Follow by Email

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

POR QUE A NATUREZA É DE TRANSFORMAÇÕES?


Na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.

E quando se diz tudo, é TUDO mesmo. O Universo está em constantes transformações. A cada meio segundo tudo muda.

Nessas mudanças, a fase anterior perde o valor e é destruída naturalmente, com o passar do tempo.

A lagarta se transforma em borboleta. A lagarta não vale mais, perde a existência.

A criança se transforma em adulto. A criança não vale mais, perde a existência de criança.

E quantos são os exemplos na natureza!

Que natural é esse? A gente olha para um casulo, acha que aquela vida é natural, verdadeira, daqui a pouco ela não mais existe. Então, esse casulo não estava no seu verdadeiro natural, era uma existência aparente, provisória, passageira.

Então, o natural do casulo não era aquele, senão não se transformaria para uma borboleta, que também tem vida breve e se transforma para outras formas de vida.

Observando tudo isso que acontece com todos os seres no universo, chegamos à conclusão de que tudo está fora do seu estado natural.

Esse o porquê de tudo se transformar.

E o natural de tudo e de todos, qual é, onde está?

O natural, a lógica nos induz a concluir, está numa força energética superior que se encontra na origem de tudo e de todos, porque não há efeito sem causa. Não há causa sem origem. E não há origem sem base.

E essa base, a lógica nos induz novamente a concluir, há de ser de um poder absoluto. E um poder absoluto só é possível num estado de ser de pureza absoluta (sem maldades), de limpeza absoluta (isento de poluição), de perfeição absoluta (de vida própria, não sendo senhor, nem sendo escravo – auto-suficiente).

Enfim, um SER RACIONAL.

Mas, como este universo em que vivemos, sendo um universo perecível, em constantes transformações, foi originado de um universo perfeito?

Essa uma longa estória, com base, lógica, provas e comprovações, que finalmente pôde ser revelada à humanidade a partir de 1935.

Ora, a chegada dessa revelação à Terra, gera uma transformação muito grande na natureza. O universo inconsciente do seu antes de ser (o universo é vivo), tomando conhecimento de sua origem, entra em processo natural de retorno à origem.

O universo toma consciência de sua essência RACIONAL e passa a investir no desenvolvimento dessa essência, deixando de lado a sua parte animal, composta das energias elétrica e magnética, que deixam de compor a regência da natureza.

Entra a natureza em processo de autodestruição de sua parte animal (elétrica e magnética), que passa a não ter mais o valor que a ela era dado por todos os seres visíveis e invisíveis.

Essa parte animal passa a sofrer transformações para adaptação à nova fase, numa classe inferior, onde não mais governa e, sim, é governada.

Mal comparando, é tal qual a pessoa colocar de lado uma roupa de grife fora de moda, reformando-a para um outro uso, com menor expressão.

É isso aí, minha gente, a natureza mudou de fase. E tudo que pertence às energias elétrica e magnética está em desequilíbrio e em reformulação para adaptação à nova fase, a Fase da ENERGIA RACIONAL, a energia da origem.

Ou se adapta à nova fase, retornando à origem, ou entra em liquidação para classes inferiores.

A natureza, então, está em autodestruição de tudo nela que não contribui para sua ascensão à origem. E está transmitindo essa autodestruição nos seres humanos, exceção feita aos seres humanos que estão ligados à essência da natureza, à essência RACIONAL.

E essa é a causa do desequilíbrio universal, moral, físico e financeiro, porque as energias elétrica e magnética são as responsáveis pelo pensamento e imaginação, respectivamente, estando em liquidação.

Por isso que ninguém acerta mais com o pensamento, porque a sua fase faliu.

É preciso que todos estudem a cultura que a natureza providenciou para a humanidade, a Cultura Racional, onde vamos aprender a raciocinar e parar de pensar.

Falava-se em raciocínio, porque foi dito por antigos sábios e profetas que chegaria a fase dele. E a humanidade, por ter desenvolvido muito o pensamento concreto, já se achava detentora do raciocínio, confundindo-o com o pensamento.

E a natureza em sua autodestruição está providenciando as hecatombes naturais e artificiais, as doenças e todo tipo de desequilíbrio, como ferramentas para destruir os pensadores, por os pensadores estarem ligados à parte animal da natureza.

Por isso estamos aqui sempre a advertir e recomendar o estudo dos Livros de Cultura Racional, Universo em Desencanto, para que a pessoa se desligue da parte animal da natureza; conviva com essa parte animal sem se deixar dominar por ela, porque é uma parte da natureza em liquidação. Dominado pela parte animal, é liquidado de várias formas, jeitos e maneiras, porque a natureza não é brincadeira. Ela não quer saber se você concorda ou não com ela, porque ela é quem manda, por ser a geradora, criadora, mantenedora e governante de todos os seres.

É bondosa e adverte a todos, mas, não admite a prepotência de julgamentos de suas determinações.

Quem entender, muito bem, tudo bem! Quem não entender, tudo mal, classes inferiores!

E, assim, a natureza sempre foi de transformações, por estar fora do seu estado natural de RACIONAL, de ENERGIA RACIONAL, pura, limpa e perfeita, no seu verdadeiro mundo de origem, o MUNDO RACIONAL.



www.culturaracional.com.br

www.nalub7.wordpress.com

www.origemverdadeira.blogspot.com

www.programaavozracional.com.br

www.youtube.com/porfiriojneves

www.youtube.com/nalub7

sábado, 26 de novembro de 2011

HOJE, EU TENHO UM SONHO

TU ÉS PÓ E AO PÓ TORNARÁS


(Prof. Porfirio Jesus das Neves)

O pensamento humano é um grande deturpador da verdade, porque o pensamento foi feito apenas para lapidar. Quem confia naquilo que pensa é um grande sofredor, está em lapidação. Não se pode confiar, porque nem sempre acerta, mas sempre lapida. A fé é de quem pensa, porque quem pensa precisa ter fé por ainda não se conhecer.
Então, vamos conhecer e desenvolver o Raciocínio. Este, sim, a gente pode confiar, porque o Raciocínio foi feito para acertar, porque o Raciocínio se baseia somente naquilo que se conhece. E, assim, o ser humano deixa de ser uma incógnita, um enigma e um fenômeno.
O que vem acontecendo com parte da humanidade é isto – é a perda de confiança naquilo que pensávamos ser o certo e que, daí, uns buscam se certificar do verdadeiro certo e outros se desiludem e caem na vida das amarguras, na vida do pó. Cada um no seu tempo de desenvolvimento.
Faltava à humanidade a informação mais importante de todos os tempos, que é a revelação de algo que nos foi prometido há milhares de anos: “Conhecereis a verdade e a Verdade vos libertará”.
Qual verdade a conhecer? E qual Verdade que vem libertar de quê? A verdade vos libertará de quê?
Quer dizer que estamos presos e não percebíamos isso? Escravos da matéria, todos sabemos que somos! Que estamos presos aos nossos pensamentos e nossas imaginações, quer dizer, presos aos nossos preconceitos, todos nós sabemos que estamos.
Mas, existe alguma outra coisa que nos prende? Será que podemos conhecer a verdade sem preconceitos? Sim, é a verdade revelada!
Falo aqui inicialmente para as pessoas que ainda estão presas aos seus preconceitos religiosos, que na maioria das vezes - eu já passei por isso – não percebem que o lado ruim do preconceito não está no agente e sim no paciente, nós mesmos. O ruim do preconceito é o magnetismo de quem se sente atingido. Se sente atingido por ser preconceituoso.
Quando nos foi dito tu és pó e ao pó tornarás, a humanidade estava num estado de transição de um
grande atraso e de fortes preconceitos.
O principal sentido, muito verdadeiro desta frase, foi contribuir para a percepção inequívoca de que tudo é passageiro neste mundo, embora todos continuassem sem saber de onde vieram e para onde vão. E a frase diz: tu és pó e ao pó tornarás. Bem compreendido, então, fica que somos todos passageiros, mas, o que ninguém conhecia era o verdadeiro significado do pó. E por isso todos continuavam perguntando: de onde viemos e para onde vamos?
Olha aí, um aviso à galera que usa o pó: estou falando do “pó bíblico”, não estou falando do pó dos craques manietados pela depressão e vazios de qualquer sentimento humano – mas um dia esses se recuperam, quando prestarem um pouquinho mais de atenção à Fase Racional.
Eis a grande questão: o que significaria este pó bíblico? Sabemos hoje que somos formados por cerca de 80% de água livre e que os 20% restantes do corpo são constituintes construídos à base de água. Sabemos hoje pela observação direta, que nada nasce nem cresce se não houver água.
Sabemos hoje que está na água uma força magnética para a formação de todos os seres deste mundo, que no sol está o calor que faz esta força magnética gerar e que na terra está a base fixa para encubação de todos os seres gerados pelo calor e pela água. Por isso é que a Terra tinha que ser maior que o sol: a Água é móvel, a Terra é fixa e o sol aquece as duas pelo giro do globo.
É assim que hoje sabemos que a vida provém da água porque sem água nada gera. Sem água não há vida, porque a água é a própria vida, tudo é água transformada em seres, pela ação do sol e incubada pela Terra.
O que nós não sabíamos era o porquê do pó. Por quê somos pó e tornaremos ao pó?
Então, vem a verdade para libertar. Vejam que não é para acreditar. A verdade não está na crença!
A verdade está no conhecimento, por isso diz: conhecereis, não diz: acreditareis. Na crença estão
apenas os preconceitos. Somente crê quem não conhece.
Hoje sabemos: *(H-16 p-50) “Tudo é energia pura, limpa e perfeita, deformada e degenerada, transformada em todos esses feitos. Tudo é energia. O pó é energia transformada em pó. O granito, tudo. Tudo é energia transformada em seres”.
Eis a verdade que nos liberta do pó: sabermos como é feita a água, como é feito o pó, como é feito o ser humano.
*(H-16 p-51) “Então, formou-se o ser humano, de um pingo d’água que é o sêmen, para ver que tudo se transforma. Um pingo d’água se transformar em uma máquina poderosa humana. E assim é o pó, é o ínfimo granito, de todas as espécies, de todas as formas. Tudo é energia transformada em seres”.
Esta é a definição que o Racional Superior nos revela: o pó é o ínfimo granito de todas as espécies, de todas as formas. Tudo é energia transformada em seres.
Pelo que posso entender: o termo “ínfimo granito” é usado para descrever a menor partícula sólida constituinte de todas as coisas. Isto corresponderia ao tal “átomo” dos filósofos gregos que nada tem a ver com o modelo atômico dos cientistas modernos, diga-se de passagem.
A Ciência apenas fez uma paródia do termo átomo dos gregos, que assim queriam nos cientificar que existia uma ínfima partícula sólida formadora de todas as coisas. A ciência criou seu modelo atômico e dividiu e subdividiu em uma infinidade de partículas e disseram que o átomo era divisível, como que contrariando a filosofia grega. O que a Ciência dividiu não é o átomo dos gregos.
E está aqui o Racional Superior, no meu entendimento atual, nos certificando de que existe esta ínfima partícula que ele simplesmente chama de pó. Eu comparo este ínfimo granito como sendo uma partícula muito menor ainda que a menor unidade de energia que a ciência pode medir, que é o quantum. Um quantum seria formado por infinidade de granitinhos. Será? Vamos ler.
O pó é uma energia transformada em pó!
Agora sim, com estes esclarecimentos que vamos encontrando no estudo da Cultura Racional, poderemos
compreender afinal que “tu és pó e ao pó tornarás”.
Mas, percebam quanta lapidação e quanto aprimoramento e quantos preconceitos, que devem ser vencidos em nós mesmos, para compreendermos a grande realidade universal.
Não podemos conceber o Mundo Racional, que é a Verdadeira Origem da Humanidade, como sendo um mundo formado por seres. O Mundo Racional é o antes do ser, é o Mundo de Energias Puras e que uma dessas Energias foi transformada em pó pela grande força geradora do FOCO DE LUZ, o pó que saiu da Planície, ou parte sólida, ou deformada; e que outra Energia, que ficou degenerada, derreteu o pó e assim virou água. E assim é o pó, é o ínfimo granito, de todas as espécies, de todas as formas.
Então tem a água que é energia pura degenerada e tem a água que é a forma ou água deformada.
E a divisão de águas é feita justamente pelo pó. Por isso a Água derrete o pó e vira água.
O Foco de luz, para quem ainda não sabe, é a reunião das virtudes ou vidas de uns tantos deuses criadores, habitantes do Mundo Racional, que no final das contas, estão todos aqui em transformações, vitimados pelo que fizeram para si mesmos. Ou seja, todos nós mesmos que aqui habitamos.
Por isso se diz que o mundo é conseqüência de seus próprios habitantes. Por isso se diz na Gênese bíblica que o espírito de Deus pairava sobre as águas. Qual espírito? E qual água?
Por isso todos os seres são energia transformada em seres: mas sempre precisamos de três energias
para a devida composição dos seres. Esta é a regra universal.
Logo, a frase que nos informa que “tu és pó e ao pó tornarás” serviu, e muito, para lapidação do ser
humano que, afinal, foi formado com esse Pó. Mas, o que não podia informar (e não estava revelado ainda), é que a humanidade já existia antes de existir o pó. Pois, foi a verdadeira humanidade quem causou a formação do Pó.
É o que ainda está faltando muitos conhecerem: a verdadeira origem da humanidade. Quem é a verdadeira humanidade, que antes progrediu por conta própria indo à extinção, que nesse progresso formou o Pó e a Água, aonde se extinguiu, de onde, então, todos vieram e para onde todos têm de voltar. E aí saber de onde somos verdadeiramente. De onde somos? Do Mundo Racional, o mundo dos deuses ou habitantes puros, limpos e perfeitos, que deram conseqüência a todos os seres.
A verdadeira humanidade ficou extinta no pó e na água e formou assim esta falsa humanidade que muitos chamam de ser humano e que de humano só temos o nome. Então, os falsos seres formados pelo nada, que tudo acaba em nada, terão que voltar ao nada para poderem ressurgir como energias puras, limpas e perfeitas. Por isso, a morte significa uma renovação para ressurgir.
Esta era a verdade que só podia ser revelada e compreendida depois de muito aprimoramento dos
seres formados pelo pó, que assim a água ficou choca e passou a gerar bichos de toda espécie, inclusive o bicho humano. Na verdade é o bicho de origem Racional que é feito por um pingo d’água, o sêmen gerador.
A origem é pura, mas a formação é deformada, é choca. Por isso, tudo para gerar tem que chocar primeiro. Tudo nasce do choco! O choco é o pó estragando a água geradora, por isso tudo é deformado. O pó é quem deforma a água de cima que vira água debaixo. O pó é o ínfimo granito formador de todos os seres.
Estes esclarecimentos, se assim nos convier, servem tão somente para estimular o estudo da Cultura Racional através da leitura do livro Universo em Desencanto para que a humanidade compreenda a verdadeira ressurreição da humanidade e termine de vez com essa tragédia grega, que é a vida de sofredores e mortais, indo e vindo com esse pó desnaturado, rolando de água abaixo, à beira do
abismo.
Tudo isto somente será alcançado pela verdadeira ligação do ser humano com a verdadeira Mãe que lhe gerou, criou e mantém: a Natureza. Se ELA nos gerou e nos fez, também fez a fórmula do retorno de todos, porque nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. Eis a necessidade de ler e estudar o Universo em Desencanto.
Quem és tu que a ilusão é tanta incapaz de definir o teu eu?

www.culturaracional.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.origem.verdadeira.com.br
www.nalub7.wordpresss.com
www.youtube.com/porfiriojneves
www.youtube.com/nalub7

* H = Livros do Histórico de Universo em Desencanto
p = página

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

A SÉTIMA TRANSFORMAÇÃO É O MUNDO DO ENCANTO DA VELHA SERPENTE

(Prof. Porfirio J. Neves)
O mundo jamais será o mesmo a partir do momento que a grande maioria das pessoas perceberem o que quer dizer mundo do encanto. Quem conhece o encanto quebra o ovo da serpente e renasce para o seu verdadeiro mundo de origem, o Mundo Racional.
Velhos conceitos à parte, precisamos, mesmo, é nos ligar nos conceitos da nova fase que é a Fase Racional. A Fase Racional é tão diferente da fase de Animal que talvez nem as palavras consigam adequar a um sentimento autêntico do que é Racional. Porém, é necessário evoluir os conceitos até sentir verdadeiramente e se ligar ao mundo da Eternidade, o Mundo Racional.
(H-026 p-05) A Natureza com suas transformações, renovações e mudanças, para que tudo, com o tempo, voltasse ao mesmo lugar que saíram. E por ser essa forma, as transformações de um corpo de vida para outro, mudando assim, tudo naturalmente, sem que percebessem, por ser uma coisa natural. Até que pelo desenvolvimento, tivessem amplo entendimento para compreender e entender todo esse movimento natural da Natureza. Para que ficassem assim, houve então a formação do PENSAMENTO, para o desenvolvimento da MENTE e a mente pudesse entender e compreender a sua verdadeira SEMENTE. E daí, terem condições de voltarem de onde saíram. E com a evolução mental, para surgir daí o entendimento e compreensão espiritual, para que pudessem evoluir e progredir cosmologicamente e espacialmente e atingir a meta desejada que era saber de onde vieram e para onde vão.
É assim que o Racional Superior justifica porque de tudo acontecer com vem acontecendo sobre a história do mundo. Onde diz que o pensamento foi formado para o desenvolvimento da nossa mente e a partir deste desenvolvimento passamos a compreender a nossa verdadeira semente.
Qual é a nossa verdadeira semente? Duas respostas são necessárias e todas as duas são certas, já que somos dois em um só: a semente do Animal é uma e a semente do Racional é outra.
Porém, a semente do Animal também é dois em um só, por ser o pingo d’água feito de uma Planície que foi dividida em dois: o “eu” e o “tu” – matéria. Pingo d’água, querendo dizer, pingo da Planície que se dividiu em duas partes: uma deformada e outra degenerada, o elétrico e o magnético.

Novos conceitos, novos entendimentos; a parte degenerada se define como a parte que se enfraqueceu e a parte deformada é a parte que passou por uma fôrma, que foi transformada.
Uma simples ilustração: a mãe biológica é uma fôrma feita pela Natureza onde é plantado um pingo d’água, que é o sêmen e, nove meses depois, sai por esta fôrma um novo corpo, que se diz deformado porque passou por uma fôrma.
Tudo assim começou quando um Foco de Luz deformou uma parte da Planície em Resina, ficando a outra parte degenerada, da Planície. A deformada deu conseqüência à Terra, que no início era massa de Energia Cósmica e a degenerada deu conseqüência à Água.
Os Racionais entraram em estado de extinção, porque perderam suas virtudes e que estas virtudes foram reunidas para formar o Foco de Luz. Nesta reunião de virtudes, a Planície deformou e degenerou, dando conseqüência a duas novas fôrmas, Goma e Resina, que são os dois princípios da Natureza, um elétrico e outro magnético. Porém, a extinção não foi o término, nada termina de vez.
Este é o Raciocínio Supremo. Nada termina de vez, porque existe um único Habitante do Mundo Racional que teve a coragem de acompanhar toda esta deformação para manter a identidade original em cada Raciocínio no qual se transformou toda a Supremacia Racional daqueles tantos Habitantes, que são os verdadeiros donos deste mundo em transformação. ELE, o verdadeiro Deus que veio acompanhando todo esse progresso que vai a regresso. O único que teve a coragem de acompanhar todas estas transformações, por isso se tornou o Verdadeiro Deus, o Racional Superior da Terra. É! Porque no Mundo Racional não existem superiores, todos são puros limpos e perfeitos.
A transformação da Planície ocasionou a transformação do Raciocínio Supremo, aqueles tantos habitantes, numa infinidade de Raciocínios que cada Raciocínio ficou sendo a semente do ser Racional que viria a se formar em forma de Animal, quando as transformações chegassem ao sétimo ciclo de transformações. Tudo foi muito bem planejado! Não existem acasos como muitos julgam.
Portanto, o Raciocínio é a verdadeira semente do ser de origem Racional, enquanto o pingo d’água é a semente do Animal. Toda a Planície, depois de sucessivas deformações e degenerações se transformou em um BICHO, a velha SERPENTE, a essência do magnético, Senhor da matéria e senhor de todas as coisas deste sétimo mundo. Por isso a Água se transformou em um BICHO, formadora de bichos. Que negócio é esse de “sétimo mundo”?
Vamos nos esclarecer muito bem com o seguinte argumento: dizem os textos antigos, certamente mal interpretados e mal traduzidos e que, por serem mal traduzidos, criaram novas interpretações que não podiam corresponder à realidade. Uma coisa é certa, os textos eram verídicos.
Sobre a criação do mundo ficou uma estória (com “e”) que Deus fez o mundo em 6 dias e descansou no sétimo, e daí, nos sete dias da semana deveríamos ter um de descanso.

Descansou no sétimo dia por quê? Se consideramos que Deus pode ficar cansado... ora, ora, nem precisa comentários. O que será que estava escrito que foi traduzido para descanso? Seria descaso ao invés de descanso? Mas os idiomas eram outros, as palavras certamente eram outras e as confusões também foram outras.

Talvez descaso não fosse o melhor termo, mas o próprio texto bíblico assegura que a partir da expulsão do Paraíso o Homem teria que ganhar o pão com o suor do rosto. Isto corresponderia, senão a um descaso do divino ser, que a todos sempre acompanhou, corresponderia a que o sétimo mundo ficou apenas por conta do seu criador, ou dos seus criadores e não por conta de Deus.

Na narrativa de Gênesis está lá a figura de uma serpente que na estória com “e” seduziu a parte deformada a comer a maçã junto com a parte degenerada, se é que estão me entendendo. Cada qual com sua análise.

Então, a serpente passa a ser a dona deste sétimo mundo que se forma e não Deus, o verdadeiro, que ficou em descanso, como diz a Bíblia, ou aguardando toda esta evolução mental dos seres materializados. O pensamento foi formado para isso. O pensamento da velha serpente.

Assim o dono deste sétimo mundo passa a ser a velha SERPENTE! O mundo dos pensadores, sofredores e mortais. Definitivamente Deus ficou descansando neste sétimo mundo, o abuso foi e continua sendo demais, além de todos os limites.
Que história é essa de sétimo mundo, que história é essa de serpente criadora de bichos, que os cria para depois comer? Que estória é essa da criação do mundo em sete dias? Tudo isso tem fundamento Racional.
No texto das Obras Primas, Francisco de Assis, a partir de 1935, que é um pré-requisito para a elaboração do Universo em Desencanto a partir de 1970, é feita uma argumentação sobre a criação do mundo dizendo que o mundo não foi feito em seis dias; este nosso mundo foi formado em outros mundos e “trazido para cá num dia só”. Mais ou menos neste sentido. Foi formado em outros mundos querendo dizer que existem outros mundos antes de existir este nosso mundo. No histórico do Racional Superior é feito o seguinte esclarecimento a este respeito. Analisem com atenção.
(H-26 p54) Viviam completamente alheios ao antes de ser, e do início que deram para essa formação. Passaram pelas transformações que passaram. Primeiramente Racionais puros, limpos e perfeitos, que entraram pela parte da planície que não estava pronta para entrar em progresso. (1ª. eternidade?)
Em segundo lugar começaram a progredir por conta própria, foram perdendo as virtudes que se transformou em outra vida, por virtude ser vida. Vieram perdendo as virtudes, até se extinguirem de uma vez. (2ª. e 3ª. eternidades?)
Nessa extinção, houve a transformação de um corpo de vida para outro que é a origem desse que aí está. Aí já houve a terceira transformação. Dessa terceira transformação, começaram a nascer do chão como animais quadrúpedes, até que com o decorrer da evolução das transformações, começando a ficar em pé. Eram monstrinhos. Nessa classe de monstros foram se desenvolvendo, até terminar a classe de monstros. (4ª. 5ª. e 6ª. 7ª. 8ª. 9ª. 10ª. 11ª. 12ª. 13ª. 14ª. eternidades?)
Terminou a classe de monstros, entrou para a quarta transformação, a de selvagem. De monstros se transformaram em selvagens, a quarta transformação. (15ª. 16ª. 17ª. eternidades?)
De selvagens foram indo, se transformaram em selvagens bem adiantados. A quinta deformação. (18ª. eternidade.?)
Depois se transformaram num progresso já bem evoluídos e adiantados, a sexta transformação. (alfabeto astrológico) (19ª. eternidade?)
Depois desse progresso evoluídos e bem adiantados se transformaram para o início dessa civilização, daí a sétima transformação. Dessa sétima transformação, ficaram sem saída julgando que a vida fosse essa mesma. (vida da matéria – animal racional) (20ª. eternidade?).
Podemos entender que estas seis transformações ou seis ciclos de transformações são os mundos nos quais este nosso mundo foi formado e trazido para cá em um dia só, que é o sétimo dia, exatamente aquele em que Deus ficou descansando, segundo a Bíblia.
Outro argumento que me trouxe a este entendimento, o arrazoamento fica por sua conta, é quando o Racional Superior nos informa que os que não obedeceram à linha do alfabeto astrológico, desceram para a vida material. Ora, então a vida com o alfabeto astrológico não era uma vida de matéria, porque ninguém estava ligado na SERPENTE. Isto faz sentido com o paraíso bíblico.

Era o sexto mundo, como as transformações anteriores, os mundos anteriores onde foi formado o nosso mundo e que no “sétimo dia” foi trazido para cá!
Mas foi a minoria insignificante que veio para esta vida de sofrimento e de dor. Este é o único mundo do encanto! Nascendo, vivendo, sofrendo e morrendo, sem saber por que, exatamente como a Serpente encantadora quer e não como o Verdadeiro Deus quer. Como quem diz: quem mandou progredir por conta própria aonde não devia?

A vontade divina certamente não é esta que estamos vendo por aí, a vontade divina é que todos acordem; percebam que todo este progresso mental serviu apenas para nos fazer compreender que este sétimo mundo, ou mundo encantado, nem precisava existir, já que a maioria retornou no sexto mundo, ou sexta transformação. Por isso o sete é a conta do mentiroso.
Está aí a última chance da vida, agora na Fase Racional, desenvolva seu Raciocínio e se ligue diretamente ao Mundo Supremo para receber de lá todas as orientações para completarmos esta 21ª. eternidade que é o retorno de todos ao nosso verdadeiro Mundo de Origem.

Universo em Desencanto é o livro em que o Racional Superior esclarece porque Deus teve que ficar aguardando a vontade dos bichos se realizar, que se tornaram bichos seduzidos pela “serpente do paraíso”, porque a vontade é livre. Está na hora de cada qual entender isto e tomar a sua própria decisão. Quem conhece o encanto quebra o ovo da serpente e renasce para o seu verdadeiro mundo de origem, o Mundo Racional.

www.culturaracional.com.br
www.nalub7.wordpress.com
www.programaavozracional.com.br
www.origemverdadeira.blogspot.com
www.youtube.com/porfiriojneves
www.youtube.com/nalub7

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

UMA SUGESTÃO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL


(Prof. Porfírio Jesus das Neves)
Todos dizem e, parece, não há controvérsias, que todos estão de passagem neste mundo.
Tudo é provisório e passageiro. Este é um ponto comum em todas as correntes do pensamento humano. Todas as doutrinas filosóficas, científicas e religiosas apontam para um estado de transição da humanidade, tentando definir a vida da matéria. E todos dizem: tudo é passageiro.
As discordâncias, porque o pensamento humano foi feito mesmo para discordar, ficam nas questões que ninguém conhece. O que ninguém conhece é o ponto de partida, de onde viemos e o ponto de chegada, para onde vamos. Se não sabe de onde veio nem para onde vai, também não sabe como veio e como vai e nem porque veio e porque vai voltar.
Se tudo é passageiro, a lógica nos obriga conceber um ponto de partida e um ponto de chegada para esta passagem. Como o pensamento humano concebe, mas não conhece o ponto de partida nem o ponto de chegada, logo, cada um vai divergir nas especulações sobre estes pontos. E haja discordância! A razão que o pensamento é discordante está no fato do pensamento não conhecer nada.
A discórdia é um fator natural dos que ignoram, daqueles que não conhecem e ficam especulando, pensando que podem conhecer – essa é a lógica da discórdia, não tem base. Simples e claro: somente pensa quando não conhece; e quem pensa, pode acertar ou não, daí as divergências, a discórdia.
Alguns dirão: mas esse é um fator natural que não pode ser superado, sempre foi assim e assim sempre será!
Mais uma vez: quem pensa, pensa que sempre ficará pensando por não conhecer o Raciocínio. Esquece que tudo é passageiro, que todos estão de passagem?
Aí entra este outro verbo, o verbo do terceiro milênio, RACIOCINAR. O Raciocínio só aparece quando se conhece. Como é que você queria raciocinar sem conhecer?
Quando não conhece, pensa. Quando conhece, aí pode raciocinar. Então, vamos conhecer a nossa verdadeira origem, para poder raciocinar sobre Ela e sair desta passagem da vida material.
Compreendam que a fase do pensamento foi assim mesmo, serviu para aprimorar a forma de buscar as respostas, serviu apenas para lapidar. E a fase do Raciocínio somente pode ser estabelecida a partir do conhecer. Ninguém pode raciocinar sem conhecer. Primeiro precisa conhecer, para depois raciocinar. O Raciocínio não é especulativo, o Raciocínio é dedutivo com base na intuição conferida pelo ser superior, com base no conhecimento da eternidade.
E aí vem um pensamento, como é que os seres passageiros podem falar ou conhecer a eternidade? Simplesmente não podem! Mas, se o passageiro olhar o bilhete que tem em sua mão logo perceberá os pontos terminais de sua passagem. Está, literalmente, na mão do passageiro o bilhete desta passagem. Por isso, o Racional Superior fala para a humanidade, referindo-se ao livro Universo em Desencanto: -“quem tem um livro destes na mão, está salvo”!
Raciocinar é estabelecer as razões entre aquilo que se conhece, por isso é que somente agora, no terceiro milênio, o Curso denominado “Estudo do Raciocínio” que é a “dedução das razões e desenvolvimento”, podia estar sendo completado com o desenvolvimento do Raciocínio.
Este Curso do “Estudo do Raciocínio” somente pode ser completo na leitura de um livro onde esteja o conhecimento de todas as coisas. Jamais o “Estudo do Raciocínio” poderia ser completo se feito de forma especulativa em livros que conhecem ou revelam apenas uma parte do conhecimento.
A especulação é do pensamento, é de quem não conhece. Apenas se especula, que é daí que nasce a lapidação.
Mas, existe um Livro que contenha o conhecimento de todas as coisas? Existe! Mas, nenhuma mente humana teria a capacidade de fazer tal prodígio! Tudo o que a mente humana podia fazer era especular. E como é que se fez um Livro desses?
A resposta é simples e clara: é um Livro que contém o Conhecimento revelado, sem especulações, sem “achismos”, sem pesquisas. É o Livro Universo em Desencanto dos Extraterrenos, que prova e comprova, pelo que informa e dá a conhecer, que se trata da Verdade revelada por um ser superior à mente humana. Este ser superior é extraterreno. O Racional Superior é extraterreno. Deus verdadeiro é extraterreno, por definição. Extraterreno às idéias do terreno mental do passageiro.
Mas, quem pensa, não pode perceber que Deus é extraterreno. Acha que Deus é à semelhança dos bichos, ou como dizem: feitos à semelhança de deus, e por isso esse deus é um ser carente que precisa de glórias e de louvores: e tome reza! Isso é deus da matéria. É pura especulação! E por isso o deus da fé é o deus do falso condutor, é o deus do pensamento, é o deus de quem não se conhece. E por isso ficam especulando: “se deus quiser”, “graças a deus”, “tomara que deus não nos abandone”, e por aí vai! Fica tudo na incerteza.
O livro Universo em Desencanto é dos extraterrenos, habitantes do Mundo Racional. E o Mundo Racional é justamente o ponto de partida e o ponto de chegada com relação a esta passageira vida da matéria.
Se tudo é passageiro nesta vida da matéria, somente o ponto de partida e ponto de chegada poderia nos informar como, por que, quando, onde e para quê, tudo se tornou passageiro.
O pensamento é passageiro, por isso dá e passa. Num instante que está pensando isto, logo pensa aquilo. O Raciocínio é eterno porque é da origem, mas, o Raciocínio puro limpo e perfeito, porque devemos ainda considerar que tem o raciocínio dentro da matéria, que também é passageiro igual ao ser material.
Isso tudo é para ser estudado. Estas afirmações positivas buscam tão somente esclarecer e fortalecer aqueles que buscam se esclarecer. Os rudes e os atrasados não sentem nenhum significado nisto, porque os rudes e atrasados são materialistas.
Os materialistas são os comodistas, são aqueles que se acomodam com aquilo que pensam que sabem ou que têm, como quem diz: –“Ah! Eu já tenho tudo, não preciso de mais nada. Já tenho o maior conhecimento do mundo não preciso de mais nada, os outros que se virem”. Assim são os materialistas.
Desta forma, esperamos ter definido, com razoável sensibilidade, o meio ambiente infernal em que vive o ser humano, pensador, sofredor e mortal. Este é o contexto que justifica a necessidade de uma educação ambiental positiva com base no desenvolvimento do Raciocínio. Este é o ponto de partida para começarmos a analisar o que é passageiro, quem é esse tal passageiro e como é a estrada da vida em que todos estão viajando e assim criarmos uma verdadeira educação ambiental, onde todos passem a conhecer o porquê da necessidade de aprender.
Que todos precisam aprender cada vez mais, todos concordam - o saber não ocupa lugar. É assim que se fala quando queremos implementar e complementar o nosso conhecimento.
Uma verdadeira educação ambiental parte do conhecimento do passageiro, do veiculo e da estrada. A maior barreira para alcançarmos uma perfeita educação ambiental são os educadores. Isso mesmo! Os educadores são o maior entrave para uma perfeita educação ambiental pelo simples fato de os educadores não saberem o que é meio ambiente. Lamentavelmente, os educadores não conhecem o meio ambiente, por isso pensam e especulam e se desenvolvem e fazem pesquisas sem ter base e sem uma lógica definida. Os educadores também são passageiros, também pensam, ainda!
O melhor que podem e tentam fazer é criar normas ambientais, ou regras de comportamento, para uma razoável gestão ambiental. São as formas e maneiras de nos conduzirmos dentro do meio ambiente, que, mesmo para quem não conhece o meio ambiente, se tornam iminentes e necessárias em razão da degradação que se vê por aí.
A degradação do meio ambiente se tornou tão grave que passou a afetar sistematicamente a vida de todos e de tudo: das pessoas, dos bichos, das plantas, dos rios e oceanos, da atmosfera, enfim, do meio ambiente em que vivemos.
A atividade humana, baseada no pensamento, tornou-se extremamente agressiva ao meio ambiente. Compreenderam porque é necessário discutir estes assuntos à luz da consciência de que somos todos passageiros e de que o pensamento tem por base a ignorância e que o verdadeiro acerto só pode estar fundamentado no conhecimento extraterreno?
É justamente esta a observação: a atividade humana baseada no pensamento! O ser humano pensou que podia progredir desta forma que está progredindo e está sofrendo os resultados de um progresso indevido, de um progresso insustentável.
O ser humano se esqueceu da Natureza! O ser humano se desligou da Natureza por usar demais e crescer demais o Conhecimento Artificial. E aqui cabe mais este esclarecimento: o Conhecimento Artificial, ou Artifício, corresponde à Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal.
O Conhecimento Artificial, embora seja um conhecimento da Natureza, cujo objetivo primordial era desenvolver o pensamento humano, permitiu a expansão do pensamento, por o pensamento e a vontade serem livres e aí chegamos neste impasse catastrófico que se abate sobre o meio ambiente.
O Conhecimento Artificial é a “Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal” feito pela Natureza para lapidar todos aqueles que abandonaram a “Árvore do Conhecimento da Vida”.
O artifício é o conhecimento criado pela mente humana: filosofias, religiões e ciências. Tudo isso é artifício para lapidar.
As filosofias foram criadas para explicar a existência humana por quem não conhecia a vida, nem o mundo, nem a si mesmo e daí os enigmas, mas isso lapida!
As religiões foram criadas por quem não conhecia e nem quer conhecer Deus, por isso as religiões tem por princípio a fé e daí os mistérios e os milagres, mas isso lapida!
As ciências foram criadas para desmistificar as crendices com base na experimentação real, concreta e objetiva e daí ficaram os fenômenos naquilo que não se pode experimentar, mas isso lapida!
Então, a quem compete uma verdadeira educação ambiental? À Ciência? À Religião? Á Filosofia? Será que o conhecimento humano tem recursos para reinserir o ser humano no contexto real e positivo da Mãe Natureza? Pelo que se passa no mundo, estamos vendo que não!
Está na hora de aceitarmos uma “verdadeira mãozinha” dos nossos irmãos extraterrenos que já estão nos educando para vivermos em harmonia com o nosso verdadeiro meio ambiente.
É urgente e necessário nos fazermos compreender que o que a humanidade precisa é voltar para a “Árvore do Conhecimento da Vida” para fazer com que toda a humanidade se ligue à Natureza pelo seu natural e não continue tentando se ligar à Natureza pelo seu artifício.
Então está aqui, para quem quiser ver, o natural da Natureza - a Cultura Racional para realizar a verdadeira educação ambiental. A Cultura Racional é o natural da Natureza e está devidamente instruído no livro Universo em Desencanto, o livro dos extraterrenos, o livro que está salvando vidas do extermínio à terceira morte.
www.culturaracional.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.origemverdadeira.blogspot.com
www.youtube.com/porfiriojneves
www.youtube.com/nalub7

sábado, 12 de novembro de 2011

A INTELIGÊNCIA DAS CRIANÇAS DO TERCEIRO MILÊNIO EXIGE UMA CULTURA ADEQUADA AO SEU DESENVOLVIMENTO


(Prof. Porfirio J. Neves)
Uma criança iluminada por bons princípios, desenvolve o Raciocínio de origem, cresce saudável e se transforma em um adulto produtivo com base no respeito e na cooperação mútua.
1. COMPREENSÃO DA NATUREZA E DA VIDA. A vida é contínua e não se acaba com a morte, sendo a morte, portanto, um estado de transição da vida. É assim que a Natureza conduz a vida de tudo e de todos: nada termina de vez, tudo se transforma em corpos de vida em classes inferiores. Desta forma, devemos encarar uma criança como uma continuação de vidas anteriores, o pai e a mãe, portando em si informações das vidas anteriores. Podemos presumir que as crianças não são nada mais nada menos que “velhos transformados em novos” e, por isso, devemos tratá-las como crianças que tem um alcance de entendimento maior que as vidas anteriores que lhe deram a causa e a origem.

2. CONCEITOS FUNDAMENTAIS DA EXISTÊNCIA HUMANA. Os grandes princípios da vida estão baseados na fraternidade, na paz e no amor. Os conceitos criados pelo pensamento humano sobre individualismo, direito de propriedade, possessividade, exclusivismo, criam na criança falsas expectativas de vida fazendo esta criança buscar os prazeres da vida da forma mais inadequada e, consequentemente, nesta busca, advêm os desequilíbrios, as angústias e toda uma série de situações que dificilmente podem ser controladas pela sociedade humana que ainda se baseia nesses falsos princípios. Mudança de fase, mudança de valores. O encontro com a individualidade verdadeira – Deus!

3. O DESPERTAR DA CONSCIÊNCIA RACIONAL. O desenvolvimento do Raciocínio de origem faz a criança compreender as diferenças, aceitar com naturalidade o que lhe é destinado pela vida e, fundamentalmente, dota a criança de verdadeiras perspectivas para reconstruir valores equilibrados e bem mais adequados do que aqueles que ela encontra no mundo hodierno. As angústias da vida passam a não existir porque não se apresenta para a criança nem a fé nem a esperança e sim o positivismo e o real conceito da transformação da vida e a sua evolução. O desenvolvimento do raciocínio deve ser fundamentado no conhecimento da causa e da origem de tudo e não nos preconceitos filosóficos e científicos criados pela mente humana. O natural deve prevalecer sobre o artificial.

A CULTURA RACIONAL dá provas e comprovações de ser o CONHECIMENTO que se apresenta como sendo o natural da Natureza, complementando com base e com lógica o conhecimento artificial da Natureza: Filosofia, Ciência e Religião.

www.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br

A INDIVIDUALIDADE QUE ESTAVA PERDIDA E A INDIVIDUALIDADE VERDADEIRA


(Prof. Porfirio J. Neves)
O encontro com a individualidade verdadeira é o encontro com Deus, que agora lhe bota em mãos como podes conseguir voltar para o seu verdadeiro mundo, o Mundo Racional.
Perceberam uma aparente discordância gramatical neste trecho: “como podes conseguir voltar para o seu verdadeiro mundo”? Mas, como aparências não são verdades, a expressão acima está perfeita para dizer que todos voltam é para o mundo de Deus, o SEU verdadeiro mundo, e não para o mundo que cada um criou. Aí a frase seria dita: “como podes conseguir voltar para o teu verdadeiro mundo”. Seria uma concordância gramatical, nunca uma solução.
Nem sempre as aparentes discordâncias gramatical que frequentemente encontramos no livro Universo em Desencanto, significa dizer que o escritor pecou contra as regras. Pessoalmente, sempre que vejo algumas aparentes contradições gramaticais neste Livro, me sinto mais aguçado para procurar entender o real significado da comunicação do Racional Superior.
Sem mais comentários do tipo gramatical, o que me chamou mesmo a atenção na frase inicial é que o encontro com Deus é o encontro com a “individualidade verdadeira”, sabendo que há muitas referências na leitura do livro Universo em Desencanto, para uma individualidade que estava perdida.
As pessoas, que ainda não leram o Universo em Desencanto, podem ter uma grande certeza, este livro não é para gente boba, não; este livro não é para pessoas que acreditam em tudo que lhes dizem e por causa dessa crença perde a capacidade de buscar, por si só, o real entendimento da vida.
As pessoas que sabem da existência deste livro e ainda não se dedicaram à sua leitura, posso afirmar, sem qualquer demérito pessoal, não estão usando a inteligência que Deus lhes deu. São pessoas materialistas, mesmo crendo em Deus. São pessoas que estão pensando e renegando o direito que Deus deu a todos de raciocinar. O Raciocínio é a verdadeira inteligência que Deus deu a todos. Só faltava dar o Conhecimento Dele, a Cultura Dele, a Cultura Racional. Agora, na Fase Racional não falta mais nada, porque está aqui no mundo a Cultura Racional, do Racional Superior.
Deus é um Raciocínio Superior a todos os Raciocínios, o Racional Superior, conforme a lógica da vida nos confirma: se somos de origem Racional, somos de origem de Deus, então Deus é Racional; o Racional Superior. E a Cultura Racional é a cultura de Deus verdadeiro na Terra, para o desenvolvimento do raciocínio. Raciocínio é a ligação com Deus.
Aqueles que amam Deus, acima de todas as coisas, se ficam pensando, estão perdendo tempo; é que essas pessoas ainda não perceberam que o pensamento é da velha serpente, veja os detalhes da serpente na forma do nosso cérebro, que é o local da mente, sede da velha serpente; até parecem tripas do nosso intestino grosso. Ao que parece o pensamento é residual mesmo; o pensamento é do encanto e o raciocínio, esse sim, é do verdadeiro Deus, é do desencanto. Inteligência é uma questão de alcance. O raciocínio se encontra no mais fino sentimento do nosso verdadeiro “eu” e nunca em nossa mente, nunca no intelecto, embora um possa apoiar o outro.
E a grande confusão é que muitas pessoas, mas muitas pessoas mesmo, estudantes e simpatizantes da Cultura Racional não se lembram das frases pétreas como esta: “na fase do encanto, tudo é de baixo para cima e na fase do desencanto é de cima para baixo”.
Talvez, esta frase, ou este sentido, é que deveria vir em primeiro do que tudo, para podermos começar a entender o que quer dizer o livro Universo em Desencanto; para podermos perceber com mais clareza o que realmente o Racional Superior está nos advertindo e esclarecendo com a leitura deste livro.
A fase do encanto é debaixo para cima e a fase do desencanto é de cima para baixo. Desencantar é dar solução de tudo e a solução de tudo só podia vir de cima para baixo, porque o Racional Superior, o Mundo Racional é a base e a Natureza é a lógica.
A base está em cima. Essa é a lógica! Deus está em cima. O deus que está embaixo é a velha serpente, o Sr. Magnético, dono e mentor da matéria, dos enigmas e dos mistérios, dono do encanto. Logo, o desencanto é do Deus verdadeiro e o encanto é da Serpente.
Deus originou a Inteligência e o Conhecimento, Deus deu a todos o Raciocínio e a Cultura de seu desenvolvimento; entretanto, a decisão é sua, é minha. Inteligência, Conhecimento, mas a decisão não é de Deus.
Deus não pode decidir por você, nem por ninguém, quando se trata da escolha. Quando se trata de escolher, ou de optar por isto ou por aquilo, Deus não interfere e nem pode interferir, mas pode orientar. A liberdade de escolha é uma razão superior.
E tem muita gente achando que Deus vai nos dar o paraíso porque é bonzinho, e que basta ficar orando por sua glória! Esquecem que a decisão cabe a cada um de nós?
Se Deus estivesse no mundo para decidir o que é melhor para você, para mim e para todos, tenho a firme certeza que este mundo nem existiria, porque Deus jamais decidiria pelo caminho do sofrimento e da morte. Se existe este caminho do sofrimento e da morte, tenham certeza, é uma necessidade para corrigir a decisão de quem tomou este caminho
Isto nos confirma que o fundamento da verdadeira origem da humanidade, que encontramos no livro Universo em Desencanto, está na afirmação de que o mundo é conseqüência de seus próprios habitantes. Esta é mais uma frase pétrea: “o mundo é conseqüência de seus próprios habitantes”.
Portanto, a existência do mundo não foi uma decisão de um Deus, uma decisão do verdadeiro Deus. Foi uma decisão de quem está sofrendo as conseqüências, nós mesmos que aqui estamos. Deus decidiu sim, não nos abandonar; esta, certamente foi e é a decisão Dele.
Esta forma de ver o mundo muda por completo a atitude de cada um na hora de encarar o mundo. Cada um vai assumindo a sua real responsabilidade em suas decisões. Se decidir errado, as conseqüências são suas, se decidir certo as conseqüências são suas. Deus não decide por você na hora da escolha, por isso é que Deus deu a todos o direito de raciocinar.
Se você e eu recebemos, através da Cultura Racional, o Conhecimento do Desencanto, de cima para baixo e decidimos que agora tudo vai ser orientado de baixo para cima, então nós não aprendemos nada sobre o que quer dizer inteligência; não aprendemos nada a respeito do desencanto. De baixo para cima nada dá certo na busca do entendimento e na busca do desenvolvimento. Isto já ficou bem claro com a estória da “torre de Babel”, isto é bíblico.
Buscar o Divino Ser e querer se desenvolver debaixo para cima, pode ter certeza, é mais uma artimanha da dona do encanto ou do dono do encanto. Debaixo para cima, buscando Deus, acha apenas confusão e muita lapidação.
(H-028 p-07) O encontro com a individualidade verdadeira é o encontro com Deus, que agora lhe bota em mãos como podes conseguir voltar para o SEU verdadeiro mundo, o Mundo Racional.
O verdadeiro Deus do Animal Racional é a única individualidade que não degenerou nem se deformou neste mundo. Todas as demais individualidades, que entraram numa parte que não estava pronta para entrar em progresso, se perderam, ou melhor, se transformaram, pela transformação da Planície, nesta infinidade de raciocínios; a Planície é aquele pedaço do Mundo Racional que foi transformado pelo Raciocínio Supremo formado por uns tantos Habitantes do Mundo Racional. Um Raciocínio Supremo formado por uns tantos habitantes.
Tudo tem uma causa e uma origem! O Raciocínio tem uma CAUSA que é o Raciocínio Supremo formado por uns tantos Habitantes que entraram progredindo por conta própria e, conseqüentemente perderam sua individualidade de pureza, limpeza e perfeição. E o Raciocínio tem uma ORIGEM, que é o Raciocínio Supremo que originou, o Racional Superior, o único que manteve uma individualidade verdadeira, dando o sentido da origem a tudo que entrou em transformação. Por isso é que tudo é de origem Racional.
Então, qual foi o Deus que transformou o mundo e que é visto normalmente como Criador e qual é o verdadeiro Deus que deu origem Racional para essa criação, e que ninguém conhecia? E qual é o Deus que veio salvar toda a humanidade? Eis a suprema Trindade: Criador, Redentor e Salvador! No livro Universo em Desencanto você encontra a resposta, quando ELE pergunta:
(H-169 p-140) “E quem é o dono do segundo mundo? Um Raciocínio Supremo que se transformou, pela transformação da Planície, nessa infinidade de Raciocínios. (eis o Criador)
E quem é o Deus verdadeiro dos Racionais? O Racional Superior. Um Raciocínio Supremo, por estar acima de todos e de tudo – o Raciocínio Supremo é que originou (eis o Redentor).
E quem é o Salvador da Humanidade? Veja a Nota do Responsável no livro Universo em Desencanto e compreenda que houve várias formas da manifestação do Raciocínio Supremo Criador para depois apresentar ao Mundo o verdadeiro Salvador da Humanidade. Várias formas de manifestação do Raciocínio Supremo Criador (os filhos de Deus), até chegar a manifestação do Raciocínio Supremo Redentor (o filho do Homem), no Terceiro Milênio, conforme nos foi anunciado pelas Antigas Escrituras.
Mas, a verdadeira salvação, somente ligados pelo desenvolvimento do raciocínio à Verdadeira Individualidade que veio acompanhando tudo e todos para dar origem ao ser Racional na matéria.
Agora, vamos ver se já podemos entender este trecho esclarecedor ditado pelo Racional Superior.
“A causa do Animal Racional é o Sol. E o Corpo de Energia é o feito da causa, a formação da causa do micróbio ser de origem Racional, que assim acompanhou a deformação para dar ao micróbio a formação Racional, da origem de ser Racional. A Energia Racional que, no a pessoa se ligar ao Mundo Racional, fica ligado à Energia do Mundo Racional e esta Energia liga-se ao Corpo de Energia Racional que é a causa do micróbio, e volta, por estar ligado, à sua Origem, o Mundo Racional. A mãe é a causa e o pai o causador do feito que é o filho. O pai é o Corpo de Energia, o feito é o micróbio para dar formação ao filho. O Corpo de Energia Racional não é nada menos que o representante do Pai Eterno que é o Racional Superior. Então, o corpo de Energia Racional é o Pai do Animal Racional”.
Aí está a Verdadeira Individualidade, que ninguém conhecia, o verdadeiro Deus, originando esta infinidade de individualidades representativas que são os Corpos de Energia que davam causa e origem ao Animal Racional. Leia e estude o livro Universo em Desencanto e acabe com todos os mistérios da vida.
OBS.: H = Livros U. em D. do Histórico.
www.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br

