Follow by Email

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A ÁRVORE QUE NÃO DAVA SOMBRA


(Prof. Porfirio J. Neves)
Um dia destes encontrava-me embaixo de uma árvore frondosa e percebi que não havia sombra. Ora, normalmente, as árvores produzem sombra! E, quando os dias são muito quentes, a sombra de uma árvore é muito agradável e benéfica para nossa saúde.
Mas, aquela árvore não estava dando sombra!
Assim falando, até parece que estou relatando uma coisa misteriosa. Não, não é nada disso! É que nesse dia não fazia sol. Simplesmente, não fazia sol. O céu estava totalmente encoberto pelas nuvens. E, quando o sol não aparece, toda e qualquer árvore não produz sombra. Aliás, nenhum corpo produz sombra nos dias em que o céu está encoberto, porque tudo já fica na sombra das nuvens.
Como todos percebem, a sombra de um corpo visível e opaco só acontece se houver uma fonte luminosa sobre este corpo. Muito simples, porém, altamente esclarecedor.
É sempre assim! As coisas mais simples do mundo, normalmente, são as mais reveladoras. E às vezes as pessoas nem percebem.
Portanto, a sombra é o efeito do corpo visível!
Como se forma o feito chamado sombra? Dá-se através de uma causa e de uma origem: a causa da sombra é o corpo visível e a origem da sombra é o sol. Isto confirma uma verdade lógica Racional: tudo tem uma causa e uma origem. A sombra de uma árvore é uma dessas coisas: tem uma causa que é a árvore e tem uma origem que é o sol. Agora, se considerarmos a sombra como sendo um efeito, então a causa desse efeito é a conjunção da árvore com o sol. A árvore e o sol fazem o efeito da sombra.
E foi o que eu vi naquele dia. Uma árvore que não dava sombra porque o sol estava encoberto pelas nuvens. A sombra produzida pelas nuvens era tão grande que a gente não percebia que tudo já estava na sombra. Eis o problema: depois que se acostuma fica difícil de enxergar o que não se vê. Assim acontece na nossa vida. Tudo e todos estão à sombra do “Criador”, pelos costumes, pelas tradições pela falta de vontade de descobrir o óbvio. E somente quando conhecermos o “Criador” é que nós compreenderemos a nossa verdadeira Origem.
E quem é o “Criador” do mundo? Podemos dizer que o “Criador” é aquele que transforma os feitos, que transforma as coisas: numa linguagem de alegorias, dizemos que das trevas faz a luz, do barro dá a vida ao homem, da costela do homem dá vida à mulher e assim tudo veio sendo criado. Mas observem bem, tudo que se diz criado é na verdade uma grande transformação. Sempre existe alguma coisa antes para se fazer uma nova coisa. Este é o real sentido da criação. Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. E nem Deus, nem ninguém poderia mudar esta lei.
Tudo que existe sempre tem algo anterior que lhe deu causa, por não haver efeito sem causa. Assim como a sombra de uma árvore; sempre tem algo antes da sombra. E assim, tudo e todos são criadores de alguma coisa.
Vejam como a árvore é um criador de sombras, assim também são as nuvens, um criador de sombras muito maiores e se estivéssemos com a lua na frente do sol teríamos um eclipse, uma sombra ainda maior que a sombra das nuvens. Tudo que existe sempre tem algo anterior. Esta é a lógica da criação.
Mas isso não é tudo! O Mundo não se resume em conhecer o Criador ou os criadores apenas.
O Animal Racional é um ser criado para poder compreender a si mesmo e compreender tudo e todos. E poderíamos aqui ficar detalhando todas as peripécias feitas e criadas pelo Animal Racional.
Prefiro ir direto ao assunto: o Animal Racional é que nem uma árvore que não dava sombra. E vocês sabem muito bem que uma árvore não dá sombra quando ela própria está sob o efeito de uma sombra maior, ou seja, quando a luz não chega diretamente até ela.
Assim era o Animal Racional que sempre viveu à sombra de um Criador de todas as coisas, no obscurantismo de suas idéias mal formadas porque não percebia que havia uma Luz que lhe era destinada através do “Criador”, mas que lhe chegava sempre como se fosse uma sombra.
O Animal Racional é como se fosse uma árvore que nunca viu a luz do sol, sempre viveu à sombra de um criador de sombras maior que ele. O ser humano sempre viveu à sombra dos seus deuses: deuses criados por si mesmo, sem perceber que ele, ser humano, também faz parte de toda a criação como um agente criador, ou melhor, um grande agente transformador.
Isso está bem claro pelo que vemos hoje acontecer no mundo. O ser humano na classe de Animal Racional criando todas estas maravilhas e todas estas adversidades contra si mesmo. Um grande criador; tem até os criadores de casos. Isso é o que não falta no mundo.
Por que criava contra si mesmo? Porque não percebia que estava à sombra de um criador maior que lhe antecedeu e teimava em ser duas coisas que não percebia muito bem do que se tratava. Eram os tais enigmas da vida. É como se quisesse colocar a sombra das nuvens como fonte de luz, colocar uma sombra como se fosse uma luz - pura filosofia.
É como se o ser humano quisesse ser causa e origem do que criava – que enorme pretensão! Está aí a lei de direitos autorais que confirma o que digo. Quem é o dono ou a dona da intuição que ele recebe? Ele mesmo? Claro que não! É por isso que digo que o ser humano sempre quis ser causa e origem do que criava.
E assim o ser humano viveu por milênios à sombra de um Criador, sem perceber que ele, ser humano, sempre fez parte de tudo isso: um verdadeiro criador que não se conhecia, mas queria sempre criar e sempre atribuindo a criação a um desconhecido.
E o que é que foi criado ao longo de todo esse tempo? Uma grande confusão! Os confusos criaram toda esta confusão que aí está por viverem sempre à sombra do Criador, mas sempre querendo ser eles mesmos um criador, como quem diz: nasceu de mim mesmo, e nem sabia por quê!
Como sabemos, tudo isso foi preciso, útil e necessário para o aperfeiçoamento de todos e assim chegarmos a real compreensão de que o ser humano somente poderá produzir ou criar sua própria sombra, ou seja, ser dono de suas próprias idéias, quando ele, ser humano, estiver sendo iluminado diretamente pela Luz de sua Origem.
Assim como a árvore que não dava sombra, o ser humano também não dava sombra. Querendo dizer com isto que o ser humano nunca criou nada que não lhe tivessem dado já criado em coisas anteriores; e, ao mesmo tempo, dizer que é possível o ser humano voltar a criar por si só quando ele estiver diretamente iluminado pela Luz Verdadeira de sua Origem.
Aí o Animal Racional vai criar sua própria sombra, quando aprender a vincular a causa e a origem: a Causa é o “Criador de todas as coisas” e a Origem é a Verdadeira Luz! Basta ser iluminado pela sua verdadeira luz. E qual é a verdadeira Luz do Animal Racional?
No livro Universo em Desencanto está a resposta: “A luz verdadeira do Animal Racional é a Luz do Mundo de sua Origem, a Luz Racional do Mundo Racional”.
Ao ler este livro, cada um passa a ser iluminado diretamente pela Luz Racional, simbolizando aí o encontro com Deus, o encontro com a Verdadeira Origem, sem negar a origem feita pelo Criador, ou, melhor dizendo, sem negar a origem feita por todos os criadores sucessivos de todas as coisas.
A causa e a origem que todos precisam conhecer e se deixar iluminar naturalmente pela Luz da Divina Providência: a Luz Racional.
“A sombra é o efeito do corpo visível. O corpo é a sombra do fluido. O fluido é a sombra e o efeito dos seres orgânicos. Os seres orgânicos são a sombra do antes do ser. O antes do ser é a sombra daquilo que eram. A sombra daquilo que eram é a sombra daquilo que foram. A sombra daquilo que foram é a sombra de onde saíram. E a sombra de onde saíram é dos corpos puros e limpos, sem defeitos”.
É desta forma que o Racional Superior nos resume todo o sistema Criador de tudo e de todas as coisas que existem neste mundo, que é um conjunto fluídico elétrico e magnético. Uns dando causa a outros que dão causa a outros e assim sucessivamente.
“Então pergunta o vivente: -“E quem dá este conhecimento? E EU respondo: É o RACIONAL SUPERIOR. E o vivente insiste: "-E quem é esse RACIONAL SUPERIOR?" EU esclareço: O RACIONAL SUPERIOR é de um mundo muito superior ao vosso. Não é espírito. É um vivente como os daí da Terra, diferente apenas, porque não é terreno”.
Eis a verdadeira individualidade Racional já revelada no primeiro volume do Universo em Desencanto.
Este esclarecimento é que nos mostra qual é a verdadeira Luz da Divina Providência.
Conheça a Cultura Racional e desenvolva o Raciocínio, para receber diretamente a iluminação do Racional Superior, que assim todas as árvores do Jardim darão suas próprias flores e seus próprios frutos e suas próprias sombras. Seja você mesmo, se ligue nesta LUZ!
www.universoemdesencanto.com.br
www.programaavozracional.com.br

Um comentário:

Juliana Barros disse...

Salve querida!

Obrigada pela visita. Bjs!!!