Follow by Email

segunda-feira, 9 de maio de 2011

CÓDIGOS QUE REVELAM NOSSA INDIVIDUALIDADE


(Prof. Porfirio Jesus das Neves)
A verdadeira individualidade que estava perdida e que ninguém conhecia não está na matéria, não está nos astros e muito menos perdida em qualquer outro canto deste mundo.
A verdadeira individualidade que identifica o que éramos e de onde somos está no primeiro mundo, o Mundo Racional. “VIRTUDES, quem as têm? Ninguém! Estão todas no TRIBUNAL RACIONAL” – este é o termo que serve de referência para quem busca a individualidade que estava perdida.
É neste sentido que todo o nosso esforço cultural deve ser aplicado, buscando compreender em si mesmo toda a trajetória que passamos até chegarmos nesta condição de pensadores evoluidos e como podemos retornar à condição original de Racional puro limpo e perfeito.
A humanidade, na condição de existir numa classe de Animal Racional só podia pensar e imaginar e com apenas estes dois recursos, fabulosos, diga-se de passagem, o pensamento e imaginação, gerados, criados e desenvolvidos pela Natureza, não tinha, com estes dois, reais condições de se conhecer e descobrir sua verdadeira identidade. Diga-se de passagem não sabíamos nem que tínhamos tal identidade e que muito menos podíamos especular se estava perdida ou não.
Somente um Ser Supremo poderia nos alertar para este fato. Como de fato é o que estamos encontrando na leitura do livro Universo em Desencanto e no estudo da Cultura Racional.
Somente agora, na Fase do Terceiro Milênio, a humanidade está chegando à conclusão real de quem somos de onde viemos e para onde vamos. Respostas para todas as perguntas e novas perguntas para serem respondidas pelo desenvolvimento do Raciocínio Racional.
Tudo isso pode parecer muito distante para alguns e afinal, diriam esses, para que serve conhecer essa tal de identidade se continuamos sofrendo e morrendo. Isso de nada adianta, porque o que precisamos está aqui mesmo no dia a dia; se não trabalharmos morremos de fome e devemos orar e agradecer a Deus por nos permitir aqui viver.
Isso são pareceres de pessoas materialistas que ainda não perceberam as possibilidades que estão sendo apresentadas para se conhecer e viverem fora da matéria, encontrando, por este caminho, a verdadeira solução da vida. Se cada um se ocupar do que realmente é essencial para sua sobrevivência, que é o necessário para manter esta vida, isso, certamente, permitirá muito mais tempo para nos ocuparmos de nós mesmos. Isto sim, é importante. Muito importante.
E é justamente através da leitura que vamos encontrar a grande ferramenta evolutiva que vai nos permitir conhecer nosso íntimo, nosso ser e nossa verdadeira individualidade.
Os avanços na pesquisa do Código Genético estão abrindo as portas para conhecermos o verdadeiro Código da Vida ou individualidade que estava perdida. O Código Genético está, por enquanto, ligado apenas ao sequenciamento das bases A-C e G-T, que são as quatro
bases que interligam a dupla hélice do DNA. Entretanto já existem pesquisas que afirmam que o DNA não está sozinho, existe uma parte energética associada configurando mais cinco pares de hélices, o que chamam de GNA.
O GNA complementa esse código, como se fosse o DNA transmutado para energia.

O GNA vem sendo muito estudado nos meios espirituais e já conta com muitas evidências científicas. Apenas para ilustrar esta informação, o DNA é formado por um par de hélices, enquanto o GNA é composto por 6 pares de hélices com as seguintes funções:
1º. Par: natureza física – responsável pelos aspectos do corpo físico; contém informações dos caracteres genéticos, ou seja, é o conhecido DNA da ciência;
2º. Par: natureza etérica – responsável pelos caracteres emocionais; define as inclinações emocionais de cada indivíduo;
3º. Par: natureza psíquica – responsável pelo perfil genético mental; traduz como a energia mental será usada em pensamento lógico ou intuitivo, linear, direto, artístico, etc;
4º. Par: natureza anímica ou alma – responsável pelo chamado karma; contém informações de outras vidas; (eu acrescentaria, vidas passadas e vidas futuras)
5º. Par: natureza astral – responsável pela influência eletromagnética do sistema solar; contém os códigos que podem ser lidos por uma carta astrológica.
6º. Par: natureza transformativa – responsável pela capacidade de criar e recriar; contém a capacidade de comunicação com todo o Universo, sendo a parte mais espiritual do DNA, ou melhor dizendo, do GNA.
Isto é apenas um resumo do que podemos classificar como sendo nossa individualidade, em nível de pensamento, para existir neste mundo de matéria. Cada indivíduo tem seu código genético, com suas particularidades de natureza física, etérica, psíquica, anímica ou alma, astral e espiritual.
Tudo isso se resume na construção e manutenção dos seres feitos pela Natureza com duas energias que fez tudo e todos, a Elétrica e a Magnética.
Entretanto, está faltando a principal percepção em todos esses códigos.
Eu poderia me atrever e induzir que falta considerar um sétimo par que traduziria uma natureza gênica relacionada à verdadeira origem, que estaria contendo informações da raça Racional, que conferiria ao Animal Racional a capacidade de ser um ser humano. Este sétimo par, até faz um certo sentido especulativo e poderíamos atribuir a ele a responsabilidade pela capacidade de desenvolvimento do Raciocínio Racional. Mas isso seria apenas uma tese, uma especulação.
Prefiro, entretanto, afirmar que o que falta nesta história toda não é um sétimo par, o que falta é o conhecimento do agente codificador. Isso eu posso afirmar e questionar.
Pois, se existem todos esses códigos, ou existem todas estas formas de se analisar e entender o DNA, o GNA e qualquer tipo de código, com base na lei de causa e efeito vem a pergunta: quem formulou ou codificou tudo isso?
Essa é a questão fundamental: quem criou e gerou todos esses códigos? Se eles existem “alguém” os preparou para serem gerados! E qual foi a finalidade? Por que tiveram que ser gerados? Como era o mundo antes de serem gerados estes códigos todos? Ou será que ainda tem gente que acredita em “estórias da carochinha” e fica por aí falando coisas sem base e sem lógica como se tudo surgisse do nada espontaneamente? Lembro que a teoria
da geração espontânea já foi destruída faz muito tempo.
A questão fundamental que me compete alertar, na qualidade de estudante da Cultura Racional, é que, se existem tais códigos que comprovadamente têm a sua lógica, então qual foi a base de geração destes códigos. Em que mundo ou forma de existir tudo isso foi preparado para ser assim?
Eles não existem por acaso e muito menos foram gerados pela matéria, nem tampouco pelo mundo espiritual, que assim muitos pensadores poderiam entender, a princípio.
O fato é que o pensamento humano etéreo, astral ou espiritual não está capacitado ou habilitado a responder a origem e a causa destes códigos todos. A resposta não está no pensamento, pois o pensamento foi formado após a formação destes códigos.
Eis a grande questão! O pensamento, como se afirma pelos descobridores destes códigos foi gerado em função deles. Então, o pensamento é derivado dos códigos genéticos já formados, logo não se pode atribuir ao pensamento humano a incumbência de se descobrir.
Seria uma imbecilidade exigir do pensamento humano tal descoberta. Mas, quem poderia nos afirmar tal coisa? Outro pensador? Logicamente que não! Tinha quer ser um RACIONAL!
É muito bonito ver o avanço da ciência e de todas estas pesquisas de natureza espiritual, porém seria muito mais proveitoso e muito menos confuso podermos sentir diretamente tudo isso usando a verdadeira ferramenta da natureza que é a máquina do Raciocínio – a Glândula Pineal. E quero deixar bem claro, não apenas para entrar em contato com aquilo que o pensamento tem de maior sublimação que é o Mundo Espiritual.
Já há fortes evidências e comprovações que a Glândula Pineal do Animal de classe Racional é tida como “antena dos espíritos”, mas a sua real função gênica vai muito mais além.
O que muitos pensadores espiritualistas ainda não sabem é que esta é a verdadeira ferramenta do desenvolvimento do Raciocínio, órgão de comunicação com o “Mundo Razão da Vida” e “Mundo Razão de Tudo”, o Mundo Racional.
Aí estão os elementos de avaliação para que cada um tenha em si mesmo um real interesse por esta parte Racional da Vida, que assim demonstrada, fica a expectativa da grande descoberta comum a todos os povos, porque todos, certamente, são da mesma Origem – RACIONAL – o verdadeiro berço da Raça Humana, antes de existir na matéria e antes de serem gerados todos estes códigos.
E que grande descoberta é esta? É a verdadeira individualidade que estava perdida e nem sequer podia ser cogitada pelo pensamento humano.
Esta verdadeira individualidade é a quem se pode, e somente a ELA, atribuir autoria da formulação de todos estes códigos e, por isso, cada ser neste mundo tem uma individualidade própria, tem suas características próprias. Todos são diferentes!
Toda esta revelação e entendimento e conseqüente desenvolvimento de cada indivíduo, está expressa em uma literatura de origem RACIONAL, por isso se diz de autoria do Mundo Racional, do Racional Superior; na linguagem comum, do verdadeiro Deus, por ser um Raciocínio Superior a todos os Raciocínios. Esta é a base da Verdadeira Origem da Humanidade expressa no livro Universo em Desencanto da Cultura do desenvolvimento do Raciocínio, a Cultura Racional.
Rádio Tropical 830 AM – RJ – 06/05/2011
www.programaavozracional.com.br

www.culturaracional.com.br

www.encontroracional.com.br

2 comentários:

Ivone disse...

cada um tem seu fluído....
mas uma só fonte

Nágea Luiza Batista disse...

Sim, Ivone, a fonte é uma só, RACIONAL!