sábado, 5 de novembro de 2011

O VIVENCIAR TUDO É


Fazemos parte da natureza. E ela, isso poucos sabem, é composta de 7 partes: sol, lua, estrelas, água terra, animais e vegetais. E essas 7 partes estão organizadas em 3 dimensões: a material, a cósmica e a extracósmica. Uma Natureza, 3 dimensões.
A dimensão material, composta das 7 partes, mecânica material, como aparelhos de comunicação com as dimensões invisíveis cósmicas e extracósmicas.
A dimensão cósmica, composta das 7 partes, mecânica celeste, como instrumentos de preparação e lapidação da dimensão material para sua evolução para uma dimensão maior, onde o entendimento e compreensão da vida seja único, estabelecendo-se a CONCÓRDIA UNIVERSAL.
A dimensão extracósmica, composta das 7 partes unidas num só entendimento e compreensão da vida, como orientadora das ações necessárias à ligação de tudo e de todos ao seu verdadeiro estado natural, à origem de tudo e de todos, o MUNDO RACIONAL, a eternidade.
RACIONAL, pureza, limpeza e perfeição.
Pureza: consciência absoluta da vida verdadeira, a vida eterna, a fonte básica de tudo e de todos.
Limpeza: a indiferença a tudo que diverge da fonte básica – vida eterna.
Perfeição: o colocar em prática a pureza e a limpeza.
Esse é o verdadeiro VIVENCIAR: colocar em prática a pureza, a limpeza e a perfeição, o RACIONAL. Teoria sem prática, nada é!
Isso posto, VIVENCIAR tudo é. Por ser o VIVENCIAR PLENO, RACIONAL.
A natureza vem incansavelmente trabalhando para alcançarmos o VIVENCIAR PLENO, o EQUILÍBRIO RACIONAL.
Na primeira grande fase da vida universal, o 1º milênio, nada tendo a ver com contagem de anos, a Natureza preparou a humanidade para o conhecimento da 1ª dimensão, a dimensão material, dando à humanidade, através da máquina da imaginação, o conhecimento do mundo material. Aí houve o desenvolvimento da imaginação.
Na segunda grande fase da vida universal, o 2º milênio, também nada tendo a ver com contagem de anos, a Natureza preparou a humanidade para o conhecimento da 2ª dimensão, a dimensão cósmica (onde se encontra o campo espiritual), dando à humanidade, através da máquina do pensamento, o conhecimento do mundo cósmico. Aí houve o desenvolvimento do pensamento.
Tudo isso tendo sido viável através do processo de transformações constantes da Natureza, transformando-se e, conseqüentemente, transformando todos os seres componentes dessa Natureza, estando, logicamente, incluída a espécie humana, por tudo e todos serem gerados, criados, mantidos e governados pela Natureza Mãe.
Na primeira grande fase da vida universal, o 1º milênio, governado pela energia da imaginação, a energia magnética, o ser humano se consagrou como bicho Racional, um Racional latente, mas, vivendo como um outro bicho qualquer, por estar ligado unicamente à matéria, não tendo o conhecimento para sua libertação do campo material.
Na segunda grande frase da vida universal, o 2º milênio, governado pela energia do pensamento, a energia elétrica, o ser humano evoluiu, deixando de ser bicho Racional para passar para a classe de animal Racional, animado e governado pelo mundo espiritual, elétrico e magnético, desenvolvendo, mais ou menos, o sentimento de humanidade e a percepção da existência de um mundo superior. Não tendo ainda o conhecimento completo para sua libertação definitiva do campo material.
E agora, a última e definitiva mudança da Natureza que, transformando-se positivamente, alcançou a terceira grande fase da vida universal, o 3º milênio, governado pela energia do raciocínio, a ENERGIA RACIONAL, onde o ser humano está evoluindo, deixando de ser animal Racional para passar para a classe de Aparelho Racional, orientado pela dimensão extracósmica do universo, ligando-se à ela, através do desenvolvimento do seu verdadeiro ser, o SER RACIONAL, desligando-se, em vida, definitivamente da matéria e passando a ser governado pela ENERGIA RACIONAL, a energia do seu verdadeiro mundo de origem, o MUNDO RACIONAL. É quando o ser humano passa a raciocinar, passa a entender e compreender o que é raciocínio.
Estamos vivendo a fase primária desta nova e derradeira fase da Natureza, a FASE RACIONAL, onde todos os ensinamentos POSITIVOS ministrados pela Natureza na fase do pensamento, na fase do 2º milênio, através da ciência, filosofias e religiões, carecem de prática na rotina de nossas vidas, para que possam evoluir em benefício da comunidade universal e, não, em benefício unicamente individual.
Como colocar em prática, vivenciar, essa exigência vital da nova fase de nossas vidas, a Fase do 3º Milênio?
Estudando a evolução de todos os ensinamentos POSITIVOS já conhecidos e os ensinamentos que desconhecíamos, na escrituração Racional, Universo em Desencanto.
Depois que toda a humanidade tiver conhecimento dessa escrituração Racional, depois que todos estiverem de posse deste conhecimento Racional, aí, sim, passaremos para a fase secundária do 3º Milênio, onde seremos (povos e governantes) orientados pelos habitantes que compõem a dimensão extracósmica, sobre as providências a serem tomadas para reconstrução de um mundo equilibrado RACIONALMENTE.
Aí, alcançaremos a fase superior e derradeira do 3º Milênio, onde a CONCÓRDIA UNIVERSAL se estabelecerá, ligando toda a humanidade, em vida, à fonte SUPREMA de tudo e de todos, o MUNDO RACIONAL.
Nessa fase, a compreensão e o entendimento entre os povos será ÚNICO, não haverá mais lutas, guerras, doenças, problemas sociais, morais, financeiros, porque seremos diferentes somente na aparência, porém, idênticos no pensar e imaginar, porque o pensamento e a imaginação serão RACIONAIS, conduzidos e guiados pela LUZ DO RACIOCÍNIO SUPERIOR, o RACIONAL SUPERIOR, que nesta fase do 3º Milênio está comandando o Mundo Espiritual, que já se integrou à Fase Racional.
E é por isso que estamos assistindo a esse grande desequilíbrio e liquidação moral, física e financeira no mundo inteiro, porque entram em liquidação todos que desconhecem ou não aceitam a Fase do 3º Milênio, por falta de informação ou teimosia, nem vendo que tudo na natureza se transforma, nada se cria, nada se perde, porque a natureza é mesmo de transformações. Todos fora da fase estão sem proteção alguma e sem garantia e os acontecimentos no mundo têm provado e comprovado isso.
Portanto, VIVENCIAR, na Fase Racional, é estar em dia com a Natureza, colocando EM PRÁTICA, os ensinamentos da época vigente, que determina a aplicação em nossas vidas de todos os ensinamentos POSITIVOS do passado, que são comuns em todas as instituições, somados aos novos ensinamentos da escrituração Racional, que eram desconhecidos da humanidade.
E, assim, tudo que divide, está condenado. E tudo que une, está abençoado pela Natureza Mãe.
Todos os problemas do mundo estão na dependência dessa compreensão e colocação imediata dessa compreensão no dia a dia dos indivíduos, das famílias, das organizações políticas, sociais e culturais.
Fora disso, tudo será, inevitavelmente, em vão, será a luta do nada pelo nada, que acaba em nada, porque a matéria nada é, é apenas um simbolismo, onde se manisfestam as forças da LUZ VERDADEIRA ou a luz das trevas, tudo dependendo do livre-arbítrio de cada qual.
E, por isso, ninguém é culpado do sofrimento de ninguém. Cada qual que procure se ligar às forças extracósmicas, as Forças Racionais, para ter com quem contar e onde se agarrar, deixando de ser um bicho das trevas, uma ferramenta das trevas, para ser um legítimo porta-voz das FORÇAS SUPERIORES, as FORÇAS RACIONAIS, que aqui na Terra estão, faz tempo, anunciando a chegada da Fase Racional, com suas materializações em forma de luz de diversas cores e matizes, inclusive como discos voadores. Mas, não são objetos metálicos, são corpos de energia de massa cósmica pura, limpa e perfeita, que simplesmente tomam diversas formas para chamar nossa atenção, para vivenciarmos a fase em vigor, a Fase Racional, do desenvolvimento do raciocínio, porque a fase de animal Racional, a fase do pensamento, já terminou há muito, desde 1935.
www.culturaracional.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.encontroracional.com.br
www.youtube.com/nalub7