Follow by Email

segunda-feira, 9 de abril de 2012

FRATERNIDADE E IGUALDADE



(Ivan Marinho)


Fraternidade é o amor universal que une todos os membros da espécie humana.
Isso nos faz prever harmonia, união, afeto, cordialidade, comunhão de deveres e de direitos.

Como é de emocionar o significado da palavra fraternidade! Mas, podemos nos perguntar: - Isso existe entre os seres que fazem parte da espécie humana?
Essa definição como tantas outras são um conjunto de palavras feitas e montadas para emocionar.
Olhem o mundo que nos cerca, observem atentos os noticiários, que vamos nos achar lançados em um estado de falsas avaliações, de sérios aparentes e de verdades aparentes, quando as aparências não são verdades.

Tudo em vão, tudo em ruínas, porque os diferentes, com as suas diferenças, falavam e falam que somos todos iguais.
Iguais em quê?
Perante a lei?
Em qualidade ou quantidade?
Em direitos?
Em deveres?
Em posição social?
Em completa semelhança?
Em identidade de condições entre os membros da mesma sociedade?

Ao que parece, somos iguais no produzir desigualdades insuperáveis, pois este é o mundo das aparências e aparências não são verdades - somos desiguais!

Vejam que determinadas nações tentam se igualar na força, se diferenciando dos demais na força bruta, no obter o seu medíocre sentido de superioridade. Eis os iguais que a todo instante variam, pelo desejo de serem diferentes.

Quantas palavras bonitas são ditas, palavras que emocionam. Enquanto isso as máquinas do pensamento que tentam governar o mundo, se desgovernam cada vez mais, pois esquecem que neste conjunto elétrico e magnético terão sempre elementos humanos que, mesmo de sua inteira confiança, são cabeças pensantes, secas e vazias, que não param de buscar "o demais", pelo fato do demais nunca ser o bastante. São insaciáveis pelo poder da secura, no tentar resolver. E pelo pensamento são tragados, pelas não resoluções, pois o pensamento secou e essa é uma das igualdades para o ser humano.

O pensamento secou! E esta igualdade é o pontapé inicial no começar a busca das outras igualdades, por a prática social, no correr dos séculos em que os seres humanos tiveram que viver de experiências, as lapidações lhes trouxeram as relações conhecidas como: puro e impuro, sagrado e profano, lícito e proibido. Relações estas impostas às condições de qualquer religião, mas sabendo que não foi a religião que criou tais idéias. Essas idéias, assim surgidas, seguem um processo autônomo do desenvolvimento natural para se chegar à busca do se conhecer.

A idéia da salvação lançou profundas raízes na consciência humana, só que o "bem", enquanto prevalece o princípio da divisão dos seres humanos em escravos e patrões, é exclusivamente aquele "bem" que agrada ao senhor e não ao servo, pois o bem serve para o seu domínio, tanto na vida como na morte. br> Por isso é que a esperança na libertação e na salvação, transferida da terra para o além túmulo, manteve durante muito tempo as sociedades oprimidas e exploradas pelo sentimento de angústia e de medo.
O desenvolvimento cultural, o progresso da técnica e das ciências positivas acarretou a fixação de novas relações sociais, de nova estrutura da sociedade e, então, começou-se a perguntar sobre quais teriam sido as origens reais daquelas crenças que a sociedade recebeu de herança das velhas gerações, que, sem fundamentos concretos, tentavam explicar a sua função no mundo.

E a fraternidade? Que lugar ocupa no espaço humano?

Apenas fragmentos, que aos poucos vão se unindo para tornar-se um corpo e com ela seguem a paz, o amor e a concórdia para estabelecer a harmonia, a união e a comunhão de deveres e de direitos entre os povos.

Aí sim, poderemos falar em fraternidade como ação, comportamento, no um por todos e todos por um.
E isso é possível?
Sim! Basta se conhecer, pois em se conhecendo haverá de entender o porquê de todas as ações corrompidas e destrutivas de nossos irmãos, irá perceber que as forças energéticas, que envolvem o ser humano, são energias dos animais irracionais, daí os comportamentos humanos tal qual bichos, feras bravias, animais predadores que querem tudo, tudo possuir através da força; parasitas monstruosas que praticam crimes hediondos contra as leis naturais.

E para te conheceres, para definir o teu EU e saberes quem és tu, deixando de lado o tanto de ilusão em que o tu se envolve, é estudando o livro Universo em Desencanto. Assim, haverá a mudança do irreal para o verdadeiro natural de Racional puro, limpo e perfeito.

Não descuide, pois, da prática da Imunização Racional! Saia do buraco! Estude o livro Universo em Desencanto.

Nenhum comentário: