Follow by Email

terça-feira, 14 de julho de 2015

ORIENTAÇÃO DIVINA: DÁDIVA DA DIVINA PROVIDÊNCIA!


(Gilberto Carnasciali, estudante de Cultura Racional, Miguel Pereira – RJ)


O tempo passa cada vez mais rápido e as pessoas se dão conta e reclamam sem atinar para a causa da aceleração. Só fazem reclamar da falta de tempo para cumprir tudo o que devem em 24 horas e pedindo que ao dia seja adicionado mais horas.
O Livro Universo em Desencanto explica que este mundo de matéria é consequência de um outro mundo anterior a este, de onde se originou toda a vida existente no universo material e na própria Planície Racional que é onde está nosso Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL.
Nessa Planície Racional éramos seres puros, limpos e perfeitos e vivíamos uma vida de progresso Racional, quando entramos por uma parte da Planície que não estava pronta para progredir. Apesar dos inúmeros avisos de nosso PAI, o RACIONAL SUPERIOR, achamos que as energias naquele pedaço da Planície eram as mesmas, quando de fato passaram a se deteriorar e a regredir em vez de progredir. Deste momento em diante surgiu o tempo, o espaço e a matéria. Ganharam vida; vida material. E nessa viagem de 21 eternidades incomensuráveis, de tão lentas que se passaram, fomos perdendo tudo de bom que portávamos quando éramos puros, limpos, perfeitos e eternosnos tornando impuros, poluídos, deformados e mortais.
Regredimos de nossa sapiência Racional, uma de nossas virtudes  perdidas, nos extinguimos sobre a água e a resina, brotamos da terra, tornamo-nos monstros, depois selvagens, depois civilizados e finalmente animais Racionais.
Surgiu o Alfabeto Astrológico que facilitou a vida de todos porque tornou prática a convivência.
Através de uma rápida leitura da palma das mãos as pessoas passavam a se conhecer como se já se conhecessem há anos, mas, como não concordaram com as instruções de como viver a vida que vinha gravada nas palmas das mãos de cada um, inventaram um alfabeto terreno pelo qual passaram a se guiar.
Esses que criaram esse novo alfabeto julgando que iam atender a todos os gostos fomos nós mesmos.
Começamos a nos instruir, aprendendo a falar corretamente, escrever corretamente e nos exprimir corretamente.
Surgiram então os dicionários, porque criamos um vocabulário tão extenso que ninguém poderia conhecê-lo completamente.
Depois, tendo em vista a quantidade de significados que cada palavra tem, criamos o dicionário de sinônimos. Mas, eis que descobrimos que para cada palavra havia uma outra antagônica, então criamos o dicionário de antônimos.
Todo um mundo de significado de palavras, de sinônimos e de antônimos. Um mundo DUAL habitado por confusos. E o pior, à proporção que o tempo passa aumenta o número de dicionários com suas grotescas grossuras, definindo a ânsia animalesca de querer explicar o inexplicável, porque tudo aqui na matéria não tem explicação, visto que são aparências, como nós mesmos somos, meras aparências refletidas na ilusão de uma vida terrena, de matéria na matéria, totalmente desvalorizada, porque não garante nada, apenas o sofrimento, tem princípio e tem fim, se transforma todo o tempo, resumindo um ZERO.
No MUNDO RACIONAL, aquele que ninguém tem lembrança, aquele que uma vez habitamos e que depois descemos na espiral de nossas virtudes perdidas, lá ninguém fala, ninguém escreve e todos se comunicam. Tentando simplificar para nós terrenos, é como se falassem o “RACIOCINÊS”, em outras palavras o RACIOCÍNIO RACIONAL eterno, puro, limpo e perfeito.
Esse é o saber invertido que a Escrituração UNIVERSO EM DESENCANTO tão bem descreve.
Mas, eis que chegamos a 1935 e a Fase Racional entra em função acompanhada pela Natureza. Para substituir a descomunal quantidade de dicionários escritos e impressos em todos os idiomas da humanidade, o RACIONAL SUPERIOR se materializou aqui na Terra na pessoa do Senhor Manoel Jacintho Coelho, para quem ditou a Escrituração UNIVERSO EM DESENCANTO.
Nada a ver com dicionários, mas com a história de cada um de nós humanos e do universo no qual estamos inseridos materialmente, contada em 1009 volumes.
Narra com riqueza de detalhes como era nossa vida na Planície Racional quando éramos puros limpos e perfeitos; como e porque deixamos o Paraíso e viemos parar nesse mundo ilusório de matéria.
A extinção de nossos corpos na planície materializada; todo o nosso trajeto de monstrengos até o atual momento de escolha:
– ou tornarmo-nos Aparelhos Racionais através da leitura e estudo da OBRA de Cultura Racional, divulgando-a de todas as formas e maneiras;
– ou ficarmos indiferentes ou até mesmo reacionários à tábua de salvação que nos é lançada e sermos arrastados pela força magnética para as profundezas onde sofrem os irracionais.
Mais uma transformação entre as incontáveis pelas quais passamos. Para uns, a última. Para outros, 7 eternidades mais de lapidações e sofrimento.
Assim como tivemos vontade e escolha lá em cima, na Planície Racional, estamos tendo agora, no momento decisivo final: subir ou descer!
A BONDADE SUPREMA é que nos oferece a escolha, apenas isso, porque ELA nunca participa das escolhas, somente nos provê as ferramentas, os meios para fazê-las corretamente. Elas são de nossa total responsabilidade.
Muitos já subiram na fase do Alfabeto Astrológico e muitos recomeçam a subir agora na fase do Aparelho Racional. Por esse fato se explica a aceleração do tempo. Quanto mais o mundo da matéria se aproxima do MUNDO RACIONAL em sua própria ascensão, mais o segundo mundo se assemelha ao Primeiro Mundo, o Mundo Original, onde a matéria o tempo e o espaço não existem. A evolução Racional na matéria se dá de muitas formas e o encurtamento do tempo é uma delas.
Portanto a sorte está lançada: APARELHO RACIONAL  ou ANIMAL IRRACIONAL!
A Orientação Divina é uma dádiva da PROVIDÊNCIA DIVINA. 
Não podemos deixar de recebê-la.
SALVEMO-NOS TODOS!


Nenhum comentário: