Follow by Email

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

7 de setembro: UNIÃO!


O Brasil é um país muito especial, por nele habitarem os primitivos seres desta Galáxia Térrea a reconhecerem a Cultura Racional, a cultura verdadeira, por ter como base a razão verdadeira da vida.
E, assim, todas as homenagens ao 7 de setembro serão sempre louváveis, porque é daqui, do Brasil, que parte o grito de INDEPENDÊNCIA DO SER HUMANO desta tenebrosa e horrorosa obscuridade material e espiritual.
Brasil é o berço da paz, da fraternidade, do amor, da união verdadeira, que já começou a ser construída, entre os humildes, que já reconheceram serem os responsáveis por essa vida malcheirosa da matéria. E pouco a pouco, os demais brasileiros chegarão a essa conclusão, porque quem manda em todos é a Natureza e foi ela quem destinou essa missão ao povo brasileiro, de levar o conhecimento do desenvolvimento do raciocínio a todas as nações do mundo inteiro.
Mas, enquanto isso não se concretiza completamente, chamemos à atenção nossos irmãos-semelhantes, com nossas observações, numa prova de carinho e amor por nós próprios e pela humanidade. Pois, é conversando, dialogando, que vamos chegando aos entendimentos certos e corretos da vida.
Então… os apelos e a busca pela paz no mundo são de veteranas eras.
Apesar disso, o que se vê e se comprova é a violência de toda sorte progredindo.
Não é pela falta de busca, todos, de acordo com sua visão, entendimento e compreensão da vida, a estão buscando.
E aí está o porquê ela nunca foi encontrada no mundo, para iniciar o seu progresso e embargar o progresso da violência: cada qual tem o seu entendimento e compreensão da vida diferente um do outro, por todos se basearem na matéria, onde tudo e todos são diferentes.
Uns achando que encontrarão a paz na realização de seus sonhos profissionais, outros na esperança da realização dos sonhos conjugais, outros na esperança da realização dos seus sonhos sociais etc. E assim cheios de sonhos e esperanças, vão se iludindo e perdendo o tempo precioso que deveriam empregar no conhecimento das leis naturais da vida, que nada têm a ver com os sonhos e as esperanças, porque as leis naturais da vida imperam desde que o mundo é mundo e preexistem à existência do animal Racional.
A verdade sempre existiu, o animal Racional é que, por livre arbítrio, se divorciou dela, sonhando e esperando criar uma outra verdade a seu modo e contra as leis naturais e, por isso, sempre viveu de sonhos e ilusões e a verdade que quis forjar, ficando nos sonhos, nas esperanças e nas ilusões, pois, fora da VERDADE, que é a existência real, nada se consolida e tudo se destrói.

A falta de maturidade da humanidade é que a deixou se levar pelas aparências, buscando o bem e a paz na matéria, que é um bem aparente, porque tudo na matéria se acaba, bem como todos os valores criados com base na matéria (quantos sistemas de governo já existiram e se findaram, quantos costumes, quantas leis, quantas modas, quantos hábitos… tudo ficou no esquecimento, quanto sofrimento e quantas lutas e guerras por causa desses sistemas, modas, hábitos, costumes, enfim, quanta dor e sofrimento desnecessários, quanto tempo perdido, pois, tudo se acabou).
E quanto mais se busca o bem no mal, mais violência se colhe, porque a matéria, que é mal puro, é um estado provisório e passageiro, uma deformação do estado energético natural, nada podendo oferecer à humanidade em termos de realização completa, deixando o ser humano sempre incompleto, insatisfeito e, em conseqüência, cada vez mais violento.
Ora, toda a humanidade, de forma generalizada se encontra nesta situação de insatisfação. Tentamos tudo realizar na matéria para nosso progresso, na esperança de ao final conseguir a satisfação e equilíbrio de todos.
Tudo em vão. Até nos lugares do mundo onde o analfabetismo não existe, onde todos têm um conforto relativo para atender às suas necessidades, onde se procura respeitar o meio ambiente, com práticas preservadoras da limpeza do ar, das águas e da terra, até nesses lugares a insatisfação impera e de tal forma, que tem levado essas nações a altos índices de suicídio.
Provado está que os caminhos que a humanidade escolheu para alcançar a paz, foram e são caminhos enganosos, caso contrário todos já estariam a muito equilibrados, em absoluta paz e, conseqüentemente, unidos, porque a paz é uma só: a razão da vida.
Sem conhecimento da verdadeira razão da vida, é impossível caminhar em harmonia com essa razão da vida. É preciso o conhecimento cultural dessa razão da vida, para calcar nossas vidas nesse conhecimento cultural e, não nas milenares experiências materiais que viemos desenvolvendo ao longo de nossas existências, que tão somente serviram para nos lapidar e advertir, através do sofrimento, de que a cultura que criamos e forjamos foi o preço alto que pagamos por nossa soberbia de virar as costas para o conhecimento cultural eterno, que sempre manteve essa poderosíssima natureza visível e invisível: a cultura natural, a CULTURA RACIONAL, a cultura do nosso verdadeiro mundo de origem, porque não há efeito sem causa.
Se existe este universo em que vivemos, é porque existe um universo superior que lhe deu origem, mas que essa origem não é material e, sim, um colossal corpo de energia extra cósmica, pura, limpa e perfeita.
Lá há união, pois todos os seus habitantes são puros, limpos e perfeitos, por terem como base o mesmo conhecimento cultural da razão da vida, portanto, todos são RACIONAIS puros, limpos e perfeitos, não há diferentes e por isso se somam.
Aqui embaixo, somos RACIONAIS deformados, inferiores, porque vivemos à margem da razão da vida, cada qual se degenerando e se deformando e se inferiorizando cada vez mais, de acordo com seu gosto e sua vontade, dando expansão a tudo que pensa e imagina, sem levar em consideração as ordens naturais da razão da vida, tendo como base somente o mundo material visível e invisível, sem a substância da razão da vida. Todos se dividindo cada vez mais e, não somando.
E, assim, cada qual se torna cada vez mais diferente um do outro, mais distante um do outro, mais solitário, mais insatisfeito, mais desequilibrado e, conseqüentemente, mais violento.
Somente a razão verdadeira da vida nos equilibra, porque fomos originariamente criados graças à razão verdadeira da vida. E, por isso, viver sem as bases dessa razão, é morrer dia a dia para a vida verdadeira, a vida eterna.
Nosso pensamento e nossa imaginação têm nos ludibriado, impedindo que raciocinemos sobre a verdadeira razão da vida.
Quando todos, cansados de tanto sofrer, atinarem sobre o quanto temos sido ludibriados e enganados pelo nosso próprio pensamento e imaginação, que são os responsáveis pelo estado em que se encontram nossas vidas e o mundo, aí então, vão todos começar a se voltar para a razão verdadeira da vida, e o desenvolvimento do mundo será RACIONAL, ou seja, todos reconhecerão que são UM SÓ, porque a nossa origem é uma só: RACIONAL, ou seja, somos originários de uma ENERGIA PURA, LIMPA E PERFEITA.
E assim se dará a união verdadeira de toda a humanidade, pelo DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO, porque o raciocínio une e o pensamento divide.
E a união só pode ser feita pelo desenvolvimento do raciocínio.
Procure conhecer a cultura que existe anterior à existência deste segundo mundo em que vivemos: a sua verdadeira cultura, a CULTURA RACIONAL, onde as bases são o amor, a paz, a fraternidade e a concórdia entre todos, sem os quais, nada tem sentido.
Conheça a Cultura Racional, onde tudo é válido e respeitado, desde que impere a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia racional, de um por todos e todos por um. Portanto, sem preconceitos.
Na união verdadeira racional está a paz de todos, porque é a base de tudo e de todos, é o que deve reger tudo e todos, porque tudo e todos pertencem a um mesmo mundo, o MUNDO RACIONAL, dos puros, limpos e perfeitos.
Mas, a vontade é livre, e é por causa da vontade e do livre arbítrio é que demos causa a este mundo desequilibrado em que vivemos.
Está em nossas mãos reverter a situação, da violência para a união, basta apenas que cada qual procure se desenvolver de acordo com as bases da razão da verdadeira vida, que é eterna.
Chega de plantar discórdia, plantemos a concórdia, pelo desenvolvimento do raciocínio.
E LOUVADO SEJA O BRASIL, BERÇO DA VERDADEIRA CIVILIZAÇÃO, QUE É A RACIONALIZAÇÃO DOS POVOS, ONDE TODOS APRENDERÃO A VIVER SOMANDO E NÃO DIVIDINDO, PARA COLHEREM MAIS TARDE A VERDADEIRA UNIÃO!
SALVE 7 DE SETEMBRO! SALVE A INDEPENDÊNCIA DO RACIOCÍNIO SE LIBERTANDO DO PENSAMENTO E DA IMAGINAÇÃO! SALVE A UNIÃO DO ANIMAL RACIONAL COM O MUNDO RACIONAL!

Um comentário:

Juliana Barros disse...

Salve querida!

Obrigada pela visita, excelente esse texto também =)

Abçs