Follow by Email

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

ESPERANÇA: A ÚLTIMA QUE MORRE!


Uma saudação Racional a todos!
A luta para sobrevivência no mundo atual é imensa, porém, maior que essa grande luta é a inconsciência e, por isso, há lutas e as lutas não cessam.
Uns lutam pela saúde, outros pelos amores, outros pelos seus ideais. É luta de toda sorte, na esperança disso, na esperança daquilo, na esperança daquilo outro, até que um dia a esperança se acabe.
A esperança é a última que morre.
Esperando encontrar na vida da matéria a solução de seus sonhos, e por viverem sonhando tanto, e tantos são os sonhos, que a esperança é a última que morre.
Quem está dormindo, tem mesmo é que sonhar. E quem sonha, vive a esperar a realização do seu sonho.
Se não estivessem dormindo, embriagados com a matéria, acordavam e não sonhavam mais – aí começava a brotar a consciência.
E é esse o pior sonho: sonhar acordado.
Sonhar que pode, sonhar que deve, sonhar que quer, sonhar que diz, sonhar que decide, sonhar que resolve, enfim, sonhar que vive.
Quem vive, não sonha mais, porque já acordou para a vida real, que não é a vida material. E, assim, encara tudo da vida da matéria, apenas pelo prisma da sobrevivência, da simplicidade, da paz, do amor e da fraternidade.
Matéria é morte. E esperar alguma solução da morte, é renegar a vida, que é eterna, transcendental.
Morte é inconsciência. E quem se baseia na vida material para a solução de seus problemas e de seus casos, é inconsciente, por estar confiando na morte.
E enquanto se mantem nesse sonho ludibriador, fica esperando o brilho da vida na morte, que é a matéria – conserva a esperança.
Por isso, a esperança é a última que morre. E somente quando ela morre é que o vivente acorda e enxerga, finalmente, como estava dormindo o sono de pedra, na mais absoluta inconsciência.
É preciso se conhecer, para não ficar morrendo em vida, pensando que está vivendo. É preciso raciocinar.
E afinal, quem é que está acordado?
São todos aqueles viventes que já não sonham mais com nada da vida da matéria, suficientemente lapidados pela morte que é a matéria, conscientes de que são meros hóspedes na Terra, por já terem conhecimento absoluto de quem são, de onde vieram e para onde vão.
Aí é que se encerram os sonhos nessa vida lamacenta de matéria e, encerrando-se os sonhos, a esperança morre.
Portanto, a evolução do vivente somente brota, quando a esperança morre, dando lugar à certeza absoluta de que a única luta válida é aquela para retornar ao mundo de onde veio.
Certifiquem-se de tudo isso nos livros Universo em Desencanto e sejam finalmente livres e felizes, porque os sonhos e a esperança são, na realidade, verdadeiros cativeiros, de quem ainda não se conhece.

Nenhum comentário: