Follow by Email

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

PROTEJA-SE DA VIOLÊNCIA


Amigos, não há efeito sem causa!
O ser humano, com capa de civilizado, vai fazendo o que ele acha que pode fazer.
Ele se acha civilizado. Mas, tire a pessoa do sério para ver aonde vai parar a civilização dela!
O bicho irracional trucida a presa para sua alimentação e a de seus filhotes. Mas, o homem, não! Mata sem quê, nem para que.
Olhou para ele atravessado, já selou sua sentença de morte.
E é assim que está se dando em todos os lugares.
A pessoa faz o que quer, muitas vezes prejudicando o seu semelhante e ignorando que toda vida tem dono e que o dono daquela vida lhe cobrará. Cobrará a vida que prejudicou ou eliminou.
A cobrança é certa. Se não é feita nesta vida, será na outra. E que desagradável essa cobrança!
Fez: tem que pagar!
Amigos, somos todos irmãos, todos nós viemos do mesmo mundo. Há 21 eternidades aqui vivemos: morrendo e nascendo, morrendo e nascendo, morrendo e nascendo... e sempre os mesmos aqui a nascer.
Tivemos a primeira grande fase da vida terrena (didaticamente chamada 1º milênio), depois a segunda grande fase da vida na Terra (2º milênio) e, agora, desde 1935, a terceira grande fase: o 3º milênio.
Com a chegada do 3º milênio, a fase do 2º milênio teve seu fim. Cada fase tem seu responsável no invisível. No término de cada fase, seu responsável tem que entregar a Terra limpa para o dono da fase que se inicia.
Isso significa: a retirada de todos os valores e procedimentos que não se enquadram com a nova fase; isso é que é limpar a casa, limpar a Terra.
Fim de uma fase, entrada de outra. Fim de um comando, entrada de outro.
E a fase do 3º milênio é a última fase da vida da matéria. Essa a razão de tanto desequilíbrio no mundo inteiro. A retirada de um comando, que não pode deixar de cobrar tudo que lhe compete cobrar e que essas cobranças não são poucas: daí, o sofrimento horroroso no mundo inteiro.
E a natureza, que é justa e mãe verdadeira de todos, dá a todos a oportunidade de resgatar suas dívidas, trazendo cada qual em seu nascimento o estigma de resgates de vidas passadas.
Ninguém nasce mau, cruel e desumano. É apenas um bebê. Mas, com o passar dos anos, aquele bebê vai se transformando, de acordo com o que foi programado em sua vida fetal para ser bom ou mal.
Todos nascem aparentemente bons, mas, no lar onde cada qual fez por onde merecer. Se nasceu para ser bom, nasce bom em um bom lar. Se nasceu para ser mau, nasce aparentemente bom em um lar ruim e vai ser ruim também.
Então, quem nasceu para ser mau, vai ser mau sempre – nasceu para cobrar ou resgatar dívidas de sua vida anterior.
E quem nasceu para ser bom, vai ser bom sempre, justo e correto.
O bom não deve nada para ser cobrado de suas vidas anteriores.
Mas, ambos sofrem. Sofre o mau por ser mau. Sofre o bom por ter que conviver com os maus.
É por isso que todos são diferentes uns dos outros. E é por isso que não pode haver a igualdade, porque todos são diferentes e todos são desiguais.
Desiguais por quê?
Porque uns tem muito a pagar e outros tantos tem muito a cobrar.
Faça o que fizer de maldade nesta vida, a COBRANÇA é certa!
Ninguém faz nada escondido, pois, os invisíveis (as energias), estão vendo tudo. E na hora certa a verdade surge: a verdade bóia em cima d’água e a mentira afunda.
E de forma que é preciso que todos conheçam a fase natural da natureza, a fase em vigor, a Fase Racional, para saber distinguir os que são cobrados e os cobradores.
O conhecimento da Fase Racional vai nos orientar, guiar e proteger.
E é por isso que todos que se conhecem, nós, estudantes de Cultura Racional, fazemos a propaganda do que sabemos e do que conhecemos, para salvar nossos irmãos que desconhecem o triste caminhar dos cobradores e dos que são cobrados, vivendo como cegos de olhos abertos.
E por assim viverem, caminham sem saberem por onde estão caminhando, desconhecendo a liquidação dos viventes que está em todos os lugares.
Ser invisível nenhum do 2º milênio orientará o vivente por onde ele deve caminhar, de forma a que não dê de frente com o marginal que irá liquidar sua vida, sem dó, nem piedade, só pelo simples prazer de matar.
Por isso essa nossa insistência para trazer nossos irmãos para a estrada certa da fase em vigor, a estrada que estará sempre limpa para o caminhar dos que passam a ter a proteção da fase em vigor, a Fase Racional, a fase onde todos serão socorridos pela natureza e pelos Habitantes do Astral Superior e do MUNDO RACIONAL.
Só o fato do vivente andar com o Livro da fase em vigor nas mãos, o Livro Universo em Desencanto, de Cultura Racional, já é o suficiente para afastar toda a energia negativa que quer ver a destruição de todos os viventes que estão fora da Fase Racional.
Mas, essa é a missão dessa energia negativa, magnética, porque a natureza mudou de fase. Hoje a fase em vigor é RACIONAL, é a fase do desenvolvimento do raciocínio – e a maioria dos viventes ainda está pensando dentro da fase do raciocínio.
E é por isso que estão se passando essas coisas terríveis e desesperadoras pelo mundo inteiro, como são as enchentes, chuvas que há muito não se viam e que estão levando tudo à destruição. Assim também são os terremotos, os tornados, os furacões, os tufões, os maremotos, as doenças esquisitas e uma infinidade de males naturais e artificiais para destruir a humanidade que persiste na fase do pensamento, a fase do 2º milênio, que já terminou.
Tudo isso são providências da natureza para que a humanidade pare de pensar e passe a raciocinar, pois, somente raciocinando evitaremos futuros males que estão a caminho, como a guerra nuclear.
São hecatombes necessárias, para que todos procurem o socorro que virá através dos Livros Universo em Desencanto de CULTURA RACIONAL.
Esse é o caminho para que cada qual esteja protegido da violência da fase de liquidação.
Proteja-se da violência, enquanto há tempo!

www.universoemdesencanto.com.br
www.webradio.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
www.encontroracional.com.br
(Texto de Colaboração de Leony Pereira de Castilho)

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

FAMÍLIA


Se nos detivermos à pesquisa sobre o significado de família, qualquer que seja a fonte, vamos encontrar uma infinidade tão grande de conceitos e definições, que encontraremos dificuldade de sintetizá-la numa pequena frase.
Isso se justifica pela diversidade de opiniões que cada qual tem a respeito não só da família, como a respeito das demais coisas.
É... somos todos diferentes.
Diferentes, sim, enquanto tivermos como base de referência os valores aparentes que cada um de nós acumulou, pelas experiências, de gerações a gerações.
E podemos confiar nas experiências?
Ora, quem é levado a experimentar, prova, com esse comportamento, que não tem o saber verdadeiro.
A falta do saber verdadeiro é que tem levado a humanidade a buscar, nas experiências, uma forma acertada de existência.
E assim vivemos por milhões de anos: buscando, pesquisando, experimentando sem base e sem lógica e repassando essas experiências. E, por isso, acertando e desacertando, desacertando muito mais que acertando.
Tudo isso sendo orientados pelo pensamento e a imaginação. Pensando e imaginando ser o que não é: e adotando. Criada, assim, foi a cultura que toda a humanidade conhece e adota para sobreviver. Uma cultura artificial.
E, por assim ser, fruto do pensamento e da imaginação, não conseguimos atingir, com essa cultura artificial, a forma real da existência - existindo sem saber por que existimos. Vivendo, sem saber por que vivemos.
Cada qual vivendo como acha que deva de viver.
Daí, a confusão crescente, em progressão tão assustadora, que tem levado todas as instituições à desagregação.
Pois, onde cada um pensa diferente, os objetivos também são diferentes. E onde os objetivos são diferentes, ninguém chega à conclusão do seu ideal, por sermos seres absolutamente dependentes de tudo e de todos.
E então, ninguém chega à conclusão de coisa alguma, caminhando cada um sozinho, sem ter com quem contar para alcançar seu objetivo e não colaborando com ninguém para que esse alguém também alcance o seu objetivo, diferente de todos os demais.
Resumindo: bilhões de pessoas, cada qual caminhando sozinho para um objetivo só seu, fruto da sua imaginação, objetivo esse fruto de suas experiências pessoais sem base e sem lógica.
Assim caminhando, onde cada qual vai chegar? Simplesmente não vai chegar, porque todos precisam de tudo e de todos para alcançar qualquer objetivo.
É aí que passamos a entender melhor a desagregação pela qual estão passando todas as instituições, mas, principalmente, a instituição familiar, nascedouro de todas as demais. Essas desagregações desequilibram todos e, inclusive, a natureza, que é quem acolhe tudo e todos. Nossa mãe natural.
Entendamos melhor isso. Se nossos filhos estão desequilibrados, de alguma forma nós nos desequilibramos também. E para que as coisas se harmonizem no lar, quanta providência é preciso, quanta luta, quantos puxões de orelha, quantas repreensões, quantos castigos são necessários para que nossos filhos retornem ao equilíbrio!
Pois é, nessa nova fase do Terceiro Milênio por que passa o mundo em que vivemos, com tanta tragédia, tanto desequilíbrio e tanto sofrimento, está acontecendo neste mundo o mesmo que acontece dentro de cada lar constituído por nós seres humanos.
O mundo em que vivemos é o nosso lar, provisório, mas, é. Nossa mãe natural é a Natureza. E nós seus filhos desequilibrados.
Essa mãe, a Natureza, é a mãe natural, porque nos adotou como filhos. E filho adotivo dá trabalho dobrado, por ter natureza diferente da natureza de sua mãe.
E porque somos filhos adotivos? Porque estamos separados da nossa família verdadeira, o que nos torna inconformados e insatisfeitos, por ter que viver de acordo com uma natureza da qual nosso EU verdadeiro não faz parte.
Nossa parte aparente, bruta, material, pertence à Natureza que nos gerou, criou, mantém e governa. Mas, nosso EU verdadeiro, interior, não pertence a ela.
Ficar longe da família verdadeira dá é nisso: desequilíbrio de um modo geral, porque uma pessoa insatisfeita, nunca está equilibrada.
Para ver, como é fundamental em nossas vidas conhecer de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos, enfim, conhecer nossa família verdadeira, nossa origem verdadeira.
Enquanto cada qual não procurar se cientificar disso, todos continuaremos desequilibrados, entrando em atrito uns com os outros, os atritos gerando conflitos, esses conflitos gerando o terror, o terror gerando as guerras e as guerras gerando a mortandade. E é o que estamos assistindo em nosso cotidiano.
É vital SE CONHECER, vital para toda a humanidade e para a Natureza.
Nós bem que tentamos constituir uma família. Mas, orientados e governados por uma Natureza que não é a nossa natureza verdadeira, que não corresponde ao nosso verdadeiro SER, não poderíamos mesmo ser bem sucedidos.
Por quê?
Porque nossa mãe natural, a Natureza, a quem devemos tudo e a quem devemos ser gratos por tudo que nos tem dado, é uma natureza bi polarizada, uma natureza dual, sendo que o nosso SER VERDADEIRO tem pólo único e divergente dos dois pólos em que ela está constituída.
Nossa mãe natural é elétrica e magnética. E o nosso SER verdadeiro é RACIONAL.
Nossa mãe natural tem uma origem. E nós temos outra.
E quando todos passarem a se conhecer, dar-se-ão conta que, na verdade, nossa mãe natural, a Natureza, veio do mesmo mundo ao qual pertencemos, mas, que constituía uma parte que ainda não estava na mesma evolução que mantínhamos em nossa originalidade.
E assim sendo, ela, a mãe Natureza, na verdade, é nossa irmã e que nos tem criado como filhos. Daí o porquê da sua, também, insatisfação, por estar fora do seu natural.
Assim, o conceito de família precisa ser revisto. Família é aquela que ainda estamos sendo preparados para constituir, quando todos passarem a SE CONHECER, sabendo de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos, tendo todos UM SÓ OBJETIVO: o retorno ao nosso verdadeiro mundo de origem.
A nossa Mãe natural, a Natureza, que na verdade é nossa irmã, já tem conhecimento disso tudo: de onde veio, como veio, para onde vai e como vai. Mas, não pode retornar à Casa Paterna, porque está impedida de fazê-lo devido às responsabilidades de gerar, criar, manter e governar essa filharada imensa que adotou, que é toda a humanidade.
E, por isso, está transmitindo a todos nós o que passou a conhecer, para que também passemos a NOS CONHECER.
Passando a NOS CONHECER, teremos condições de nos ligar, em vida, à nossa origem verdadeira, a Casa Paterna, ficando por conta do nosso verdadeiro mundo, o MUNDO RACIONAL, e liberando nossa Mãe/Irmã de nossa quase eterna adoção, para que ela retorne também ao mundo de onde viemos.
E assim fazendo, reconstituiremos ambos, Mãe Natureza e nós, finalmente, a família perfeita que sempre fomos, antes de ser o que somos, jubilosamente governados, por nosso Pai Verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR.
E quem não quiser dar ouvidos ao que nossa Mãe natural está transmitindo, vai ficar de castigo, por sete eternidades, nas classes inferiores de animal irracional, porque a Natureza é de transformações.
As provas e comprovações, detalhadas e minuciosas de tudo isso, todos nós encontramos na cultura natural da Natureza, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
Portanto, família, é uma só, RACIONAL.
Por quê?
A resposta é encontrada no estudo desses grandiosos Livros de CULTURA RACIONAL, Universo em Desencanto.
Colaboremos com a família, com a nossa família verdadeira, a família RACIONAL, nos inteirando e nos certificando de tudo isso que aqui foi dito.
Não viremos as costas para o nosso Pai Verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR, nem fechemos nossos ouvidos para nossa Mãe/Irmã Natureza, ela já sofreu demais com nossa adoção.
Estudemos UNIVERSO EM DESENCANTO!
RACIOCINEMOS!
Só assim voltaremos a ser o que sempre fomos e que sintetiza o que é família: RACIONAL!


www.universoemdesencanto.com.br
www.webradio.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
www.encontroracional.com.br

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

VER, OUVIR E CALAR, FICA BEM EM TODO LUGAR!


O que é natural é tudo aquilo que pode ser sem prejuízo de ninguém.
Então, natural é RACIONAL, porque RACIONAL é pureza, e a pureza não traz prejuízos a ninguém.
Portanto, onde existe sofrimento, não existe o natural, porque o sofrimento é a conseqüência da lapidação daquilo que está fora do natural.
Tudo que distorce do natural, da pureza, do RACIONAL, precisa ser lapidado para retornar ao natural.
Assim, os pais lapidam seus filhos. Os filhos lapidam seus pais. O homem lapida a mulher e a mulher lapida o homem. A natureza deste mundo em que vivemos nos lapida de várias formas, jeitos e maneiras, e nós lapidamos a natureza com o nosso desequilíbrio.
E, assim, o mundo em que vivemos é um mundo em lapidação, um mundo de sofrimentos e dores.
E se o mundo em que vivemos é de sofrimentos e dores, está visto que é um mundo fora do seu natural.
Sofrem os animais Racionais, sofrem os animais irracionais, sofrem os vegetais, sofrem os minerais, sofre toda a natureza deste mundo em que vivemos. Sendo essa natureza, portanto, uma natureza fora do seu estado natural. Isso nos leva a concluir, não se tratar essa natureza, da verdadeira natureza, pois, natural é tudo aquilo que pode ser sem prejuízo de ninguém.
Esse mundo em que vivemos, um mundo de predadores, os mais fortes engolindo e destruindo os mais fracos, não pode mesmo ser um mundo natural!
Mas, como não há efeito sem causa (todo feito tem sua causa, toda causa tem sua origem e toda origem tem sua base), precisamos conhecer a causa deste mundo de sofrimentos, a origem da causa dele e a base da origem da causa dele, para, assim, termos condições de colocar fim no sofrimento deste mundo, porque sofrimento é algo que não faz graça prá ninguém rir.
Sim, porque quem conhece as causas, a origem das causas e a base da origem das causas, tem condições de entender os efeitos. Conhecendo as causas, a origem das causas e a base de origem das causas, corta os efeitos.
Então, o que é fundamental na vida de todos nós? Conhecer a natureza verdadeira, origem desta natureza desequilibrada da qual fazemos parte.
Mas, não só isso, é preciso entender, compreender e saber o porquê esta natureza em que vivemos, apesar de ser originada de uma natureza superior, se tornou uma natureza inferior. O porquê se degenerou e deformou de superior para inferior.
Ou seja, precisamos conhecer nossa origem verdadeira, com base e com lógica provadas e comprovadas, para termos a segurança indubitável de um novo rumo a tomar em nossas vidas, baseados nas leis naturais desta natureza superior. Só mesmo assim, procederemos à reconstrução do mundo em que vivemos, com novos valores e entendimentos, valores e entendimentos esses correspondentes ao natural verdadeiro.
E é por isso que já está na Terra a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto, a cultura natural da natureza, trazida do MUNDO SUPERIOR, o MUNDO RACIONAL, ao mundo inferior, o MUNDO RACIONAL DEFORMADO. Nessa grandiosa cultura todos nós encontramos, da forma mais simples e clara, todas as causas de todos os efeitos, as origens das causas e a base de origem das causas de tudo e de todos. E nesse encontro RACIONAL, passamos a nos conhecer e a conhecer tudo e todos: de onde viemos, como viemos, para onde vamos e como vamos.
E nesse COMO VAMOS, aprendemos a importância de não mais contemplar todo o mal que sempre nos lapidou e fez sofrer. Os olhos e os ouvidos devam de estar voltados para a natureza verdadeira, abertos e elevados para o natural verdadeiro e hermeticamente fechados para tudo quanto não é de natural, ou seja, para tudo aquilo que seja em prejuízo de qualquer que seja, incluindo nós mesmos.
E como a fala é própria dos bichos, essa somente deva ser utilizada tão somente para fazer com que o natural verdadeiro seja conhecido, entendido e compreendido por todos e para as coisas necessárias da sobrevivência, que não podem deixar de ser feitas.
Esse COMO VAMOS é a parte mais melindrosa da reconstrução deste mundo desequilibrado em que vivemos, para que o tornemos um mundo de paz e de concórdia, um mundo natural.
Estamos numa gigantesca escalada, onde a prudência, a calma e o desprendimento são atitudes imprescindíveis.
Muitos se unirão nessa subida. E os que vão ficando de fora, por livre arbítrio, pois a vontade é livre, esses procuram de todas as formas, jeitos e maneiras nos demover de nossa determinação para o BEM. Esses se viram contra nós sempre que são ajudados, deixando clara sua triste opção de continuar num mundo de transformação para classes inferiores.
Não devemos nos importar com as ingratidões, utilizando-as como degraus para nossa subida, mantendo nossas mentes firmes em nossa meta final: voltar ao nosso estado natural de RACIONAL puro, limpo e perfeito.
Não faltarão também aqueles e aquelas que procurarão nos fazer voltar atrás em nossa escalada, prejudicando-nos materialmente, moralmente e, às vezes, até fisicamente.
Nada disso deve nos demover do nosso caminho. Nossa atitude deva de ser uma só: dar importância ao que é de importância, que é o BEM VERDADEIRO. Dar valor ao que é de valor: o BEM VERDADEIRO. O mal não tem importância alguma e muito menos, valor.
Assim, RACIOCINANDO, vamos nos tornando cada vez mais fortes, vencendo o mal, que cada vez se enfraquece mais, pois, tudo que foge ao BEM VERDADEIRO, RACIONAL, torna-se cada vez mais enfraquecido, até se extinguir totalmente.
E todo o mal é ação do pensamento magnético, cuja fase já terminou na natureza, desde 1935, por ter entrado na natureza a fase do desenvolvimento do raciocínio, a fase do retorno ao nosso verdadeiro estado natural de RACIONAL puro, limpo e perfeito, no nosso Verdadeiro Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.
E é por isso que todos aqueles que já optaram por RACIOCINAR SEMPRE E PENSAR NUNCA, trazem consigo, dia e noite, noite e dia as seguintes sábias palavras:
“VER, OUVIR E CALAR, FICA BEM EM TODO LUGAR.”

www.universoemdesencanto.com.br
www.webradio.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
www.encontroracional.com.br

terça-feira, 16 de novembro de 2010

PROCURE SE CONHECER


A pessoa que não se conhece, se destrói.
Por que?
Porque quem não se conhece, não sabe de onde veio, para onde vai e nem como vai.
Não sabendo de onde veio, vive em contradição com sua origem, com sua gênese verdadeira, vive em desacerto, vive contra o que é certo, que é a origem de tudo e de todos, DEUS.
E quem vive contra DEUS, não tem com quem contar nem onde se agarrar.
E não tendo com quem contar nem onde se agarrar, vive sem orientação positiva consciente, a orientação precisa e necessária para se engrandecer e se elevar a DEUS.
E não se engrandecendo, nem se elevando, vai se tornando cada vez mais insignificante, se rebaixando aos olhos da instância SUPERIOR, do Mundo Superior.
E assim se tornando, vai se reduzindo, se reduzindo, até ao nada se tornar, perdendo todas as forças para se conduzir acertadamente na vida.
E sem se conduzir acertadamente na vida, vive de cabeçadas em cabeçadas, sem saber onde vai parar: não sabe para onde vai e muito menos como vai.
Para ver como a coisa mais importante da vida é o passar a se conhecer.
A vida da matéria é ingrata, maltrata sem dó e sem piedade quem vive sem se conhecer, por que?
Porque a matéria nada é. E o que nada é, nada tem a dar a ninguém, a não ser o sofrimento.
Quem se ilude com as fantasias da matéria, com as ilusões da matéria, com os bens materiais, com este presépio encantador de matéria, fica reduzido à matéria, sem ter nada para se valer e para valer aos demais: torna-se uma vida perdida! Uma vida sem valor algum.
E por ser uma vida perdida, uma vida sem valor, não tem conceito algum junto à natureza, passa a pertencer à fase de liquidação da natureza, liquidação moral, física e financeira.
Não é isso que estamos assistindo no mundo inteiro?
Destruição pavorosa e horrorosa de grandes e pequenos, de graúdos e de miúdos, independente de raça, de sexo, de instrução e de preferência filosófica e científica, porque a maioria esmagadora vive desconhecida de si mesmo.
Destruição de todos que não se conhecem e que não se interessam em passar a se conhecer.
E por viverem desconhecidos de si mesmo, continuam apegados à matéria, como se a matéria tudo fosse, apegados à cultura materialista, à cultura artificial criada e desenvolvida por seres que nunca souberam de onde vieram e para onde vão, uma cultura sem base, sem lógica, sem provas e sem comprovações, que mantém os mistérios, os fenômenos e os enigmas.
Uma cultura que cultua as aparências, sabendo todos que aparências não são verdades.
E aparência por não ser verdade, mantém a mentira, a mistificação, a ilusão, os sonhos, as fantasias para ludibriar e trair todos que valorizam e cultuam essa cultura do nada ser, prometendo a todos, que nela se baseiam, um mar de rosas e de perfumes.
E na esperança desse encontro de rosas e perfumes, ficam todos embriagados, fanatizados, magnetizados, não enxergando o verdadeiro mar que os espera, que é um tenebroso mar de espinhos.
Por isso, não existe coisa mais triste na vida do que o viver desconhecido de si mesmo!
A pessoa sabe que não existe efeito sem causa, mas, magnetizado e enfeitiçado por essa esperança, perde completamente o bom senso, o discernimento e não consegue admitir o caminho de sofrimento a que está sendo levado por essa esperança.
Quem sabe não tem esperança. Porque enxerga e compreende o passado, o presente e o futuro, sabendo, com consciência positiva o que tem e o que não tem que fazer para concluir sua felicidade.
Procura se conhecer para saber se valer, porque se não se conhecer, não saberá dar um passo sequer que não resulte em sofrimento.
E é por isso que ninguém, ninguém mesmo, é culpado do sofrimento de ninguém.
Cada qual cava seu próprio infortúnio ou felicidade, tudo dependendo do SE CONHECER.
E como se conhecer?
Muito simples, basta estudar a cultura natural da natureza, pois, só mesmo a natureza que nos gerou, criou, mantém e governa tem condições de nos dizer quem somos, de onde viemos e para onde vamos.
E por que a natureza não nos disse isso há mais tempo?
Porque a cultura dela ainda não tinha chegado à Terra.
E por que não chegou há mais tempo?
Porque estávamos sendo preparados para saber a verdade, éramos rudes demais e não teríamos aceitado a verdade.
Assim como uma criança não está preparada para saber tudo que é do conhecimento de um adulto.
Tivemos várias fases na Terra, fases de monstros, de selvagens, de civilizados e agora, na fase atual, a Fase Racional do Terceiro Milênio, é que existem pessoas já preparadas para se inteirar da verdade. E mesmo assim, muitos ainda nem civilizados estão. Esses, que ainda não estão civilizados, vão demorar ainda muito tempo para estar preparados, ou não terão tempo de se preparar.
Mas, tudo depende da própria pessoa, do esforço, do capricho e da vontade de se conhecer: isso é que determina ter tempo ou não de se preparar.
E afinal, onde se encontra esta cultura salvadora, que coloca fim na inconsciência humana, levando todos a se conhecer?
Ela é encontrada nos Livros Universo em Desencanto, os Livros que nos revelam quem somos, de onde viemos, para onde vamos e como vamos, colocando fim neste encanto, neste feitiço ludibriador material, que trouxe toda a humanidade até aqui, de canto chorado.
Todos devem procurar se conhecer para saber se valer, pois, somente se conhecendo a pessoa começará a raciocinar, passando a ter com quem contar e onde se agarrar.
Contar com quem?
Com os Habitantes do MUNDO RACIONAL, nosso Verdadeiro Mundo de Origem.
Se agarrar com quem?
Com o RACIOCÍNIO SUPERIOR a todos os raciocínios, DEUS verdadeiro, o RACIONAL SUPERIOR.
Sabe lá o que é contar com o MUNDO SUPREMO, dia e noite, noite e dia?
Sabe lá o que é contar com DEUS verdadeiro, dia e noite, noite e dia?
É o ENCONTRO RACIONAL, o encontro consigo mesmo. Passando nossa vida a ser um mar de rosas ao invés de um tenebroso mar de espinhos.
Procure se conhecer, pelo desenvolvimento do raciocínio!

www.universoemdesencanto.com.br
www.webradio.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.boanoitebrasilracional.blogspot.com
www.encontroracional.com.br