Follow by Email

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

UMA SUGESTÃO PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL


(Prof. Porfírio Jesus das Neves)
Todos dizem e, parece, não há controvérsias, que todos estão de passagem neste mundo.
Tudo é provisório e passageiro. Este é um ponto comum em todas as correntes do pensamento humano. Todas as doutrinas filosóficas, científicas e religiosas apontam para um estado de transição da humanidade, tentando definir a vida da matéria. E todos dizem: tudo é passageiro.
As discordâncias, porque o pensamento humano foi feito mesmo para discordar, ficam nas questões que ninguém conhece. O que ninguém conhece é o ponto de partida, de onde viemos e o ponto de chegada, para onde vamos. Se não sabe de onde veio nem para onde vai, também não sabe como veio e como vai e nem porque veio e porque vai voltar.
Se tudo é passageiro, a lógica nos obriga conceber um ponto de partida e um ponto de chegada para esta passagem. Como o pensamento humano concebe, mas não conhece o ponto de partida nem o ponto de chegada, logo, cada um vai divergir nas especulações sobre estes pontos. E haja discordância! A razão que o pensamento é discordante está no fato do pensamento não conhecer nada.
A discórdia é um fator natural dos que ignoram, daqueles que não conhecem e ficam especulando, pensando que podem conhecer – essa é a lógica da discórdia, não tem base. Simples e claro: somente pensa quando não conhece; e quem pensa, pode acertar ou não, daí as divergências, a discórdia.
Alguns dirão: mas esse é um fator natural que não pode ser superado, sempre foi assim e assim sempre será!
Mais uma vez: quem pensa, pensa que sempre ficará pensando por não conhecer o Raciocínio. Esquece que tudo é passageiro, que todos estão de passagem?
Aí entra este outro verbo, o verbo do terceiro milênio, RACIOCINAR. O Raciocínio só aparece quando se conhece. Como é que você queria raciocinar sem conhecer?
Quando não conhece, pensa. Quando conhece, aí pode raciocinar. Então, vamos conhecer a nossa verdadeira origem, para poder raciocinar sobre Ela e sair desta passagem da vida material.
Compreendam que a fase do pensamento foi assim mesmo, serviu para aprimorar a forma de buscar as respostas, serviu apenas para lapidar. E a fase do Raciocínio somente pode ser estabelecida a partir do conhecer. Ninguém pode raciocinar sem conhecer. Primeiro precisa conhecer, para depois raciocinar. O Raciocínio não é especulativo, o Raciocínio é dedutivo com base na intuição conferida pelo ser superior, com base no conhecimento da eternidade.
E aí vem um pensamento, como é que os seres passageiros podem falar ou conhecer a eternidade? Simplesmente não podem! Mas, se o passageiro olhar o bilhete que tem em sua mão logo perceberá os pontos terminais de sua passagem. Está, literalmente, na mão do passageiro o bilhete desta passagem. Por isso, o Racional Superior fala para a humanidade, referindo-se ao livro Universo em Desencanto: -“quem tem um livro destes na mão, está salvo”!
Raciocinar é estabelecer as razões entre aquilo que se conhece, por isso é que somente agora, no terceiro milênio, o Curso denominado “Estudo do Raciocínio” que é a “dedução das razões e desenvolvimento”, podia estar sendo completado com o desenvolvimento do Raciocínio.
Este Curso do “Estudo do Raciocínio” somente pode ser completo na leitura de um livro onde esteja o conhecimento de todas as coisas. Jamais o “Estudo do Raciocínio” poderia ser completo se feito de forma especulativa em livros que conhecem ou revelam apenas uma parte do conhecimento.
A especulação é do pensamento, é de quem não conhece. Apenas se especula, que é daí que nasce a lapidação.
Mas, existe um Livro que contenha o conhecimento de todas as coisas? Existe! Mas, nenhuma mente humana teria a capacidade de fazer tal prodígio! Tudo o que a mente humana podia fazer era especular. E como é que se fez um Livro desses?
A resposta é simples e clara: é um Livro que contém o Conhecimento revelado, sem especulações, sem “achismos”, sem pesquisas. É o Livro Universo em Desencanto dos Extraterrenos, que prova e comprova, pelo que informa e dá a conhecer, que se trata da Verdade revelada por um ser superior à mente humana. Este ser superior é extraterreno. O Racional Superior é extraterreno. Deus verdadeiro é extraterreno, por definição. Extraterreno às idéias do terreno mental do passageiro.
Mas, quem pensa, não pode perceber que Deus é extraterreno. Acha que Deus é à semelhança dos bichos, ou como dizem: feitos à semelhança de deus, e por isso esse deus é um ser carente que precisa de glórias e de louvores: e tome reza! Isso é deus da matéria. É pura especulação! E por isso o deus da fé é o deus do falso condutor, é o deus do pensamento, é o deus de quem não se conhece. E por isso ficam especulando: “se deus quiser”, “graças a deus”, “tomara que deus não nos abandone”, e por aí vai! Fica tudo na incerteza.
O livro Universo em Desencanto é dos extraterrenos, habitantes do Mundo Racional. E o Mundo Racional é justamente o ponto de partida e o ponto de chegada com relação a esta passageira vida da matéria.
Se tudo é passageiro nesta vida da matéria, somente o ponto de partida e ponto de chegada poderia nos informar como, por que, quando, onde e para quê, tudo se tornou passageiro.
O pensamento é passageiro, por isso dá e passa. Num instante que está pensando isto, logo pensa aquilo. O Raciocínio é eterno porque é da origem, mas, o Raciocínio puro limpo e perfeito, porque devemos ainda considerar que tem o raciocínio dentro da matéria, que também é passageiro igual ao ser material.
Isso tudo é para ser estudado. Estas afirmações positivas buscam tão somente esclarecer e fortalecer aqueles que buscam se esclarecer. Os rudes e os atrasados não sentem nenhum significado nisto, porque os rudes e atrasados são materialistas.
Os materialistas são os comodistas, são aqueles que se acomodam com aquilo que pensam que sabem ou que têm, como quem diz: –“Ah! Eu já tenho tudo, não preciso de mais nada. Já tenho o maior conhecimento do mundo não preciso de mais nada, os outros que se virem”. Assim são os materialistas.
Desta forma, esperamos ter definido, com razoável sensibilidade, o meio ambiente infernal em que vive o ser humano, pensador, sofredor e mortal. Este é o contexto que justifica a necessidade de uma educação ambiental positiva com base no desenvolvimento do Raciocínio. Este é o ponto de partida para começarmos a analisar o que é passageiro, quem é esse tal passageiro e como é a estrada da vida em que todos estão viajando e assim criarmos uma verdadeira educação ambiental, onde todos passem a conhecer o porquê da necessidade de aprender.
Que todos precisam aprender cada vez mais, todos concordam - o saber não ocupa lugar. É assim que se fala quando queremos implementar e complementar o nosso conhecimento.
Uma verdadeira educação ambiental parte do conhecimento do passageiro, do veiculo e da estrada. A maior barreira para alcançarmos uma perfeita educação ambiental são os educadores. Isso mesmo! Os educadores são o maior entrave para uma perfeita educação ambiental pelo simples fato de os educadores não saberem o que é meio ambiente. Lamentavelmente, os educadores não conhecem o meio ambiente, por isso pensam e especulam e se desenvolvem e fazem pesquisas sem ter base e sem uma lógica definida. Os educadores também são passageiros, também pensam, ainda!
O melhor que podem e tentam fazer é criar normas ambientais, ou regras de comportamento, para uma razoável gestão ambiental. São as formas e maneiras de nos conduzirmos dentro do meio ambiente, que, mesmo para quem não conhece o meio ambiente, se tornam iminentes e necessárias em razão da degradação que se vê por aí.
A degradação do meio ambiente se tornou tão grave que passou a afetar sistematicamente a vida de todos e de tudo: das pessoas, dos bichos, das plantas, dos rios e oceanos, da atmosfera, enfim, do meio ambiente em que vivemos.
A atividade humana, baseada no pensamento, tornou-se extremamente agressiva ao meio ambiente. Compreenderam porque é necessário discutir estes assuntos à luz da consciência de que somos todos passageiros e de que o pensamento tem por base a ignorância e que o verdadeiro acerto só pode estar fundamentado no conhecimento extraterreno?
É justamente esta a observação: a atividade humana baseada no pensamento! O ser humano pensou que podia progredir desta forma que está progredindo e está sofrendo os resultados de um progresso indevido, de um progresso insustentável.
O ser humano se esqueceu da Natureza! O ser humano se desligou da Natureza por usar demais e crescer demais o Conhecimento Artificial. E aqui cabe mais este esclarecimento: o Conhecimento Artificial, ou Artifício, corresponde à Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal.
O Conhecimento Artificial, embora seja um conhecimento da Natureza, cujo objetivo primordial era desenvolver o pensamento humano, permitiu a expansão do pensamento, por o pensamento e a vontade serem livres e aí chegamos neste impasse catastrófico que se abate sobre o meio ambiente.
O Conhecimento Artificial é a “Árvore do Conhecimento do Bem e do Mal” feito pela Natureza para lapidar todos aqueles que abandonaram a “Árvore do Conhecimento da Vida”.
O artifício é o conhecimento criado pela mente humana: filosofias, religiões e ciências. Tudo isso é artifício para lapidar.
As filosofias foram criadas para explicar a existência humana por quem não conhecia a vida, nem o mundo, nem a si mesmo e daí os enigmas, mas isso lapida!
As religiões foram criadas por quem não conhecia e nem quer conhecer Deus, por isso as religiões tem por princípio a fé e daí os mistérios e os milagres, mas isso lapida!
As ciências foram criadas para desmistificar as crendices com base na experimentação real, concreta e objetiva e daí ficaram os fenômenos naquilo que não se pode experimentar, mas isso lapida!
Então, a quem compete uma verdadeira educação ambiental? À Ciência? À Religião? Á Filosofia? Será que o conhecimento humano tem recursos para reinserir o ser humano no contexto real e positivo da Mãe Natureza? Pelo que se passa no mundo, estamos vendo que não!
Está na hora de aceitarmos uma “verdadeira mãozinha” dos nossos irmãos extraterrenos que já estão nos educando para vivermos em harmonia com o nosso verdadeiro meio ambiente.
É urgente e necessário nos fazermos compreender que o que a humanidade precisa é voltar para a “Árvore do Conhecimento da Vida” para fazer com que toda a humanidade se ligue à Natureza pelo seu natural e não continue tentando se ligar à Natureza pelo seu artifício.
Então está aqui, para quem quiser ver, o natural da Natureza - a Cultura Racional para realizar a verdadeira educação ambiental. A Cultura Racional é o natural da Natureza e está devidamente instruído no livro Universo em Desencanto, o livro dos extraterrenos, o livro que está salvando vidas do extermínio à terceira morte.
www.culturaracional.com.br
www.programaavozracional.com.br
www.origemverdadeira.blogspot.com
www.youtube.com/porfiriojneves
www.youtube.com/nalub7

Nenhum comentário: