Follow by Email

quinta-feira, 25 de junho de 2015

APRENDIZADO RACIONAL


(Wilma Fernandes, estudante de Cultura Racional, Rio de Janeiro – RJ)
   
NOS ESTUDOS DIÁRIOS DOS LIVROS UNIVERSO EM DESENCANTO, DENTRE INFINIDADES DE BELEZAS DA VIDA VERDADEIRA, APRENDEMOS QUE:
Não podemos exigir o amor de ninguém, podemos apenas dar boas razões para que gostem de nós e ter paciência para que a vida faça o resto, certos de que se colhe aquilo que se planta.
Aprendemos que não importa o quanto certas coisas sejam importantes para nós; outros não darão a mesma importância e jamais conseguiremos convencê-los, porque no desenvolvimento deles outras coisas, que já aprendemos, ou não, é que são a prioridade dessas pessoas, pois, somos todos diferentes, carecendo de correções diferentes, que somente a Natureza conhece.
Aprendemos que podemos passar anos construindo uma verdade e destruí-la em apenas alguns segundos – é quando compreendemos que a verdade sempre existiu, a gente é que não a conhecia e, por isso, não a adotava, procurando construir uma infinidade de verdades aparentes.
Aprendemos que podemos fazer algo em um minuto e ter que responder por isso o resto da vida, que por mais que se corte um pão em fatias, esse pão continua tendo duas faces e o mesmo vale para tudo o que cortamos em nosso caminho – a dualidade não é o caminho e, sim, a unidade.
Aprendemos que poderá, ou não, demorar muito para nos transformarmos na pessoa que queremos ser, e devemos ter paciência e confiança, pois, aprendemos também que podemos ir muito além dos limites negativos que nós mesmos nos colocamos. Vencer a negatividade é adotar somente os limites que embargam essa negatividade.
Aprendemos que precisamos escolher entre controlar nossos pensamentos ou ser controlados por eles. Que os vitoriosos são as pessoas que fazem o que acham que devem fazer naquele momento, independentemente do medo que sentem, mas, sempre voltados para o bem comum.
Aprendemos que perdoar exige muita prática. Que há muita gente que gosta de nós, mas não consegue expressar isso – prudência com as interpretações que não correspondem com a realidade.
Aprendemos que nos momentos mais difíceis a ajuda veio justamente daquela pessoa que achávamos que iria tentar piorar as coisas. Deixar a Natureza nos mostrar a realidade, ao invés de nos basearmos em nossas opiniões preconcebidas.
Aprendemos que podemos ficar furiosos, irritados, sendo isso o direito de quem ainda está aprendendo, mas não temos o direito de ser cruéis, pois, estaremos maltratando a nós mesmos.
Aprendemos que nosso melhor amigo poderá nos machucar de vez em quando. Onde todos são aprendizes, isso faz parte do aprendizado – a compreensão disso cura mais rápido as feridas. Mas, aprendemos também que não é o bastante ser perdoado pelos outros, precisamos nos perdoar primeiro.
Aprendemos que não importa o quanto nosso coração esteja sofrendo, o mundo não vai parar por causa disso. Ademais o sofredor é a causa do sofrimento.
Aprendemos que numa briga não precisamos escolher lado algum, não devemos nos envolver, afinal, onde todos brigam, ninguém tem razão. Que quando duas pessoas discutem, nem sempre significa que elas se odeiam, apenas não estão se pautando pela base comum que é o raciocínio. E quando duas pessoas não discutem, mesmo que não se amem, significa que respeitam o tempo de cada qual acordar para o ponto comum onde tudo é amor.
Aprendemos que a nossa existência pode mudar para sempre em poucas horas, para melhor ou para pior, através de gente que nunca vimos antes, de acordo com o nosso proceder em relação a elas.
Aprendemos também que diplomas na parede não nos fazem mais respeitáveis ou mais sábios, porém, mais devedores à Natureza, que é quem tudo provê.
Aprendemos que as palavras de amor perdem o sentido quando usadas aparentemente. E que amigos não são apenas para guardarmos no fundo do peito, mas para serem alvo, sempre, da nossa eterna gratidão. A verdadeira amizade é uma identificação superior, dos que abraçam a VERDADE, que é DEUS.
Aprendemos afinal, estudando Universo em Desencanto, que com o desenvolvimento do raciocínio se torna cada vez mais fácil ser gentil com todos e não ferir as pessoas. 
CONCLUINDO:
ATRAVÉS DO DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO, APRENDEMOS ACIMA DE TUDO, RESPEITAR A TODOS, PORQUE SOMOS TODOS PARTE UM DO OUTRO E, POR ISSO, TODOS PRECISAM DE TODOS! RAZÃO PELA QUAL A UNIÃO É QUE NOS DÁ FORÇA PARA VENCER TODOS OS OBSTÁCULOS DA VIDA, E QUE ESSA UNIÃO SOMENTE PASSA A EXISTIR PELO DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO, QUE É O ELO DE LIGAÇÃO COM A VIDA ETERNA, ONDE NÃO EXISTE DUALIDADE. E É POR ISSO QUE O RACIOCÍNIO UNE!
 SALVE!

Nenhum comentário: