Follow by Email

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

O QUE É O LIVRO UNIVERSO EM DESENCANTO

Universo em Desencanto é uma obra gigantesca, de 1009 (*) volumes, única no que aborda: a desmistificação do raciocínio.
Por que desmistificação do raciocínio?
Porque sempre se falou em raciocínio, mas, em tempo algum, em obra alguma foi definido, com base e com lógica, o que ele é, de onde ele vem, como é despertado para começar a funcionar.
E, por isso, por ninguém conhecer sua origem, o raciocínio foi sempre tratado e confundido com o pensamento/imaginação, ou seja, como algo originado deste universo em que vivemos, sendo que o raciocínio não é função deste universo em que vivemos e, sim, função emanada do universo superior que deu causa a este universo inferior em que vivemos.
O universo em que vivemos é uma degeneração e deformação de pequena parte do universo original, tendo sido a degeneração e deformação a causa da dualidade (macho X fêmea, positivo X negativo etc.).
No raciocínio não existe dualidade, é UM só SER.
Então, para que a humanidade degenerada e deformada tivesse condições de conhecer, desenvolver e evoluir o raciocínio, foi preciso que o MUNDO SUPERIOR, o MUNDO RACIONAL (o mundo do raciocínio), enviasse seu porta-voz na Terra, o Senhor Manoel Jacintho Coelho (1903-1991), com o raciocínio já desenvolvido, evoluído e ligado ao MUNDO RACIONAL, para receber as mensagens elucidadoras de como raciocinar.
Mas, por o mundo em que vivemos tratar-se de um mundo onde reina a dualidade, foi preciso e necessário mostrar e explicar à humanidade tudo sobre a dualidade: como ela surgiu, como ela funciona, o mecanismo dos opostos (o elétrico e o magnético, o bem e o mal), o objetivo e a finalidade deles, para, depois de tudo isso conhecido e bem entendido, o ser humano ter condições de separar e distinguir um do outro, entender e compreender a função de cada qual para, finalmente poder unir os diferentes, os opostos.
Unidos os opostos, há a transcendência do ser humano que, nessa condição, liberta-se em vida da própria dualidade e, imediatamente, liga-se ao seu verdadeiro SER, o SER RACIONAL.
Só a partir daí é que realmente começa a desenvolver o raciocínio.
Assim, os Livros Universo em Desencanto nos ensinam a não lutar contra os opostos e, sim, a conhecê-los desde a sua origem, distingui-los, separá-los, compreendê-los cada qual em sua função e natureza para, então, termos condições de uni-los.
Por isso a obra Racional teve que ser tão extensa. Fala da direita e fala da esquerda, tim-tim por tim-tim, para que tenhamos condições de compreendê-las e fazer sua união em nós mesmos e, não, nos demais.
Trata-se, então, da verdadeira racionalização: a verdade sobre a direita, a verdade sobre a esquerda, a justificação da função e missão de cada uma delas, para despertar em nós o verdadeiro e justo sentimento de gratidão a ambas, que é o que faz com que as mesmas se harmonizem – a união!
Mas, para que tudo isso aconteça é preciso o conhecimento completo da obra, para que haja a VERDADEIRA GRATIDÃO da pessoa e abnegação para consigo mesma.
Enfim, Universo em Desencanto, essa brilhante obra, é, em súmula, o RACIOCÍNIO, o raciocínio verdadeiro, o raciocínio desmistificado, pois, mistificado estava pelos pensadores, que confundiam o pensamento/imaginação com o raciocínio. Universo em Desencanto é a maior prova do amor DIVINO à humanidade, por estar no raciocínio a redenção universal de tudo e de todos e a consequente concórdia universal.
Portanto, Universo em Desencanto é o livro do momento, porque o povo está cansado de sofrer, de tanto pensar e imaginar. E para parar de sofrer e penar, tem que parar de pensar e imaginar e somente RACIOCINAR. E pra aprender a RACIOCINAR, tem que estudar Universo em Desencanto, o Livro do RACIOCÍNIO, que dorme na GLÂNDULA PINEAL.
(*) No 934º volume do Histórico, o RACIONAL SUPERIOR diz à página 7: “Dos “Mil”, esse é o último Livro.” Depois desse volume ELE ditou até o volume 943º. Se o volume 934º é o milésimo Livro, até ao volume 943º contamos mais 9 volumes, sendo, portanto, a obra completa composta de 1009 volumes, assim distribuídos: 3 Livros iniciais denominados Amarelões 21 Livros denominados da OBRA 21 Livros denominados da RÉPLICA 21 Livros denominados da TRÉPLICA 943 Livros denominados do HISTÓRICO Totalizando, portanto, 1009 volumes da Obra completa. Sendo que os Livros “Obras-Primas Francisco de Assis”, ditados pelo RACIONAL SUPERIOR, foram livros de transição da fase do pensamento para a fase do raciocínio, escritos num português erudito, para preparação das pessoas da época para as mensagens que passariam a ser ditadas nos 1009 Livros Universo em Desencanto, que são os Livros ditados pelo RACIONAL SUPERIOR para o desenvolvimento do raciocínio. Tanto assim, que os Livros Obras-Primas Francisco de Assis não foram disponibilizados para o público.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

O 6º DOS SETE ENIGMAS: COMO SURGIU A RAZÃO, O PENSAMENTO E A ORIGEM DA LINGUAGEM

(Severino dos Reis)
Nós, rotulamos de louco, todos que vivem às margens da sociedade, porque perderam a razão; mas, os objetivos de muitos dos grandes pensadores, sempre foram atenuar os confrontos sociais como terapia da loucura.
E nos dias de hoje, muitos estão afastando da sociedade pela comunicação convencional, preferindo as amizades e os relacionamentos através das máquinas, na linguagem dos computadores; que não deixa de ser um tipo tênue de alienação, por enfraquecimento do pensamento, porque a Natureza parou o desenvolvimento do pensamento, para iniciar o desenvolvimento do Raciocínio.
E na escalada rumo aos esclarecimentos, dados na Cultura do 3º Milênio, vamos às explicações do 6º enigma, que é: como surgiu a Razão, o pensamento e a origem da linguagem.
Do ponto de vista filosófico, Platão, disse que a razão tem dificuldade de atingir o conhecimento pleno, por causa da deformação provocada pelos sentidos.
Para ele, o sentimento do homem é imperativo; restrito ao mundo dos fenômenos e das aparências, onde tudo está em transformações. E só quando a Razão atinge o lugar das essências imutáveis é que alcança o mundo verdadeiro, porque o mundo dos sentidos é apenas cópia, do mundo da Razão.
Essas afirmações aproximam ao que descreve a CULTURA RACIONAL: que realmente viemos afastando da realidade, que é a origem eterna através dos tempos. Pois Platão viveu em tempos antigos, estava mais próximo da Cultura real determinada pela Natureza, a Cultura astrológica, que tinha como objetivo, naquela época, levar a humanidade de volta ao seu mundo de origem, o MUNDO RACIONAL, sem precisar chegar nesse estado degradante em que estamos hoje: por isso ele sabia.
Mas com o desenvolvimento da Cultura do pensamento, a Cultura artificial, veio o entusiasmo com o progresso da matéria; e o materialismo, fez o homem esquecer o que é a razão e acreditar no desenvolvimento material, que é a ilusão.
As provas estão aí: a mecânica, a eletrônica, a engenharia genética, a informática, bombas atômicas, foguetes e toda a complexidade da ciência e da tecnologia.
E por trás de tudo isso que parece bem para a humanidade, estão camuflados grandes perigos. Pois têm sido motivos para muitos conflitos, muito acidente; e com muita sutileza, certamente levaria o mundo ao caos, como a destruição das Cidades de Hiroshima e Nagasaki, na segunda guerra mundial e a iminência de uma terceira que não pode ser descartada.
Porém a ilusão não deixa ninguém ver a realidade.
Ainda bem que existe uma saída, o desenvolvimento do Raciocínio: mas é a única saída que nos levará de novo, conhecer a razão verdadeira e o porquê existe a razão deformada.
Mas a Energia Racional neutraliza os efeitos desse progresso e nos ensina, que quando a resina virou cinza, a goma virou água e o foco de luz produziu calor, naquele instante a água molhou a cinza e o calor provocou o mofo, que fez nascer da terra os primeiros micróbios Racionais. Nascendo assim, a razão deformada que conhecemos. Porque a razão verdadeira, imutável é Racional; essa, só poderá ser conhecida, quando voltarmos à nossa base de origem, o MUNDO RACIONAL. Para René Dubós, a ação inicial do homem no mundo, tem que se ir lentamente explicando pela razão, que permite ver em pensamento, as coisas que se pretende criar; a ação inicial é o pensamento.
E a CULTURA RACIONAL explicando a origem, diz que na fusão da terra com a água pelo calor do foco de luz, alem de micróbios Racionais, criou também o pensamento, a imaginação e o Raciocínio. Porque naquele instante de fusão, o calor vibratório da terra, passou a liberar energia magnética, que no futuro viria desenvolver a imaginação; e o calor vibratório da água, passou a liberar a energia elétrica, que no futuro viria desenvolver o pensamento; e os Racionais que estavam extintos no início da água e da terra, se materializaram em forma de máquina do Raciocínio. Portanto, naquela época, ainda na 4ª eternidade, já ficaram prontos esses três órgãos humanos; mas que só entrariam em função, cada um em seu tempo certo. Por isso, só na 17ª eternidade, quando começou a surgir os primeiros casos de morte, que iniciou o desenvolvimento da imaginação; era o início do primeiro milênio e o começo da Cultura da pré-história. O pensamento começou o seu desenvolvimento, no início da Cultura da civilização, no segundo milênio. Porque, no final da Cultura da pré-história, os selvagens não tinham mais campo para continuar o progresso da imaginação, eles começaram então, a matar uns aos outros a dentes por desequilíbrio. E para que eles não fossem à extinção, a Natureza mudou de Cultura: encerrou a Cultura da Pré-história e iniciou a Cultura da civilização. Para isso a Natureza ligou a energia elétrica em seus censores elétricos, (a Glândula elétrica) para iniciar o desenvolvimento do pensamento, para auxiliar a imaginação, abrindo para eles, um novo horizonte Cultural. Mesmo assim no decorrer do tempo, civilizações como os Atlantes, os Maias, os Incas, os Astecas e tantas outras foram extintas, certamente, por desviar do curso correto determinado pela Natureza; pois de outra forma, não seriam extintas.
Como agora: é tufão nas Filipinas, contaminação incontrolável de Fukushima. Mais de dois anos desde a explosão nuclear que destruiu as instalações depois do terremoto e tsunami de 2011, o Oceano Pacífico está sendo envenenado diariamente com doses letais de substâncias altamente tóxicas. Segundo alguns analistas, milhões de pessoas estão em risco. Inclusive nas Américas.
Identificados trítio, césio e estrôncio como as substâncias tóxicas vertendo para o Oceano Pacífico e estão se espalhando por toda parte pelas correntes oceânicas, chuva e vento. Devido ao fato de que estas substâncias são tóxicas e são quase certamente na cadeia alimentar, então as pessoas que consomem frutos do mar contaminados oriundos do Oceano Pacífico provavelmente já estão contaminados e, possivelmente, aumentam os níveis de toxicidade, acumulando nos seus corpos.
Exatamente qual o nível de poluição no Oceano Pacífico é um mistério. Quando as pessoas começarem a morrer nas Américas, vamos descobrir. E mais ainda: guerras por todos os lados, terrorismo, vandalismo desafiando as leis, as autoridades, explosão de caixas eletrônicos todos os dias; é roubado um carro por hora, assaltam e matam a todos os instantes; a polícia prende dez, aparecem vinte para substituir os que foram presos.
E tudo isso, cada dia com mais intensidade, porque a Natureza tornou a mudar de fase em 04 de Outubro de 1.935: encerou a Cultura da civilização, que dava suporte ao pensamento e ele começou a enfraquecer gradativamente em todos os seres humanos. Por enquanto, aceitando como naturais, nós vamos suportando todas essas catástrofes; mas até quando? Já pensaram nisso? Sem contar o enfraquecimento das novas gerações, que virão sempre mais castigados pelo aumento constante da poluição, decretando rapidamente o desaparecimento definitivo do pensamento.
Ainda bem que já está aí a CULTURA RACIONAL, para ativar a célula do Raciocínio para substituir o pensamento e acabar com todos os tipos de decadências.
Mas o povo, ao invés de examiná-la para saber o que é, para o seu próprio bem, não: fazem críticas e contestam os que já estudam. Mas, em resumo, a Razão é Racional; mas a Razão deformada pelos sentidos, que se refere o 6º enigma, surgiu quando a planície Racional se transformou em terra e água e o foco de luz produziu calor: ali surgiu a Razão de existir tudo que existe nesse mundo deformado, que até então não existia.
E o pensamento surgiu quando a água molhou a terra e o calor fez a fusão, produzindo as energias: elétrica e mágica e os micróbios. Porque nos micróbios, já ficaram impressas as três máquinas: a do pensamento, a da imaginação e a do Raciocínio.
E a linguagem apareceu na 17ª eternidade, quando a energia magnética começou a impulsionar a máquina da imaginação, iniciando o despertar dos sentidos e assim aumentando a necessidade de si comunicar uns com os outros.
Gritos e urros foram as primeiras linguagens; porque a linguagem, não é só a falada e escrita, toda forma de comunicação, não deixa de ser uma forma de linguagem.
E assim está explicado o 6º enigma.
Portanto meus prezados leitores: a CULTURA RACIONAL deixa patente que esse mundo de baixo, que é o mundo em que nós vivemos, é cópia do mundo de cima, o MUNDO RACIONAL de onde nós saímos.
Mas uma copia defeituosa, apenas parecida com o mundo de cima, porque é parte do mundo de cima que se deformou, por uns tantos Racionais usarem a vontade e a liberdade que lhes era peculiar; e dela surgiu esse mundo de baixo.
No mundo de cima, o MUNDO RACIONAL, tudo é eterno, estável por que é feito e regido por uma só energia: a Energia Racional, por isso não há desequilíbrio.
E o mundo de baixo, o mundo do animal Racional é formado e regido por duas energias: elétrica e magnética, propícia ao desequilíbrio. Por isso, há essa dualidade em tudo: o bom e o ruim, o bonito e o feio, a alegria e a tristeza, a saúde e a doença, o dia e a noite...
E a Natureza com a sua paciência Divina, numa escalada Cultural, veio paulatinamente preparando a humanidade, para um dia, novamente alcançar o mundo de cima. Passamos um longo período evoluindo na Cultura da pré-história, (ou Cultura dos Selvagens) desenvolvendo a imaginação.
Depois, numa sequência lúcida, a Natureza mudou para a Cultura da civilização e iniciou o desenvolvimento do pensamento; que junto com a imaginação trouxe a luz, esse maravilhoso desenvolvimento científico e tecnológico, deixando preparada a humanidade, para dar o passo maior e conclusivo. Porque agora, CULTURA RACIONAL já está na Terra desde 1.935, para desenvolver o Raciocínio, dando a chance, de a humanidade alcançar e igualar ao Mundo de cima, o MUNDO RACIONAL.
Então está aí, a era dourada! Um momento impar para humanidade! Esperado e profetizado por muitos! Onde as Nações não mais se levantarão contra Nações; porque o mundo encheu-se de conhecimento do Senhor, o “RACIONAL SUPERIOR”.
Portanto, prezados leitores: para o seu próprio bem, experimente a ler! Estudar mesmo os livros da Obra, UNIVERSO EM DESENCANTO da CULTURA RACIONAL! Comprove por si mesmo se é verdade ou reprove, se puder.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

COMO RECUPERAR O HOMEM?

É necessário, para recuperar o homem, que ele passe a SE CONHECER.
Sem SE CONHECER jamais o homem compreenderá que ele e a Natureza são uma coisa só. Portanto, quando ele destrói a Natureza, destrói a si mesmo, por não SE CONHECER.
Mas, por que o faz?
Porque a compreensão do homem está limitada pelo pensamento e imaginação, que são funções mentais primárias, por serem essências da matéria, essências animais e, não, racionais, cuja função é de lapidação da humanidade e, não, de sua recuperação.
Racional é a mente superior, que nada tem a ver com a matéria.
Aí é que se entende o porquê o homem ficou com visão tão limitada, confinada pela matéria, por ter desenvolvido apenas o pensamento/imaginação, que é a intelectualidade, que obriga o vivente a ser materialista, desequilibrado e variante, assim como é a função pensamento/imaginação.
Do RACIONAL, que é a fonte do raciocínio, a humanidade sempre esteve muito longe e ainda não o conhecia. Mas, já se encontra na Terra bibliografia a respeito: os Livros de Cultura Racional.
E infelizmente, por a humanidade ter desenvolvido somente essa função primária pensamento/imaginação, pensando que já era o raciocínio, todas as instituições que o homem pensa ter criado, como família, educação e religião etc., ficaram igualmente limitadas pela visão primária do pensamento/imaginação.
Dizemos “pensa ter criado”, porque o homem tem sido apenas ferramenta da natureza primária para fazer o que essa natureza inferior (pensamento/imaginação) determina para ser feito ou criado. O homem nada fez, nem faz. É apenas uma ferramenta comandada pela Natureza para fazer o que é preciso e necessário para sua própria lapidação. Todos são lapidados pelo que pensam que criaram e que fizeram.
Portanto, para se recuperar o homem, é preciso que ele dê um grande salto para o alto, se reporte à sua origem verdadeira, transcendental, além deste universo em que vivemos, onde encontrará, com absoluta certeza, a base real, RACIONAL, para solução de seus problemas, de seus negócios e de sua vida, porque na origem está a força do poder que constitui a vida.
E assim sendo, a força do equilíbrio da vida está na sua verdadeira origem de RACIONAL, porque RACIONAL tudo é, porque RACIONAL é a origem existente. E existindo a origem, emana-se o poder da origem para solução daquilo que pertence à origem – desde que se ligue à origem.
E para se provar e comprovar, a quem quer que seja, que a humanidade nunca antes conheceu a verdadeira origem, é só olhar para a situação do mundo, desde longínquas eras, para se ter certeza de que o homem nunca soube nada de si, nem da natureza e, assim, muito menos ainda poderia saber da origem verdadeira deste universo em que vivemos, porque o sofrimento sempre foi e ainda tem sido o maior brilhante do mundo, devido viverem todos uns contra os outros, por não SE CONHECEREM.
Se conhecessem a verdadeira origem, teriam a sabedoria verdadeira e não sofreriam.
E onde há sofrimento é porque não existe saber verdadeiro e, sim, um falso saber, um saber embusteiro, um saber aparente, um saber ludibriador, que é o saber da matéria. E que por ser falso é que gerou daí a multiplicação de todas as ruínas familiares, educacionais, religiosas, políticas, filosóficas, sociais etc.
Enquanto a humanidade continuar ignorando as leis universais da verdadeira natureza, que é a essência fluídica natural que gera, cria, mantém e governa tudo e todos, todas as instituições continuarão falindo até serem completamente liquidadas.
Para recuperar o homem e, consequentemente, as instituições, é preciso que o homem se racionalize, racionalizando as instituições que, dessa forma, funcionarão sob uma só égide, que é a essência vital RACIONAL, base legítima da vida.
E dessa forma, passando tudo e todos a colaborar uns com os outros num só objetivo: o do retorno ao estado natural de RACIONAL verdadeiro, para ligação, em vida, ao universo transcendental supremo que deu origem a tudo e a todos, que é um MUNDO RACIONAL.
Sim, MUNDO RACIONAL e, não, irracional, como assim tem sido o mundo em que vivemos, por a humanidade agir irracionalmente: uns contra os outros, destruindo uns aos outros.
E se a humanidade assim procede é pelo fato de não SE CONHECER e, consequentemente, não conhecer sua origem verdadeira, cuja partícula está dentro de cada qual.
O objetivo da Dona de todas as vidas, que é a Natureza, sempre foi, é e será sempre o de fazer o retorno de tudo e de todos ao seu verdadeiro estado natural de RACIONAL.
Portanto, o dever de toda a humanidade é abraçar esse objetivo único de nossa Mãe Natureza, para que estejamos unidos a ela, contando, assim com toda sua proteção e orientação, ficando, em consequência dessa obediência, absolutamente RECUPERADOS e salvos de todo e qualquer sofrimento e padecimento – aí está o raciocínio.
Raciocinando, ou seja, caminhando paralelamente à Natureza, a humanidade ficará livre dos grilhões da matéria.
Resumindo: somente raciocinando o ser humano ficará RECUPERADO e será salvo do desequilíbrio moral, físico e financeiro em que se encontra! Enfim, ficará livre de todo e qualquer mal!
Raciocinemos, então, antes que seja tarde demais, para que toda humanidade seja RECUPERADA e salva, pois, a salvação do homem e da mulher está no raciocínio, no seu desenvolvimento!
Então, como recuperar o homem?
Raciocinando sempre e pensando nunca!

domingo, 17 de novembro de 2013

A CAUSA, OS EFEITOS E A SOLUÇÃO PARA O VÍCIO DAS DROGAS - 2ª PARTE

(Severino Reis)
O vício das drogas é um mau, que destrói a vida dos adolescentes, dos jovens, dilacera os corações dos pais e mancha o brilho da sociedade.
Nesta matéria, vamos apontar a causa, os efeitos e apresentar a solução para o vício das drogas.
Primeiramente, queremos nos dirigir a vocês, crianças e adolescentes, que estão sob a espreita dos comerciantes de todos os tipos de drogas: nas ruas, nas portas das escolas e em qualquer lugar.
Você que:
querendo descobrir o mundo - que é o natural da sua idade;
querendo fazer tudo que os adultos fazem,
torna-se uma presa fácil do vício das drogas pela sua fragilidade.
Porque no começo, sedado pela ilusão das drogas, você se sente corajoso, perde a timidez, faz tudo que sem elas você se julgava incapaz de fazer.
E sob o efeito delas, prematuramente, você se sente um homem, ou uma mulher.
No começo, o amigo te oferece, os comerciantes te dão de graça: é muito fácil conseguir as drogas.
Depois, você vai gostando e o que era apenas curiosidade, passa a fazer parte da sua vida e você torna-se um viciado. Aí, os teus amigos desaparecem, os comerciantes que te davam de graça, agora te cobram muito caro: começa então o drama do seu sofrimento! Você precisa das drogas e não tem como consegui-las.
Então, você pega o dinheiro da sua mãe. Da próxima vez ela não tem - você compra fiado e depois rouba para pagar. Daí por diante, as portas estão abertas para um mergulho na marginalidade, porque você está nas mãos dos comerciantes.
E dos primeiros baseados quase inofensivos, logo você estará ingerindo, pela boca e pelas veias, os mais variados tipos de drogas.
Então minhas queridas crianças, meus queridos adolescentes, não entrem nessa; esse caminho não tem saída. Se você escapar da morte pelas overdoses ou pelos credores, ficará exposto ao vírus da AIDS pelas seringas, para o resto da sua vida!!!...
Por isso, agora, eu quero pedir a você que já é um viciado: que se lembre do desespero para conseguir a droga quando você está lúcido. Que memorize o sofrimento, as convulsões quando você está drogado e nunca ofereça a sua droga a uma criança e a ninguém, que ainda não seja viciado.
Quero te pedir também, que me tenha como o seu melhor amigo, pois, por pior que a sociedade te julgue, eu acredito em você e tenho certeza que não és um inútil, que não és um marginal; você não tem culpa de nada; você está apenas sendo vítima do enfraquecimento do pensamento e da falta do desenvolvimento do Raciocínio.
E, por último, eu quero pedir a você, que continue lendo atentamente a cada item desta matéria; que, no final, eu te darei motivos para acreditar que é capaz de deixar, sim, esse vício que te corrói a vida.
Pois, eu conheço milhares de jovens que ficaram livres do vício das drogas e suas conseqüências, sem nenhum esforço, sem remédios e sem internações; apenas lendo os livros, UNIVERSO EM DESENCANTO.
Quero estender as minhas palavras, também, a todas as autoridades: principalmente do ministério da educação; que tomem conhecimento, estudem a CULTURA RACIONAL, analisem bem para saber a sua importância, a sua eficácia no combate à violência, ao tráfico e ao vício das drogas, porque o Raciocínio equilibra as pessoas.
E, então, conscientes, possam adotá-la oficialmente nas escolas em todos os níveis: do primário até às graduações mais altas das universidades.
Porque o futuro brilhante da raça humana passa pelo crivo da mudança de fase da natureza: da cultura do pensamento, para a cultura do desenvolvimento do Raciocínio.
A CULTURA RACIONAL nas escolas também vai inibir o progresso da evolução da AIDS, do câncer e de outros desequilíbrios ocasionados pela paralisação ou enfraquecimento do pensamento.
Para se ter uma ideia em que se baseia esse novo espaço cultural, a CULTURA RACIONAL, de início, já começa explicando que a natureza, em 1935, fez um giro de 180 graus no seu percurso cultural.
A humanidade não percebeu e continuou caminhando num progresso contrário ao da natureza. Que, ao mudar de fase, desligou o seu comando das energias elétrica e magnética que controlava o pensamento, que vinha regendo a humanidade e ligou o seu comando numa nova energia, a Energia Racional, para comandar o retorno do homem à sua origem, através do raciocínio.
Isto é: a energia do Raciocínio, a energia Racional, vai substituir na humanidade as energias do pensamento.
Mas, para receber a energia Racional, é preciso tomar contato com a fonte dessa energia, que é a Cultura Racional. E tem urgência; porque a falta das energias do pensamento deixou um espaço vazio no cérebro de cada ser humano, que é a causa do desenvolvimento acelerado de tudo! Principalmente da ciência: criando monstros desnecessários e perigosos para a humanidade. Como a criação de drogas alucinadoras, a bomba atômica, o excesso de poluentes, ocasionando a destruição da camada de ozônio, entre muitos outros danos à vida em nosso planeta.
E a juventude, por ser mais frágil, passou a preencher esse vazio com drogas.
Mas com a leitura do livro UNIVERSO EM DESENCANTO, a energia Racional que emana da leitura, preenche o vazio deixado pelo pensamento de todos, com o raciocínio.
Logo, você que é viciado, que não quer mais ser escravo desse mal terrível, que não quer mais ser escravo do crack, que já se sente no fundo do poço e acha que não tem mais saída, você precisa apenas estudar a Cultura Racional. Porque ao ler os livros Universo em Desencanto, você preenche o vazio do seu cérebro com a energia Racional e, naturalmente, sem nenhum esforço, você deixa de usar as drogas, porque você não terá mais vontade.
Portanto, não despreze esta sugestão antes de analisá-la e experimentá-la. Pois, ela parte de alguém que comprovou em si mesmo, o poder de equilíbrio que traz a leitura do livro UNIVERSO EM DESENCANTO, através do desenvolvimento do Raciocínio.

A CAUSA, OS EFEITOS E A SOLUÇÃO PARA O VÍCIO DAS DROGAS – 1ª parte

(Severino dos Reis)
Os estudos da CULTURA RACIONAL vão equilibrar e compensar o enfraquecimento do pensamento, com o desenvolvimento do raciocínio. Mas para tanto é preciso conhecer e ler o livro UNIVERSO EM DESENCANTO, para beneficiar-se do poder da Energia Racional. É preciso conhecer as funções das energias elétrica e magnética depois de 1935, para saber por que os cientistas que fazem tudo para facilitar e valorizar a vida do homem, agora também está se prestando à destruição do homem e sua decadência. Por exemplo, a bomba atômica, que em apenas alguns segundos, fez 140 mil mortos em Hiroshima e 70 mil mortos, na cidade de Nagazaki.
Nesta matéria nós vamos explicar como e quando surgiu uma outra desgraça, talvez maior que a bomba de plutônio: que são os tóxicos, entorpecentes.
E o mais importante: vão saber como se livrar do vício, de uma forma natural.
A fase Racional, como enfatizamos aqui neste blog, teve início em quatro de outubro de 1935, data em que a natureza parou o controle do progresso do pensamento com as energias elétrica e magnética e passou, a controlar o homem, com a Energia Racional, através do raciocínio.
Conseqüência: o pensamento sem controle, fixou-se na ciência e na tecnologia, num progresso alucinado, fazendo os horrores da 2ª guerra mundial até 1945.
Terminou a guerra, o mundo parecia ter mergulhado num paraíso. Todos entusiasmados com o aperfeiçoamento do automóvel, do rádio, do aparecimento da televisão e de outros fascínios como a astronomia, o avanço da medicina, a grande expansão da Física etc. Mas, a humanidade não sabia que tudo isso era apenas subterfúgio do pensamento: mais horrores estavam por vir!
Em 1949, foram descobertas em laboratórios, a mescalina e a adrenalina: eram os primeiros tóxicos entorpecentes que surgiam! Desde então, os cientistas concentraram as suas atenções nesses produtos, que deram o nome de alucinógenos, porque as suas principais características eram as de produzir estranhas e coloridas alucinações nas pessoas que as usavam.
Por isso, os neurologistas, químicos, psicólogos e os psiquiatras, se uniram para pesquisar e descobriram que em 1938, nos laboratórios Sandoz na Suíça, Albert Hofmann já havia sintetizado o LSD da ergotina.
E logo depois descobriram que da casca da banana também poderiam fazer outros entorpecentes.
Enquanto os cientistas se empenhavam em pesquisas, as suas descobertas já começavam a ser usadas à revelia nas universidades e nos colégios.
Desde então os tóxicos invadiram o cotidiano dos artistas, estudantes, professores, intelectuais e de toda a sociedade americana, porque os jornais, livros e revistas descreviam os grandes prazeres proporcionados pelas drogas.
E de certa forma, os cientistas também estimulavam o uso das drogas, uma vez que diziam que o LSD, a mescalina e outros entorpecentes abriam a mente das pessoas para um universo novo. E que as ilusões contidas em viagens alucinógenas, eram muito parecidas com o que descreviam os visionários de quase todas as religiões.
E sobre o pretexto da sensação de liberdade, relaxamento da pressão social e familiar, as drogas foram se popularizando. E em pouco tempo, o que no começo era uma glória para os seus descobridores, uma fuga para os depressivos, uma terapia que alcançava toda a sociedade americana, em pouco tempo tornou-se um inferno para a humanidade.
E hoje, enquanto você está lendo esta matéria, quantos pais e mães estão em desespero por saberem que seus filhos são viciados, vítimas dessa descoberta nefasta da ciência, que leva jovens de todas as classes à marginalidade – do humilde ao milionário, de artistas famosos a autoridades de altos escalões, porque a natureza não dá privilégios para ninguém: o pensamento de todos está enfraquecendo!
Como vimos, esse monstro parece invencível!
As suas raízes são profundas e as suas sementes já se tornaram globalizadas.
Agora você pergunta: quem são os culpados?
Os cientistas que as criaram?
Os fabricantes, os traficantes, os viciados, os pais que não souberam educar os seus filhos, as autoridades?
Não! Todos SÃO VÍTIMAS DO NÃO SE CONHECER, por não conhecer a força que move as máquinas de suas próprias vidas!
Por não saber que são feitos, dirigidos e alimentados pela natureza, através das energias!
A culpa é de toda a humanidade, por ainda, a maioria, não estudar a CULTURA RACIONAL para, então, poder entender e saber que em 1935 a natureza mudou a ligação das energias elétrica e magnética, que movimentavam as nossas vidas, para a Energia Racional. E nós continuamos ligados nas energias elétrica e magnética!…
Se a cultura da civilização fosse natural, nós teríamos visto a natureza mudar e, então, teríamos mudado com ela e nenhum desses monstros teria aparecido, nem bombas e nem tóxicos.
Sim, porque estaríamos todos ligados à Energia Racional com a natureza, desenvolvendo o raciocínio, que substitui o pensamento. E as energias elétrica e magnética, não teriam outra coisa a fazer a não ser ir reger os irracionais que são próprios dela.
Mas, como isso não aconteceu, elas continuaram a fazer os homens pensarem e imaginarem, sem o controle da natureza, que já mudou de fase.
Então, o pensamento descoordenado criou os tóxicos, que, com a ilusão de “viagens astrais”, “visões maravilhosas”, aos poucos foram ocupando o vazio da mente das pessoas com as ilusões.
Mas, depois de estarem viciados, ao invés de terem visões coloridas, agradáveis, passaram a ter sensações horríveis!…
Querem se livrar das drogas e não podem: tornaram-se dependentes, porque elas é que estão preenchendo o vazio do cérebro deixado pela natureza na mudança de cultura. E que esse vazio deveria e deve ser preenchido com a Energia Racional.
Mas, como não tomaram conhecimento da Cultura Racional, para saber como se conectar à Energia Racional e recebê-la em sua mente superior, passaram a preencher o vazio deixado pelas energias elétrica e magnética com as ilusões das drogas.
Agora o quadro é alarmante: 85% da criminalidade estão relacionados de alguma forma com as drogas.
E a maior parte dos assassinatos no mundo é praticada por menores, quase todos relacionados com as drogas.
Cresce o número de gravidez e prostituição entre os adolescentes. Só se vê mães desesperadas, chegando ao absurdo de acorrentarem seus filhos, para evitar que eles procurem as drogas.
E na hora do desespero começam a perguntar a Deus:
“Por que de tanta violência?
Como livrar os meus filhos desse vício?”
Para todas essas perguntas, a resposta é uma só: estão dando as costas para a solução, que é estudar a CULTURA RACIONAL, ler os livros Universo em Desencanto, para desenvolver o raciocínio, que preenche o vazio da mente, que traz a paz interior, o amor verdadeiro e a concórdia universal. Porque o pensamento, agora, só divide e só traz discórdia.
(Querem saber mais? Prossigam lendo a próxima postagem).

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

O 5º DOS SETE ENIGMAS: O APARECIMENTO DA SENSAÇÃO E DA CONSCIÊNCIA

(Severino dos Reis)
Um ser que não sabe de onde veio e nem sabe para onde vai, que vem para esse mundo sem querer e vai embora sem querer morrer, que tem saudade quando está longe e briga quando se encontra: tem consciência?
Um ser que afirma que Deus é onipotente, onisciente, de bondade infinita e ao mesmo tempo o qualifica como ruim quando diz que as pessoas ficam doentes, se acidentam ou morre porque é a vontade de Deus: tem consciência?
Um ser que passa a vida inteira estudando, pesquisando, dedicando à ciência para criar bomba atômica e outros artefatos de destruição em massa, até destruição a si mesmo: tem consciência? Um ser sabendo que as matas são fontes de vida e continua desmatando, que sabe que em tão pouco tempo de existência de automóveis, o trânsito já está insuportável em muitos lugares e os governantes ainda estão incentivando a criação de mais montadoras de veículos etc.: tem consciência?
Seres com essas e outras tantas inumeráveis contradições: tem consciência?
Afinal, o que é a consciência?
Nessa matéria, vamos explicar o 5º enigma; como surgiu e o que é: A SENSAÇÃO E A CONSCIÊNCIA.
No desenrolar da sua história, os seres humanos precisaram criar expressões como: o Céu e o inferno, o bem e o mal, o errado e o certo, perdão, verdade, sensação, consciência, entre muitas outras expressões para justificar as suas contradições e assim resguardar os intentos de seu ego, que é próprio de seres humanos.
Para algumas facções Religiosas, quando lhes convém, a Ciência é invenção materialista do homem; mas também diz que é obra Deus, quando lhes convém para justificar o porquê eles também a usam. Sem dúvidas, ela é a expressão máxima do pensamento. Pois, todos os ramos da Ciência desenvolveram com sucesso, contribuindo para tirar a humanidade da ignorância, que aos poucos vieram conhecendo o seu passado, procurando encontrar a sua origem.
É a Natureza cumprindo a sua finalidade; tirando o homem da rudez e do atraso, transmitindo a ele, a expressão Divina da Ciência do pensamento.
Vários aspectos da vida têm sido minuciosamente estudados pela Ciência; mas, nunca conseguiram um princípio geral, que ordene e explique a vida como um todo; isso porque, a Natureza não dá saltos; o saber humano vem se desenvolvendo naturalmente, tudo a seu tempo.
Tudo o que vem antes do tempo, muitas vezes tem que esperar um pouco para evitar choques: Charles Darwin aguardou 30 anos para publicar a teoria da evolução das espécies, temendo a represália dos Religiosos, que tinham como certo a criação do mundo, o ano 4.004 antes da era Cristã.
Em seu relatório, Darwin confirmava a existência de vidas de répteis nossos ancestrais, fossilizados há 170 milhões de anos. É claro: se nós somos de origem eterna, pura limpa e perfeita, logicamente não poderíamos ser, produto da evolução de macacos que são Irracionais, como propunha na época, a primeira versão da teoria da evolução.
Mas Darwin descobriu que estava evoluindo; então ele e os demais pesquisadores, sugeriam que fosse de macacos! Mas ele não sabia e os demais também não sabem, pois se eram e são apenas pensadores muito evoluídos na Cultura da civilização que é a metade do saber.
Ele não sabia e muitos não sabem ainda, que a humanidade agora vai conhecer todos os segredos do Universo: do passado, do presente e do futuro, porque o RACIONAL SUPERIOR, já contou na CULTURA RACIONAL.
Darwin e nenhum pesquisador descobriram, quando começou a evolução da vida, apesar de saber que estava em evolução há milhões de anos.
Mas agora, a CULTURA RACIONAL nos prova que a evolução da vida, teve início na 4ª eternidade, quando a água penetrou na cinza que deu origem à terra; a mistura com o calor do foco de luz mofou e deu micróbios, começando então, a nascer da terra como vegetal, os primeiros corpos de vidas materiais.
Primeiro eles geraram como micróbios; depois evoluíram para monstrinhos; de monstrinhos evoluíram para monstros; de monstros evoluíram para monstrões; depois para monstrengos; depois para monstrodontes, de monstrodontes evoluíram para homem das cavernas, de homem das cavernas evoluíram para selvagens; de selvagens para bichos Racionais e com o aparecimento da escrita, passaram a animais Racionais e agora na fase Racional com o desenvolvimento do Raciocínio, todos seremos aparelhos Racionais.
Os monstrinhos eram surdos, mudos e cegos, ninguém sabia falar e nem tinham quem os ensinassem. Só muito mais tarde, com o desenvolvimento da energia magnética é que começaram a soltar a voz, a ver e a ouvir; porém não sabiam discernir o que viam e nem o que ouviam.
Mas depois que a energia magnética desenvolveu a imaginação, a Natureza começou a lhes ensinar tudo: a emitir sons, a falar; e sempre formando imagens, que iam ficando gravadas na máquina do cérebro deles; começando então, o aparecimento da sensação. E com o esforço que faziam para falar, veio a sede e a necessidade de beber muita água; com isso, iniciou-se um grande desenvolvimento dos órgãos internos.
E ao soltar a voz, foi começando um vago entendimento que foi evoluindo e bem mais tarde começaram as trocas, era então, o fim da pré-história.
Para dar sequência à evolução Cultural, a Natureza iniciou imediatamente a Cultura da Civilização; e a energia elétrica começou o desenvolvimento do pensamento, despertando assim, o que chamamos de consciência. Isso completa a explicação do 5º enigma, que é: O APARECIMENTO DA SENSAÇÃO E DA CONSCIÊNCIA.
Mas consciência real, verdadeira é Racional! Porque Racional sabe de tudo, não tem passado obscuro no esquecimento! Não se transforma é a eternidade é tudo agora, não tem ontem e nem amanhã.
E a consciência humana é uma consciência vaga, deformada, porque é apenas um reflexo da esquecida consciência Racional. Um ser que tem consciência Racional, não comete nenhuma das contradições citadas neste comentário; não viola a Natureza e nem agride o meio ambiente, porque não é contra a humanidade e nem contra si mesmo, porque já tem o Raciocínio desenvolvido.
O desenvolvimento do Raciocínio é o maior presente que Deus deu à humanidade; eu digo deu, porque ele, o RACIONAL SUPERIOR, veio pessoalmente ditar a CULTURA RACIONAL e já está na Terra a obra, UNIVERSO EM DESENCANTO.
É por isso que você, querido leitor: já tem motivo de sobra para ler! Os motivos são os problemas da vida; quem não tem problemas? Então não perca mais tempo.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

HUMILDADE

(Flávio Galvão Batista)
Ser humilde é enxergar e aceitar a VERDADE. E a verdade está na ORIGEM. E a origem é RACIONAL e, não, irracional , por a origem ser a RAZÃO da vida.
E orgulhoso é todo aquele que não enxerga a VERDADE e, mesmo quando enxerga, não aceita a VERDADE.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

ENVELHECER

(Pachecão - Prof. de Física e Matemática - B. Horizonte, COLABORAÇÃO de Sérgio Barros)
Não importa sua idade. Estamos envelhecendo. Não nos preocupemos! De que adianta, é assim mesmo. Isso é um processo natural. É uma lei do Universo conhecida como a 2ª Lei da Termodinâmica ou Lei da Entropia. Essa lei diz que: A energia de um corpo tende a se degenerar e com isso a desordem do sistema aumenta. Portanto, tudo que foi composto será decomposto, tudo que foi construído será destruído, tudo foi feito para acabar.
Como fazemos parte do universo, essa lei também opera em nós. Com o tempo, os membros se enfraquecem, os sentidos se embotam. Sendo assim, relaxe e aproveite. Parafraseando Freud: "A morte é o alvo de tudo que vive". É isso que acontece a nós. O conselho é: Viva! Faça apenas isso. Preocupe-se com um dia de cada vez. Como disse um dos meus amigos a sua esposa: "me use, estou acabando!" Hilário, porém realista.
Ficar velho e cheio de rugas é natural. Não queira ser jovem novamente, você já foi. Pare de evocar lembranças de romances mortos, vai se ferir com a dor que a si próprio inflige. Já viveu essa fase. Reconcilie com a sua situação e permita que o passado se torne passado. Esse é o pré-requisito da felicidade. "O passado é lenha calcinada. O futuro é o tempo que nos resta: finito, porém incerto", como já dizia Cícero. Abra mão daquela beleza exuberante, da memória infalível, da ausência da barriguinha, da vasta cabeleira e do alto desempenho, pra não se tornar caricatura de si mesmo. Fazendo isso ganhará qualidade de vida. Querer reconquistar esse passado seria um retrocesso e o preço a ser pago será muito elevado. Serão muitas plásticas, muitos riscos e mesmo assim você verá que não ficou como outrora. A flor da idade ficou no pó da estrada. Então, para que se preocupar?! Guarde os bisturis e toque a vida.
Você sabe quem enche os consultórios dos cirurgiões plásticos? Os bonitos. Você nunca me verá por lá. Para o bonito, cada ruga que aparece é uma tragédia, para o feio ela é até bem vinda, quem sabe pode melhorar, ele ainda alimenta uma esperança. Os feios são mais felizes, mais despreocupados com a beleza. Na verdade, ela nunca lhes fez falta, utilizaram-se de outros atributos e recursos. Inclusive tem uns que melhoram na medida em que envelhecem. Para que se preocupar com as rugas, você demorou tanto para tê-las! Suas memórias estão salvas nelas. Não seja obcecado pelas aparências, livre-se das coisas superficiais. O negócio é zombar do corpo disforme e dos membros enfraquecidos.
Essa resistência em aceitar as leis da natureza acaba espalhando sofrimento por todos os cantos. Advêm consequências desastrosas quando se busca a mocidade eterna, as infinitas paixões, os prazeres sutis e secretos, as loucas alegrias e os desenfreados prazeres. Isso se transforma numa dor que você não tem como aliviar e condena à ruína sua própria vida. Discreto, sem barulho ou alarde, aceite as imposições da natureza e viva a sua fase. Sofrer é tentar resgatar algo que deveria ter vivido e não viveu. Se não viveu na fase devida, o melhor a fazer é esquecer. A causa do sofrimento está no apego, está em querer que dure o que não foi feito para durar. É viver uma fase que não é mais sua. Tente controlar essas emoções destrutivas e os impulsos mais sombrios. Isso pode sufocar a vida e esvaziá-la de sentido. Não dê ouvidos a isso, temos a tentação de enfrentar crises sem o menor fundamento. Sua mente estará sempre em conflito se ela se sentir insegura. A vida é o que importa; concentre-se nisso. A sabedoria consiste em aceitar nossos limites.
Você não tem de experimentar todas as coisas, passar por todas as estradas e conhecer todas as cidades. Isso é loucura, é exagero. Faça o que pode ser feito com o que está disponível. Quer um conselho? Esqueça. Para o seu bem, esqueça o que passou. Têm tantas coisas interessantes para se viver na fase em que está. Coisas do passado não te pertencem mais. Se você tem esposa e filhos experimente vivenciar algo que ainda não viveram juntos, faça a festa, celebre a vida. Agora você tem mais tempo, aproveite essa disponibilidade e desfrute. Aceitando ou não, o processo vai continuar. Assuma viver com dignidade e nobreza a partir de agora. Nada nos pertence.
Tive um aluno com 60 anos de idade que nunca havia saído de Belo Horizonte. Não posso dizer que pelo fato de conhecer grande parte do Brasil sou mais feliz que ele. Muito pelo contrário, parecia exatamente o oposto. O que importa é o que está dentro de nós. A velha máxima continua atual como nunca: "quem tem muito dentro precisa ter pouco fora". Esse é o segredo de uma boa vida.
(Observação da Administração deste blog: RACIONAL NÃO TEM IDADE!)

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

O 4º DOS SETE ENIGMAS DA HUMANIDADE: A FINALIDADE DA NATUREZA

(Severino dos Reis)
A vida de quem não sabe de onde veio e nem sabe para onde vai; que se os pais não contarem em que dia nasceu, ou alguém, em caso de ter sido encontrado numa lixeira ou deixado na porta de alguma casa, como é comum essa prática atualmente, ele jamais saberá a sua idade; que também não sabe o dia que vai morrer (sem querer morrer) - não é apenas um ser misterioso; e, sim, um ser com uma avalanche de mistérios.
Em um mundo onde num instante o dia vira noite, onde existe uma gama imensa de qualidades de vegetais, incontáveis qualidades de minerais, inumeráveis espécies de animais, de insetos de todos os tipos, que ninguém nem ainda conseguiu detectar e qualificar todos; e nem sequer sabe a sua real serventia.
Num Universo onde os planetas, satélites, Galáxias e estrelas, estão todos em rotação geometricamente organizada e no mesmo tempo estão fugindo e não se sabe para onde como afirmam os estudiosos da Astronomia, que ninguém sabe como isso começou e nem como terminará, não é enigmático não! É uma confusão estapafúrdia de mistérios e enigmas.
Mas aqui hoje nesse comentário, trataremos apenas de explicar o 4º ENIGMA, que é: QUAL É A FINALIDADE DA NATUREZA.
Se na evolução dos seres humanos, estavam preestabelecidos três ciclos Culturais, distintamente definidos como Cultura da Pré-história, Cultura da civilização e CULTURA RACIONAL, é a lógica justificando os três períodos de sua construção: o princípio, o meio e o fim. E se até agora, tínhamos desenvolvido só a Cultura da Pré-história e a Cultura da Civilização, é porque obviamente estávamos ainda no segundo ciclo; portanto, estávamos inacabados. Por isso, somos cheios de mistérios, enigmas e perguntas e indagações sem respostas.
Mas não é por pretensões vaidosas que propomos responder todas as perguntas, desvendar todos os mistérios e explicar todos os enigmas: não! É sim, porque já estamos estudando a CULTURA RACIONAL, que completa o aprendizado humano; e fecha o terceiro ciclo Cultural da Humanidade.
E isso não é privilégio de ninguém, porque a CULTURA RACIONAL está na terra para todos indistintamente; é só se dispor a ler, a estudá-la. Pois ela está redigida em linguagem modesta, para um bom entendimento, também dos mais humildes, sem nenhuma formação acadêmica. Porém, riquíssima em sabedoria, para continuar ensinando o que falta, para completar o saber daqueles que já aprenderam tudo que a Cultura da Civilização tinha para ensinar e ainda estão cheios de perguntas, dúvidas e questionamentos. Mas é privilégio, sim, da Natureza; que como mãe zelosa e extremamente caprichosa, desde o início, sempre transformando tudo para melhor: pois de mudos que éramos, ela nos ensinou a falar; de selvagens analfabetos que fomos, ela nos ensinou a ler e a escrever; e de transformações em transformações ela nos trouxe, ao último ciclo Cultural do terceiro Milênio.
Mas o homem moderno denomina de enigma, o que ele mesmo sequer sabe definir, os contornos do objeto de sua indagação. Para saber a finalidade da Natureza é necessário primeiro, saber o que é realmente a Natureza. E a CULTURA RACIONAL, define com propriedade, todos os contornos da formação da Natureza. A Natureza é a planície que se transformou em água e terra; porque quando a água penetrou na cinza que deu origem à terra, a cinza molhada apodreceu com o calor do foco de luz e tudo que apodrece gera micróbios.
E por os Racionais terem se extinguido em cima da terra e da água, eles nasceram nos corpos dos primeiros micróbios, para dar sequência à vida, que havia sido interrompida pela extinção. Por isso, as primeiras vidas a nascer de matéria, foram os micróbios Racionais, que vieram evoluindo, até chegarem a esse complexo organismo humano, como aparelho reprodutor da sua classe. Mas a água sempre molhando a terra, continuou produzindo vidas de todas as formas, de todas as classes: animais, vegetais e minerais. Por isso, somos sempre surpreendidos com formas de vidas, que a Ciência ainda não conhece; porque com as transformações constantes, as vidas vão tomando formas de cada época que está se passando.
E os corpos de vidas materiais: seja ele animal, vegetal ou mineral, cada um tem a sua vibração energética, que está em contato permanente com o campo de energia elétrica e magnética da água e da terra. E as energias da água e da terra por sua vez, estão em contato permanente com as essências de tudo, que é a Energia Racional.
Portanto, a Natureza não é só o verde, a fauna animal e vegetal não! A Natureza é tudo que existe nesse Universo: visível e invisível, na terra e fora dela; porque a terra, a água, o Sol, a Lua, as estrelas, os planetas e tudo e tudo que existe é consequência da deformação da planície e dos Racionais.
Para quem leu a explicação do 3º enigma, que é o APARECIMENTO DA VIDA, certamente percebeu que os Racionais progrediam e progride o MUNDO RACIONAL, de pureza para mais pureza sempre. Quer dizer: os Racionais comandavam e comandam o MUNDO RACIONAL. E depois que os Racionais provocaram a deformação da planície e se extinguiram, houve uma inversão: os Racionais perderam a luz Racional de seus corpos e ficaram mortos para sua origem; e a planície passou a ser uma vida geradora de vidas e a comandar todas as vidas; e uma nova luz apareceu. Mas essa luz começou a esquentar, porque não era mais de energia Racional, já tinha se transformado em energia elétrica e magnética que é fogo. E a planície se transformou em água e terra e em todo esse universo vivo; e começou a gerar vidas em todas as formas de micróbios: Racionais e Irracionais.
Portanto inverteu: os Racionais ficaram mortos para sua origem e a Planície se transformou em Natureza viva; e passou progredir os micróbios Racionais evoluindo para seres humanos e os micróbios Irracionais para animais Irracionais e a progredir tudo que existe no Universo; para que através das transformações, um dia novamente atingir a consciência Racional.
Ah! Agora nós sabemos: é para lá que os Planetas, galáxias e todo Universo está fugindo! É para o MUNDO RACIONAL. Essa é: A FINALIDADE DA NATUREZA; progredir tudo, produzir tudo e alimentar todos, até os Racionais que provocaram essa deformação, evoluírem na Cultura da imaginação, na Cultura do pensamento e ficarem preparados para desenvolver o Raciocínio na CULTURA RACIONAL. Porque o Raciocínio desenvolvido, leva todos de volta ao MUNDO RACIONAL. E todos esses ensinamentos, estão nos livros da obra, UNIVERSO EM DESENCANTO, à disposição da humanidade.