Follow by Email

segunda-feira, 14 de maio de 2012

A FALÊNCIA DO PENSAMENTO

A Fase do pensamento terminou, desde 1935. E o pensador perdeu o direito de viver. E por ter perdido o direito de viver, aí está o desequilíbrio moral, físico e financeiro, a falência moral, física e financeira e a liquidação moral física e financeira. A falência do pensamento. E por ter terminado a fase do pensamento o pensamento de todos começou a enfraquecer. E esse enfraquecimento do pensamento trouxe o desequilíbrio do pensador – moral, físico e financeiro, causando essa roubalheira que vai pelo mundo afora, assaltos a Bancos, assaltos a transeuntes de mão armada, seqüestros, estrupos, pais matando filhos, filhos matando pais, tráfico de drogas, vícios de toda sorte, brigas sem motivo no trânsito (às vezes fatais), corrupção generalizada, guerras políticas e generalizadas, greves, revoltas, doenças curáveis e incuráveis (como a AIDS, câncer e leucemia), hospitais desaparelhados não correspondendo à demanda dos pacientes muito grande, profissionais sem ética, a ganância, a ambição, a vaidade desvairada (muitas vezes perdendo a saúde devido ao excesso de valorização das aparências), Bancos falindo (olha o caso da velha Europa), desrespeito à Natureza (desmatamentos sem necessidade, poluição de nascentes, rios e mares e do ar por indústrias que fabricam produtos para alimentar a vaidade). Tudo isso porque terminou a fase do pensamento, causando o enfraquecimento do pensamento e o conseqüente desequilíbrio do pensador. E, de muitos, o pensamento já secou. Esses de pensamento seco perdem o sentimento, pois, secando o pensamento, seca o sentimento e a pessoa não sente mais o que faz. Esses de pensamento seco tornam-se monstros e estão cometendo pelo mundo afora essas monstruosidades relatadas pela mídia diuturnamente. E por que terminou a fase do pensamento? Porque estamos em um mundo fora do seu natural, um mundo deformado, degenerado e poluído, sem estabilidade e, por assim ser, é de uma natureza de transformações constantes, de uma vida para outra e de uma forma para outra. E por isso, nada se perde, nada se cria, tudo se transforma. Quando termina uma fase, a natureza trata de liquidar e destruir essa fase para dar início a uma outra. E assim é que já tivemos a fase de monstros. Quando terminou a fase de monstros, a natureza destruiu todos os monstros. Depois veio a fase de selvagens. Quando a fase de selvagens terminou, os selvagens foram destruídos pela natureza. Aí entrou a fase da civilização, a fase do pensamento. Esta fase terminou e os pensadores estão sendo destruídos pela natureza. Todas essas fases foram necessárias para preparação do animal Racional para uma fase final na vida da matéria, a Fase Racional, do desenvolvimento do raciocínio. O raciocínio é o ponto de ligação com nosso verdadeiro mundo de origem, pois, não há efeito sem causa. Se existe este mundo em que vivemos é porque existe um mundo superior que lhe deu origem. Assim como não tem filho sem pai. O raciocínio, anunciado por vários sábios e profetas na antiguidade, foi confundido com o pensamento. E, assim, cientistas e filósofos da fase do pensamento, acharam que já raciocinavam, confundindo o pensamento concreto com o raciocínio. Não observaram a limitação do pensamento, que nunca conseguiu acertar nada, tanto assim que aí estão os mesmos problemas do passado, com guerras, doenças, desequilíbrios de toda sorte. Como poderia ser RACIOCÍNIO uma função da mente primária humana que não consegue solucionar questões básicas da vida como: QUEM SOMOS? DE ONDE VIEMOS? PARA ONDE VAMOS? Para ver que o pensamento é tão limitado que não permitiu ao animal Racional desvendar esses mistérios, como uma infinidade de outros mistérios, enigmas, fenômenos, finitos e transfinitos. Não repararam que o pensamento não foi feito para acertar. O pensamento foi feito pela natureza para dar uma chuva de pau nos pensadores, para tirar a brutalidade, o atraso e a arrogância do animal Racional, que sempre se achou dono da Natureza e, por isso, nunca a respeitou. Então, chuva de pau! E por se acharem uma grande coisa, que nunca foram, os pensadores sempre querendo ser uns melhores do que outros e, por isso, cada qual com sua idéia, querendo que ela prevalecesse para fazer dos demais seus vassalos. E, por isso, o pensamento lapida e traz sofrimento. Pois, cada qual querendo ser melhor um do que o outro (quando todos são iguais perante Deus), há a divisão. Onde há divisão, cada qual defendendo seu grupo, uns contra os outros e todos se tornando mais fracos. Tudo isso por falta de um saber verdadeiro. E tudo que se divide, enfraquece. Mas, cada qual defendendo sua verdade. E onde existem várias verdades, não existe verdade, porque a verdade é uma só, é RACIONAL, porque RACIONAL é uma coisa só, uma só sabedoria, porque DEUS é um só, uma só sabedoria. Onde existem várias “sabedorias”, aí está a mentira, por estarem contra a sabedoria única verdadeira. E onde está a sabedoria verdadeira não existem facções de espécie alguma: nem sociais, nem políticas, nem religiosas, nem filosóficas, nem grupo de espécie alguma. Não existe instituição de espécie alguma, por todos se guiarem pelo guia único que é DEUS. Por quê? Porque DEUS é o PAI de tudo e de todos e não admite divisões, nem instituições, por ELE ter o poder absoluto de tudo e de todos e não precisar de intermediários para guiar os seus filhos. Intermediários ainda existem, por o povo ainda não ter reconhecido o VERDADEIRO DEUS, racional como nós, porém SUPERIOR, o RACIONAL SUPERIOR. Portanto, os intermediários existem tão somente para lapidação (sofrimento) dos que não admitem o RACIONAL SUPERIOR. O Verdadeiro DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, não admite sofrimento de ninguém, quem admite o sofrimento é o povo, por querer que DEUS seja do seu jeito, de acordo com seus sonhos, ideais e vontades e, por isso, continua contemplando intermediários, que inventaram uma infinidade de magistérios, de doutrinas, de filosofias, de ciências primárias de acordo com o gosto, a vontade, os sonhos e ideais dos animais Racionais. Tudo isso está debaixo de um atraso vergonhoso e criminoso perante o VERDADEIRO DEUS, o RACIONAL SUPERIOR. Por isso o sofrimento é preciso, para que, através do sofrimento insustentável reconheçamos todos que nossos ideais, nossos sonhos, nossas fantasias, nossas vontades, nossas idéias, nossos planos estão todos focados na matéria, tendo como base a matéria (que nada é), por ignorar que não somos seres materiais, nem espirituais, somos seres RACIONAIS, de um mundo superior desconhecido da humanidade e que agora, nesta Fase Racional, chegou o momento de tomar conhecimento dessa brilhante realidade, que já está na Terra, vinda desse mundo superior, muito além do mundo invisível espiritual, verdade essa contida nos Livros Universo em Desencanto, de Cultura Racional, a cultura verdadeira do VERDADEIRO DEUS, o RACIONAL SUPERIOR. E por a CULTURA RACIONAL já estar na Terra, a cultura do pensamento, filosófica e científica, está em liquidação, levando à liquidação todos que a ela estiverem ligados. Com a CULTURA RACIONAL passamos a NOS CONHECER e nos ligar em vida ao VERDADEIRO DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, através do desenvolvimento do raciocínio, feito esse desenvolvimento com o estudo diário dos Livros Universo em Desencanto. A vontade é livre. Ninguém é obrigado a desenvolver o raciocínio e se ligar em vida ao VERDADEIRO DEUS para ter todos os seus problemas, seus negócios e sua vida resolvidos. Mas, não desenvolvendo o raciocínio fica contra DEUS e quem fica contra DEUS leva o seu oposto e desce para as classes inferiores de vida, correndo toda a hierarquia dos bichos irracionais, por não querer desenvolver o seu raciocínio, que é o filho legítimo de DEUS. Detalhes de tudo isso, na grandiosa Obra de Cultura Racional, Universo em Desencanto. Discernimento superior para todos nós!

Nenhum comentário: