Follow by Email

domingo, 28 de junho de 2009

O FIM DO MUNDO

Encontramos, explicado no Conhecimento Racional, que o verdadeiro Mundo é o Mundo Racional, o Mundo dos puros, limpos e perfeitos. Foi de onde uns tantos Racionais saíram e entraram pela Planície que não estava pronta para entrar em progresso. E, que se transformou primeiro, em terra, que foi a resina que saía da Planície com o calor do foco de luz. A resina veio ficando empolada, depois queimada, depois torrada e depois virou cinza. E a Planície, sua massa cósmica aquecida pelo calor, veio amolecendo, depois ficando gomosa, e dali veio derretendo, se liquefazendo, perdendo densidade até que virou água. Isso, enquanto vinha descendo.
E, no descer, deu origem a esse vácuo cósmico, onde existem os Seres celestiais. Trata-se dos Habitantes em corpos de Energia de massas diferentes dessa dos Seres que se degeneraram de todo; que são os que estão em cima da Terra, em cima do chão e os que estão embaixo do chão, e os que estão embaixo d’água. Para ver que a matéria é originada do segundo Mundo; o Segundo Mundo: a água se transformando em Seres de vidas provisórias e passageiras.
Assinala a Cultura Racional que, o Mundo Racional é o verdadeiro Mundo intercósmico. E diz que assim é, por se tratar do Mundo interior. E acrescenta ser aquele, o Mundo dos Mundos.
Por vezes, a Cultura Racional, em sua Escrituração, menciona este nosso Mundo, como sendo o Mundo Externo e que, o Mundo Racional é o Mundo dos Eternos.
Quando essa Cultura comenta em seus livros o que é a cabeça humana, o faz por analogia a um relógio peculiar, munido de sete ponteiros.
Esclarece que a nossa cabeça é ligada a essas sete partes que são os sete reinos componentes deste Mundo Universal e que tiveram formação que lhes foi dada pela deformação das virtudes perdidas pelos corpos Racionais de Energia pura, limpa e perfeita e pela Planície Racional enquanto vinha ficando degenerada e deformada.
E essas virtudes são vidas essenciais, que compuseram focos de Energia Cósmica porque vieram se reunindo e, com o tempo, dando constituição inicial aos corpos da vida celeste: sol, lua, estrelas; além dos planetas que têm ramificações com este Plano Astral Inferior.
Então diz: “Hoje, ...por conhecerem o princípio da vida e o fim da vida provisória... as mentes todas se educando pelo desenvolvimento do raciocínio, para que em vida, aí na matéria se tornem todos Racionais. ...E assim hoje enxergam a vida como ela é; por conhecerem a vida verdadeira e a vida passageira. Por estarem em vida, ligados à vida eterna e terem o verdadeiro conhecimento desta vida externa.”
Sim, os Livros de Cultura Racional asseveram que neste 3º Milênio, já estamos no limiar do ponto máximo de sabedoria. E, a razão principal, é que estamos sabendo deduzir o que é a Energia Racional e o que é energia material. Estamos chegando ao ponto consciente e positivo na vida terrena, por saber discernir o que é Energia do Encanto e o que é Energia do Desencanto. O que é Energia pura, limpa e perfeita e o que é Energia deformada e degenerada em transformação.
Dessa forma estamos mesmo adentrando, ainda que preliminarmente, num ponto alto de cultura, a CULTURA RACIONAL, que é a Cultura das Culturas. Motivo? Até muito simples e obvio, se tomarmos em conta que a Cultura Racional é do verdadeiro Mundo de origem da humanidade, o MUNDO RACIONAL. A Cultura da Fonte primogênita deste Mundo de matéria, que é o MUNDO RACIONAL.
De forma que neste Mundo de perturbações incontáveis, vivemos todos como joguetes desta natureza deformada, dirigidos pelo tempo, sendo o relógio, que é a cabeça, o robô da natureza espiritual visível e invisível, da matéria e do sobrenatural.
Então, a cabeça, o centro de comunicação com tudo e com todos. Sempre Recebendo as transmissões magnéticas e as transmissões elétricas e executando a voz do pensamento e da imaginação, da intuição, da inspiração e de toda espécie de irradiação.
Em síntese, quem guia a pessoa, em sua personalidade interior, é a Energia que lhe dá este ou aquele pensamento. O comando vem de dentro para fora, para governar o “tu” que é o vassalo do “eu”. O “tu” é o todo que se vê da pessoa. O “eu” é a personalidade hospedeira da Energia.
E outro agravante, é que sendo um centro receptor astrológico, a nossa cabeça capta tudo do que se diz de invisível, comunicando-se com o exterior, com o sobrenatural, que é o Mundo dos invisíveis. Adverte-nos a Cultura Racional que o nosso pensamento (fonte de magnetismo) não é um objeto abstrato de nossa propriedade.
Nem mesmo o fato do pensamento se desenrolar em nosso cérebro, nos habilita como donos do pensamento. O “eu”, o personagem que se entende com as personalidades invisíveis do elétrico e magnético, pode também habilitar-se a receptor das transmissões dos Seres invisíveis do Mundo Racional. E aí sim, tornar-se auto determinado positivamente, conscientemente.
Quando nos reportamos ao “Je pense, donc je suis” citada frequentemente em latim: “cogito, ergo sum” Pronunciada pelo filósofo Francês, Descartes, nos lembramos das seguintes considerações feitas pela Cultura Racional à frase: “penso, logo existo”:
— “Você pensa; então, você existe. Mas, se você pensa e não sabe porque pensa; então, você existe e não sabe porque existe. E se você existe e não sabe porque existe; então, você não se conhece.E se você não se conhece; você não pode provar (com base e com lógica) o porque você existe. E, por isso, você não existe.”
Claro, essa provocação feita pelos Livros Universo em Desencanto, visa estender a função de nosso aparelho psíquico ao plano da existência consciente. Ou seja, “consciência” não é só o que se passa na mente. Remonta à soberania da origem, transformando-nos de Aparelhos porta-vozes inconscientes deste Mundo que é elétrico e magnético, o Mundo do Ser irracional, para Aparelhos Racionais em conexão com os Habitantes do Supremo Mundo, o Mundo Racional. Portanto, Seres Racionalizados pelo conhecimento do Mundo de nossa Raça, (o Mundo de origem do raciocínio) e, por saberem também, como voltar para ele, o Mundo Racional.
Esse estágio,alcançaremos nos dias vindouros; só se nos prontificarmos desde já, a galgarmos este mais alto patamar cultural de nossa existência.
De sorte que, a recomendação, que, muito insistentemente, tem sido feita — nesta Fase natural da Natureza, a Fase do desenvolvimento do raciocínio — é que cada qual, na humanidade, busque imediatamente, ligar-se à Energia da Imunização Racional, para que essa Energia do verdadeiro Ser natural da pessoa, lhe fique governando Racionalmente (naturalmente) todas as suas ações, atos, atitudes e procedimentos.
Daí por diante, desligado da Energia animal, o Ser Humano assim Racionalizado, estará tomado por um equilíbrio de Razão Suprema, adquirido pelo total desenvolvimento do seu raciocínio.
Imunizar quer dizer: unir-se à PUREZA. Imunizado é o mesmo que ser puro, porque já tem as suas virtudes que estavam nas sete partículas deformadas (nesta Galáxia elétrica e magnética) transportadas de volta para o estado natural, retiradas desta deformação Universal, para que dêem composição à formação verdadeira Racional da pessoa, lá em cima, no MUNDO RACIONAL. É um ponto final no Encanto, no sofrimento e no pranto.
Aí estará, portanto, positivado o fim do Mundo da inconsciência.
TODOS TÊM QUE DESENVOLVER O RACIOCÍNIO, PARA SAIRMOS VITORIOSOS DESTA FASE DE SALVE-SE QUEM PUDER E SE PUDER, QUE SE PASSA NO MUNDO TODO. A SOLUÇÃO DA VIDA AÍ ESTÁ — DEFINIDA E DEFINITIVA, NOS LIVROS DE CULTURA RACIONAL: UNIVERSO EM DESENCANTO.

Nenhum comentário: