.
Acontece que a maioria da humanidade pensa estar de posse do amor, da paz, da fraternidade dentro de si. Infelizmente, apenas pensa e imagina, mas, não está. Essas virtudes estão sim, dentro até do mais rude e vil animal Racional. Mas, ele não está de posse dessas virtudes, por estar ligado à sua parte animal, onde existe o falso amor, a falsa paz, a falsa fraternidade, as falsas virtudes.
É o caso de dizer: “Que vale ter um diploma comprado se você não conhece a profissão?”
E, assim, sendo tudo falso, torna-se tudo muito variante. Hoje ama, a ponto de dizer que dá a vida pelo outro. Amanhã já não ama mais, transformando-se, em muitos casos, o amor em ódio, às vezes fatal. Prova de que nunca foi amor. O amor é eterno e não se desgasta em hipótese alguma, assim como as demais virtudes.
E, por isso, o mundo é de sofrimentos até morrer, por viver de hipocrisia, por a maioria absoluta não estar de posse de suas virtudes, que se encontra na sua parte Racional. Vivem (quase que absolutamente todos) ligados somente à sua parte animal e de posse do falso amor, da falsa paz, da falsa fraternidade, enfim, de virtudes embusteiras, razão porque todos são variantes, desequilibrados, com raras e honrosas exceções.
Para estar de posse das verdadeiras virtudes, tem que estar de posse da IMUNIZAÇÃO RACIONAL, que se encontra na nossa parte Racional, a qual precisa ser CONHECIDA, RECONHECIDA, DESENVOLVIDA e EVOLUÍDA.
Levamos eternidades para desenvolver a nossa parte animal, que só sofrimentos nos traz. Por que eternidades? Por a parte animal não ser o nosso natural e, por isso, foi muito difícil o seu desenvolvimento, que é a parte do pensamento e da imaginação. Agora chegou a fase do desenvolvimento do raciocínio, a parte Racional. E por Racional ser o nosso verdadeiro natural, não vai levar milênios para ser desenvolvida essa parte, mesmo porque a fase em vigor na Natureza é Racional, e nossa mãe Natureza concorre em tudo para que esse desenvolvimento se complete o mais rápido possível. Mas, tem viventes apressados, devido o seu desequilíbrio, esquecendo-se de que tudo evolui naturalmente, tendo começo, meio e fim. Levaram eternidades para desenvolver a parte animal e quando conhecem Universo em Desencanto, querem, porque que querem que da noite para o dia o seu raciocínio se desenvolva e dê solução de todos os seus problemas. São pessoas ainda muito doentes que a mente não consegue alcançar a ordem natural das coisas e, com esse desequilíbrio, acabam se prejudicando e retardando o seu desenvolvimento racional. Outros, ainda pior, largam o tesouro de solução de sua vida, Universo em Desencanto, para voltar atrás para procurar a solução de seus problemas na cultura do pensamento filosófico/científico (que nada nunca solucionou em definitivo). Esquecem essas pessoas que há milênios elas viveram buscando no pensamento essas soluções e nunca encontraram.
São pessoas que realmente ainda não conseguiram enxergar a diferença entre o joio e o trigo, por falta de amadurecimento. E para amadurecer, o que é preciso? Muito sofrimento, pois, somente o sofrimento faz o dorminhoco acordar.
E enquanto todos não acordarem para a vida real, que é a vida Racional, continuarão tentando, em vão, dar amor, paz, fraternidade etc., por não estarem ainda de posse dessas virtudes, que somente alcançarão com o desenvolvimento do raciocínio.
Continuarão pensando que estão dando amor, paz, fraternidade e tudo de bom, mas, estarão apenas dentro de um grande magnetismo, sendo magnetizados por tudo e por todos e magnetizando os demais.
Procuremos estudar Cultura Racional para nos desenvolver e evoluir racionalmente, para assim ficarmos de posse da IMUNIZAÇÃO RACIONAL e, aí então, estarmos realmente preparados para dar o amor verdadeiro, a fraternidade verdadeira, a paz verdadeira e tudo de verdadeiramente bom e de bem.
Sim, porque ninguém, ninguém mesmo pode dar aquilo eu não tem. Não são as palavras que têm poder, palavras são apenas códigos, aparências. O poder está na essência que as palavras representam.
Aprendamos a viver com o mundo das essências e, não, com o mundo das aparências, pois, esse embusteirismo, por nada ser, leva todos que nele se baseiam a nada serem também.
Portanto, primeiro se abastecer do que é real, para depois poder transmitir o que é real.
Somente o raciocínio nos abastece, nos fortifica e nos engrandece dentro do que é real.
Leiam Universo em Desencanto.

A CIÊNCIA E OS ESPIRITISMO

(RACIONAL SUPERIOR – 1º VOL. DE UNIVERSO EM DESENCANTO)
Aqueles que seguem a espiritualização de diversas denominações, vão sendo lapidados com muita dificuldade, até chegarem ao ASTRAL SUPERIOR. Mas, o vivente que seguir esta escrituração não precisa dar uma volta tão grande, porque nestes dados encontrou o caminho e a entrada direta para o ASTRAL SUPERIOR.
Estes pontos precisam ser bem esclarecidos, porque são o essencial à vida de todos e o seu conhecimento evitará ao vivente todos esses sofrimentos que se vêem no mundo.
As crianças já vêm sendo criadas com essa educação, seguindo uma infinidade de filosofias, super filosofias e contos. E só quando souberem o que aqui está escrito é que irão fugir dessas normas para dizerem:
“Eu agora sei com consciência o que é a natureza de todos e não posso mais alimentar as amarguras dos dias vindouros.”
Procurando esclarecer-se e esclarecer todos pelos meios claros e certos que aqui estão provados e comprovados para o bem do vivente. Vejam bem como o espiritismo tem progredido nestes últimos tempos! É uma coisa assombrosa! O povo se afasta de outras filosofias, procurando encontrar o apoio no espiritismo, que já se tornou mais do que popular, espalhando-se por todos os lugares, cada vez aumentando mais.
São os primeiros passos para alcançar o ASTRAL SUPERIOR ou não alcançar esta graça, pois, uns a alcançam e outros não. E muitos já começam aqui a conhecer, contando com as influências do ASTRAL SUPERIOR. Todos os que conhecem a sua natureza e guiam-se pelos pontos provados e comprovados que aqui estão, seguirão sempre certos. Ao passo que aqueles que saírem dessa norma sofrerão dobrado, por seguirem a dúvida e o erro. Está aí a causa e a origem do sofrimento de todos – a atuação que os viventes sofrem sob a influência dos habitantes do vácuo, onde todos vivem na dúvida e na experiência. Não há entendimentos. Na mesma hora em que estão se entendendo, desentendem-se. Tudo isso devido à atuação que obriga o vivente, nessas condições, a ser um perturbado, fazendo-o chegar ao seu caminho de qualquer maneira: pelo bem ou pelo mal.
Por isso, a ciência fez ciente a todos de que tinham espírito. Como quem diz: todos são espíritas, todos têm que procurar por eles. Espírito é coisa invisível, superior a vossa categoria, dominando sob todos os pontos de vista a todos os viventes deste mundo.
O vivente que tem conhecimento de sua natureza deve colaborar em benefício de si mesmo, pois, do contrário nada conseguirá e sofrerá dobrado, porque erra com consciência e, não, por inocência. É consciente do seu erro e se mantém esse erro é porque quer sofrer. Os inocentes têm o desconto, por serem inocentes. Mas, os conscientes, não. Esses não merecem o desconto e sofrem dobrado, porque trabalham contra o seu sossego, contra a sua dignidade, contra a sua felicidade, contra a paz e contra tudo que é bom, procurando somente o mal para si mesmo.
E, por isso, vejam que ninguém tem sossego em lugar nenhum, ninguém vive satisfeito. Não há compreensão, pois, vivem mais contrariados do que satisfeitos, pensando nisto, naquilo ou naquilo outro. Os viventes sentem um estado de coisas dentro de si que nem sabem explicar. Sentem-se fatigados, cansados, indispostos, sem ânimo muitas vezes de cuidar dos seus afazeres.
Enfim, perturbados de uma tal forma, que o sofrimento vem provar que todo o ser humano é um espírito que se mantém na metade do saber. E, por isso, mais nada sabe de si, aprendendo sempre, perseguidos pelos viventes do vácuo, da baixa atmosfera, que estão incumbidos, pela própria natureza, de fazerem, à força de tantos padecimentos, com que todos cheguem a seus lugares o mais depressa possível.
A natureza já está incumbida de fazer com que o vivente volte ao seu lugar de origem. E, por isso, de uma forma ou de outra, pelo bem ou pelo mal, vai fazendo com que o vivente procure o caminho da IMUNIZAÇÃO RACIONAL, para alcançar o ASTRAL SUPERIOR. Para os que procuram o bem de si mesmo, está aqui o mapa da trajetória em vossas mãos. Conhecendo o que são, o porquê assim são - o que os teimosos não querem compreender agora, mas, amanhã, com o decorrer dos dias, vão querer e implorar. Os espiritualizados, espíritas, em experiências, também chegarão por esse meio a conhecer a IMUNIZAÇÃO RACIONAL. Mas, os que agora estão conhecendo esta Obra, esta exposição da verdade das verdades, não precisarão dar essa volta tão comprida, por terem aqui a salvação no UNIVERSO EM DESENCANTO.
Foi dito que todos são animais racionais. Mas, com o tempo, deixariam de ser. E, por conhecerem o que estão conhecendo pela Imunização Racional, passarão de animais Racionais para Racionais puros.
Foi dito que todos eram animais Racionais, por serem muito atrasados e não conhecerem o verdadeiro natural do ser humano. Mas, com o tempo, com os esclarecimentos que aí agora estão chegando, é que chegarão todos aos seus verdadeiros lugares, o mais breve possível.
É bem desagradável viver como vivem – uma vida de infelicitados, de infelizes. E, por isso, se diz uma vida de animais Racionais, que agora, por meio destes esclarecimentos, modificar-se-á, passando a ser uma vida de felicidade.
O vivente não estará mais preocupado, nem exposto aos verdugos das encostas de anil, que são os viventes invisíveis, habitantes aí do vácuo, incumbidos da tarefa de atordoar e mutilar todos - e que fazem tudo quanto é de ruim para dar o desassossego e a intranqüilidade a todos da Terra.

quarta-feira, 27 de junho de 2012

O QUE É A NATUREZA

(Colaboração de Cida, São Paulo)
São duas energias, magnética e elétrica, dona de todos os feitos , a fonte de todos os feitos de matéria, a energia magnética e elétrica Porque a água e a terra são duas energias.
A terra, a energia magnética, e a água, a energia elétrica.
E essas duas energias é que se transformaram em todos os seres que existem no ar, no espaço e na terra.
Essas duas energias transformadas em matéria animal, vegetal e mineral.
São duas energias que é a vida de tudo que vive no ar, no espaço e na terra.
Para verem que tudo é energia transformada nesta infinidade de seres: animal, vegetal e mineral.
São essas duas energias, a vida, dona de todas as vidas elétrica e magnética. Tudo é energia transformada em seres de matéria.
Por exemplo: o que é o sêmen?
É uma energia transformada em líquido elétrico e magnético, que se transforma em máquinas de vida animais, vegetais e minerais, e que botaram o nome nessas duas energias, que são ou que é a vida dona de todas as vidas, de natureza.
E o nome verdadeiro não é esse, o nome verdadeiro, essas duas energias em conjunto, é a vida, dona de todas as vidas, ou a fábrica de todas as vidas, desse conjunto elétrico magnético, e que botaram o nome da vida, dona de todas as vidas, de natureza.
Achando que esse natural deformado, degenerado, poluído e enfraquecido e sempre em transformações, fosse o verdadeiro natural, porque pensavam e julgavam que a vida fosse essa mesma, por viverem desconhecido de se mesmo.
Então, botaram o nome da vida, fábrica de todas as vidas, dona de todas as vidas, de natureza, por não saberem a origem verdadeira dessas duas energias, por viverem desconhecido de se mesmo.
E por viverem nesse estado de desconhecimento completo de tudo, pensavam que a vida fosse essa mesma e não sabendo o porquê dela.
E existindo todos nesse segundo mundo, sem saberem o porquê existiam aí nessas condições precárias de vida passageira e provisória.
Hoje é que estão passando a se conhecer e a saberem quem são, e de onde vieram e para onde vão.
Hoje por passarem a se conhecer, sabem que a origem dessas duas energias foi a Energia Racional que, por se transformar, com a transformação da PLANÍCIE RACIONAL, a Energia Racional ficou transformada.
E nessa transformação deu origem essas duas energias.
Mas, viviam todos sem se conhecer e achavam que a vida fosse essa mesma, por viverem sem se conhecer.
E fizeram destas transformações e degeneração, e poluição, e enfraquecimento, como se a vida fosse essa mesma, por desconhecerem a sua verdadeira origem de Racional puro, limpo e perfeito, com seu progresso de pureza, no seu verdadeiro natural, o MUNDO RACIONAL.
(RACIONAL SUPERIOR)154º do Histórico dos Livros Universo em Desencanto, páginas 67 a 69.

terça-feira, 26 de junho de 2012

PONTO FINAL

O mundo está em reforma e, por isso, a confusão.
Assim não ficam nossas casas, nossas empresas ou qualquer instituição quando está em reforma?
Até parece que tudo está pior. Desacomoda todo mundo, para colocar tudo e todos nos seus devidos lugares.
É mesmo uma confusão!
E nesse estado, uns entendendo a necessidade da reforma e outros nem sabendo que se trata de uma reforma, só enxergam o seu comodismo sendo incomodado.
É minha gente, nunca passamos por uma reforma assim tão grande no mundo, que se trata da recuperação da natureza e de todos os seus pertences. Recuperação, sim, porque este mundo em que vivemos é um apêndice deformado do nosso mundo real, eterno, o MUNDO RACIONAL.
E como esse apêndice está infeccionado, doente!
Tinha e tem mesmo que passar por essa grande mudança para se reintegrar ao mundo real.
As infecções são as turbulências naturais (terremotos, vulcões, furações tsunamis, tornados, frio de matar, calor de matar, secas, enchentes, doenças curáveis e incuráveis, doenças físicas, emocionais e psicológicas etc.).
E as turbulências artificiais, as artes de toda sorte criadas pelos “humanos”, tornando a vida artificial, penosa e danosa à vida humana, à vida animal, à vida vegetal, à vida mineral e à vida astrológica. Sim, porque tudo que criamos de artificial exala um fluído maléfico que prejudica toda a natureza visível e invisível.
E dentro de tudo isso, como pode existir algum ser absolutamente sadio? Não há, pois, onde há saúde perfeita, há harmonia perfeita de todos os seres.
Então, é hora de MUDAR, mudar de um mundo imperfeito, deformado, degenerado, poluído e, por isso, em transição constante, provisório, para um mundo perfeito, puro, limpo, eterno.
Nada aqui neste mundo, por ser imperfeito, tem condições de nos tirar dessa situação, por tudo e todos serem imperfeitos. Somente a perfeição pode nos fazer voltar à perfeição. Aqui tudo é somente para remediar e, não, para curar.
A perfeição, o MUNDO VERDADEIRO DE NOSSA ORIGEM, pois, não há efeito sem causa. A imperfeição, este apêndice inflamado que é este mundo material (visível e invisível) em que vivemos.
Daí, a importância de conhecer o mundo de onde viemos o MUNDO RACIONAL, ligar-nos a ELE, para que ELE nos conduza à eternidade, em vida.
Tudo isso vamos aprender com muita obediência, persistência e paciência na escrituração do mundo da nossa verdadeira origem, o MUNDO RACIONAL. Procuremos pesquisá-la com a seriedade que a ela é devida: UNIVERSO EM DESENCANTO.
Tão somente o saber verdadeiro nos dá condições de sermos reconduzidos à origem. E sem este saber tudo são apenas como gotas d’água que se desfazem no chão: gotas de amor, gotas de compreensão, gotas de fraternidade, gotas de paz, gotas de felicidade, gotas de serenidade, gotas de equilíbrio etc. Resumindo-se tudo em apenas sonhos, por não ter a base do saber verdadeiro para consolidá-las, transformá-las em essência, de leveza tal, a ponto de voar direto para o seu estado natural de RACIONAL, ou seja, puro, limpo e perfeito.
Saiamos da confusão e alcemos vôo em completa união!
É o ponto final!

segunda-feira, 25 de junho de 2012

SEM O SUPORTE DO ENCANTO O HOMEM TERIA VERGONHA DE SI MESMO!

(Severino dos Reis)
Os leitores que acompanham as postagens do nosso site, certamente já perceberam o nosso empenho, em mostrar a importância da CULTURA RACIONAL para todos, independente de classe ou posição social; do mais humilde cidadão aos intelectuais, até os mais notáveis Cientistas: para os seguidores e para os mestres de todas as Religiões, seitas e doutrinas; para as autoridades civis, Militares e governamentais.
Porque a CULTURA RACIONAL é para todos os seres humanos; é o último passo na escalada da evolução cultural da humanidade, para completar o saber do homem, que redunda em desvendar os mistérios da origem do universo e da vida.
Para o homem alcançar a evolução atual, foi uma longa caminhada; o primeiro passo foi dado no final da fase de monstros, que seguindo a constante evolução, eles estavam em transmutação: de monstros para primitivos selvagens, homens das cavernas, o início da pré-história.
O segundo passo, foi no final da cultura da pré-história e o início da Cultura da Civilização.
E agora, o terceiro passo, com o fim da cultura da Civilização e o início da CULTURA RACIONAL, na fase Racional.
A Cultura da pré-história tinha como objetivo, desenvolver a matéria, o lado esquerdo do cérebro, a imaginação do homem com a energia magnética; a Cultura da Civilização tinha como objetivo, desenvolver o lado direito do cérebro, com a energia elétrica, o intelecto do homem, o pensamento.
E agora, chegou a CULTURA RACIONAL com um objetivo maior: desenvolver a parte central do cérebro, o Raciocínio, a parte Divina do Homem, com a energia Racional.
Porque o habitante do mundo Racional estava fora do seu estado natural, há vinte e uma eternidades, por fazer mal o uso do livre arbítrio que lhe era peculiar.
Perceberam que a CULTURA RACIONAL vai acender e ativar a centelha Divina, a parte mais importante que estava inativa no cérebro de todos os seres humanos?
É por isso que o homem é filho de Deus que é eterno, onipotente, e o homem na deformação, restringiu-se a uma centelha, como embrião na matéria, sem nenhuma potência.
Nessas condições humilhantes, ridículas!
Que se não fosse o encanto, a ilusão, o homem teria vergonha de si mesmo. Imaginem um artista famoso, um Presidente e tantos homens importantes, orgulhosos de sua posição social!
Mulheres lindas, perfumadas, damas da sociedade, verdadeiras Deusas como costumam dizer! Ter que ingerir alimentos todos os dias, para não morrer de inanição; e depois ter que expelir os resíduos, para não morrer de intoxicação ou outro tipo de complicação qualquer.
Porque, somos animais Racionais, mas até hoje, só está em funcionamento o nosso lado animal.
Agora, a Natureza alcançou o tempo, trouxe a CULTURA RACIONAL para desenvolver o Raciocínio, que coloca o Racional em funcionamento e completa esta obra Divina, que são os seres humanos.
Raciocinando, liga-se ao MUNDO RACIONAL, pondo fim a esse ridículo e a todas as humilhações, porque deixa de ser animal e passa a ser só Racional: puro, limpo e perfeito, não necessitando mais de alimentação.
Essa é a razão do nosso empenho. Porque, nós já estudamos a CULTURA RACIONAL, conhecemos o teor da sua importância! Embora saibamos que sempre criamos raízes, na energia de cada Cultura. Ficamos enraizados no poder da energia magnética que era o DEUS da época e foi muito difícil desvencilhar da pré-história.
Mas com muito jeito e um pouco de lapidação, a Natureza foi nos arrancando da primeira Cultura e nos plantando na Civilização. E agora, estamos enraizados na Cultura da Civilização, iludidos, entusiasmados com tantas Ciências, com tantas crenças, deslumbrados com a Informática, também está muito difícil, nos arrancar da Civilização, para plantar-nos, na fase Racional. Porque, algumas experiências parece confirmarem as expectativas da Ciência, fazendo crescer a confiança no progresso da Cultura da Civilização, que na realidade, acabou em 1935, com a chegada da fase Racional.
Comprove tudo isso que estou dizendo, estudando mesmo! Os livros da obra, UNIVERSO EM DESENCANTO, que é a didática da CULTURA RACIONAL, que é impossível contestar. Mas é estudar mesmo! Não fazer uma leitura dinâmica e dizer que conhece.

sábado, 23 de junho de 2012

TINHA UM GLOBO NO MEIO DO CAMINHO

(Porfirio J. Neves) O Livro Universo em Desencanto foi feito na forma em que os inconfundíveis se confundem com muita facilidade. Os inconfundíveis são todos aqueles que têm certeza das coisas. Têm tanta certeza do que sabem que não percebem como é grande a confusão provocada pela emissão de seus pareceres. Assim são os nossos formadores de opinião, quer no aspecto científico - religioso quer no aspecto político, social e econômico. Formador de opinião é um perigo!
Ao elaborar este assunto, não deixei, é claro, de perceber meu próprio contexto para não emitir certezas inconfundíveis, embora esta minha certeza possa já ser um indicador da minha própria confusão. Por esse motivo, o título – tinha um globo no meio do caminho.
Bem, vamos lá! Quem não arrisca não erra mesmo! Se errar é humano, então estou me sentindo muito humano neste momento. Mas, pelo amor de Deus, não precisamos abusar desta nossa inconfundível humanidade. O propósito de tentar ou sutilmente ironizar certas posições é para não ferir suscetibilidades pessoais. Porém o esclarecimento se faz oportuno e necessário.
Dizia o poeta: -“tinha uma pedra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma pedra...”. Poesia em tom filosófico, que corresponde ao fato de o ser humano encontrar sempre certos obstáculos em todas as suas realizações na vida. Sempre temos um obstáculo a ser ultrapassado. Sempre temos uma pedra no meio do caminho, mas de modo imprevisível. E o poeta assim mostrou.
Agora, quando essa pedra é do tamanho de um Globo e os inconfundíveis não o vêem, imaginem o tamanho da confusão. Se não conseguem enxergar o Globo no caminho, imaginem como é que poderiam ver uma pedra! Nunca! Temos tanta certeza da forma que vemos o mundo que, quando ALGUÉM nos mostra a realidade não percebemos a pedra do caminho, ou melhor, o Globo no meio do caminho. Por isso é que é imprevisível.
Antes de prosseguir nesta temática é importante fazermos uma prévia análise do caminhante. Se tem uma pedra no caminho é porque alguém está caminhando. E quem caminha? É o ser humano! E quem é o ser humano? É um ser pensante desconhecido de si mesmo. Então, está explicado! Certamente vai encontrar muitas pedras no meio do caminho por ser pensante. O pensamento adora este tipo de vida. Surpresas e mais surpresas, senão o mundo perde a graça!
Que coisa mais imbecil, é viver desta forma! Mas, como dizem, -“para quem gosta, sofrimento é regalo da vida”! É deste ser humano que primeiramente precisamos fazer uma melhor análise para compreendermos o por que de encontrarmos tantas pedras no caminho.
A nossa tríplice personalidade criminosa e monstruosa: uma escondida no íntimo e outra por fora, para as aparências. Um jogo bom por fora, com aparência muito boa; por dentro do íntimo, completamente ao contrário. Então, duas personalidades em uma só. Uma escondida e oculta, outra visual. E ainda tem a personalidade da imaginação que corresponde ao imaginário individual, fechando assim o tripé da imbecilidade e da ignorância humana. E tem gente que acha isso natural!
Só por aí, com esta percepção, já é de causar nojo em todos nós e ainda mais porque não podemos nos escusar de sermos isso mesmo. E muitos ainda dizem: -“eu não queria ser assim”! Porém toda esta confusão de personalidades e seus respectivos desvios têm suas causas e suas finalidades, que são os vínculos e as ligações, o alimento e as atuações sobre este ser humano pensante, depauperado, que por ser um centro astrológico estava sujeito a receber todo tipo de influência boa ou má, positiva ou negativa, tudo isto com a finalidade de se lapidar e ser preparado para se conhecer verdadeiramente, até encontrar sua verdadeira personalidade.
O mundo é assim, cheio desses 'desconjuráveis' que, na mente o inconsciente é pequeno em tudo, o consciente é prepotente e o subconsciente ainda mais. Portanto, todo vivente tem três pensamentos: tem o modo consciente de pensar, o modo inconsciente e o modo subconsciente. Olha o pensamento como é!
É por isso que ninguém podia regular com o pensamento. Quando o vivente está atacado pelo pensamento no modo inconsciente é um verdadeiro desequilibrado, quando está atacado pelo pensamento no modo consciente fica mais equilibrado e quando está atacado pelo pensamento no modo subconsciente, mais firme e mais baseado. Pode-se ainda dividir estes três pensamentos em inconsciente bom, mau e variante; consciente bom, mau e variante; e, subconsciente bom, mau e variante.
E, por a natureza de todos ser assim é que o vivente, mesmo sabendo disso, muitas vezes passa como quem não sabe, pois neste mundo não é lugar de puros, limpos e perfeitos. É a aquela velha coisa de dizermos que errar é humano! Até podemos compreender estes nossos pontos de variação que são devidos às influências do meio em que vivemos, mas persistir neste erro não é humano é burrice! Ficar usando as influências da natureza como pretexto para justificar seus erros é no mínimo hipocrisia. Quando se tem um esclarecimento deste nível, Racional, o mínimo que devemos fazer é procurar meios e recursos para deixar de ser assim.
Somos assim por sermos produto desta natureza que não regula, mas, todos nós temos uma origem verdadeira dentro de nós mesmos, a nossa verdadeira pessoa para nos mostrar o caminho do bem! Estou falando do nosso maior amigo, o Raciocínio – este mesmo que nos confere a personalidade Racional, a única e a verdadeira personalidade do ser humano, que anula todas as outras.
No Caminho do Bem não tem pedras, não tem pedras no Caminho do Bem, porque neste caminho não há variações, nem altos nem baixos, é um caminho reto, certo, seguro. O caminho do bem é Racional, de volta para o verdadeiro natural. No caminho do bem o progresso é Racional.
Então, voltando ao caminho dos confusos que se julgam inconfundíveis e que muitos ainda nele estão e não percebem, mas, basta ver as pedras; tinha uma pedra no meio do caminho, no meio do caminho tinha uma pedra. Ou era um Globo?
No meio do caminho tinha um Globo! E os confusos não viram o Globo. Acharam que o Globo era a Terra como se a Terra fosse um globo. Vejam este trecho que foi escrito durante a preparação do livro Universo em Desencanto.
“E assim gira o Sol ou gira a Terra? Gira o Sol fazendo o seu percurso em torno da Terra, meio de lado, e por o globo ser oval e ter partes altas e baixas, quando o sol está na parte baixa a alta fica no escuro e quando está na parte alta é a baixa que escurece. Então diz-se: noite e dia.”
Você viu o globo? Não! Então vamos à descrição inicial feita nas Obras Primas: “Está aí o giro do Globo e que muitos pensam e têm certeza que o Sol é que faz o seu giro. Não, filhos, ele não sai do seu lugar, enquanto todos vós precisais dele e ele não precisa de vós – é o giro do Globo. Esse giro, em comparação, tem por base o seguinte: vós botais um pouco d’água dentro de uma bola; em cima d’água vós colocais um pedaço de pão abrangendo toda a circunferência e rodai a bola devagarzinho, que o que está dentro da bola não sente o giro dela. É quase esta comparação diminuta que eu vos dou, sendo com o trio de diferença, também muito diminuta. Marca um pontinhozinho nesta bola e pendura uma cabeça de fósforo. Vê se não dá o sentido que eu estou dando”.
É fantástica, esta descrição do Mundo, onde todos estavam preocupados com a terra e com o sol – geocêntricos, ou preocupados com o sol e com a Terra – heliocêntricos; nem um nem outro. Nem geocêntrico, nem heliocêntrico. O Globo é que determina os movimentos relativos para produzir o dia e a noite.
Tinha um globo no meio do caminho! Mas nossa mente, conturbada por todas essas influências do pensamento e da imaginação, não podia entender a realidade e, por isso, vivíamos colocando pedras em nossos caminhos. Que pedras são essas? São exatamente esses modelos artificiais criados pela mente humana que servem apenas para lapidar - o que já é muito bom! O modelo mais perverso que foi criado pela nossa mente é aquele em que colocamos um Deus Criador para justificar a existência de tudo e de todos. São os tais paradigmas.
O modelo do sistema solar já mudou várias vezes de concepção, mas ninguém consegue explicar tudo. Temos ainda o modelo atômico que também explica muitas coisas observadas na física e na química, mas nem todas, por isso já estamos falando dos modelos quânticos, e por aí vai! Para cada pedra que retiramos do nosso caminho deixamos outras pedras cada vez maiores. E ainda tem gente querendo aprender o caminho das pedras! Quanta basófia! Quanta bobagem vai pelo mundo. O melhor é aprender o caminho verdadeiro – o Caminho do Bem.
A lapidação é muito boa, mas, jamais, em tempo algum, poderíamos descobrir nossa verdadeira personalidade nem muito menos a nossa verdadeira origem se ficássemos apenas baseados no conhecimento extraído de nossa mente. Mente variante, pensamentos variantes; ou são os pensamentos variantes que tornam a nossa mente variante? As duas situações são verdadeiras e objetivas. Pensamos de forma variante por causa das influências e das ligações às quais estamos sujeitos e por causa destas influências só produzimos pensamentos variantes, bons ou maus.
E assim foi que o pensamento transmitiu na mente dos pensadores o conceito de “terra oca”, só para lapidar. Mas, ao mesmo tempo, vejam como se encaixa direitinho se olharmos para a “terra oca” como sendo um globo envolvendo a terra, como nos apresenta a primeira descrição do Racional feita nas Obras Primas.
Está aí! O Globo é a parte móvel onde o Sol está fixado, por isso não precisa sair do lugar; um globo oval e uma Terra plana, ou melhor, com seus altos e baixos, porém planos.
O Sol faz assim a sua trajetória sem sair do lugar. É como uma pessoa que vai de um lugar a outro dentro de um ônibus sem sair do lugar em que está sentado. Quem está no lugar do lado de fora do ônibus até diz que a pessoa lá dentro está passando, mas na verdade a pessoa não sai do lugar em que está sentada. Basta ver o ônibus - ou, basta ver o Globo. Cada coisa no seu lugar. E assim é que o Racional Superior nos mostrou como é o nosso mundo, este conjunto elétrico e magnético, onde a Lua funciona como uma bateria e nunca um satélite. Esse negócio de satélite é coisa do modelo artificial.
Ha! As palavras! Sempre as palavras! Quanta confusão ainda temos a desfazer por não estarmos atentos às palavras e como elas são pronunciadas e seus múltiplos significados de acordo com as circunstâncias e de acordo com a entonação. Toda a lapidação ainda é pouco para alcançarmos o verdadeiro caminho, mas todos têm o direito e a liberdade de opinar e opinar forte. O importante é não faltar com o respeito, porque a falta de respeito é a pior pedra que colocamos em nosso caminho. Fica tudo fechado e ninguém chega a lugar algum sem o devido respeito.
Estude mais, leia mais; conheça o livro Universo em Desencanto como se deve fazer, como o próprio livro recomenda, para não ficar emitindo opiniões às avessas, opiniões paralelas baseadas no que conheciam e que nunca resolveu nada de positivo na vida de ninguém, serviu apenas para lapidar os rudes e os atrasados. Cultura Racional é a revelação que toda a Humanidade estava esperando; já chegou! Por isso afirmamos, acabou a esperança! Esperar mais o quê?

terça-feira, 19 de junho de 2012

NÃO APRESSEMOS AS ÁGUAS DOS RIOS

Respeitar a vida como ela se apresenta, eis uma questão tão simples e, ao mesmo tempo, tão difícil de ser assimilada e incorporada ao nosso complicado cotidiano! Se nós humanos fôssemos tão simples como as águas de um rio, todos nós já teríamos, há muito, alcançado todos os nossos objetivos, como um rio que, calmamente, naturalmente, sem planos nem projetos, alcança lentamente as águas do mar.
Mas, acumulamos em nosso curso de vida, tantas ilusões, tantas fantasias, tantas paixões, tantas esperanças... O rio nada espera, tem em si a certeza de desaguar no mar.
Embriagados por tudo que queremos que seja, sem que esse tudo corresponda à realidade determinada pela natureza (que nossa vida traçou), vamos amontoando sonhos de imaginações inconscientes, criando lixos monstruosos no curso de nossas vidas, que vão desvirtuando-as do rumo certo e sem sofrimentos: aquele que nossa mãe natureza traçou.
Como é triste não se conhecer! Quem não se conhece, não conhece a vida! Quem não conhece a vida, não pode mesmo, saber bem viver! A pressa é inimiga da perfeição!
Apressados em encontrar a paz, o amor, a fraternidade, criamos métodos artificiais, na ilusão de se evitar os sofrimentos naturais, que não entorpecem, para trocá-los por sofrimentos insuportáveis advindos do desrespeito aquilo tudo que tem que ser, por ter sido determinado pela soberana natureza.
O apressado come cru!
E o cru é indigesto e, às vezes, fatal!
Olhemos para as nossas vidas como elas estão! O mundo se tornou uma casa de loucos, de tal forma, que num mundo como este, quem é normal é considerado um louco.
A paciência, a prudência, a diplomacia, o bem fazer, a persistência, a tolerância, a simplicidade, a obediência, a calma tornaram-se matérias-primas raras! E quem as tem, que as conserve bem protegidas – chegará o tempo de serem as ações mais altamente valorizadas na bolsa de valores da vida, quando, então, os valores materiais, sob efeito dominó, cairão por terra sem valor algum, deixando seus portadores na mais absoluta miséria perante a vida maior, que é a natureza.
O tempo mostrará o direito e a razão.
E quem o consumiu acumulando os frutos da ilusão, da fantasia e da paixão, reconhecerá, tarde demais, que viver é aceitar com gratidão as determinações da força maior, que é a natureza.
E a todos aqueles que, com abnegação e amor, persistiram, muitas vezes sob gracejos e deboches, em se limitar ao simples curso natural de suas vidas, em sintonia com as leis naturais, viverão plenos de júbilos e glórias, recolhendo as pérolas do chão que, graciosamente, distribuíram aos porcos.
O mal da vida está na própria vida que não reconhece a vida, porque prefere a morte.
E o que é a morte?
É tudo aquilo que vai contra as leis naturais da vida. E quais são as leis naturais da vida?
São as leis que congregam o conhecimento natural da natureza, a cultura da natureza, a CULTURA RACIONAL, que mantém todo o universo em que vivemos e todos os seus pertences há 21 eternidades.
A cultura única que deixamos de cultuar, há longos tempos perdidos, por nos deixarmos levar pela paixão material, que nos fez adormecer na ilusão de que poderíamos apressar o curso de nossas vidas, esquecendo-nos de que não se deve apressar o fluxo natural das águas de um rio.
E onde encontrar essa cultura natural?
Nos Livros Universo em Desencanto.

PROCÓPIO FERREIRA, UMA LUZ QUE NÃO SE APAGA!

(Dênison da Silva Netto)
Nesta Carta, Presto Sincera Homenagem a um Idolatrado e Grandioso Ator, um dos Maiores Patrimônios e Baluartes que o Teatro Brasileiro já teve, que emprestou todo o seu talento à arte de representar, levando emoção, alegria e sorrisos às platéias de todo o Mundo: “Sr. Procópio Ferreira”, Nome Artístico de “Sr. João Álvaro de Jesus Quental Ferreira”, Nascido no Rio de Janeiro RJ, em 8 de julho de 1898. Procópio descobriu cedo o talento de envolver a platéia, arrastando aos seus espetáculos contingentes de público de fazer inveja aos maiores sucessos de hoje. Em 62 anos de carreira, Procópio interpretou mais de 500 personagens em 427 peças.
Procópio Ferreira dizia que o sucesso chegou quando ele parou de pensar com a sua própria cabeça para pensar com a cabeça do público. Sua primeira peça foi Amigo, Mulher e Marido, fazendo o papel de um criado, em 1917, no Teatro Carlos Gomes. Seu maior sucesso no teatro foi o espetáculo Deus lhe Pague, de Joracy Camargo, com o qual viajou o país inteiro e foi para o exterior. Participou de mais de quatrocentas peças e teve uma carreira de mais de 60 anos.
Procópio também fez televisão e participou das telenovelas A Grande Viagem, As Minas de Prata, Redenção, Dez Vidas e Divinas & Maravilhosas. É o pai de uma das mais importantes atrizes e diretoras brasileiras, Bibi Ferreira.
O que poucas pessoas sabem é que o Sr. Procópio Ferreira andava muito doente, não andava, estava quase paralítico, não acreditava em mais nada, Colegas e Amigos já lhe consideravam um Moribundo, estava desacreditado até de viver, já bem dizer desenganado por médicos e amigos, sendo que o farmacêutico que lhe aplicava injeção lhe divulgou a Obra “Universo em Desencanto” e disse que esta leitura o Ajudaria muito. E passados uns dias estava ele completamente recuperado, curado por completo dos seus problemas de saúde que lhe afligiam “fato este provado, verídico”. Ele passou a ser um Grande Divulgador da Cultura Racional.
Foi morar numa rua sem calçamento em Nova Iguaçu RJ, para Ficar mais Próximo do “Retiro Racional Universo em Desencanto” onde são fabricados os Livros” tamanha era a satisfação dele com o benefício alcançado através do estudo diário desta Obra Natural, Benfeitora, Consciente e Positiva. Fez a sua passagem desta vida vários anos depois em 18 de Junho de 1979 após cumprir dignificante missão aqui neste mundo em que vivemos.
E Hoje, presto esta Justíssima Homenagem a esta Pessoa Nobre que além do Talento de um Dom Natural foi um grande divulgador deste Conhecimento, relatando, orientando as pessoas a conhecerem a Cultura Racional, a entrarem em sintonia com a Natureza, com a Fase do Desenvolvimento do Raciocínio a qual ele alcançou com Brilhantismo, Humildade, Respeito, Simplicidade, Dedicação pelo estudo desta obra comumente chamada por ele de: “Livro Deus” por Beneficiar milhares de pessoas no mundo todo, só faz bem e respondeu todas as perguntas que, na Biblioteca dele, de mais de 21 mil volumes não encontrou, e por isso, ele se desfez dessa biblioteca, dando os livros para os amigos. E o livro “Universo em Desencanto” passou a viver em sua biblioteca. E assim ele cumpriu sua Missão Terrena com Brilhantismo, sendo até hoje muito lembrado, conhecido e reconhecido pela maioria das pessoas como a “luz que não se apaga”, pelo Profissionalismo Competente, Indiscutível e sua Personalidade Brilhante.
(Observação: acrescentamos que Procópio Ferreira tinha uma biblioteca em sua residência com mais de 12000 livros de toda espécie, de variados assuntos de relevância, biblioteca essa da qual se desfez, doando todos os livros, após conhecer o conteúdo dos livros Universo em Desencanto e dizia, que nos Livros Racionais encontrou a VERDADE que anteriormente buscou, em vão, em todos os livros, os quais somente continham fragmentos de verdades.)

segunda-feira, 18 de junho de 2012

PARECER CIENTÍFICO SOBRE UNIVERSO EM DESENCANTO

Apreciações do Professor Gaspar S.M.Rodrigues Pereira Professor de Mecânica Celeste da UFRJ e UFF
Achamos o Livro UNIVERSO EM DESENCANTO notável, pelas revelações que contém sobre os problemas cruciais da existência humana. A leitura, a partir das primeiras páginas, poderá não despertar o interesse do leitor desatento e dotado de alguma formação científica. Isso é explicável, porque o Livro visa à humanidade e não aos homens de ciência de um modo particular. Se, porém, a leitura for feita de forma reflexiva, tudo mudará e as verdades envolventes, que emanam de suas páginas, dominarão por fim.
O Livro contém somente verdades e ensina a usá-las no interesse da Redenção dos homens. A linguagem é específica, violenta, por vezes assemântica, atribuindo conteúdo novo a vocábulos, criando outros, recorre a imagens e processos elementares. Afasta-se dos Cânones da ciência e da filosofia oficiais. Mas, comunica o conhecimento substancial, atingindo, assim, a meta.
O homem culto não deve perder de vista que a linguagem é uma estrutura lógico-formal, edificada para comunicar o pensamento e que uma teoria pode ser exposta, fazendo uso de diversas linguagens (linguagens e não língua, cumpre distinguir as duas categorias). A escolha de uma determinada linguagem é uma questão de comodidade apenas. O Livro fez a sua opção.
A linguagem usada no Livro UNIVERSO EM DESENCANTO é, segundo nos parece, a mais indicada, pela leveza e pelo poder de comunicação sem restrição de leitores que oferece.
O Livro é uma obra de cosmogonia, no sentido amplo e metafísico do conceito, em que se introduz e se explica a concepção do Universo; a sua origem é o seu termo, a partir de uma realidade suprema, de um metauniverso a que denomina MUNDO RACIONAL. Esta realidade nos é dada como uma revelação vinda de poderes que transcendem os poderes humanos. Ela associa a intuição à razão; é intuitiva e não contrária às normas da razão; é a fusão da origem da causa e do efeito, como realidade inicial, porque não há efeito sem causa.
Ali encontramos o mistério da vida. A vida encontra-se como um tecido que vincula os seres Racionais, que somos, ao Cosmo. Cosmo este, que se apresenta como um antimundo do metauniverso, realidade inicial. O Livro nos revela que esta vida nos mantém fora do nosso verdadeiro "habitat", que é o MUNDO RACIONAL. E diz que isso, a nossa queda daquele paraíso, aconteceu porque os seres ali vivendo, no Super Mundo Racional são livres, como exige a condição de seres perfeitamente felizes. Podiam usar o livre-arbítrio e optar pelo Grande Mundo ou antimundo. Aqueles, e somos nós, que fizeram a segunda opção, aqui se encontram e travam a batalha da vida: quem nasce deve morrer. Mas a morte não significa o aniquilamento, esclarece-nos o Livro. A morte é apenas um ponto singular de nossa trajetória através da vida. O nosso referencial vinculatório jamais desaparecerá; ele está lá no MUNDO RACIONAL. Cabe-nos tomar consciência dessa situação de fato e o Livro no-la dá. É só lê-lo com atenção e persistência, para constatar.
O cultivo das ciências e das artes são manifestações desse sentimento, esclarece-nos o Livro. Traduzem o esforço obstinado da procura da posição de equilíbrio definitivo, da felicidade, em suma, obstinação que caracteriza o ser humano. Essa felicidade realizar-se-á com o retorno à base de partida, o meta universo, o MUNDO RACIONAL.
Mostra-nos o livro, na forma lingüística peculiar, com beleza, por vezes poética, que vivemos no século da nossa Redenção. O desenvolvimento da ciência e da filosofia científica contemporânea, a derrocada do misticismo puro, o descrédito geral que paira sobre a velha tábua de valores, a angústia irredutível da humanidade, a descrença generalizada da juventude na ordem até aqui instituída, que a faz procurar novos caminhos; tudo isto preparou e amadureceu a humanidade para o reencontro consigo mesma. Esse Livro, grande no conteúdo e simples na forma, mostra-nos que o reencontro acontecerá no conhecer o que é CULTURA RACIONAL, que é a cultura do metauniverso perfeito de onde viemos.
Como conseguirá a humanidade entrar na Via Racional, que a conduzirá ao destino último? A resposta encontra-se no Livro UNIVERSO EM DESENCANTO e é simples como são as grandes verdades.
Lendo e relendo esse Livro, código da verdade, de modo a criar um estado consciente, denominado no Livro, estado de IMUNIZAÇÃO RACIONAL. Nesse estado o ser humano passa a ter contacto direto com os habitantes do MUNDO RACIONAL, com os quais estabelecerá diálogo e, então, o seu equilíbrio realizar-se-á e isso significará que a morte irá lhe abrir a porta da Redenção Eterna. Morrer neste estado, é perder a individualidade para ingressar na vida universal, a eternidade de que falava o grande biologista inglês, Haldane.
O Livro ainda nos ensina: no mundo em que vivemos, há progresso material, mas, a evolução criadora, bem diferente do simples progresso, é apanágio do metauniverso perfeito de nossa origem. Aqui é o reino da contradição e da injustiça, características do mundo em progresso de deformação e decomposição. Este mundo é obra dos homens e deverá desaparecer com eles. O homem é senhor do seu destino e as Entidades Supremas, interferem na vida do antimundo, o qual está sob o governo dos homens.
O estudo e o conhecimento desse mundo em que vivemos, nos permite isolar as constantes do metauniverso, cuja existência é certa, de modo a nos habilitar a compreendê-lo cada vez mais. Passamos, assim, a ter consciência clara de nossa posição face ao Cosmo e à vida. Em vez de partir para explicar o Universo, da existência de um agente criador, o Livro nos revela a existência do objeto criado, o metauniverso, com toda a sua complexidade. Essa posição é, como não podia deixar de ser, a posição certa do homem de ciência. Tem-se assim, um supremo mundo postulado, bem dizer, único. A partir daí, os processos inferenciais da razão, aliados à intuição, nos permitem construir uma imagem de grande realidade, que nos é revelada pelo Livro. Essa é também a posição de Russel: partir do objeto criado e, não, do criador.
O conhecimento desse Universo Superior, de onde viemos e para onde vamos retornar, é suficiente para satisfazer o desejo humano de explicação dos mistérios da vida.
Os trabalhos da lógica moderna, em que pontificam um Kurt Godel, o maior dos lógicos vivos e um Paulo Cohen, homem que resolveu, recentemente, o célebre problema conhecido no domínio da filosofia, da matemática, como Hipótese do Contínuo, nos permitem dizer que a pergunta - quem criou esse metauniverso? - é desprovida de sentido e não pode ser corretamente formulada pela humanidade e, sim, definida de princípio a fim, pelo RACIONAL SUPERIOR, um Ser Superior, do Super Mundo Racional.
A profunda corrente do pensamento filosófico cosmológico, que vem dos racionalistas gregos, Tales e Anaximandro, este o maior pensador do seu tempo (611 a 545 A.C.), passando por Platão e terminando na cosmogonia intuicionista de Bérgson, encontra-se nos seus elementos substanciais, representadas nesse Livro singular.
Isso, aliado ao fato de que o Livro nasceu no Rio de Janeiro, da pena de um homem de Cultura Cósmica, que está redigido em linguagem modesta, sem pretensões científicas, leva-nos à convicção de que esse homem é um iluminado e esse Livro, fonte da verdade, é de origem Superior.
O Livro faz questão de acentuar: o seu conteúdo não é ciência, nem filosofia, nem religião e, sim, um conhecimento natural, quer dizer, intrínseco ao uno. A Redenção, em linguagem popular, deixa intacta a substância profunda das verdades que anuncia, as quais estão ao alcance imediato dos homens, que devem se animar, em benefício próprio, a ler este grande Livro, cuja importância para a humanidade atual é decisiva.
Universo em Desencanto (0xx312555-0054)

domingo, 17 de junho de 2012

É PRECISO SE CONHECER PARA PODER BEM VIVER!

Parecia para muitos, que nunca poderiam conhecer a Natureza, porque achavam que a Natureza era uma coisa misteriosa. Pensavam que a Natureza nunca poderia revelar os seus mistérios. Essas eram as cantigas dos que não se conheciam, porque ainda não tinha chegado a fase do esclarecimento de tudo, a Fase Racional, a fase final da Dona de tudo, a Natureza. E por não ter chegado a fase da Verdadeira Luz, da lucidez Racional, viviam todos empobrecidos, pensando, por achar que a Natureza era contra quem desvendasse os seus mistérios. E, hoje, na Fase Racional, estando à disposição de todos a elucidação dos mistérios, dos enigmas, dos fenômenos, dos finitos e dos transfinitos. Todos que se dão o direito de se conhecer, estão vendo que, na classe passada do animal Racional, ninguém sabia o que dizia, porque ninguém se conhecia. E de forma que cada qual floria aparentemente com o seu presépio, como podia. Apresentando todos o que bem lhes parecia. Ornamentando tudo para ter preferência na primazia. Então, cada qual procurava ornamentar o seu pomposo presépio, da melhor maneira possível. Por quê? Porque ninguém se conhecia. E, assim, tinham que surgir com as melhores aparências, para encher os olhos de todos que não se conheciam. O privilégio da vida estava nos melhores ornamentos. Tudo, por que era assim? Porque ninguém se conhecia. E continua sendo assim para todos que não se conhecem Racionalmente. E tinha (e ainda tem para os que não se conhecem) forçosamente de criar as suas estratégias da melhor forma possível, porque ningúem se conhecia. E quem não se conhece, vai admitindo tudo que não conhece. E por admitir o que não conhece (pois, quem não se conhece, muito menos conhece as demais coisas), fica à mercê das fracas experiências do pensamento, umas dando mais ou menos certo e outras não, razão porque o sofrimento no mundo é de longos séculos e veteranas eras. Tudo isso por não se conhecer, mantendo-se como robô do pensamento, ignorando que o pensamento é um círculo fechado e limitado, um cárcere de sofrimento, para tirar a vaidade, a prepotência, a rudez, a ilusão, os sonhos e o embrutecimento do animal Racional. Que jugo amargo! Que aprisiona o vivente num marcapasso da vida, sem possibilidade de sair desse passo de tortura, POR NÃO SE CONHECER e, consequentemente, não conhecer a VIDA, que é o RACIOCÍNIO! E, assim, o pensamento não tem condições de atingir a eternidade, porque é uma máquina do chão, da matéria, para dar uma chuva de pau em todos que deixaram a eternidade, por livre e espontânea vontade, dando causa a este monstruoso universo material, onde a estabilidade não existe, por ser um mundo de transformações constantes. Somente passando a nos conhecer Racionalmente, passamos a conhecer a Natureza e a compreender nossa verdadeira individualidade perdida, RACIONAL, que essa é que nos reconduzirá ao nosso verdadeiro estado natural de RACIONAL PURO, limpo e perfeito. A Mãe Natureza cumpriu condignamente com sua missão. Nos preparou no 1º Milênio, através da imaginação. Nos preparou no 2º Milênio, através do pensamento. E, agora, julgando suficiente as surras milenares que nos deu, para o nosso próprio bem, trouxe agora a Fase Racional. Mas, tem gente que se julga melhor que a Natureza. Que o julgamento dEla está errado e que devam de continuar levando chuva de pau dia e noite, noite e dia. E, assim, recusam se conhecer, negam a si mesmos o desenvolvimento do raciocínio. A Mãe Natureza, respeitando o livre arbítrio de todos, não tem outra coisa a fazer a não ser colocar esses e essas na fase de liquidação, porque não existe mais a fase do pensamento. E aí está a liquidação monstruosa, pouco a pouco, de todos que renegam a Cultura Natural da Mãe Natureza, a CULTURA RACIONAL: liquidação moral, física e financeira. E os pensadores querendo encontrar solução no pensamento para essas monstruosidades naturais e artificiais (que estão ocorrendo universalmente) e não encontram soluções no pensamento, porque a sua fase terminou desde 1935, não existe mais! A Fase Natural da Mãe Natureza é a Fase Racional, onde todos passam a se conhecer. Ou passa a se conhecer Racionalmente, ou se liquida de vez, por estar vivendo contra quem tudo nos dá de graça: a Mãe Natureza. Portanto, é preciso se conhecer para poder BEM VIVER! Se conhecer onde? Na cultura da Mãe Natureza. E onde encontrar essa cultura? Nos Livros de Cultura Racional Universo em Desencanto (tel. 0xx 31 2555-0054, dentre outros).

sábado, 16 de junho de 2012

ORIENTAÇÃO CÓSMICA RACIONAL PARA QUEM USA COMPUTADORES EM CASA

(Cláudio Sampaio) DEPOIMENTO O computador é apenas uma máquina, mas as idéias que são veiculadas através dele são vivas e portam vibrações energéticas compatíveis com o nível dessas idéias a que as pessoas estão ligadas. Pensamentos e emoções expressam-se energeticamente e podem impregnar as teclas e a tela do aparelho expandindo-se na casa de quem as recebe e emite. Principalmente para aqueles que participam de listas de discussão na Internet, onde é muito comum, independentemente do tema em questão, ocorrerem discussões acaloradas por causa de pontos de vista diferentes, é prudente ocasionalmente fazer uma limpeza energética no equipamento que usa. E também os sites que visitam, pois, são janelas abertas do Astral de baixa freqüência, que muitos sintonizam, levam essas forças para dentro da sua casa. E fazendo uma limpeza, emitindo bons fluidos e se ligando a sites de Fluidos positivos, com esse tal procedimento evita-se o acúmulo de formas-pensamento densas aderidas à estrutura do computador. O motivo pelo qual estou escrevendo isso é de esclarecimento, pois, é uma forma de fazer a limpeza do cinturão magnético Planetário. E assim é que normalmente faço através das mensagens Racionais, para uma limpeza energética no equipamento que uso e na nossa própria áurea, tendo o cuidado de buscar e selecionar os sites e tipos de mensagens para enviar, que sejam positivas, fortalecendo as ondas etéricas do Planeta e, conseqüentemente, trazendo bons fluidos, Positivos, para o meu lar, pela própria Lei de atração do Universo. Ainda agora, enquanto pesquisava alguns livros em frente ao computador ligado, fechei os olhos por alguns instantes e fiz uma pequena massagem com os dedos indicadores nas laterais do nariz. Espontaneamente, o meu chakra frontal ativou-se e houve um flash de luz branca na testa, seguido de um forte formigamento no local (uma das sensações características de ativação do chakra frontal). Pela tela mental interna da testa vi uma mão luminosa aplicar energias nas teclas do meu computador e, em seguida, retirar um tufo de energias escuras emaranhadas que estavam aderidas ali (parecia um emaranhado de linhas de costura escuras e úmidas). Imediatamente lembrei-me de alguns recados do FACE BOOK e e-mails que recebi ontem, contendo imagens e relatos de problemas no âmbito dos relacionamentos e também de algumas brigas que li numa das listas de discussão de que participo na Internet. A seguir, vi completamente o amparador (protetor) que estava ao lado do computador e observava-me com um sorriso simpático e um olhar divertido. Era um homem jovem, de cerca de uns 35 anos, alto e magro, cabelos encaracolados e vestido com uma bata branca (estilo grego). Ele sugeriu-me escrever um pouco sobre essas energias densas que aderem ao computador, justamente para alertar às pessoas sobre as cargas pesadas que elas permitem chegar em seus lares pela tela do equipamento, que, na verdade, é uma janela aberta no ASTRAL TÉRREO para conectar com os lares e que podem afetá-los de formas variadas. Penso o seguinte: principalmente em listas de discussão sobre temas espirituais o nível dos papos poderia ser bem melhor. Isso não significa que as pessoas tenham que concordar com tudo o que os outros escrevem, ou que não possam expressar suas opiniões. Apenas é um cuidado óbvio para quem já estuda a influência das energias que geram os pensamentos e as emoções, pois, são energias manifestadas e que objetivam compartilhar de climas saudáveis dentro da temática à qual a pessoa participa e futuramente tomando formas na vida das pessoas. Numa lista dessas, que, mais do que de discussão, poderia ser de compartilhamento de idéias criativas que gerassem climas espirituais sadios, os pensamentos e emoções se cruzam interdimensionalmente e portam as suas respectivas atmosferas psíquicas e criando um campo vibratório no éter. Muitas vezes, espíritos invisíveis assediadores dos espíritos visíveis pegam carona nessas vibrações e patrocinam obsessões ocultas entre os participantes beligerantes da lista e aqueles que se afinizarem com tais climas pesados (coisa que, nesse exemplo específico, obviamente é um absurdo em se tratando de uma lista supostamente voltada para o compartilhamento de estudos espirituais e cósmicos nos fazendo transcender as trevas). Sei que ao escrever isso poderei ser até mal interpretado. Porém, fica óbvio para qualquer um com um mínimo de inteligência e bom senso que, quanto maior o nível de conhecimentos, maior será a responsabilidade de alguém perante ao Mundo e toda a humanidade, pois quanto mais a natureza dá, mais ela cobra. Principalmente alguém que estuda a CULTURA RACIONAL, que é uma Cultura Natural, que o objetivo é a União de todos e de tudo, transformar o velho mundo e seus costumes em um Novo Mundo de Harmonia, Paz e Fraternidade com amor para fazer um Mundo Melhor! E tudo depende de nós, com FLUIDOS POSITIVOS, para fortalecer o cinturão magnético que envolve a Terra, de forma a sermos aparelhos dos FLUIDOS POSITIVOS RACIONAIS para alimentar os pensamentos e as emoções de forma positiva.

RACIONAL É AMOR

(Porfirio J. Neves) O que é Racional? O que quer dizer Racional? Como tudo nesta vida, sempre existem dois pontos de vista para podermos encarar as coisas. Um quando não conhece e outro quando conhece. Quando não conhece, diz que Racional é aquele dotado do uso da razão; alguns até se atrevem a dizer que são aqueles que usam a razão; daí a classificação científica do ser humano como Animal Racional, porque tem discernimento e sabe usar a razão, e dos bichos como Animal Irracional, porque não têm discernimento e não podem usar a razão. Quando conhece, é que passa a saber que Racional é a Origem, a Classe e a Categoria. Tudo provém da mesma origem. Isso, quando passa a conhecer. E, somente quando passa a conhecer, é que se pode dizer que está pronto para o uso da razão. Como poderia usar a razão sem conhecer a razão das coisas? Como é que podíamos usar a razão se não conhecíamos a razão da vida? Se não conhecíamos a razão de nada neste mundo em que vivíamos? É por isso que muitos achavam mesmo que o ser humano parecia mais com o irracional, porque não podia e não sabia usar a razão. E vejam a confusão que ficou. Então, foi necessário preparar o ser humano para conhecer a razão das coisas. Tudo tem uma razão de ser – este é o princípio lógico. Mas, antes de conhecer a razão, precisa primeiro conhecer o amor! Primeiro precisa experimentar o amor para depois conhecer a razão do amor! É a única maneira de aprendermos a coisa certa. Este é o único caminho. Primeiro devemos conhecer o amor, saber que existe alguém no mundo supremo, muito lá em cima, que tem amor por esta nossa espécie humana. Saber que lá em cima tem alguém que pode vir nos buscar cá em baixo. E este é o maior ato de amor da história da humanidade, a chegada do terceiro Conhecimento. Um ser superior vir de encontro aos anseios da humanidade para revelar a todos a Origem verdadeira de todos. Primeiro este ato de amor. O amor de um por todos. E como Ele veio até nós? Ele veio como se fosse um estranho! Sim, um estranho. (*R-14 p-80) “Um habitante extraterreno, querendo dizer: um estranho para os habitantes da Terra. Então, simplifica dizendo: um habitante extraterreno; querendo dizer: um habitante do outro mundo, de outra esfera, de outra estratosfera. Estranho para os que não ME conhecem, mas para os que ME conhecem não sou estranho. O Racional Superior não é estranho a ninguém; é estranho ou acha estranho o Animal Racional, porque o Animal Racional nunca teve condições de conhecer o que é Racional, a não ser agora”. Então, está na hora do Animal Racional saber o que é Racional. Racional é a Origem! Racional é Amor! O amor supremo de Um por todos. Então, foi elaborado um Conhecimento na forma mais simples para não existir polêmicas e impactos, e de forma que as pessoas, só sentem esta verdade depois de ter convicção do que é a Imunização Racional, até estar preparado para sentir a maior realidade do mundo que é ter a certeza que o verdadeiro DEUS está na terra, mas aí já está preparado pelo terceiro Conhecimento para sentir a maior surpresa do mundo. DEUS está na terra, é o RACIONAL SUPERIOR DA TERRA. Então, agora o Verdadeiro DEUS está na terra, e por isso provou e comprovou com a sua identidade da forma mais espetacular, sim porque ninguém nunca no mundo teve o conhecimento da sua verdadeira origem, e hoje aí está em mãos de todos o conhecimento da verdadeira origem. O livro Universo em Desencanto. Esta é a forma mais espetacular de provar que Deus está na Terra. Se o filho, que é o Livro, está na Terra, é porque o Pai também está. Causa e efeito juntos na união dos dois mundos em um só! Salve M. J. C., o Racional Superior da Terra, no trinta de dezembro, dia universal da Cultura Racional. Esta é a maior sabedoria humana. (*) R = Livros da Réplica de Universo em Desencanto

quinta-feira, 14 de junho de 2012

É SÓ O AMOR QUE CONHECE O QUE É VERDADE


O UNIVERSO QUÂNTICO PRECISA DE PARTÍCULAS MADURAS E EQUILIBRADAS PARA SUSTENTAREM ESTRUTURAS CELESTES NUM SISTEMA DE TROCA EQUIDISTANTE DE ENERGIAS SEM QUE COM ISSO HAJA O ROUBO DE PARTÍCULAS FUNDAMENTAIS ENTRE SI.

O TRIÂNGULO AMOROSO É UM EXEMPLO DE PARTÍCULAS DESTRUTIVAS QUE RELACIONAM-SE ACELERADAMENTE E OCULTAMENTE ENTRE SI, CAUSANDO CONFLITOS, DESTRUIÇÃO E CONSEQUENTEMENTE, VAZIO.

TODO UM CAMPO PECADOR É LIBERADO, GERANDO  UM BURACO NEGRO, FAZENDO COM QUE A LUZ PERCA A SUA HARMONIA E FIQUE DISSONANTE, ATRAINDO E QUEIMANDO OS FILHOS DA UNICIDADE. TURBILHÕES SÃO GERADOS, CAUSANDO PERCA DE IDENTIDADE E REAÇÕES QUÍMICAS RÁPIDAS E INSTÁVEIS. NUM PROCESSO CONTÍNUO DE AUTODESTRUIÇÃO.

REVERTER ESSE PROCESSO REQUER CALMA E FORÇA. ROSAS REPRESENTAM SUTILEZAS E/AO FRAGILIDADES. ESPINHOS SÃO RESISTENTES PORÉM AGRESSIVOS.

O RELACIONAMENTO HELICOIDAL TANTO PODE SER HARMONIOSO TANTO COMO CONFLITANTE. O QUE DETERMINARÁ A MATURIDADE DE SEUS ELEMENTOS SERÁ O TEMPO NECESSÁRIO PARA AS PARTÍCULAS QUÂNTICAS VARREREM DISTÂNCIAS ENTRE SI, AFASTANDO-SE OU APROXIMANDO-SE CONFORME A INTENSIDADE DO CAMPO GRAVITACIONAL.

É COMO UMA DANÇA, ONDE É NECESSÁRIO QUE O CONDUTOR E A CONDUZIDA TENHAM RESISTÊNCIA PARA NÃO DESVIAREM-SE DA TRAJETÓRIA MAIS SUAVE POSSÍVEL. E AO MESMO TEMPO FLEXIBILIDADE E JOGO DE CINTURA PARA COMPARTILHAREM SUAS MOLÉCULAS SEM PERDEREM SUAS PARTÍCULAS ATÔMICAS.

A SEQUÊNCIA  FIBONACCI É UMA SUCESSÃO DE NÚMEROS INTEIROS DAS QUAIS REPRODUZEM-SE VÁRIAS POSSIBILIDADES DE ALGORITMOS QUE SE EMPREGAM COMUMENTE EM ABORDAGENS DIVISÓRIAS, ITERATIVAS E  RECURSIVAS. ESSAS POSSIBILIDADES PODEM DISSEMINAREM-SE EM NÚMEROS INTEIROS OU MEIOS. SE A RELAÇÃO FOR 1+1=2 , A ARQUITETURA DESENHADA É I I , GERANDO PRODUTOS EQUIDISTANTES ENTRE SI MAS COM EM COMUNHÃO ETERNA DE PLASMA QUANTUM, OU QUINTO. 4+4= 5 (SEQUENCIALMENTE FALANDO) OU 4+4=8 OU SEJA, O AMOR INFINITO.

NO ENTANTO, O INVERSO OCORRE QUANDO A RELAÇÃO É 1+5 OU 1+MEIO. OU SEJA, 1+5=6. NÚMEROS INCOMPLETOS MULTIPLICANDO-SE, OU REPRODUZINDO-SE BESTILMENTE, EXEMPLO: 1,5+1,5=3>3+3>69>12=1+2=3. OU SEJA, UMA SEQUÊNCIA INFINITA DE 666=3+3+3=1,5+1,5+1,5>4,5 . ADENTRANDO UMA SUCESSÃO DE NÚMEROS BIPARTIDOS QUE REPRODUZEM-SE NUM PROCESSO DE AUTODESTRUIÇÃO E CONSUMO INVOLUNTÁRIO DE SUAS ENERGIAS VITAIS PORQUE AS PARTÍCULAS FRACIONADAS INCOMPLETAS TRANSITAM ENTRE OS PARES PERFEITOS A FIM DE LHES ROUBAR A PARTE QUE LHES FALTAM A FIM DE PREENCHER O VAZIO QUE HÁ EM SI MESMAS. ISSO GERA UM CAMPO MAGNÉTICO TERRENO DE ATRAÇÃO, A FORÇA DA GRAVIDADE, QUE NESSE PROCESSO VICIOSO DE COMPULSÃO DEGENERA AS PARTÍCULAS QUE HABITAM NESSE CÍRCULO INVISÍVEL, O COSMO ELÉTRICO-MAGNÉTICO, QUE PODE SE ASSEMELHAR A UM ROSÁRIO. O ROSÁRIO QUE É A CIRANDA DA VIDA. OS GRILHÕES SÓLIDOS,MATERIAIS, DO COMPARTILHAMENTO ATÔMICO DE MOLÉCULAS DE CARBONO -OOO- OU 666 OU 999. OU SEJA, NÚMEROS INVERSOS. CONTRÁRIOS ENTRE SI. PARTÍCULAS INVERSAS, CAMINHOS OPOSTOS, SEQUÊNCIAS DIVERGENTES, DIVISÓRIAS ENTRE SI.

POR ISSO, SOMENTE O INVERSO DO OPOSTO, O EQUILÍBRIO QUADRICULAR, A HARMONIA ENTRE OS QUATRO ELEMENTOS 2+2=4+4=8+8=16=6+1=7=4+4+1 OU SEJA, A RELAÇÃO ESTÁVEL E EQUILIBRADA ENTRE NÚMEROS MADUROS E AUTOSUFICIENTES ENERGETICAMENTE, CAPAZES DE REPRODUZIREM TAMBEM NUMEROS INTEIROS E AUTOSUFICIENTES ENTRE SI, GERANDO UMA ARQUITETURA ESTAVEL E HAMONIOSA,MAS AO MESMO TEMPO LEVE E RESISTE. ASSIM COMO AS NOVAS CONSTRUCOES ECOLOGICAS E ERGOMETRICAS.

POR ISSO,O RETORNO AO UNO, DEPENDE DA ARMO NICA RELACAO ENTRE O DUO. AFINAL 2=1+1. AMEMSALVE . ESOOAMORQUECONHECEOQUEEVERDADE

VERDADEIRO ATO DE AMOR

O que é um verdadeiro ato de amor? É aquele que não impõe condições, abrangendo e beneficiando toda a humanidade, indistintamente, independente de raça, de credos, de opções filosóficas, científicas, sociais, políticas, econômicas, financeiras, religiosas, indiferente ao grau de instrução, sem preconceitos ao estado psicológico e emocional em que cada vivente se encontre. E será que existe alguém na Terra capaz de tão elevada abnegação? Sim. E são muitos alguéns! São pessoas que já tomaram consciência de que a Natureza, tal como nós, seus filhos, tem sua parte animal e sua parte RACIONAL. Com a parte animal ela lapida e faz sofrer para nos acordar do comodismo material. E com a parte Racional ela nos evolui e nos salva da inconsciência animal. E por terem tomado consciência dessa VERDADE incontestável, esses alguéns trabalham dia e noite e noite e dia, colaborando com a Mãe Natureza, para que toda a humanidade tenha esse Conhecimento Libertador da matéria, em vida. Quem são esses alguéns? São os estudantes de Cultura Racional, a cultura natural da nossa nobilíssima Mãe Natureza, sem a qual ninguém pode viver. Eles anunciam a nova fase da Natureza, a Fase Racional, para o desenvolvimento da nossa parte Racional, o raciocínio (glândula pineal). Fase essa que colocou fim na fase da civilização (do pensamento) que está em liquidação. Alguém duvida? Confiram na mídia mundial: desequilíbrio moral, físico e financeiro, liquidação moral, física e financeira e falência moral, física e financeira – porque o pensador PERDEU O DIREITO DE VIVER. Humanidade, aceita nosso ato de amor. Dêem ouvidos à Mãe Natureza, ela é a representação feminina de DEUS. Para o seu próprio bem e de todos que lhe são caros, convidamos a cada qual: LEIA E DIVULGUE OS LIVROS UNIVERSO EM DESENCANTO. Pratique também este ato de VERDADEIRO AMOR, para receber um amor muito maior, pois, aquilo que se dá é aquilo que se recebe. E somente o verdadeiro amor nos conduzirá à CONCÓRDIA UNIVERSAL, de UM por todos e todos por UM. E quem é este UM? DEUS, o RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNOS e a ENERGIA SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS. E, por isso, o RACIONAL SUPERIOR, autor dos Livros Universo em Desencanto. Ligue-se a ELE, em vida, desenvolvendo o seu raciocínio, adquirindo Cultura Racional, a cultura dELE, através da escrituração final ditada por Ele, aqui no Brasil e, por isso, DEUS é mesmo brasileiro!

quarta-feira, 13 de junho de 2012

VENCENDO O MEDO E ACALMANDO A NATUREZA

O medo tem causado muitos prejuízos e sofrimento à humanidade. E o que é o medo? O medo, minha gente, é, em súmula, um pensamento negativo que toma conta de nossos seres pela falta de conhecimento verdadeiro DA VIDA. Já repararam como as pessoas andam por aí desconfiadas uns dos outros, como se o seu semelhante tivesse o poder de lhe prejudicar a qualquer momento, como se cada irmão tivesse superioridade, um em relação aos outros? Ora, minha gente, ninguém é melhor do que ninguém! Os prejuízos que sofremos são causados, não pelos nossos semelhantes, porém, pela nossa falta de conhecimento verdadeiro da vida. O não saber lidar com tudo e com todos. Todos estamos no mesmo barco, sendo todos nós impotentes e sem qualquer ação perante à Natureza. A mesma Natureza que tem o poder incrível de fazer um vulcão entrar em erupção, de fazer do nada um tornado nascer e destruir toda uma cidade construída por longos anos, de espalhar em segundos pelo mundo inteiro uma epidemia, é a mesma Natureza que nos gerou, criou, mantém e governa 7 bilhões de pessoas no mundo e, não só as pessoas, mas, os animais, os vegetais, os minerais, enfim, governa o tudo existente. Ela é quem tem o poder de construir e de destruir. Ela é quem vê tudo e todos por dentro e por fora. E, por assim ser, é quem tem o juízo correto sobre cada ser, dando a cada um aquilo que fez por onde merecer. E porque tem todo esse poder? É porque a natureza é de DEUS. E, me perguntam vocês: o que isso tem a ver com o medo? Muito simples. O medo é um sentimento que corresponde à lacuna gerada da falta de saber verdadeiro dentro de nós. O desconhecimento da vida, traz insegurança para viver. A insegurança para viver, gera o medo. E este saber verdadeiro, minha gente, é o saber natural, o saber completo sobre a vida, que nos harmoniza com a vida, que está na Natureza, por ela ser a VIDA, dona de todas as vidas. A pessoa nasce, vive, locomove-se, trabalha, diverte, procria, desconhecendo que tudo isso é feito pela Natureza, à custa de muito trabalho, comandando vários reinados invisíveis poderosos, com sua grande hierarquia, e este comando é feito pela Natureza, respeitando todos esses reinados e toda essa hierarquia. E não erra. A Natureza não erra. Incrível mesmo o seu poder! Pela falta de conhecimento da vida, a pessoa ignora a infinidade de providências que a Mãe Natureza, através desses reinados, tem que tomar para tornar possível uma geração, um nascimento, um crescimento, um desenvolvimento, uma evolução e uma transformação, que é a morte. E tudo isso no campo invisível, para depois de providenciado no mundo invisível, fazer o efeito correspondente no mundo visível. A Natureza não pára, todos os reinados que dela fazem parte, da mesma forma. Não há descanso, não há lazer; somente trabalho e mais trabalho. Até para que possamos dormir, descansar e divertir, lá estão todos os reinados em ação, trabalhando e garantindo todas as ações dos seres humanos. Minha Gente, quando todos tomarem conhecimento de tudo isso, chegarão à conclusão da nossa inutilidade aqui na vida da matéria, terão vergonha de nossa posição de verdadeiros parasitas que somente sugam a Natureza e dela tudo recebem, sem terem nada a dar. Nenhum de nós faz nada, ela é quem tudo faz. E ao tomar consciência verdadeira positiva de tudo isso, sentirão uma vergonha muito grande, pelo descaso nosso para com nossa Mãe Natureza ao longo desses milhões de milênios que aqui na terra estamos, vivendo sem nos conhecer e sem conhecer nossa Mãe Querida. E ao nos tornarmos conscientes de tudo isso, muito naturalmente, reconheceremos nossa irmandade sagrada, consagrada pelo raciocínio. E o pensamento, esse vivente invisível lapidador, cansado de tanto trabalhar para nos lapidar para enxergarmos a verdade e nos desprendermos da matéria, finalmente poderá ter sua merecida aposentadoria. Aí, enxergaremos cada qual como um igual nosso, não haverá mais medos, do visível nem do invisível, que esses medos serão substituídos por um amor divino, incondicional, que unirá todos independe de raça, sexo, idade, classe social e instituição a que pertença. Aliás, as instituições se transformação da diversidade para a unidade, porque a função de todas será uma só, a de manter e evoluir a união da nação única que será o mundo, porque a esta altura, todos farão parte de uma só raça, a raça de onde somos originários, a raça Racional. E por isso não haverá mais medos, porque estaremos todos equilibrados, conscientes Racionalmente, nos beneficiando desse poder incomensurável da nossa Mãe Natureza, que estará voltado todo para a felicidade de todos, por não haver mais necessidade das lapidaçõesque são os sofrimentos. Calculem uma força poderosa como a de um furacão, utilizada não mais para a destruição, mas, somente para a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia! Tudo de ruim não terá mais necessidade de existir. Nossos irmãos invisíveis responsáveis pela missão do mal, ficarão muito felizes de ficarem livres dessa missão árdua que terrivelmente os lapida. E os lapida muito mais do que a nós. Eles sofrem muito! Eles sofrem demais! Portanto, não haverá mais medos, porque a sabedoria tomará lugar do medo. E essa sabedoria será uma só, será a sabedoria da Natureza. E, assim, o que um saberá, todos saberão. O que um concluirá, todos concluirão. A tudo isso se dá um só nome: RACIOCÍNIO. Essa vida DIVINA RACIONAL está próxima, minha Gente, mas, está dependendo de que todos tomem conhecimento dessa sabedoria, que está condensada nos Livros da Cultura da Natureza, Universo em Desencanto. Olha: acreditem, por favor! Se todos começarem a estudar estes Livros, com seriedade, persistência e paciência, lendo todos os dias, acalmaremos nossa Mãe Natureza que está muito cansada e revoltada de ser ignorada, humilhada e desprezada por seus filhos que somos nós, por a maioria não fazer caso da cultura dela, a Cultura Racional. Espalhem esta recomendação para toda sua família, para seus amigos, colegas e até para desconhecidos. Vamos, unidos no raciocínio, fazer com que as hecatombes que estão por vir, poupem o maior número de cidades possível. Esse é um pedido de todos aqueles que já tiveram provas e infinidades de comprovações da força da ENERGIA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto. É um pedido dos estudantes de CULTURA RACIONAL. Procuremos viver. E para viver, somente unidos à VIDA DONA DE TODAS AS VIDAS: a NATUREZA, através do desenvolvimento do raciocínio (Glândula Pineal). Portanto, concordem, ou não, os procedimentos e valores do novo mundo que a Natureza está organizando para a humanidade, encontram-se já na Terra – e são a VERDADEIRA SALVAÇÃO DA HUMANIDADE: Cultura Racional, dos Livros Universo em Desencanto. Procurem conhecer enquanto é tempo! Saúde e Paz para todos!

terça-feira, 12 de junho de 2012

A GLÂNDULA PINEAL UMA CENTELHA DE LUZ

(Severino dos Reis) A natureza mudou de cultura e de regência de energia e nós precisamos mudar com ela, porque nessa mudança, ficou uma lacuna, que está causando um grande desequilíbrio entre o homem e a natureza. Passaram então, se portarem como inimigos; parece que o homem está destruindo a natureza e a natureza parece querer destruir a humanidade, com acidentes tsunamis, enchentes, guerras de tráfico etc. Porque tudo é feito pela natureza. Mas é preciso saber, que nada em nosso universo foi feito por acaso; tudo tem uma finalidade em nossa existência e redunda a favor do retorno ao nosso mundo de origem, o MUNDO RACIONAL a eternidade. Mas para o homem voltar à sua origem, tinha que esperar chegar o tempo; tinha que ir crescendo, evoluindo, aprendendo na mesma proporção do seu crescimento. Como é impossível uma mãe, ensinar tudo sobre a vida a um recém-nascido, porque, tem que ir aprendendo, na medida em que vai crescendo, porque só quando atinge certa idade, é que fica apta a receber todos os ensinamentos! Também a natureza como mãe da humanidade, tinha que ir ensinando paulatinamente tudo aos seres humanos, na infância que foi a pré-história, na adolescência que é a civilização, para então na maior idade, alcançarmos o mais ambicioso desejo humano, que é a luz da sabedoria, o conhecimento do mundo eterno, (ou outros mundos). Porque da mesma forma, que a natureza condenou os peixes das fossas submarinas, a viver na escuridão, mas os dotou com luz própria; nós fomos condenados a viver nesse mundo terreno, sem nenhum acesso aos mundos que existem acima de nós, mas também fomos dotados de uma centelha de luz Racional, que é uma verdadeira potência em todos os sentidos, que é a glândula pineal, a glândula do Raciocínio. Colocar essa glândula em condições de funcionamento é estar apto, a possuir todos os conhecimentos do mundo: do passado, do presente e do futuro. É ter acesso a tudo que os olhos não alcançam; é compensar as limitações físicas e psíquicas; é transpor todos os obstáculos do conhecimento e da sabedoria; é acender em nós uma luz de alcance infinito, para alcançar a vida além cosmo. Essa é a verdadeira face do Raciocínio. E na CULTURA RACIONAL, você vai conhecer o verdadeiro papel da glândula pineal e o mais importante: saber como colocá-la, na sua evolução e realização plena.

segunda-feira, 11 de junho de 2012

SUSTENTABILIDADE INSUSTENTÁVEL, O AQUECIMENTO GLOBAL

(Porfirio J. Neves) Agora, vejam a situação calamitosa a que chegou a humanidade, em um beco sem saída, porque ninguém sabe mais o que há de fazer para endireitar esta situação calamitosa no mundo. Eis aí a calamidade anunciada para o fim dos tempos, quando se multiplicam as seitas, as doutrinas e as ciências desnecessárias, na busca de uma solução sustentável, como dizem. Sustentável para quem? O que afinal tanto andam por aí falando em sustentabilidade? Sustentabilidade do mercado e dos projetos de ganâncias e ambições de uns poucos em detrimento de muitos, ou sustentabilidade da vida em benefício de todos, qualquer que seja o custo de uns poucos? Qual é a sustentabilidade que você acha que se fala por aí? Serve de exemplo a discussão que está sendo feita sobre a implantação do Código Florestal no Brasil. Vejam quantos interesses envolvidos nessa discussão? Percebam o nível de interesses e maneiras de conduzir esta regra de conduta para a gestão do meio ambiente? Eis a grande questão atual! Qual é o interesse da classe dominante e quais são as angústias da classe dominada? Quem está sendo alvejado ou atingido por essa tal de não sustentabilidade? Quem foi que falou em sustentabilidade, primeiro? Os pobres ou os ricos? Os dominantes, os dominados, ou os emergentes? Estas questões servem apenas de alerta para as pessoas que queiram se dedicar a entender esta coisa da sustentabilidade. Primeiro deveriam, primordialmente deveriam, procurar entender a origem deste caos a que chegou a civilização humana, se assim podemos nos referir a esta sociedade que produz mais lixo do que aproveita para seu benefício. É isso mesmo! Produzimos mais lixo para nos alimentar do que tiramos para nosso benefício. É só pesar a quantidade de alimento que ingerimos e pesar o que se defeca e transpira. A diferença serve, obviamente, para constatar o que estou dizendo. Em termos de uso de máquinas artificiais a coisa é tão grave e séria quanto a que constatamos na máquina humana – o que se aproveita de energia normalmente não chega nem a 10%. É isso mesmo! As máquinas feitas pelo homem não aproveitam nem 10% da energia que as alimenta. Alguns dirão que as máquinas eletro eletrônicas são muito eficientes e aproveitam cerca de 90% da energia que as alimenta, mas se esquecem que a geração da eletricidade é feita por máquinas que não aproveitam quase nada da energia potencial ou térmica geradora da eletricidade. Quer dizer, as máquinas elétricas parecem ser muito eficientes, porém, a geração da eletricidade que as alimenta tem muito pouca eficiência, o que dá no mesmo dos motores a combustão, em termos de calor. Resultado do balanço final: no mundo, onde muitas máquinas trabalham, o desperdício é um fator natural inerente à sua construção e daí vem o aquecimento global. Quanto mais máquinas mais calor. Então está aí o que chamam de aquecimento global! O uso excessivo de máquinas produzindo mais calor do que benefícios desejáveis e com muito pouca eficiência, ainda por cima. Então vamos plantar muitas árvores para solucionar este problema? Devemos plantar muitas árvores sim, mas não para resolver o problema do aquecimento global. Não se esqueçam que plantas também são máquinas produtoras de calor. Embora as máquinas feitas pela Natureza tenham grande eficiência térmica, mas não chegam a aproveitar 100%, sempre há desperdício de calor, pois o calor é gerado pela predominância de transformações exotérmicas sobre as transformações endotérmicas. Este é o fator degenerativo feito pela Natureza muito antes do princípio deste mundo de vida material, as transformações. Lembrando que exotérmicas são as transformações que liberam calor e endotérmicas são as transformações que absorvem calor. Agora, vejam quem mais contribui para o aquecimento global: o homem com suas máquinas artificiais ou a Natureza com essa infinidade de seres, que também são máquinas? Você pode não gostar ou nem entender a resposta, mas é exatamente a Natureza que produz mais calor com as transformações dos seres. É só observar a eficiência térmica das plantas, dos animais e dos minerais. Toda e qualquer máquina desperdiça muita energia para se manter viva, no final das contas. É por isso que hoje constatamos ser este mundo em que vivemos uma deformação e degeneração que está em constante transformação. Logo, como regra geral, onde há proliferação de vidas sustentadas por máquinas, artificiais ou naturais, há aquecimento global, porque toda máquina produz calor, até mesmo as máquinas feitas pela Natureza como são os vegetais e animais. Nem quero entrar em muitos detalhes técnicos, mas comparem a oscilação de temperaturas de um deserto com a temperatura de uma floresta tropical. No deserto, de dia, o calor do sol fica insuportável, porém à noite o frio é tão extremo quanto o calor do dia, provando que a radiação do sol não é absorvida no ambiente de um deserto onde não há vidas para alimentar. A radiação solar não se transforma em calor num deserto porque não há máquinas para aquecer. Numa floresta, ao contrário do deserto, as temperaturas de dia são bem mais amenas, porque a radiação do sol é absorvida pela vegetação e durante a noite a temperatura não fica extremamente baixa porque aí a vegetação exala o calor absorvido durante o dia. Os vegetais e a umidade relativa do ar é que fazem este efeito termo regulador numa floresta, porque uma floresta absorve a radiação do sol necessária para suas transformações e a transforma em calor. E aí vem a pergunta: quem contribui mais para o aquecimento global? E a resposta global está aonde existem mais máquinas. E aonde existem mais máquinas, numa floresta ou num deserto? E o que dizer dos mares onde estão as maiores florestas do mundo, conhecidas como fito plâncton? O que devemos considerar é o clima que desejamos: o clima de um deserto ou o clima de uma floresta! Mas, por favor, sem essa de querer combater o aquecimento global plantando árvores. As árvores devem ser plantadas para manter o clima ameno e nos manter confortavelmente aquecidos. Muitos se enganam pensando que a Amazônia é o “pulmão do mundo” e se esquecem da quantidade absurdamente maior de vegetais que existem nos oceanos. E o que muitos não consideram é que todo esse oxigênio produzido pelos vegetais é novamente absorvido pelos próprios vegetais para sua respiração. Fotossíntese de dia e respiração à noite. Logo, a produção de oxigênio no nosso mundo aponta para outro fator, que em breve conheceremos, na medida em que entendermos como foi feito este mundo. Este é o interesse para o qual todos devem se voltar. Conhecer a origem do mundo, conhecer a si próprio. Conhecer o que aconteceu e o que acontece para que se justifiquem todos estes contrapontos em que se configurou toda esta calamidade no mundo. De nada adianta querer resolver alguns problemas do clima sem querer considerar todo o sistema global em que estamos inseridos. Precisamos saber que não estamos habitando um planeta como muito se faz crer pela ciência. Não estamos vivendo em um planeta. Estamos vivendo dentro de um buraco, dentro de uma bicheira e chamamos esta bicheira de Terra. Não estamos vivendo na Terra! Estamos vivendo dentro de uma bicheira que chamamos de Terra. A Terra é uma parte muito maior do que isto que se pensa conhecer. E a Terra tem seus alimentos feitos pelo Mar que também é muito maior do que isto que podemos ver dentro da bicheira, que chamamos de sete mares. O Mar é imensamente grande e muito maior que a Terra e esta muito maior que o sol. Estas relações de grandezas é que ainda não estão no conhecimento científico, embora fossem dispostas na forma de contos e lendas nas religiões e filosofias, mas sem base e sem lógica. E por isso não tiveram crédito e se tornaram lendárias. Existem muitas outras formas de ver a Terra como ela é! E não apenas a forma de ver esta bicheira, aonde existe uma grande proliferação de máquinas. Por isso é uma bicheira, produzindo bichos de toda a espécie. Produzindo calor excessivo para poder alimentar todas as formas de bicho. Logo, o aquecimento global ocorre apenas dentro da bicheira que chamamos de Terra. E não fossem outras partes, da verdadeira Terra, ter seu próprio sistema de refrigeração, esta bicheira já teria queimado há muito tempo. Atentem para o sentido de que já houve um mundo que se acabou em água e que ficou conhecido como a fase do dilúvio. Este sentido foi passado para a história numa forma ridícula como dilúvio com a Arca de Noé; foi uma fase de dilúvio que aconteceu - a água alagando a bicheira. E agora estamos passando a fase do fogo onde tudo termina em fogo, como foi anunciado no Apocalipse. Mas, não é o fim do mundo! É apenas uma fase que acontece dentro da bicheira que chamamos de Terra e que identificamos como aquecimento global na nossa ciência materialista. E estamos passando pela era do fogo, tanto pelo aquecimento global, quanto pelo uso das armas de fogo. Isto foi o melhor que os seres inconscientes conseguiram pela necessidade de sua lapidação. Assim, todos saindo do atraso e perdendo a rudez de seres materialistas. Mas a fase do fogo não significa o fim do mundo. É simplesmente uma fase de transição, uma fase de transformação das consciências. E por isso aí está o aquecimento global, dentro de um mundo calamitoso, transformando todos. Precisamos, urgentemente, nos conhecer pelo desenvolvimento do Raciocínio, que é a partícula divina que está em nossos aparelhos e cuja eficiência energética é perfeita. É a única máquina que pode ser usada sem produzir calor porque não é propriamente uma máquina. E por isso os testes que se fazem sobre a cabeça do ser humano jamais poderão detectar a presença do raciocínio, porque quem raciocina não produz calor nem eletricidade. Ao contrário, quem pensa é que produz calor e muito. Aqui está mais um convite para você conhecer e estudar e se desenvolver com a leitura do livro Universo em Desencanto, que nos revela de forma simples e objetiva o mundo em que vivemos, por se tratar de um livro feito por um Raciocínio Superior a todos os Raciocínios e assim combatendo o aquecimento global sem produzir mais calor. Chega de pensar, vamos Raciocinar!

domingo, 10 de junho de 2012

SUSTENTABILIDADE – O MEIO AMBIENTE QUE QUEREMOS

(Porfirio J. Neves) Quando se fala em sustentabilidade, a maioria das pessoas se volta para questões do avanço do progresso material ou progresso dos artifícios, para manter a vida com relativo conforto. Poucos se lembram de considerar que a sustentabilidade da vida na Terra passa primordialmente pelas questões psicossociais e culturais das pessoas. Quando uma pessoa está aborrecida, ou de mal com a vida e com o mundo, vai jogando lixo em qualquer lugar e fica sem educação - aí vive chutando o balde, literalmente. Portanto, se vai se falar em sustentabilidade ou coisas assim, que exigem das pessoas uma boa dose de disciplina e educação, deve-se considerar o estado de alegria e satisfação de todos. As questões psicossociais, na verdade, são determinantes para alcançarmos essa tal de sustentabilidade. Principalmente as questões de natureza cultural – estas, em primeira e em última análise, é que determinam como vamos proceder com relação ao meio ambiente. Quando falo de questões culturais e educação não estou me referindo à educação escolar e sim ao modo de encarar a vida. Quem tem cultura sabe encarar a vida como deve ser, porque tem cultura. Quem tem muita educação formal, assim como um engenheiro, um advogado, um médico, enfim, qualquer pessoa que passou por uma universidade, não significa dizer que tem cultura. Por vezes, pessoas deste nível nem sequer sabem o que existe e como funciona além do quarteirão em que trabalham. Pessoa que tem cultura é uma pessoa que sabe encarar a vida como deve ser encarada, com seus avanços e com sua evolução, respeitando o próximo e buscando compreender sempre mais e mais. Isto é ter cultura. Se as autoridades soubessem estimular isto na população, certamente gastariam muito menos na manutenção da ordem e da segurança, tornando assim sustentável o progresso do conforto relativo às necessidades de cada um. Lamentavelmente, tentam estimular isso usando recursos que não têm sustentabilidade, como por exemplo, esporte e lazer para grandes massas. Isso, apenas parece dar ao povo um grau de felicidade e satisfação. Percebam que para promover e realizar eventos de grandes massas gasta-se muitos recursos e são gerados excessos no meio ambiente além do suportável, em razão das grandes massas em movimento. Dentro de um contexto cultural sadio, as necessidades vão sendo adequadas ao que é possível e ao que é sustentável. Como se vê por aí, a grande maioria da propaganda que vai pela mídia, acaba por estimular abusos e ações desordenadas em razão de sempre realçar coisas inalcançáveis para a maioria das pessoas. É que nem uma loteria, estimula-se o povo a comprar o bilhete, sabendo que poucos alcançarão a sorte de ganhar o prêmio. Esse é um bom exemplo de coisa insustentável. Os que mantém estas loterias são os mesmos que combatem o jogo do bicho como se fosse acabar com algo imoral ou ilegal. Outro mau exemplo da mídia está naquelas propagandas que estimulam as pessoas a ultrapassarem seus próprios limites, como se isso fosse um grande avanço. Pode até ser um grande avanço para alguns, mas isso acontece, via de regra, em detrimento de muitos outros. Portanto, insustentável! Percebam que o mundo pode ser modificado para melhor, tão somente pelos hábitos culturais do povo sem muitos planejamentos e sem construção de grandes obras ou realização de mega eventos. Quando se fala em meio ambiente, de modo equivocado e semelhante ao que se fala de sustentabilidade, as pessoas deixam de considerar o ambiente psicossocial mais uma vez e se voltam apenas para o aspecto físico do meio ambiente. Uma pessoa que vive insatisfeita, porque não tem uma perspectiva de vida razoável, jamais poderá ser educada na boa gestão do meio ambiente. Que é que adianta querer educar uma criança a cuidar do lixo ao redor de sua casa se esta criança não tem nenhuma perspectiva saudável de vida? Que é que adianta querer educar o povo com boas ações e zelo pelo meio ambiente se não se oferece a este povo bons exemplos de conduta moral e dignidade dos próprios fomentadores desta educação? Um mau exemplo disso é a utilização de um meio de comunicação que propaga campanhas em favor do meio ambiente e ao mesmo tempo esse meio de comunicação é alvo de notícias ou de ações desagregadoras do ponto de vista de conduta ética. É a mesma coisa que um professor de educação cívica que se comporta na vida sem nenhum civismo. Ora, ninguém vê a correspondência entre a propaganda das campanhas e a realidade dos fatos. Isso acaba por contribuir em grande escala para o grau de insatisfação de uma população. E ainda querem educar o povo quase que por decreto, por cotas ou coisas do gênero. O meio ambiente que todos querem passa, certamente, por um meio ambiente de paz, saúde e justiça social, muito antes mesmo de se limparem as valas negras que rasgam nossas cidades, muito antes de nos fazerem crer que somos culpados do aquecimento global. É o caso de relembrar o discurso manifesto de uma criança canadense de 13 anos na conferência mundial da ONU em 1992, a ECO 92 realizado no Rio de Janeiro. Nessa ocasião, Sevem Suzuki, em discurso perante vários representantes mundiais, exigia uma mudança de comportamento das autoridades de modo a garantir um meio ambiente favorável para as novas gerações. Retratou o quadro mundial das crianças com fome e dos animais sendo mortos em desastres ambientais e fez lembrar aos governantes que evitar isso é muito mais importante do que evitar a perda de pontos na Bolsa de Valores. Dizia ela, na ECO 92: -“Sou apenas uma criança e não tenho as soluções, mas, quero que saibam que vocês também não têm”. E ainda acrescentou: -“Sou apenas uma criança mas, sei que todos nós pertencemos a uma sólida família de 5 bilhões de pessoas e ao todo somos 30 milhões de espécies compartilhando o mesmo ar, a mesma água e o mesmo solo. Nenhum governo, nenhuma fronteira poderá mudar esta realidade. Sou apenas uma criança, mas sei que esse problema atinge a todos nós e deveríamos agir como se fossemos um único mundo rumo a um único objetivo”. E na conclusão do seu discurso, Sevem Suzuki lançou o seu desafio: -“Vocês adultos nos dizem que vocês nos amam. Eu desafio vocês. Por favor, façam as suas ações refletirem as suas palavras”. Façam as suas ações refletirem as suas palavras. Bem, numa rápida análise deste discurso de uma criança na ECO 92, contabilizava-se naquela época 5 bilhões de habitantes da espécie humana no mundo e hoje já ultrapassamos 7 bilhões, quando estamos realizando nova conferência sobre o mesmo assunto, a RIO + 20. Que coisa interessante a se notar. Dois bilhões a mais em vinte anos. Se naquela época os problemas ambientais eram graves com 5 bilhões, o que será que está acontecendo com 7 bilhões? Será que isso é sustentável? Por quanto tempo, se continuarmos com esta expansão demográfica poderemos contar com os recursos naturais adequados, a começar pela água tratada por meios artificiais. Digo artificiais porque certamente nunca vai faltar água já que o mundo é um aquário. A questão é a água potável nos grandes centros urbanos. Certamente muitas coisas já foram feitas para minimizar problemas do meio ambiente de lá para cá, apesar de faltar muitas ações reparadoras. O que pouco se fez, pelo que se percebe, foi exatamente na questão cultural da vida, que é como o ser humano precisa encarar a vida e o mundo em que vivemos. Pelo jeito, isso mudou muito pouco, porque a maioria continua achando que algum super-herói venha nos salvar e a maioria nem sequer procurou saber a origem de todos estes problemas. Ao contrário, estão apenas buscando um meio de penalizar os infratores que não adotam meios sustentáveis de progredir. Outro aspecto sobre o discurso da Sevem Suzuki na ECO 92 foi o desafio que ela lançou para os adultos. Hoje, por ocasião da Rio + 20, será que ela vai estar presente e haverá outra criança com um discurso ainda mais grave? Assim, agora ela é quem será desafiada na qualidade de adulta. Todos estes aspectos de preservação do meio ambiente, que muitos tem realçado por aí e vão continuar realçando na Rio + 20, precisam e devem estar sempre em pauta na mídia e nas escolas e em todo lugar, mas não podemos esquecer de que as coisas mudam. Tudo se transforma. Portanto, devemos agregar a todas estas ações e discussões um fator cultural primordial, que é exatamente o que a Cultura Racional nos faz cientes e conscientes sobre a vida e sobre o mundo em que vivemos. Quando toda a humanidade se fizer ciente e consciente de quem somos, de onde viemos e para onde vamos, como viemos e como vamos, que é o justo fator cultural a que me refiro que está faltando, certamente nossa visão sobre tudo isso será muito mais precisa e nossas ações se tornarão completas na preservação do meio ambiente que queremos. Quem conhece a Cultura Racional e estuda com atenção torna-se um cidadão consciente de seus deveres, porque passa a compreender porque nasceu neste mundo e passa a saber que vai acontecer em sua vida, pelo simples fato de passar a se conhecer. Quem se conhece sabe se equilibrar na vida e vive com aquilo que lhe é necessário apenas, sem diminuir o seu grau de alegria e de satisfação com a vida. Quem passa a se conhecer vai deixando suas ansiedades e falsas perspectivas de lado e passa a realizar em sua vida o que é consciente, conforme o seu avanço de compreensão cultural. Esta é a verdadeira condição da existência do ser humano neste mundo: precisa se conhecer e saber quem somos e de onde viemos e para onde vamos. E quem não passar a se conhecer vai padecer neste crescente emaranhado de confusões artificiais criadas para lapidar todos. Eis o maior patrimônio pelo qual todos devem lutar, muito antes mesmo de defender o meio ambiente: é o se conhecer. Se conhecer e conhecer o mundo em que vivemos, para compreender nossa real situação e quais devem ser as verdadeiras ações para um viver igualitário, confortável e feliz. Acorda povo, que já dormiram mais de 20 anos, depois da ECO 92. Em verdade já temos 77 anos de Cultura Racional aqui na Terra e muitos ainda não mudaram de pensar e continuam dormindo. Esqueçam o pensamento e tudo que lhe pertencia, que a fase do pensamento terminou, a fase agora é de raciocinar e de adotar as soluções práticas da vida do Terceiro Milênio, lendo o livro Universo em Desencanto - todos se ligando ao nosso verdadeiro Pai Eterno, o Mundo Racional.