Follow by Email

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A ÁRVORE QUE NÃO DAVA SOMBRA


(Prof. Porfirio J. Neves)
Um dia destes encontrava-me embaixo de uma árvore frondosa e percebi que não havia sombra. Ora, normalmente, as árvores produzem sombra! E, quando os dias são muito quentes, a sombra de uma árvore é muito agradável e benéfica para nossa saúde.
Mas, aquela árvore não estava dando sombra!
Assim falando, até parece que estou relatando uma coisa misteriosa. Não, não é nada disso! É que nesse dia não fazia sol. Simplesmente, não fazia sol. O céu estava totalmente encoberto pelas nuvens. E, quando o sol não aparece, toda e qualquer árvore não produz sombra. Aliás, nenhum corpo produz sombra nos dias em que o céu está encoberto, porque tudo já fica na sombra das nuvens.
Como todos percebem, a sombra de um corpo visível e opaco só acontece se houver uma fonte luminosa sobre este corpo. Muito simples, porém, altamente esclarecedor.
É sempre assim! As coisas mais simples do mundo, normalmente, são as mais reveladoras. E às vezes as pessoas nem percebem.
Portanto, a sombra é o efeito do corpo visível!
Como se forma o feito chamado sombra? Dá-se através de uma causa e de uma origem: a causa da sombra é o corpo visível e a origem da sombra é o sol. Isto confirma uma verdade lógica Racional: tudo tem uma causa e uma origem. A sombra de uma árvore é uma dessas coisas: tem uma causa que é a árvore e tem uma origem que é o sol. Agora, se considerarmos a sombra como sendo um efeito, então a causa desse efeito é a conjunção da árvore com o sol. A árvore e o sol fazem o efeito da sombra.
E foi o que eu vi naquele dia. Uma árvore que não dava sombra porque o sol estava encoberto pelas nuvens. A sombra produzida pelas nuvens era tão grande que a gente não percebia que tudo já estava na sombra. Eis o problema: depois que se acostuma fica difícil de enxergar o que não se vê. Assim acontece na nossa vida. Tudo e todos estão à sombra do “Criador”, pelos costumes, pelas tradições pela falta de vontade de descobrir o óbvio. E somente quando conhecermos o “Criador” é que nós compreenderemos a nossa verdadeira Origem.
E quem é o “Criador” do mundo? Podemos dizer que o “Criador” é aquele que transforma os feitos, que transforma as coisas: numa linguagem de alegorias, dizemos que das trevas faz a luz, do barro dá a vida ao homem, da costela do homem dá vida à mulher e assim tudo veio sendo criado. Mas observem bem, tudo que se diz criado é na verdade uma grande transformação. Sempre existe alguma coisa antes para se fazer uma nova coisa. Este é o real sentido da criação. Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. E nem Deus, nem ninguém poderia mudar esta lei.
Tudo que existe sempre tem algo anterior que lhe deu causa, por não haver efeito sem causa. Assim como a sombra de uma árvore; sempre tem algo antes da sombra. E assim, tudo e todos são criadores de alguma coisa.
Vejam como a árvore é um criador de sombras, assim também são as nuvens, um criador de sombras muito maiores e se estivéssemos com a lua na frente do sol teríamos um eclipse, uma sombra ainda maior que a sombra das nuvens. Tudo que existe sempre tem algo anterior. Esta é a lógica da criação.
Mas isso não é tudo! O Mundo não se resume em conhecer o Criador ou os criadores apenas.
O Animal Racional é um ser criado para poder compreender a si mesmo e compreender tudo e todos. E poderíamos aqui ficar detalhando todas as peripécias feitas e criadas pelo Animal Racional.
Prefiro ir direto ao assunto: o Animal Racional é que nem uma árvore que não dava sombra. E vocês sabem muito bem que uma árvore não dá sombra quando ela própria está sob o efeito de uma sombra maior, ou seja, quando a luz não chega diretamente até ela.
Assim era o Animal Racional que sempre viveu à sombra de um Criador de todas as coisas, no obscurantismo de suas idéias mal formadas porque não percebia que havia uma Luz que lhe era destinada através do “Criador”, mas que lhe chegava sempre como se fosse uma sombra.
O Animal Racional é como se fosse uma árvore que nunca viu a luz do sol, sempre viveu à sombra de um criador de sombras maior que ele. O ser humano sempre viveu à sombra dos seus deuses: deuses criados por si mesmo, sem perceber que ele, ser humano, também faz parte de toda a criação como um agente criador, ou melhor, um grande agente transformador.
Isso está bem claro pelo que vemos hoje acontecer no mundo. O ser humano na classe de Animal Racional criando todas estas maravilhas e todas estas adversidades contra si mesmo. Um grande criador; tem até os criadores de casos. Isso é o que não falta no mundo.
Por que criava contra si mesmo? Porque não percebia que estava à sombra de um criador maior que lhe antecedeu e teimava em ser duas coisas que não percebia muito bem do que se tratava. Eram os tais enigmas da vida. É como se quisesse colocar a sombra das nuvens como fonte de luz, colocar uma sombra como se fosse uma luz - pura filosofia.
É como se o ser humano quisesse ser causa e origem do que criava – que enorme pretensão! Está aí a lei de direitos autorais que confirma o que digo. Quem é o dono ou a dona da intuição que ele recebe? Ele mesmo? Claro que não! É por isso que digo que o ser humano sempre quis ser causa e origem do que criava.
E assim o ser humano viveu por milênios à sombra de um Criador, sem perceber que ele, ser humano, sempre fez parte de tudo isso: um verdadeiro criador que não se conhecia, mas queria sempre criar e sempre atribuindo a criação a um desconhecido.
E o que é que foi criado ao longo de todo esse tempo? Uma grande confusão! Os confusos criaram toda esta confusão que aí está por viverem sempre à sombra do Criador, mas sempre querendo ser eles mesmos um criador, como quem diz: nasceu de mim mesmo, e nem sabia por quê!
Como sabemos, tudo isso foi preciso, útil e necessário para o aperfeiçoamento de todos e assim chegarmos a real compreensão de que o ser humano somente poderá produzir ou criar sua própria sombra, ou seja, ser dono de suas próprias idéias, quando ele, ser humano, estiver sendo iluminado diretamente pela Luz de sua Origem.
Assim como a árvore que não dava sombra, o ser humano também não dava sombra. Querendo dizer com isto que o ser humano nunca criou nada que não lhe tivessem dado já criado em coisas anteriores; e, ao mesmo tempo, dizer que é possível o ser humano voltar a criar por si só quando ele estiver diretamente iluminado pela Luz Verdadeira de sua Origem.
Aí o Animal Racional vai criar sua própria sombra, quando aprender a vincular a causa e a origem: a Causa é o “Criador de todas as coisas” e a Origem é a Verdadeira Luz! Basta ser iluminado pela sua verdadeira luz. E qual é a verdadeira Luz do Animal Racional?
No livro Universo em Desencanto está a resposta: “A luz verdadeira do Animal Racional é a Luz do Mundo de sua Origem, a Luz Racional do Mundo Racional”.
Ao ler este livro, cada um passa a ser iluminado diretamente pela Luz Racional, simbolizando aí o encontro com Deus, o encontro com a Verdadeira Origem, sem negar a origem feita pelo Criador, ou, melhor dizendo, sem negar a origem feita por todos os criadores sucessivos de todas as coisas.
A causa e a origem que todos precisam conhecer e se deixar iluminar naturalmente pela Luz da Divina Providência: a Luz Racional.
“A sombra é o efeito do corpo visível. O corpo é a sombra do fluido. O fluido é a sombra e o efeito dos seres orgânicos. Os seres orgânicos são a sombra do antes do ser. O antes do ser é a sombra daquilo que eram. A sombra daquilo que eram é a sombra daquilo que foram. A sombra daquilo que foram é a sombra de onde saíram. E a sombra de onde saíram é dos corpos puros e limpos, sem defeitos”.
É desta forma que o Racional Superior nos resume todo o sistema Criador de tudo e de todas as coisas que existem neste mundo, que é um conjunto fluídico elétrico e magnético. Uns dando causa a outros que dão causa a outros e assim sucessivamente.
“Então pergunta o vivente: -“E quem dá este conhecimento? E EU respondo: É o RACIONAL SUPERIOR. E o vivente insiste: "-E quem é esse RACIONAL SUPERIOR?" EU esclareço: O RACIONAL SUPERIOR é de um mundo muito superior ao vosso. Não é espírito. É um vivente como os daí da Terra, diferente apenas, porque não é terreno”.
Eis a verdadeira individualidade Racional já revelada no primeiro volume do Universo em Desencanto.
Este esclarecimento é que nos mostra qual é a verdadeira Luz da Divina Providência.
Conheça a Cultura Racional e desenvolva o Raciocínio, para receber diretamente a iluminação do Racional Superior, que assim todas as árvores do Jardim darão suas próprias flores e seus próprios frutos e suas próprias sombras. Seja você mesmo, se ligue nesta LUZ!
www.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br

ACABOU A FASE DA TORRE DE BABEL, ACABOU A FASE DO ENCANTAMENTO


(Prof. Porfirio J. Neves)
A maior virtude do ser humano, se assim podemos nos referir a este ser desconhecido de si mesmo, é a busca incessante de seu verdadeiro ser. Essa é a grande virtude, buscar se conhecer.
A concepção de que estarmos dentro de um mundo encantado, por si só, já aponta para o grande mistério da vida e da origem da vida. Ora, se estamos encantados, não temos nenhuma referência da verdadeira solução do que somos verdadeiramente. E por isso temos que continuar buscando.
É o mesmo que dizer sobre as velhas estórias da carochinha: se o príncipe ficou encantado na forma de um sapo, será que o sapo teria a consciência de que era um príncipe? Ou será que o sapo não tinha nenhuma consciência a seu respeito?
E a humanidade? Se a humanidade está encantada, terá ela condições por si só desencantar-se?
Bem, se alguém aí do outro lado está se sentindo um sapo e acha que merecia ser um príncipe encantado, certamente vai ter que esperar por uma princesa para beijar a boca do sapo, para ver se desencanta.
Mas, como poderia o sapo saber que estava encantado, se não tivesse quem o desencantasse?
De forma semelhante, como pode a humanidade saber que está encantada se não houver um poder supremo para desencantar?
Sim, Deus existe! Ou pelo menos foi este o conceito usado pela humanidade encantada para se referir a UM PODER SUPREMO e buscar entender a si própria.
Porém, toda a construção e desenvolvimento que a humanidade tem buscado empreender em busca do absoluto tem se baseado em seus próprios recursos mentais e intelectuais. Eis a Torre de Babel.
Isto corresponde à estória do sapo, ou príncipe encantado, na estória da carochinha. O sapo não tinha condições de por si só quebrar o encanto; ele não tinha como dizer para a princesa dar-lhe um beijo para quebrar o feitiço. Isso não dependia do sapo ou, como sabemos, era um príncipe encantado.
No caso da Humanidade, também não depende da humanidade quebrar o grande feitiço que se abateu sobre todos para todos ficarem encantados. A humanidade está ou estava na mesma condição de sapo, que era o príncipe encantado. Digo estava, porque hoje a história é outra; hoje é a Fase do Terceiro Milênio. O mundo, certamente mudou.
O Feitiço que se abateu sobre toda a humanidade só poderá ou poderia ser compreendido por esta humanidade, quando de fato a humanidade puder comprovar que o sapo pode virar príncipe. Aí todos terão as provas e comprovações da verdadeira realidade.
As intuições através da história da humanidade vêm de encontro com esta condição de encantados, embora a vaidade humana não quisesse assumir formalmente a sua condição de sapo.
O encanto a que me refiro que domina a humanidade é exatamente o fato de que todos vivem muito mais ligados nas coisas da matéria e em tudo que é passageiro, pois já percebemos que tudo é passageiro nesta vida, do que na busca do desencanto ou na busca da verdadeira solução.
A busca do desencantamento pode também ser sentida como sendo o grande objetivo dos grandes pensadores evoluídos que, percebendo que não somos deste mundo se questionaram: então de onde somos? Se não somos deste mundo, então somos de onde?
Mas, o pensamento dos grandes pensadores não respondeu. É que o pensamento é justamente a força que resume em si o conceito de encanto. O pensamento é o ator principal do encanto humano.
É isso que precisamos usar como conceito primordial na busca do desencanto: o pensamento é a ação de encantamento; no pensamento está a força que encanta que nos faz pensar só no que conhecemos que nos faz pensar só no que o pensamento tinha capacidade de entender, ou seja, o mundo material, pois, o pensamento é um subproduto deste mundo material.
O pensamento é feito da matéria. Logo, o pensamento só pode pensar na matéria ou, no máximo, se basear na matéria para tentar encontrar algo fora dela. O pensamento tem dessas coisas, porque o pensamento é livre. Ao mesmo tempo em que está preso estruturalmente à matéria, por ser livre, pode tentar buscar novas formas de entendimento. Essa é a única virtude do pensamento, se assim podemos nos referir.
Buscar novas formas de entendimento.
E isso já está bem compreendido pela humanidade na condição de pensador, sofredor e mortal. Todos admitem algo fora da matéria; todos admitem a vida fora da matéria. Está aí a concepção que nos foi desenvolvida pelo Mundo Espiritual. Mas há quem ainda duvide disso.
Desta forma, para não nos alongarmos em maiores argumentos e para não gerar mais devaneios, a humanidade, após evoluir e alcançar todo este progresso tecnológico material e sendo acompanhada até certo ponto pela assistência do Mundo Espiritual, agora a humanidade está se confrontando com a sua própria realidade existencial, pois não está achando por si só a forma certa de dar o próximo passo, em direção ao que todos já tinham estabelecido como meta final.
Mas era a meta final dos pensadores que resumiam isso na palavra Deus. Todos queriam alcançar Deus e esqueceram do episódio da Torre de Babel – uma paródia que não deu certo.
A Torre de Babel representa exatamente isso – a pretensão do ser humano pensador tentar alcançar o Mundo Divino subindo na mais alta Torre. Segundo a Bíblia, isso deu uma grande confusão, dizem até que daí se originaram os diferentes idiomas. Mas isso é estória. O significado melhor da Torre de Babel é a pretensão do Homem alcançar Deus subindo na Torre mais alta, que ele, homem, pudesse construir.
Ficou a Torre de Babel como símbolo da imprudência humana. Mas, por o pensamento ser livre, não parou por aí. Hoje têm muita gente investigando a possibilidade de construir naves espaciais para alcançar as partes mais longínquas do Universo, outras galáxias e coisas assim.
O que me entristece nesta história da ficção científica é que eles querem fazer isso gastando os nossos recursos da saúde e da educação. Eles gastam muito para construir foguetes e bombas e grandes pesquisas, sem nenhum resultado objetivo. Estão cometendo o mesmo equívoco da Torre de Babel.
Certamente, a humanidade já deveria ter compreendido, e muitos já estão compreendendo, que para alcançarmos um reino superior ao mundo da matéria necessitamos sim, e com muita urgência, do apoio e da orientação que vem da força Suprema, e não das nossas doutrinas e não da nossa Ciência.
Precisamos muito, e cada vez mais, da verdadeira orientação. Afinal, Deus existe! E não é só para acreditar, é para se ligar a ELE.
Mas, na nossa concepção formada pelo pensamento de seres encantados e preparados pelo Mundo Espiritual, que afinal, também fazem parte deste encanto global, tentamos buscar Deus com os mais elevados pensamentos e não encontramos nada.
A realidade é que Deus não nos deu pensamento, como muitos pensavam. Deus não se comunica através do pensamento, nem dos mais elevados pensamentos. A prova disto está no fato de nunca ninguém ter encontrado a Força Divina Suprema pelo pensamento. Deus, o verdadeiro, nos conferiu a capacidade de Raciocinar, porque Deus é um Racional Superior. Somos de origem Racional, portanto Deus é um Raciocínio Supremo.
Aí os encantados fizeram a maior confusão. Pensaram que o Raciocínio de Deus era um pensamento elevado. Confusão e mais confusão dominando as mentes humanas. E por que o pensamento domina a Mente Humana?
Porque o pensamento é um produto derivado da Velha Serpente. Aquela mesma, a dona do feitiço que enfeitiçou esta humanidade materialista. Aquela bela senhora do Paraíso Bíblico que mostrou as delícias da matéria para um “infeliz casal” que se deixou seduzir por uma maçã.
Eta “estorinha” triste! Acredita quem quiser! Entretanto, percebam que há um fundamento muito forte e que pode justificar ou tentar explicar, convencendo os materialistas, que a humanidade ficou toda encantada que nem um sapo. A serpente pode ter encantado todos. Como saber?
Sim! Nesta comparação, a humanidade tinha e tem uma verdadeira origem da realeza Racional, dos puros limpos e perfeitos. Afinal o Paraíso é uma tradução de um mundo onde não há sofrimento porque não há encantos nem feitiços.
Se toda a humanidade ficou enfeitiçada, porque quis, diga-se de passagem, pela velha serpente, então a humanidade, depois desse evento bíblico passou a viver dentro do mundo do encanto, e Deus, neste sétimo mundo, ou sétima transformação, ou “sétimo dia”, como queiram, Deus ficou aguardando que a Serpente, a dona do pensamento entregasse toda humanidade bem lapidada e bem evoluída pelo pensamento discordante, para então encontrarmos a nossa verdadeira redenção ou encontrarmos em nós mesmos a nossa identidade da nobreza ou realeza Racional.
Está aqui no Universo em Desencanto, na Cultura Racional toda a revelação do poder supremo para que toda a humanidade encontre o que deve ser encontrado.
E nesta rápida explanação alguns argumentos que o Racional Superior nos apresenta no Livro Universo em Desencanto, para ver se a humanidade continua com sua busca, iniciada pelo pensamento no encontro à nossa verdadeira realidade de existir, nós e a Natureza que nos fez.
(H-004 p-036) “A vida é de valor supremo a tudo que existe, porque a vida do Animal de Origem Racional tem a identidade do Mundo Racional. E por ter essa identidade, volta ao verdadeiro Mundo de Origem, o Mundo Racional”.
“A forma de vida criada, por desconhecimento da VIDA, é a causa de julgarem e pensarem que a vida fosse essa mesma, por não conhecer a vida verdadeira de Racional puro, limpo e perfeito. E por desconhecer a Origem, que foi a causa de assim serem, por isso ficaram nesse estado de inconsciência e à procura da INDIVIDUALIDADE PERFEITA, por sentirem a justificação da causa, por não haver efeito sem causa. Então, pensando e dizendo que a individualidade perdida estava na origem, que deu causa de todos assim serem, por não haver efeito sem causa”.
Assim dito e refletindo sobre a estória da serpente no Paraíso, bem que dá certo sentido, justificando porque o ser humano ficou encantado, vivendo no mundo do encanto que é esta “sétima transformação, da velha serpente”. Mas, quem criou tudo isso? Eis a revelação.
(H-027 p-091) Estamos agora ligados ao Supremo Deus verdadeiro, o Racional Superior. Um Raciocino Supremo, um raciocínio superior a todos os raciocínios, o Supremo Deus verdadeiro (REDENTOR); não o criador dessa deformação. Criador dessa deformação são os habitantes que aí estão sofrendo, as conseqüências do que criaram para si mesmo.
(H-169 p-140) “E quem é o dono do segundo mundo? Um Raciocínio Supremo que se transformou, pela transformação da Planície, nessa infinidade de Raciocínios. (esse é o Criador)
E quem é o Deus verdadeiro dos Racionais?
O Racional Superior. Um Raciocínio supremo, por estar acima de todos e de tudo – o Raciocínio Supremo é que originou (esse é o Redentor). É a origem verdadeira de todos os Raciocínios. E hoje, todos que passaram a se conhecer, sabem que todos os raciocínios são de origem do Mundo Racional. O Mundo Racional é o causador de todas as máquinas do raciocínio. E, por isso: Raciocínio – Racional; Racional – Raciocínio”.
Esta é a fórmula do desencantamento. Leia o livro Universo em Desencanto e venha se preparar como todos nós para o desencanto universal, a verdadeira solução da vida.

Obs.: H = Livros U. em D. do Histórico
www.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br

terça-feira, 13 de setembro de 2011

A CONVIVÊNCIA COM O TERROR



(Fernando Luchetti Simão)

Filipinas, Haiti, Coréia, Japão (Hiroshima e Nagasaki), Vietnã, Granada, Líbia, Panamá, Somália, Iraque, Afeganistão entre outros. O que estes Países têm em comum?

Foram alvos dos EUA (sem mencionar as guerras mundiais), com milhões de vitimas inocentes entre mortos e feridos, inúmeros prédios e monumentos históricos destruídos, economias arrasadas e tudo isso sem que os americanos sentissem as perdas e as dores alheias, tudo em nome da “paz” utilizando o “mal necessário”.

Hoje (11/09/2011) prestam uma homenagem aos quase 3.000 mortos dos ataques terroristas há 10 anos, quando as torres do WTC desabaram, sentindo pela “primeira vez” a perda e a dor de um país “guerreiro”.

Este é um marco para a mudança de rumo mundial, alguns melhores e outros piores (o mal necessário).

A “resposta” ao terror foram as guerras geradoras de enormes gastos que aprofundaram os países em crise financeira (globalização), quando “todos” tem que pagar esta conta.

Com o discurso “em nome da paz” fez-se presente a “lei do mais forte” ou a “lei do bicho” e com isso os paradigmas vão sendo desfeitos, as máscaras vão caindo e a sujeira aparecendo para que se possa ser mostrada e varrida, e possamos viver num mundo mais limpo, mas este processo todo é necessário para deixar a casa limpa.

Existem outros terrorismos pelo mundo causado pelo “capitalismo” ganancioso e uma delas é a fome, principalmente em países da África. Veja alguns números: Há 800 milhões de pessoas desnutridas no mundo - 11 mil crianças morrem de fome a cada dia, um terço das crianças dos países em desenvolvimento apresenta atraso no crescimento físico e intelectual - 1,3 bilhão de pessoas no mundo não dispõem de água potável - 40% das mulheres dos países em desenvolvimento são anêmicas e encontram-se abaixo do peso - uma pessoa a cada sete padece de fome no mundo. Não há excesso de gente, não falta área para plantio, não falta dinheiro, o que falta é “humanidade”...

Tudo nesta vida tem dois lados, um bom (aparentemente) e outro negativo (aparentemente), mas todos concorrendo para o mesmo caminho determinado por um comando superior a tudo e a todos e este é um compromisso dos “pseudos” donos com o verdadeiro.

As atribulações são necessárias, sendo que estas são as que lapidam, as que tiram as impurezas sobre tudo e sobre todos, para o encontro com o real, com a verdade, com a pureza, a perfeição e a limpeza.

O mal por si próprio se destrói, a violência gera violência, o pensamento deteriorado nada consegue acertar, são desacertos em cima de desacertos que causam os desequilíbrios, a intolerância e a liquidação moral, física e financeira.

Todos são diferentes, cada qual com os seus costumes, idéias, gostos, vontades, características, educação, cultura, vícios e formando assim os seus pontos de vistas, que nada mais são que suas “verdades”. Ocorre que na “essência” todos são iguais e somente esta “essência” que é comum a todos é capaz de equilibrar e unir a todos.

Aceitar os diferentes e as diferenças e respeitá-las é aceitar a si próprio e aceitar a “essência”. A intolerância é do rude, do atrasado e do ignorante. Ninguém precisa concordar com o outro ou ter que ser como outro para que seja aceito, as diferenças é que dão o colorido da vida, é o que dá o tempero e que lapida uns aos outros, o que nos mostra os diversos pontos de vista de uma mesma coisa, nos abre o horizonte e nos evolui, sendo estas certas ou não.

A “essência” nada tem a ver com a crença, sexo, situação econômica, raça, educação ou opção sexual, ela é o que é e acabou, e quando todos se ligarem nela seremos apenas UM.

A “Essência” é racional e todo o restante é animal, assim sendo, somos denominados animais racionais, por isso, o verdadeiro racional não é contra nada e nem contra ninguém, mas é consciente da verdade e solidário.

Quando houver esta consciência (verdadeira e positiva) acabar-se-ão todos os males da humanidade havendo a concórdia, a paz, a tolerância, o amor, a união e a fraternidade tão desejada e inatingível até o momento.

E viva a diferença!!!



www.universoemdesencanto.com.br
http://fernandoluchetti.blogspot.com

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

O VIRA-VIRA VIROU!


(Prof. Porfírio Jesus das Neves)
Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma! Antes de existir de uma forma, já existia de outra. Tudo sempre existiu e tudo sempre existirá! O puro, limpo e perfeito virou degenerado, deformado e poluído, pelas transformações sofridas em razão de querer progredir por conta própria.
O progredir por conta própria é a razão de o mundo estar da forma que está, neste vira- -vira das degenerações, das deformações e de todas as transformações de vira-vira. Mas este vira-vira virou! Virou de volta ao seu Mundo de Origem porque a Fase agora é Racional.
A humanidade sempre quis saber os motivos e as razões de tudo assim ser, de todo este mundo que permanecia como um enigma na vida de todos. Todos sem saber de onde vieram nem para onde vão, quanto mais saber como vieram e como vão. Se não sabíamos de onde viemos nem poderíamos imaginar como viemos nem o porquê viemos.
Mas agora temos a revelação feita pelo maior ser do mundo, a redentora Imunização Racional, esclarecendo toda a verdadeira origem da humanidade, pela simples leitura de um livro: o Universo em Desencanto, dando a todos o conhecimento para o cultivo necessário, que é o desenvolvimento do Raciocínio, com a Cultura Racional.
Cultura Racional, querendo dizer: cultivar a razão de tudo e a verdadeira razão original da vida que é a Vida Eterna. À frente, o Porta Voz, o grão Mestre Racional, ditando estas revelações para toda a humanidade, nos seguintes termos.
(T-10 p-09) E de forma que não viram fazer, não viram quem fez, não viram as transformações.
Portanto, nada podiam saber de verdade da existência do mundo. Já essa é a terceira vida. A primeira de Racionais puros limpos e perfeitos. A segunda de Racionais perdendo as virtudes até à sua extinção. A terceira, esta deformação, que foi a extinção da vida anterior a essa, que se transformou nessa. E se deformaram em sexo diferente, devido a Resina e a Planície.
(R-10 p-29) E assim, a vida é conseqüência de outra vida, porque não há efeito sem causa. E essa outra vida nas mesmas condições. Então, a primeira vida: Racionais, que entraram pela parte que não estava pronta para entrar em progresso. Vieram perdendo as virtudes até que se extinguiram. No se extinguir, transformou-se na segunda vida. Em outra vida, que foi em micro vírus. Os micro vírus se transformaram em outra vida, que foi quando começaram a nascer do chão. Esta já é a terceira vida.
No nascer do chão vieram se transformando para a forma em que estão.
Perceberam? Esta terceira vida é a vida do vira-vira porque é uma vida originada dos vírus – os vírus e micro vírus que se transformaram em outra vida.
Que vírus? Que micro vírus?
Os vírus e micro vírus decorrentes dos corpos dos Habitantes que vieram perdendo virtudes.
Uns tantos habitantes perderam virtudes e seus corpos se transformaram em vírus.
Mas, note bem, vírus de massa cósmica, uma Energia pura. Estes vírus é que vieram virando a segunda vida para a terceira vida. Assim como temos os vírus dos corpos dos Habitantes que vieram progredindo por conta própria também temos os vírus daquela parte que não estava pronta e que pelas viradas que sofreu também entrou em extinção; a Planície se extinguiu, gerando uma infinidade de vírus e micro vírus de Energia Vegetal e de Energia Animal.
Ficamos aí com três naturezas de vírus fazendo o vira-vira: os vírus resultantes dos corpos dos Habitantes do Mundo Racional e os vírus resultantes das duas partes em que se dividiu aquele pedaço da Planície.
(H-016 p-106) Sim, a Planície veio descendo e o foco de luz esquentando, a planície amolecendo com o calor, com o tempo ficando gomosa e com o tempo virando água.
Então, de onde vem a água? Da origem, da Planície que se transformou em líquido e por isso, a água é o ponto básico da vida, que veio da origem da Planície, que se deformou em água.
Porém, antes da Planície virar Água, a Resina saiu da Planície: uma parte da Planície deformou e virou Resina e a outra parte degenerou e virou Goma. Mas quem fez esta virada foram os Habitantes do Mundo Racional com suas Virtudes reunidas em um Foco de Luz.
(R-02 p-143) E assim, não confundam no falar em vírus. Não façam confusões. Os vírus da massa cósmica Racional são os vírus puros, limpos e perfeitos, e os vírus da matéria do mundo material são os vírus deformados, os vírus degenerados, por serem vírus da matéria.
Podemos dizer que os vírus conhecidos hoje pela ciência são os vírus da Planície que se deformou e se degenerou e ficaram enfraquecidos pelas multiplicações e pelas transformações.
Mas, os vírus e micro vírus resultantes dos corpos dos Habitantes que se extinguiram na Goma e na Resina é que são os agentes de transformação de tudo e de todos, executam a ação de progredir por conta própria, para podermos manter esta terceira vida.
(R-02 p-88) Em primeiro lugar foram feitos os vírus dos ossos. Em segundo lugar a montagem da caixa humana, sendo os vírus feitos pela Razão Racional. Vírus esses completamente invisíveis, por serem de uma condensação mais perfeita Racional. (R-02 p-97) Em primeiro lugar, o esqueleto. Em segundo, a planta da máquina. Em terceiro, os vírus da composição da Energia Racional. Quarto: a condensação de Energia Racional, que foi o material usado pelos vírus para a formação da máquina do corpo humano.
Foi assim que surgiu a construção da terceira vida, do terceiro ciclo de vida. E o material usado para a formação da máquina humana são os vírus de Energia Cósmica derivados da Planície, como podemos afirmar que tudo é constituído por átomos e moléculas. Mas não se esqueçam, os vírus construtores de toda esta mecânica e de todas estas máquinas são os vírus resultantes da extinção daqueles tantos Habitantes; por isso, continuam progredindo por conta própria.
A Razão Racional também organizou o campo de vida mediador para que esta terceira vida continuasse vinculada com a origem, já que a segunda vida estava num estado de extinção – o vínculo é a formação do Astral, primeiro o Superior e depois o Inferior. É como dizer: o Astral foi e ainda é a mola propulsora do Relógio da Vida, regendo a terceira vida e mediando a vontade cósmica do primeiro ciclo de vida que é o curso perene do progresso Racional.
Então, depois de formado o Astral Superior veio a formação dos Habitantes do Espaço.
(R-16 p-06) E assim, a Resina, conforme foi saindo da Planície, porque a Planície começou a esquentar com o Foco de Luz, e a Planície, com o calor do Foco de Luz, começou a sair esta Resina, com o calor do Foco de Luz foi esquentando, empolando e, com o tempo, virando cinza. No ficar torrada virou carvão e conforme esta Resina ia passando por estas transformações ia perdendo suas virtudes.
(R-16 p-07) Essas virtudes são vidas, são essências, essências magnéticas. Então,
dessa essência magnética, que são as virtudes perdidas, que são as transformações que viraram cinza que denominaram Terra, é que deu causa à formação de outros corpos, de outras vidas no espaço.
(R-19 p-58) Então, aí veio nascendo a vegetação adequada a cada Eternidade pela própria evolução da Natureza, novos vírus, novos micróbios, novos gérmens e novas vegetações.
E o vira-vira foi ficando cada vez mais complexo e a compreensão ficando cada vez mais difícil pelos seres que vinham sendo formados, até chegarmos ao ponto de nascer neste mundo e não termos a mínima noção de como tudo isto foi feito. E, por isso, tínhamos mesmo que atribuir toda esta criação ao Poder Supremo, sem saber como é que fizemos em nossos ciclos de vida anteriores, que tivemos que construir um Ser Todo Poderoso para governar esta parte debaixo, que é o Senhor Magnético.
(T-01 p-70) Então, a causa de todos os seres está no poder energético, está no poder das Energias e é a fábrica dos vírus, que se diz ser a semente para a formação dos corpos e dos seres. Porque antes de ser corpo era semente, antes de ser semente era vírus; antes de ser vírus era da constelação e formação Racional.
E assim a formação de todos os seres está na força magnética que provém da Água.
(T-11 p-40) E de forma que, esta vida que parecia um computador eletrônico da Natureza, por ser gerado, mantido e comandado pela Natureza, viraram uns verdadeiros robôs da super força invisível que é o pensamento, o destruidor dos robôs.
E assim a vida dos não sabia e do nada sei sobre mim mesmo ocasionou o enfraquecimento e a degeneração de tudo e de todos neste terceiro ciclo de vida. A vida da matéria se tornando um conjunto de ruínas reunidas pelo enfraquecimento provocado pelo vira-vira das transformações e a vida virando uma trapizanga.
(R-13 p-68) Trapizanga sim, porque tudo vira trapo, tudo se acaba.
(R-18 p-11) Os fracos de tudo, que já vivem igualmente um farrapo humano. Um farrapo humano é aquele que é dominado pela matéria; então vira um farrapo humano por ser dominado pelo mal. E um farrapo não tem nada que se aproveite.
(T-13 p-97) Perdeu o senso total e o amor ao próximo como a si mesmo, por não ter mais amor a si mesmo. Perdendo o senso de humanidade. O desequilíbrio levou à loucura e um louco vira um monstro em figura de gente.
Não existem duas verdades, a Verdade é uma só, é Racional! A Verdade salva e a Mentira em liquidação, virando cinza.
(R-10 P-49) Como formar, então, o paraíso Racional na Terra? Somente com a Planta, com o Mapa, com a Bússola que está na Origem, o Mundo Racional.
Leia o livro Universo em Desencanto e descubra que tudo está em si mesmo é só aprender a se ligar em cima, para subir. E, se ficar ligado em baixo, desce para a classe do Irracional.
(T-11 p-51) E na classe de Animal Irracional, percorrendo todas as classes por ir se degenerando e transformando em corpos de vida diferentes. Correndo, dessa forma, toda a hierarquia das classes inferiores, até terminar na água, para poder voltar ao seu mundo de origem. Voltar à água, porque a água, antes de ser água era a Planície que veio descendo e com o calor começou a amolecer e com o tempo ficando gomosa e com mais tempo virando água, E dessa forma, o vírus chega ao seu ponto de partida para a deformação e daí se transformando junto com esta deformação para o seu estado natural, porque tudo volta ao seu estado natural.
É muito lindo poder compreender todas estas transformações, tanto da descida, quanto da subida.
O Racional se extinguiu e virou monstrinho nascido do chão. O Monstro virou selvagem, o Selvagem virou Bicho, o Bicho virou Animal Racional, o Animal virou civilizado. E agora o civilizado vira Racional ou o Civilizado vira bicho em classes inferiores - este é o Juízo Final: Civilizado vira Racional, de volta pelas classes superiores, ou Civilizado vira bicho, de volta pelas classes inferiores. E continua o vira-vira... Até todos voltarem a ser puros limpos e perfeitos. Você decide para que lado se vira.
O vira-vira virou para cima; a Natureza abriu a Porta! O pensamento virou Raciocínio, no Terceiro Milênio. E todos de volta ao nosso Mundo de Origem, pelo desenvolvimento do Raciocínio lendo e relendo o Universo em Desencanto.
(Leia o 1º vol. de Universo em Desencanto para entendimento completo deste texto).
Obs.: T = Livros U. em D. da Tréplica e R = Livros U. em D. da Réplica.

Rádio Tropical 830 AM - RJ - 15/07/2011
www.programaavozracional.com.br
www.universoemdesencanto.com.br
www.encontroracional.com.br
www.nalub7.wordpress.com

domingo, 11 de setembro de 2011

O PROGRESSO COSMOLÓGICO NO ÍNTIMO DE TODOS


(Porfirio Jesus das Neves)



E aqui estamos neste fim de mundo, rezando para não acontecer o pior. Rezando é uma força de expressão, porque na verdade, não está dando nem para rezar.

Todos estão cada vez mais atônitos com os acontecimentos em nível mundial, em nível nacional e em nível pessoal.

Cada vez mais se torna imperativo esclarecer todas as pessoas que tudo isto que está acontecendo jamais será consertado com base nas forças que construíram e criaram tais problemas.

Quem criou todos estes problemas que se vão por este mundo? O pensamento articulado do ser humano, o artifício da mente humana. Tudo foi preparado pelo pensamento humano, tendo como base um alfabeto de artes e artistas, querendo superar os fatores naturais, querendo ultrapassar todos os limites da prudência e do saber sustentável, que é o equilíbrio de todos.

E que negócio é esse de saber sustentável? É o saber que pode sustentar todos em harmonia consigo mesmo e com todos; é o saber que pode sustentar todos em suas atividades criativas sem ofender quem nos ensina e nos orienta: a Natureza; é o saber que sustenta tudo em todos os pontos necessários. O saber sustentável é o saber natural da Natureza.

Então, antes de se continuar falando em desenvolvimento sustentável, como muito se tem falado por aí, vamos sustentar o verdadeiro saber de humanidade, fraternidade, paz e amor. Justamente ao contrário do saber que fala em desenvolvimento sustentável com os olhos de ganância e de crescimento material, um saber artificial, que se baseia no que não existe.

Isso mesmo: que se baseia no que não existe. E o que é que não existe mais, que torna este saber tão medíocre? É o pensamento! Não existe mais pensamento de humanidade, porque o Pensamento paralisou. Todos pensam que estão pensando, mas, se estivessem pensando, não haveria tantos crimes, tantos desmandos contra a vida, tantos abusos contra a Natureza, tantas atrocidades, enfim, não haveria tantas covardias como estamos cansados de ver acontecer neste dia a dia, mundial.

Vejam bem: tudo que está se passando pelo mundo, não é questão de regimes políticos, planos econômicos, educação e saúde pública mal gerida e corrupção, porque onde essas coisas foram bem elaboradas também acontecem iguais desgraças. E por vezes bem mais trágicas. É o caso recente que se viu na Noruega que nem se pode comparar com o caso acontecido na escola de Realengo, no Rio de Janeiro, por exemplo. E por aí vai!

Nenhum governo, pelo uso de leis, consegue controlar o íntimo de cada indivíduo. E é no intimo de cada um que nasce a vontade que vai tornando insustentável a atividade da sociedade humana como um todo. No íntimo de cada um está a vontade do desperdício, está a vontade das banalidades que buscam prazer nas coisas artificiais da vida. No íntimo de cada um habita uma “serpente materialista” que pensa em se satisfazer, justamente quebrando toda e qualquer forma de limites. É por este caminho que devemos analisar as verdadeiras causas do que está acontecendo; pela compreensão do nosso íntimo, o nosso verdadeiro “eu”.

O íntimo de cada um não se satisfaz mais com coisinhas simples, nem com coisas que necessitam de tempo para serem construídas. Cada um quer tudo ao mesmo tempo, e não adianta saber ou falar em deixar a coisa acontecer por si mesma. Isso, muito pouco adianta.

Tem que ser agora, tem que ser para ontem. Puro stress e pura adrenalina.

As conseqüências desse tipo de saber, se é que podemos chamar isto de saber, se resumem no fracasso! Fracasso geral: fracasso de todas as ideologias; fracasso de todas as teorias; fracasso de todas as filosofias; enfim, fracasso de todas as mentes pensantes – mentes que pensam ainda que estão pensando. Mentes que pensam que ainda podem vir a pensar e se amortalham na esperança daquele que não mais voltará. A fase do desenvolvimento do

pensamento terminou! E o pensamento está destruindo tudo que o pensamento fez.

Se todas as mentes estivessem ligadas nas estrelas, certamente as intuições no íntimo seriam bem mais afirmativas, pois tudo que está acontecendo no mundo e que vai pelo mundo é conseqüência de uma mudança de fase natural da Natureza. E as Estrelas sabem disso; os astros sabem disso; os espíritos também sabem disso, pois toda essa mudança é uma mudança da Natureza.

Terminou a fase do desenvolvimento do pensamento. O pensamento terminou! É o que dizem as Estrelas, estava escrito, pois toda a intuição do pensamento partiu delas e agora não parte mais.

Naturalmente, saber isso, apenas por saber, não nos adiantará nada também. Todo o saber deve ser acompanhado de atitudes. Saber que a Natureza mudou de fase não nos adianta nada se não adotarmos as atitudes concernentes ao novo comportamento da Natureza.

A Natureza exterminou o pensamento das mentes humanas, isso já se percebe muito bem, hoje em dia, em razão de todas essas atrocidades e loucuras que crescem cada vez mais.

As pessoas pensam que estão pensando, mas se pensassem não cometeriam toda série de desatinos, mundialmente. E parece que quanto mais rezam mais assombrações aparecem.

O pensamento equilibrava mais ou menos a mente humana na fase de Animal Racional, anterior a 1935. De lá para cá já está bem visível toda essa transfiguração humana. As figuras humanas de hoje nada tem haver com as figuras humanas daquelas épocas.

A Natureza aponta, indica e conduz para o desenvolvimento do Raciocínio, mas o pensamento enfraquecido não está aceitando os esclarecimentos de uma nova fase e, por estar enfraquecido, o pensamento de muitos está seco e cometendo todo este tipo de atrocidades.

Certamente, ninguém está gostando de todo este desconforto universal. Certamente, também, esses que se sentem desconfortáveis não estão tomando as atitudes certas para solucionar o problema.

Existe a verdadeira solução, podemos dizer definitiva, que passa pelo saber humano se adequar à forma de sua Origem. O saber humano se adequar à forma de sua Origem, eis a solução.

Então qual é a Origem? Aí todos tropeçam ao tentar responder com Arte: todas as ciências, todas as filosofias e todas as religiões. A resposta não está na Arte está no sentimento natural.

Tropeçam por quê? Porque não está nas doutrinas, não está na doutrinação da mente humana o alcance da inteligência natural. Todo o saber doutrinário foi feito apenas para lapidar o pensamento, para haver um verdadeiro desenvolvimento mental e, assim, todos poderem compreender a necessidade da Racionalização.

A mente humana, por mais fina que possa parecer, ainda assim é muito grosseira e, por este motivo natural, não tem capacidade natural de entender o que é Raciocínio – Racional.

Compreendeu muito bem a existência espiritual, que é o caminho para a mente se desligar da matéria, do plano material.

O plano espiritual ficou ao alcance da mente humana pelo desenvolvimento do pensamento, que assim foi formado e desenvolvido de acordo com o Projeto Racional do retorno de todos ao estado natural de ser. Este Projeto Racional é de um Raciocínio Supremo que antecedeu toda a formação dos mundos com suas categorias de vida, inclusive este nosso mundo encantado, a sétima transformação Racional.

Assim como projetou o desenvolvimento do pensamento, também projetou o desenvolvimento do Raciocínio. Um dá conseqüência ao outro dentro do fator natural de desenvolvimento de cada indivíduo.

Toda esta compreensão deste Projeto Racional, ou se preferirem, os verdadeiros planos de Deus para a recuperação e ressurreição de todos para o verdadeiro estado natural, passa naturalmente pelo desenvolvimento do Raciocínio.

Assim, com a evolução mental, artificial, surgiu daí o entendimento e compreensão espiritual, para que pudéssemos evoluir e progredir cosmologicamente e espacialmente e atingir a meta desejada, que era saber de onde viemos e para onde vamos.

O desenvolvimento do Raciocínio natural não pode ser confundido com o desenvolvimento mental. O desenvolvimento mental foi parte relativa ao pensamento, foi uma parte cerebral.

Desenvolver o Raciocínio significa ligar o “eu”, o nosso íntimo na Energia Racional, o EGO SUPREMO. O nosso “eu” é muito fino e sensível e não pode ser atingido pelo pensamento grosseiro. O nosso “eu” é de essência cosmológica, querendo dizer uma essência da lógica do cosmo da Planície Racional, a Natureza em última análise.

Nós somos feitos pela Natureza e dela dependemos em tudo para viver, inclusive para sentir.

Portanto, o nosso íntimo é de uma ação cosmológica muito fina, o “eu” da Planície, que não pode ser tocado pelo pensamento, somente pelo desenvolvimento do Raciocínio que está ligado ao EGO SUPREMO.

Por este motivo a Natureza exterminou a fase do pensamento, parando de alimentar o pensamento. Assim o pensamento humano enfraqueceu e no seu enfraquecimento foi cometendo todas essas loucuras que estão por aí. A causa direta de toda esta violência é o pensamento enfraquecido.

A Natureza orienta agora para o desenvolvimento do Raciocínio para compreendermos o que é o progresso cosmológico, que se resume na ligação de todos com a Natureza. Este é o progresso cosmológico que está acima, na continuação do progresso espiritual.

O progresso espiritual terminou com o término do pensamento; os verdadeiros espíritos estão em missão Racional apenas, que é a ação cosmológica ou a lógica da Natureza, até alcançarmos o verdadeiro progresso espacial, a ação de cosmogonia, que é quando o EGO SUPREMO, o raciocínio se desmaterializa da Planície e passa a progredir espacialmente de retorno ao seu estado natural. Diríamos, a Levitação Racional.

E esse Habitante agradece ao “eu” que fica a serviço da cosmologia de retorno da Planície ao seu estado natural também. Fica o ‘eu” ou o íntimo totalmente ligado numa única ação cosmológica, felizes para sempre.

Qual é a ação cosmológica? Encarar o próximo como a si mesmo, fazendo o bem e não olhar a quem, tendo Deus acima de tudo e de todos. Isto é ação cosmológica! Isto é progresso cosmológico.

Desta forma a Planície volta ao seu desenvolvimento natural que foi desvirtuado por aqueles tantos habitantes que progrediram por conta própria ao penetrar nela. O nosso íntimo é da Planície, é da Natureza e o nosso Ego Supremo é a parte do Raciocínio Supremo que se dividiu nesta infinidade de Raciocínios. Todos voltam ao seu estado natural, cada um no seu lugar verdadeiro.

Aí está mais uma ilustração buscando a compreensão do significado da vida de cada um, para acabar de vez com toda esta violência provocada pela mudança de fase da Natureza.

Em resumo, somos a Natureza viva, sentindo tudo que é de Racional, a verdadeira Origem.

Por isso a fase é de Aparelho Racional e o Animal Racional já foi à extinção. Leia o livro Universo em Desencanto de Cultura Racional e desenvolva o Raciocínio cosmologicamente e espacialmente. A fase espiritual acabou.

(Para o entendimento completo deste texto, leia o 1º volume de Universo em Desencanto)

Rádio Tropical 830 AM – RJ – 05/08/2011

www.programaavozracional.com.br

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

7 de setembro: UNIÃO!


O Brasil é um país muito especial, por nele habitarem os primitivos seres desta Galáxia Térrea a reconhecerem a Cultura Racional, a cultura verdadeira, por ter como base a razão verdadeira da vida.
E, assim, todas as homenagens ao 7 de setembro serão sempre louváveis, porque é daqui, do Brasil, que parte o grito de INDEPENDÊNCIA DO SER HUMANO desta tenebrosa e horrorosa obscuridade material e espiritual.
Brasil é o berço da paz, da fraternidade, do amor, da união verdadeira, que já começou a ser construída, entre os humildes, que já reconheceram serem os responsáveis por essa vida malcheirosa da matéria. E pouco a pouco, os demais brasileiros chegarão a essa conclusão, porque quem manda em todos é a Natureza e foi ela quem destinou essa missão ao povo brasileiro, de levar o conhecimento do desenvolvimento do raciocínio a todas as nações do mundo inteiro.
Mas, enquanto isso não se concretiza completamente, chamemos à atenção nossos irmãos-semelhantes, com nossas observações, numa prova de carinho e amor por nós próprios e pela humanidade. Pois, é conversando, dialogando, que vamos chegando aos entendimentos certos e corretos da vida.
Então… os apelos e a busca pela paz no mundo são de veteranas eras.
Apesar disso, o que se vê e se comprova é a violência de toda sorte progredindo.
Não é pela falta de busca, todos, de acordo com sua visão, entendimento e compreensão da vida, a estão buscando.
E aí está o porquê ela nunca foi encontrada no mundo, para iniciar o seu progresso e embargar o progresso da violência: cada qual tem o seu entendimento e compreensão da vida diferente um do outro, por todos se basearem na matéria, onde tudo e todos são diferentes.
Uns achando que encontrarão a paz na realização de seus sonhos profissionais, outros na esperança da realização dos sonhos conjugais, outros na esperança da realização dos seus sonhos sociais etc. E assim cheios de sonhos e esperanças, vão se iludindo e perdendo o tempo precioso que deveriam empregar no conhecimento das leis naturais da vida, que nada têm a ver com os sonhos e as esperanças, porque as leis naturais da vida imperam desde que o mundo é mundo e preexistem à existência do animal Racional.
A verdade sempre existiu, o animal Racional é que, por livre arbítrio, se divorciou dela, sonhando e esperando criar uma outra verdade a seu modo e contra as leis naturais e, por isso, sempre viveu de sonhos e ilusões e a verdade que quis forjar, ficando nos sonhos, nas esperanças e nas ilusões, pois, fora da VERDADE, que é a existência real, nada se consolida e tudo se destrói.

A falta de maturidade da humanidade é que a deixou se levar pelas aparências, buscando o bem e a paz na matéria, que é um bem aparente, porque tudo na matéria se acaba, bem como todos os valores criados com base na matéria (quantos sistemas de governo já existiram e se findaram, quantos costumes, quantas leis, quantas modas, quantos hábitos… tudo ficou no esquecimento, quanto sofrimento e quantas lutas e guerras por causa desses sistemas, modas, hábitos, costumes, enfim, quanta dor e sofrimento desnecessários, quanto tempo perdido, pois, tudo se acabou).
E quanto mais se busca o bem no mal, mais violência se colhe, porque a matéria, que é mal puro, é um estado provisório e passageiro, uma deformação do estado energético natural, nada podendo oferecer à humanidade em termos de realização completa, deixando o ser humano sempre incompleto, insatisfeito e, em conseqüência, cada vez mais violento.
Ora, toda a humanidade, de forma generalizada se encontra nesta situação de insatisfação. Tentamos tudo realizar na matéria para nosso progresso, na esperança de ao final conseguir a satisfação e equilíbrio de todos.
Tudo em vão. Até nos lugares do mundo onde o analfabetismo não existe, onde todos têm um conforto relativo para atender às suas necessidades, onde se procura respeitar o meio ambiente, com práticas preservadoras da limpeza do ar, das águas e da terra, até nesses lugares a insatisfação impera e de tal forma, que tem levado essas nações a altos índices de suicídio.
Provado está que os caminhos que a humanidade escolheu para alcançar a paz, foram e são caminhos enganosos, caso contrário todos já estariam a muito equilibrados, em absoluta paz e, conseqüentemente, unidos, porque a paz é uma só: a razão da vida.
Sem conhecimento da verdadeira razão da vida, é impossível caminhar em harmonia com essa razão da vida. É preciso o conhecimento cultural dessa razão da vida, para calcar nossas vidas nesse conhecimento cultural e, não nas milenares experiências materiais que viemos desenvolvendo ao longo de nossas existências, que tão somente serviram para nos lapidar e advertir, através do sofrimento, de que a cultura que criamos e forjamos foi o preço alto que pagamos por nossa soberbia de virar as costas para o conhecimento cultural eterno, que sempre manteve essa poderosíssima natureza visível e invisível: a cultura natural, a CULTURA RACIONAL, a cultura do nosso verdadeiro mundo de origem, porque não há efeito sem causa.
Se existe este universo em que vivemos, é porque existe um universo superior que lhe deu origem, mas que essa origem não é material e, sim, um colossal corpo de energia extra cósmica, pura, limpa e perfeita.
Lá há união, pois todos os seus habitantes são puros, limpos e perfeitos, por terem como base o mesmo conhecimento cultural da razão da vida, portanto, todos são RACIONAIS puros, limpos e perfeitos, não há diferentes e por isso se somam.
Aqui embaixo, somos RACIONAIS deformados, inferiores, porque vivemos à margem da razão da vida, cada qual se degenerando e se deformando e se inferiorizando cada vez mais, de acordo com seu gosto e sua vontade, dando expansão a tudo que pensa e imagina, sem levar em consideração as ordens naturais da razão da vida, tendo como base somente o mundo material visível e invisível, sem a substância da razão da vida. Todos se dividindo cada vez mais e, não somando.
E, assim, cada qual se torna cada vez mais diferente um do outro, mais distante um do outro, mais solitário, mais insatisfeito, mais desequilibrado e, conseqüentemente, mais violento.
Somente a razão verdadeira da vida nos equilibra, porque fomos originariamente criados graças à razão verdadeira da vida. E, por isso, viver sem as bases dessa razão, é morrer dia a dia para a vida verdadeira, a vida eterna.
Nosso pensamento e nossa imaginação têm nos ludibriado, impedindo que raciocinemos sobre a verdadeira razão da vida.
Quando todos, cansados de tanto sofrer, atinarem sobre o quanto temos sido ludibriados e enganados pelo nosso próprio pensamento e imaginação, que são os responsáveis pelo estado em que se encontram nossas vidas e o mundo, aí então, vão todos começar a se voltar para a razão verdadeira da vida, e o desenvolvimento do mundo será RACIONAL, ou seja, todos reconhecerão que são UM SÓ, porque a nossa origem é uma só: RACIONAL, ou seja, somos originários de uma ENERGIA PURA, LIMPA E PERFEITA.
E assim se dará a união verdadeira de toda a humanidade, pelo DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO, porque o raciocínio une e o pensamento divide.
E a união só pode ser feita pelo desenvolvimento do raciocínio.
Procure conhecer a cultura que existe anterior à existência deste segundo mundo em que vivemos: a sua verdadeira cultura, a CULTURA RACIONAL, onde as bases são o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia entre todos, sem os quais, nada tem sentido.
Conheça a Cultura Racional, onde tudo é válido e respeitado, desde que impere a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia racional, de um por todos e todos por um. Portanto, sem preconceitos.
Na união verdadeira racional está a paz de todos, porque é a base de tudo e de todos, é o que deve reger tudo e todos, porque tudo e todos pertencem a um mesmo mundo, o MUNDO RACIONAL, dos puros, limpos e perfeitos.
Mas, a vontade é livre, e é por causa da vontade e do livre arbítrio é que demos causa a este mundo desequilibrado em que vivemos.
Está em nossas mãos reverter a situação, da violência para a união, basta apenas que cada qual procure se desenvolver de acordo com as bases da razão da verdadeira vida, que é eterna.
Chega de plantar discórdia, plantemos a concórdia, pelo desenvolvimento do raciocínio.
E LOUVADO SEJA O BRASIL, BERÇO DA VERDADEIRA CIVILIZAÇÃO, QUE É A RACIONALIZAÇÃO DOS POVOS, ONDE TODOS APRENDERÃO A VIVER SOMANDO E NÃO DIVIDINDO, PARA COLHEREM MAIS TARDE A VERDADEIRA UNIÃO!
SALVE 7 DE SETEMBRO! SALVE A INDEPENDÊNCIA DO RACIOCÍNIO SE LIBERTANDO DO PENSAMENTO E DA IMAGINAÇÃO! SALVE A UNIÃO DO ANIMAL RACIONAL COM O MUNDO RACIONAL!