Follow by Email

sábado, 29 de setembro de 2012

NEM TUDO ESTÁ PERDIDO, MAS, É PRECISO SE FORTALECER

O cenário atual do mundo, o cenário aparente, mais negativo que positivo, deixa os viventes desanimados, desorientados, sem saber onde se firmar.
A pessoa se desanima com as notícias cada dia mais monstruosas, deixando todos inseguros, sem saber o que fazer, pra onde ir, sem saber em que se apegar e em quem confiar. Mas, é uma fase de transição, de mudança da Natureza, onde tudo que já existiu e ainda existe, vai perdendo o seu valor, virando cinzas, deixando a maioria num estado depressivo, de desânimo, todos desorientados e, muitas vezes, sem forças para assumir os compromissos mais simples da rotina de sobrevivência.
Tudo isso devido à mudança de fase da Natureza, que deu por encerrada a cultura até agora desenvolvida, cuja função de preparação dos viventes teve o seu final, pois, na vida da matéria tudo que tem princípio tem fim.
Quando termina uma fase, começa outra. Terminou a fase do animal Racional, mas, esse término não é o fim e, sim, o início de uma nova civilização, muito mais adiantada, que chega muito naturalmente para recuperação de todos nós: a Fase Racional, a fase de aparelho Racional.
A fase onde todos vão finalmente se aparelhar às forças mais poderosas da Natureza para encontrar a sua individualidade verdadeira, que estava perdida há milhões de milênios.
E para compreender e entender e se valer nesta fase de transição, é preciso e necessário que todos tomem conhecimento dos movimentos mais sublimes que estão ora acontecendo em nosso benefício e que não são aparentes. E para isso é necessário conhecer o que ninguém nunca soube, nem conheceu: a cultura verdadeira natural da Natureza.
Portanto, quem deseja o bem de si mesmo e de toda a humanidade, quem anseia por paz, amor e fraternidade, quem sempre almejou a união e a concórdia universal, deve, o quanto antes, tomar conhecimento dessa cultura.
Nela o vivente vai tomar conhecimento de todos os movimentos cosmológicos, desde a origem, de onde saímos por livre e espontânea vontade, até o presente momento. Então, compreenderá, finalmente, que estivemos sendo, por milhões de milênios, sendo preparados pela Mãe natureza para, agora, estarmos em condições de retornar ao nosso estado natural.
Sim, estado natural, sem defeitos, sem desequilíbrios, sem medos, sem depressões, sem agitações, sem ódios, um estado de plenitude e de absoluta paz.
Sem tomar conhecimento da cultura natural da Natureza, ninguém poderá se soerguer das cinzas em que se encontram, que firmeza nenhuma podem dar a quem quer que seja.
Essa cultura de puro bem é que irá nos dar a sabedoria verdadeira e, conseqüentemente, o fortalecimento e engrandecimento necessários para continuarmos nesta vida terrena, porém, desligados de tudo o que é de material, desencantados do mal e ligados às consistências benignas, que nos orientarão nesta enfim ascensão ao estado pleno de ser: todos com o mesmo saber e, por isso, sem divisões, sem grupos, sem preconceitos, todos unidos, firmes e coesos no verdadeiro caminho do bem, a estrada Racional, ou natural, que é a mesma coisa. Todos como verdadeiros irmãos! A Cultura Racional, da nossa Mãe Natureza Racional, que todos passarão a conhecer e se comunicar com ela, essa cultura é que promoverá o que a humanidade sempre procurou e nunca encontrou: a CONCÓRDIA UNIVERSAL.
Chega de choros, chega de lamentos, chega de tristezas e de padecimentos. A hora é agora, de tomar conhecimento dessa cultura brilhante, grandiosa e se fortalecer para, muito em breve, assistirmos sob júbilos e glórias, a confraternização universal. Está nas mãos de cada qual decidir pela abolição do sofrimento e a consolidação de todos os irmãos, porque DEUS é um só: O RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNOS e a ENERGIA SUPERIOR A TODAS AS ENERGIAS. E mais do que DEUS: ninguém.
Vamos acordar minha gente, que a alegria está no ar!

domingo, 23 de setembro de 2012

DOIS EM UM E AS LEIS UNIVERSAIS

(Porfirio Jesus das Neves)
Antes, uma referência de notável importância, para demonstrar que nosso leque de compreensão precisa estar sempre aberto e cada vez mais abrangente, cada vez mais contemplativo e, por isso, cada vez mais receptivo aos bons eflúvios do Conhecimento Real.
A fé é uma forma de crença imutável e rígida, onde nenhuma nova informação entra. Você se encarcera e inconscientemente não se permite aprender. (Amit Goswami)
Aprendemos em todas as instâncias de nossa vida que existe uma dualidade existencial que é universal. Universal quer dizer, em todos os aspectos, de todas as formas, jeitos e maneiras. Assim como tem a dualidade existencial (duas formas de ser) também existe a dualidade causal. Isto garante que a dualidade, pelo menos, também é dual - o princípio que se reflete em si mesmo. O “pelo menos” significa que, além da dualidade existencial e causal, também poderemos considerar a dualidade de origem (de cima e de baixo), completando assim um ternário de aspectos do princípio da dualidade.
Todo ser vivente depende de dois anteriores para nascer e sempre pode se manifestar de duas formas ou ações diferentes. Isto se aplica a todos os seres viventes neste nosso mundo: animais, vegetais, minerais, astros, planetas, enfim, todos os seres. Cada ser, para existir, depende sempre de dois antecessores e tem sempre duas ações opostas: ser ou não ser; agente ou paciente; ácido ou base; oxidante ou redutor; e, etc.
Existe uma lógica que diz: tudo tem uma causa e uma origem. Esta lógica, por si só, já é uma confirmação de que tudo depende de dois anteriores.
Como exemplo, podemos aplicar esta lógica a um aplicativo de computador: a causa de um aplicativo está na máquina (hardware) e a origem está no sistema operacional (software). Este conjunto é que dá base ao aplicativo computacional para realizar suas tarefas.
Outras ilustrações simples são: Um filho tem um pai e uma mãe. O corpo do Animal Racional pode ser visto como matéria e “espírito”. Assim, tudo e todos, neste mundo, são dois em um. E por 3 motivos diferentes! E ainda temos o motivo dos motivos! Então, somos dois em um, tanto pelo aspecto de causa e origem, quanto pelo aspecto de constituição e formação. E também somos dois em um pelo aspecto existencial e funcional - a pessoa de dentro e a pessoa de fora; o íntimo e o exterior de cada pessoa.
Surge assim a concepção de um “ternário de dualidades” na composição, na geração e na existência de um ser (lei de 3).
Podemos assim dizer que os “seres” são formados por três partes do “antes do ser”, em respeito à lei de Causa e Efeito.
“Os seres orgânicos são a sombra do antes do ser”!
Analisem agora, que o antes do ser é um ternário: o que eram, o que foram e o de onde saíram.
“O antes do ser é a sombra daquilo que eram. A sombra daquilo que eram (o antes do ser) é a sombra daquilo que foram. A sombra daquilo que foram (o antes do ser) é a sombra de onde saíram. E a sombra de onde saíram (o antes do ser) é dos corpos puros e limpos, sem defeitos.
Perceberam a lei de 4 no texto acima?
A lei de 3 e a lei de 4 são leis universais, o princípio da dualidade também. O difícil é sabermos conjugar os princípios da dualidade com a lei de três. E ainda termos que considerar a lei de 4, sem ofender a lei de 3 nem o princípio da dualidade.
Tudo isto parece ser de difícil compreensão quando queremos entender a coisa como um todo, usando apenas o pensamento e a imaginação, porque a nossa capacidade mental trabalha bem com a concepção da dualidade e, razoavelmente bem, cria hipóteses na concepção da trindade.
Com nós mesmos, observando a nós mesmos, constatamos assim que o desenvolvimento do pensamento e da imaginação, que é uma dualidade da ação mental, é que fazem nossa mente agir e reagir em relação às demais coisas. Mas isso é muito pouco, ou nada mesmo!
Mas este suporte mental é que vai contribuir para a concepção do “terceiro milênio”, consagrando a lei de 3 e a lei de 4. Da dualidade, pensando e imaginando, chegamos ao desenvolvimento do Raciocínio – o “terceiro” que é espacial.
Mas esta conclusão somente será verdadeira se respeitarmos a lei de 3 e a lei de 4. Para chegarmos ao “terceiro” precisamos de três dualidades em conjugação, três dimensões conjugadas. Podemos, assim, sugerir a compreensão da lei de três: “para alcançarmos o “terceiro” precisamos de três dualidades, porque a lei de 3 não pode ferir o princípio da dualidade, assim como a lei de 4 não fere o princípio da dualidade nem a lei de 3.
Portanto, a partir da dualidade de pensar e imaginar, é alcançado o desenvolvimento do Raciocínio, que é o “terceiro” (o ato perfeito). A dualidade pensamento-imaginação é gerada pela dualidade genética e aplicada sobre ela mesma como fator dominante e fator recessivo (objeto em transformação e evolução) e coordenada pela dualidade existencial do “ser ou não ser” e do “antes de ser” (ordenação, regência e comando do ato perfeito gerado do objeto e aplicado sobre o objeto pela vontade de “uns tantos”).
Assim como a dualidade implica na lei de 3, assim também a dualidade e a lei de três, combinadas como dois elementos, implicam na lei de 4.
Ilustrativamente, a lei de 4 pode ser vista em um tetraedro! Como sabemos, um tetraedro tem quatro faces iguais, mas pode ser visto como uma conformação sólida de três faces conjugadas sobre uma quarta face. Qualquer face pode ser a base e temos quatro opções geométricas para ser a base do tetraedro, em respeito à lei de 4, mas, por serem todas iguais, a lei de 4 representa o retorno à UNIDADE. As quatro faces são triangulares em respeito à lei de 3. A face que é tomada como base pode estar orientada para cima ou para baixo, em respeito ao princípio da dualidade. Está aí a liberdade como imperativo da Natureza.
Assim, quanto à orientação espacial, o tetraedro pode conformar uma pirâmide de três faces sobre uma base triangular que, quando dispomos a base em cima, temos aí a conformação que sugere um brilhante. Em resumo, um tetraedro é uma pirâmide triangular ou um brilhante de acordo com a intencionalidade de olhar (lei de 4, lei de 3 e dualidade simbolizadas por uma forma sólida).
Não é por acaso que a Ciência constatou que a manifestação da vida tem por base o átomo de carbono cuja representação espacial é feita por um tetraedro. E todo e qualquer tipo de vida, dentro do conceito científico, deve apresentar átomos de “carbono quiral”, que também é referido como carbono assimétrico.
Um carbono quiral é aquele que está ligado a quatro radicais diferentes entre si e adquire este nome porque sempre será possível obter outro composto que é dito enantiômero ótico, como se fosse uma imagem refletida no espelho. Estes isômeros óticos constituem uma classe de compostos químicos de extremo interesse para compreendermos a manifestação da vida. A isomeria ótica é comprovada experimentalmente pela propriedade destes compostos desviarem a “luz polarizada” para a direita ou para a esquerda. Todos os aminoácidos, que dão base para construção das proteínas, têm pelo menos um átomo de carbono quiral. E assim, todos os demais compostos que servem para explicar a manifestação da vida na matéria.
Este “devaneio” pela Química se justifica para ilustrar uma aplicação do princípio da dualidade, lei de 3 e lei de 4 na manifestação da vida, ilustrada pelo carbono tetraédrico.
E por causa deste conceito preliminar, podemos compreender que uma pedra também é um ser vivo. A base de construção das pedras, é o átomo de silício que, igualmente ao átomo de carbono, também é um tetraedro e assume conformações quirais ou isomeria ótica.
O ser 2 em 1 tem todos estes desdobramentos, e muito mais, porque a dualidade implica na lei de 3 e, conseqüentemente, para alcançarmos a “vida espacial” teríamos que considerar a lei de 4, tendo em vista que um triângulo isolado define apenas um plano ou Planície. Um plano se define por três pontos – este é um dos postulados da geometria.
Apenas fazendo uma rápida referência à Cultura Racional: quando aprendemos a combinar as três mecânicas da geração, formação e desenvolvimento dos seres, mecânica Racional, mecânica Material e mecânica Celeste – Lógica, que está na Planície - também aprendemos que há uma mecânica que é dita do verdadeiro Deus, o Redentor, que é quem dá o referencial da base da origem a todas as coisas – Base, que está no Mundo Racional – tudo é de origem Racional.
Também, por este aspecto, alguns se referem a uma visão “quadridimensional” do Racional Superior da Terra, consagrando assim a lei de 4, ilustrada pelo nosso tetraedro na Química.
Entenda-se que o Racional Superior da Terra é um habitante do Mundo Racional, puro, limpo e perfeito e, portanto, não se entende como dois em um. Em realidade Ele é um só: o Racional Superior da Terra (vide 1º. Fascículo da Réplica – “Quem é o Racional Superior da Terra?). Ele é um só porque Ele nunca foi nem é deste mundo tridimensional (Planície) e, por isso, teve a missão de ditar o livro Universo em Desencanto, onde aprendemos tudo isso, sem ofender nenhum conhecimento desenvolvido pela mente humana.
O livro Universo em Desencanto desenvolve o “Raciocínio Espacial” libertando todos deste mundo tridimensional que é a Planície. Surge assim o real conceito de “vida espacial” (tetraédrico) – é o que está acima destas três dimensões que definem a Planície – é a vida Racional, do Mundo Racional. E o pensamento achava que três dimensões já era espacial.
O Conhecimento desenvolvido pela mente humana, como na conformação de uma pirâmide, de baixo para cima, parece ser uma imprudência humana, mas, em verdade, foi forma definida pela própria natureza para lapidar o brilhante.
Na verdade, todo o conhecimento desenvolvido pela mente humana, faz parte de uma construção universal que tem por meta lapidar e preparar para o retorno de todos ao seu verdadeiro estado natural. O brilhante é a “Energia que está materializada em forma de máquina do Raciocínio”.
Lembram da configuração de um tetraedro que quando a base está em baixo vemos uma pirâmide e que, quando invertemos a base para o lado de cima, enxergamos um brilhante? Então, assim também podemos definir o encanto e o desencanto. E também podemos ilustrar comparativamente com a Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal e a Árvore da Vida.
O encanto está na conformação de uma pirâmide porque usamos a base voltada para baixo; as raízes da árvore estão no chão; a evolução é de baixo para cima. Já o desencanto está na conformação de um brilhante, como uma imagem especular da pirâmide; as raízes da árvore estão em cima; a revelação é de cima para baixo.
E aí, a gente se define: ou aceita a orientação que vem de cima (revelação ou desencanto), assumindo que a base está em cima, e tornando a vida um brilhante, ou a gente continua assumindo que a base está em baixo e continuamos enterrados nesta “pirâmide quiral” da matéria, pensando em chegar ao vértice com a base no chão (ilusão ou encanto).
A opção lógica é o Conhecimento da Imunização Racional – leia o livro Universo em Desencanto e encontre o seu próprio brilhante em si mesmo.

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

A CULTURA RACIONAL NÃO CONTRADIZ NADA, NEM NINGUÉM, APENAS COMPLEMENTA E RECUPERA TUDO E TODOS

“Deus vence com amor, com carinho e com Suprema Benevolência Racional para pacificação Universal, com a Paz, o Amor e a Fraternidade...” (RACIONAL SUPERIOR).
Quem refletir sobre essa afirmação, com muita atenção e seriedade, saberá reconhecer em tudo e em todos onde está e onde não está Deus Verdadeiro.
O Universo em que vivemos é a deformação de uma pequenina parte do nosso mundo verdadeiro, de onde saímos, o MUNDO RACIONAL.
Como e porque se deu essa deformação, não abordaremos aqui para não alongar, mas, poderão ter conhecimento no 1º volume de Universo em Desencanto.
Nessa deformação a pequenina parte foi se decantando, perdendo energias, que tomavam formas diferentes do que eram, formando degraus de deformação, portanto, sempre em estados inferiores, formando níveis diferentes em seqüência negativa, dando origem a dimensões diferentes e dependentes entre si. Tudo fruto da natureza em transformações.
Resumindo, formaram-se os seguintes mundos, todos abaixo do Supremo Mundo (o MUNDO RACIONAL): Astral Superior, Astral Inferior e Astral Térreo.
Cada mundo desses com seu respectivo saber, diferente do saber SUPREMO, devido à deformação. E cada qual com sua organização, sua hierarquia e seu representante máximo: seu Deus.
E a Natureza? São duas. A parte deformada, soma dos mundos deformados e a parte natural, que é a essência do MUNDO RACIONAL, que acompanhou a deformação para dar causa a tudo e a todos, a força geradora, criadora e mantenedora.
A humanidade, ligada ao Astral Térreo, ficou desligada de sua verdadeira identidade, a identidade Racional, a essência, sem entendimento de si mesma, de tudo e de todos. A Natureza natural a parte da essência, encarregou a Natureza deformada do trabalho de lapidação da humanidade, para nascer nessa humanidade o entendimento e compreensão do mundo em que se encontra. Para isso houve necessidade da ligação da humanidade no mundo imediatamente superior, o Astral Inferior (o mundo espiritual), encarregado da lapidação necessária para nascer no animal Racional o entendimento do bem e do mal, nascendo daí as escriturações espirituais, ditadas pelo Deus do Astral Inferior, que em suas mensagens sempre ensinou à humanidade as más conseqüências de se deixar levar pelo Deus do Astral Térreo.
Os que deram ouvidos, desligaram-se do Astral Térreo. Os demais, continuam com suas monstruosidades, por falta absoluta de saber, por terem negligenciado as escriturações espirituais.
Para verem que até este ponto, o mundo em que vivemos não esteve por conta da origem, o MUNDO RACIONAL, onde habita o Deus de todos os Deuses, o Poder de todos os Poderes. Recomendamos a leitura do texto do link a seguir, onde encontrarão explicações muito boas sobre o assunto: http://nalub7.wordpress.com/2012/03/01/por-que-de-tantas-religioes-a-cultura-racional-propoe-mais-um-deus/
Agora fica fácil entender porque o mundo em que vivemos sempre foi de vinganças, sofrimentos, padecimentos e angústias: é o trabalho da Natureza deformada para lapidação da humanidade, na lei do bem (aparente – porque é deformado) e do mal. Tudo é vingado, tudo tem que ser pago, tudo tem alto preço, por estarmos fora do nosso estado natural, levando surras e mais surras da Natureza deformada, até que entendamos e compreendamos que estamos fora do nosso mundo verdadeiro, somos forasteiros e, em assim sendo, não temos direito a nada, por não sermos donos de nada nem de ninguém.
As corrupções, as chacinas, os estrupos, os seqüestros, os crimes de pedofilia, as monstruosidades, as doenças, as drogas, as catástrofes da natureza, os problemas familiares e no trabalho, todo tipo de divisão etc., enfim, tudo de ruim é somente para nos acordar para a realidade, que não é este universo deformado. Tudo isso para nos desencantar da matéria. Pois, enquanto encantados, longe, muito longe estamos do Verdadeiro DEUS.
Deus não lapida, Deus não faz sofrer e nem quer o sofrimento de ninguém. Deus não é vingativo. Deus não exclui nada nem ninguém. Deus quer a recuperação de tudo e de todos.
E, por isso, por já estar boa parte da humanidade bem preparada pelo Astral Inferior, que é o mundo espiritual, a Natureza natural entrou em vigor em 1935, encomendando a escrituração que contém a cultura que já tivemos antes de nos deformar, a Cultura Racional, do MUNDO RACIONAL, para complementação do nosso saber (que brilhantemente nos foi dado pelo Astral Inferior) e para nossa recuperação da identidade perdida, a identidade da origem, a identidade Racional.
Assim, o Astral Inferior encerrou brilhantemente sua missão de lapidação da humanidade e se uniu ao Astral Superior para a recuperação de todos que ficaram bem preparados, deixando os não preparados por conta da Natureza deformada, que está providenciando a liquidação do animal Racional, que, por mau uso do livre arbítrio, não quis se preparar na fase espiritual do 2º milênio, não dando crédito às escriturações espirituais. E a fase agora é de Aparelho Racional, do 3º milênio (3º mundo de baixo para cima).
Todos os bons do Astral Inferior continuam trabalhando, porém, na linha Racional, junto ao Astral Superior, incumbidos de nos encaminhar no desenvolvimento do raciocínio, através do estudo dos Livros Universo em Desencanto. São deuses que abdicaram de suas divindades e se renderam ao Verdadeiro Deus, o RACIONAL SUPERIOR. Os demais, que não se renderam, continuam na Terra (se passando por bons) liquidando e destruindo a humanidade que, para ter proteção contra esses ditos, basta se ligar na ENERGIA RACIONAL, com a leitura dos Livros Universo em Desencanto, tendo, assim, a proteção dos Guias e Protetores que sempre nos acompanharam até 1935, a proteção dos Guias e Protetores do Astral Superior, a proteção dos Habitantes do MUNDO RACIONAL e, principalmente, a proteção do RACIONAL SUPERIOR, dia e noite e noite e dia, em todo lugar e em qualquer situação, porque o RACIONAL SUPERIOR, o Verdadeiro Deus e todos os seus correligionários vencem com amor, com carinho e com Suprema Benevolência Racional, para a Pacificação Universal, com a Paz, o Amor e a Fraternidade. Não existindo vinganças, rancores, ciúmes, despeitos, ódios, invejas, fracassos, doenças, desequilíbrios, pois, tudo isso pertence ao mundo inferior, onde a Natureza natural, a Natureza Racional, não tem a menor responsabilidade, por tudo isso ser fruto da Natureza deformada.
As demandas e dívidas de todos nós são da nossa parte animal. Ligou-se à Natureza Racional, ligou-se à ENERGIA RACIONAL e ficamos completamente redimidos de todas as demandas e de todas as dívidas, porque um filho que reconhece o seu PAI tem todas as bênçãos da Natureza Racional (ou natural, que é o mesmo) e fica coberto pelas linhas gerais dela, não podendo mais ser lapidado e ficando imune de todas as influências negativas. A esse estado se diz: IMUNIZAÇÃO RACIONAL.
Portanto, minha gente, vamos prestar atenção à nossa volta, a tudo que lemos, a tudo que ouvimos, a tudo que assistimos, passando um pente fino e sendo indiferente a tudo que não seja do nosso PAI, ou seja, tudo que seja contra o amor, a paz, a fraternidade, o carinho e a Suprema Benevolência Racional, para não comprarmos gato por lebre.
Procuremos nos desencantar, mas, respeitando tudo e todos, porque senão, não é desencanto, não é iluminação e, sim, mais uma sutil influência da parte animal, do encanto, da Natureza deformada.
Lembrando que cada qual tem a ver somente consigo mesmo, porque a vontade é livre. Desencanta quem quer e continua encantado também por livre opção – todo respeito é pouco.
Tenhamos todos gratidão à Mãe Natureza Natural, que há milhões de milênios vem nos acompanhando e nos conduzindo até chegarmos aqui, lendo os Livros brilhantes que Ela nos presenteou: Universo em Desencanto.
Agradecemos a todos que lerem com atenção e procurarem divulgar tudo isso que estão tomando conhecimento, pois, nossos semelhantes estão sofrendo muito por falta deste saber que nos é dado pelos Livros Universo em Desencanto – ademais, precisamos praticar a fraternidade, para não cairmos nas malhas da Natureza deformada, que não perdoa quem está por conta dela.
Tenhamos todos discernimento superior.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

LOUVADO SEJA 7 DE SETEMBRO!

O Brasil é um país muito especial, por nele habitarem os primitivos seres desta Galáxia Térrea a reconhecerem a Cultura Racional, a cultura verdadeira, por ter como base a razão verdadeira da vida.
E, assim, todas as homenagens ao 7 de setembro serão sempre louváveis, porque é daqui, do Brasil, que parte o grito de INDEPENDÊNCIA DO SER HUMANO desta tenebrosa e horrorosa obscuridade material e espiritual.
Brasil é o berço da paz, da fraternidade, do amor, da união verdadeira, que já começou a ser construída, entre os humildes, que já reconheceram serem os responsáveis por essa vida malcheirosa da matéria. E pouco a pouco, os demais brasileiros chegarão a essa conclusão, porque quem manda em todos é a Natureza e foi ela quem destinou essa missão ao povo brasileiro, de levar o conhecimento do desenvolvimento do raciocínio a todas as nações do mundo inteiro.
Mas, enquanto isso não se concretiza completamente, chamemos à atenção nossos irmãos-semelhantes, com nossas observações, numa prova de carinho e amor por nós próprios e pela humanidade. Pois, é conversando, dialogando, que vamos chegando aos entendimentos certos e corretos da vida.
Então… os apelos e a busca pela paz no mundo são de veteranas eras. Apesar disso, o que se vê e se comprova é a violência de toda sorte progredindo. Não é pela falta de busca, todos, de acordo com sua visão, entendimento e compreensão da vida, a estão buscando.
E aí está o porquê ela nunca foi encontrada no mundo, para iniciar o seu progresso e embargar o progresso da violência: cada qual tem o seu entendimento e compreensão da vida diferente um do outro, por todos se basearem na matéria, onde tudo e todos são diferentes.
Uns achando que encontrarão a paz na realização de seus sonhos profissionais, outros na esperança da realização dos sonhos conjugais, outros na esperança da realização dos seus sonhos sociais etc. E assim cheios de sonhos e esperanças, vão se iludindo e perdendo o tempo precioso que deveriam empregar no conhecimento das leis naturais da vida, que nada têm a ver com os sonhos e as esperanças, porque as leis naturais da vida imperam desde que o mundo é mundo e preexistem à existência do animal Racional. A verdade sempre existiu, o animal Racional é que, por livre arbítrio, se divorciou dela, sonhando e esperando criar uma outra verdade a seu modo e contra as leis naturais e, por isso, sempre viveu de sonhos e ilusões e a verdade que quis forjar, ficando nos sonhos, nas esperanças e nas ilusões, pois, fora da VERDADE, que é a existência real, nada se consolida e tudo se destrói.
A falta de maturidade da humanidade é que a deixou se levar pelas aparências, buscando o bem e a paz na matéria, que é um bem aparente, porque tudo na matéria se acaba, bem como todos os valores criados com base na matéria (quantos sistemas de governo já existiram e se findaram, quantos costumes, quantas leis, quantas modas, quantos hábitos… tudo ficou no esquecimento, quanto sofrimento e quantas lutas e guerras por causa desses sistemas, modas, hábitos, costumes, enfim, quanta dor e sofrimento desnecessários, quanto tempo perdido, pois, tudo se acabou). E quanto mais se busca o bem no mal, mais violência se colhe, porque a matéria, que é mal puro, é um estado provisório e passageiro, uma deformação do estado energético natural, nada podendo oferecer à humanidade em termos de realização completa, deixando o ser humano sempre incompleto, insatisfeito e, em conseqüência, cada vez mais violento.
Ora, toda a humanidade, de forma generalizada se encontra nesta situação de insatisfação. Tentamos tudo realizar na matéria para nosso progresso, na esperança de ao final conseguir a satisfação e equilíbrio de todos.
Tudo em vão. Até nos lugares do mundo onde o analfabetismo não existe, onde todos têm um conforto relativo para atender às suas necessidades, onde se procura respeitar o meio ambiente, com práticas preservadoras da limpeza do ar, das águas e da terra, até nesses lugares a insatisfação impera e de tal forma, que tem levado essas nações a altos índices de suicídio.
Provado está que os caminhos que a humanidade escolheu para alcançar a paz, foram e são caminhos enganosos, caso contrário todos já estariam há muito equilibrados, em absoluta paz e, conseqüentemente, unidos, porque a paz é uma só: a razão da vida. Sem conhecimento da verdadeira razão da vida, é impossível caminhar em harmonia com essa razão da vida. É preciso o conhecimento cultural dessa razão da vida, para calcar nossas vidas nesse conhecimento cultural e, não nas milenares experiências materiais que viemos desenvolvendo ao longo de nossas existências, que tão somente serviram para nos lapidar e advertir, através do sofrimento, de que a cultura que criamos e forjamos foi o preço alto que pagamos por nossa soberbia de virar as costas para o conhecimento cultural eterno, que sempre manteve essa poderosíssima natureza visível e invisível: a cultura natural, a CULTURA RACIONAL, a cultura do nosso verdadeiro mundo de origem, porque não há efeito sem causa.
Se existe este universo em que vivemos, é porque existe um universo superior que lhe deu origem, mas que essa origem não é material e, sim, um colossal corpo de energia extra cósmica, pura, limpa e perfeita.
Lá há união, pois todos os seus habitantes são puros, limpos e perfeitos, por terem como base o mesmo conhecimento cultural da razão da vida, portanto, todos são RACIONAIS puros, limpos e perfeitos, não há diferentes e por isso se somam. Aqui embaixo, somos RACIONAIS deformados, inferiores, porque vivemos à margem da razão da vida, cada qual se degenerando e se deformando e se inferiorizando cada vez mais, de acordo com seu gosto e sua vontade, dando expansão a tudo que pensa e imagina, sem levar em consideração as ordens naturais da razão da vida, tendo como base somente o mundo material visível e invisível, sem a substância da razão da vida. Todos se dividindo cada vez mais e, não somando.
E, assim, cada qual se torna cada vez mais diferente um do outro, mais distante um do outro, mais solitário, mais insatisfeito, mais desequilibrado e, conseqüentemente, mais violento.
Somente a razão verdadeira da vida nos equilibra, porque fomos originariamente criados graças à razão verdadeira da vida. E, por isso, viver sem as bases dessa razão, é morrer dia a dia para a vida verdadeira, a vida eterna. Nosso pensamento e nossa imaginação têm nos ludibriado, impedindo que raciocinemos sobre a verdadeira razão da vida.
Quando todos, cansados de tanto sofrer, atinarem sobre o quanto temos sido ludibriados e enganados pelo nosso próprio pensamento e imaginação, que são os responsáveis pelo estado em que se encontram nossas vidas e o mundo, aí então, vão todos começar a se voltar para a razão verdadeira da vida, e o desenvolvimento do mundo será RACIONAL, ou seja, todos reconhecerão que são UM SÓ, porque a nossa origem é uma só: RACIONAL, ou seja, somos originários de uma ENERGIA PURA, LIMPA E PERFEITA. E assim se dará a união verdadeira de toda a humanidade, pelo DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO, porque o raciocínio une e o pensamento divide.
E a união só pode ser feita pelo desenvolvimento do raciocínio.
Procure conhecer a cultura que existe anterior à existência deste segundo mundo em que vivemos: a sua verdadeira cultura, a CULTURA RACIONAL, onde as bases são o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia entre todos, sem os quais, nada tem sentido. Conheça a Cultura Racional, onde tudo é válido e respeitado, desde que impere a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia racional, de um por todos e todos por um. Portanto, sem preconceitos.
Na união verdadeira racional está a paz de todos, porque é a base de tudo e de todos, é o que deve reger tudo e todos, porque tudo e todos pertencem a um mesmo mundo, o MUNDO RACIONAL, dos puros, limpos e perfeitos.
Mas, a vontade é livre, e é por causa da vontade e do livre arbítrio é que demos causa a este mundo desequilibrado em que vivemos.
Está em nossas mãos reverter a situação, da violência para a união, basta apenas que cada qual procure se desenvolver de acordo com as bases da razão da verdadeira vida, que é eterna.
Chega de plantar discórdia, plantemos a concórdia, pelo desenvolvimento do raciocínio.
E LOUVADO SEJA O BRASIL, BERÇO DA VERDADEIRA CIVILIZAÇÃO, QUE É A RACIONALIZAÇÃO DOS POVOS, ONDE TODOS APRENDERÃO A VIVER SOMANDO E NÃO DIVIDINDO, PARA COLHEREM MAIS TARDE A VERDADEIRA UNIÃO!
SALVE 7 DE SETEMBRO! SALVE A INDEPENDÊNCIA DO RACIOCÍNIO SE LIBERTANDO DO PENSAMENTO E DA IMAGINAÇÃO! SALVE A UNIÃO DO ANIMAL RACIONAL COM O MUNDO RACIONAL!

domingo, 2 de setembro de 2012

02 DE SETEMBRO: DIA DA LUZ DA DIVINA PROVIDÊNCIA!

Quem não gostaria de ser eterno?
De ter um corpo de energia pura, tão pura que tão somente espargisse luz continuamente?
Que não precisasse de se alimentar, alimentando-se com a própria luz?
Num mundo onde tudo e todos fossem assim, de mesma pureza, limpeza e perfeição?
Onde reinasse a mais profunda e elevada paz, amor, vivendo tudo e todos em absoluta união, todos se entendendo com todos sem precisar falar, gesticular?
Onde o bem verdadeiro fosse a causa e efeito de tudo e de todos?
Sem precisar trabalhar, criar coisas para sua subsistência, por tudo estar conscientemente em seus devidos lugares?
Onde não houvesse sexos diferentes, por não haver diferença entre nada e entre todos?
Onde tudo e todos dispensassem criações, buscas e pesquisas, por tudo e todos terem a mesma e eterna sabedoria?
Ah, essa a situação que até o mais rude vivente da Terra gostaria de nela estar.
Pois é, parece até um sonho, não é mesmo? Mas, não é!
Existe um mundo assim, que é o mundo de onde saímos para constituir este mundo material em que vivemos, onde nos deparamos apenas com problemas, imperfeições, doenças, tragédias, monstruosidades, aflições, agonias, padecimentos e sofrimentos dia e noite, entra ano e sai ano.
E pergunta-se: “E como retornar a esse PARAÍSO ETERNO?”
E é por isso que todo dia 02 de setembro entramos em festa, porque a resposta para essa pergunta já está na Terra.
Neste dia 02 homenageamos a Luz da Divina Providência, que há milhares de anos vinha anunciando a chegada da Grande Resposta.
E esta resposta se encontra no Livro trazido pela Mãe Natureza, ditado pelo Raciocínio Superior a todos os Raciocínios, Habitante do PARAÍSO ETERNO, o Mundo Racional, contendo a DIVINA PROVIDÊNCIA de retorno de tudo e de todos ao seu verdadeiro estado natural de ENERGIA RACIONAL PURA, LIMPA E PERFEITA.
Que livro é esse?
UNIVERSO EM DESENCANTO!
Por isso, na data de hoje, toda a Natureza está em festa, assim como todos que já tomaram conhecimento da GRANDE RESPOSTA, que está contida na maior Obra Universal, que desvenda todos os mistérios, enigmas, finitos e transfinitos, colocando fim no encanto pela matéria, através do desenvolvimento do nosso raciocínio.
Reflitamos, com atenção e seriedade se vale a pena continuar sofrendo e penando como animal, na luta do nada (que é o animal) pelo nada (que é a matéria), para tudo e todos terminar em nada.
A vontade é livre, a opção, de cada qual.
Mas, continuar mantendo o encanto para jamais encontrar a felicidade integral e eterna, é mesmo que dar murro em ponto de faca.
A hora é esta! De decisão!
Ou retorna à Origem para ser eterno e eternamente feliz, ou continua onde está, piorando cada vez mais, porque na matéria nada se cria, nada se perde, tudo se transforma, de uma vida para outra e de uma classe para outra, porém, sempre em classes inferiores de vida.
Que todos saibam escolher o melhor para si mesmo, aceitando o presente ímpar, sem competidor, que nos foi dado pela Divina Providência e que se trata da nossa libertação definitiva da vida do reinado do mal, que é a vida da matéria.
LOUVADO SEJA O DIA DE HOJE, 02 DE SETEMBRO, O DIA DA LUZ DA DIVINA PROVIDÊNCIA!