Follow by Email

sexta-feira, 15 de maio de 2015

RACIOCINANDO NO RACIOCÍNIO DO RACIONAL SUPERIOR


“POR O SER HUMANO SER UM CENTRO ASTROLÓGICO, É QUE, COM O TEMPO, TINHA QUE CHEGAR A CONCLUSÃO DE ENCONTRAR EM SI MESMO A IMUNIZAÇÃO RACIONAL, E NELA, O PORTA-VOZ DA VERDADE DAS VERDADES, POR A NATUREZA DOS VIVENTES SER ADEQUADA À NATUREZA QUE OS FEZ, POIS SÃO FORMADOS POR ESTA NATUREZA, E POR ISSO, DEPENDEM DELA PARA VIVER, SENDO ENTÃO FORMADOS POR SETE PARTÍCULAS E DEPENDEREM DELAS.” (RACIONAL SUPERIOR)
(Gilberto Carnasciali, Miguel Pereira, RJ)
“O Pensador” (Le Penseur) é uma das mais famosas esculturas de bronze do escultor francês Auguste Rodin, exposta ao público na França em 1904. Reproduz um homem em meditação profunda imerso numa poderosa força interior; o pensamento.
O que poderia um ser humano estar pensando, imaginando, ou mesmo sonhando, mergulhado em um turbilhão de idéias que parecem ocupar a sua mente? Talvez tentando desvendar a origem e a causa de sua existência, afirmando o que William Shakespeare (1564-1616), poeta, dramaturgo e ator, colocou na fala de Hamlet, que olhando fixamente para uma caveira segura entre as mãos, exclama; ”SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO”. Ou então Descartes (1596-1650), físico, filósofo e pensador, ao declarar: ”PENSO, LOGO EXISTO”, exemplo clássico do pensamento dedutivo em sua pequenez cartesiana, mas com grande aceitação na época.
No primeiro milênio, um selvagem não alcançaria tanto, mas convenhamos, é muito pouco conhecimento para um civilizado. Possivelmente o pensador de Rodin estivesse parafraseando o trecho do livro Universo em Desencanto, da Cultura Racional, o qual seria lido  da seguinte forma, se adaptado à primeira pessoa: “Quem sou eu, livre-pensador, que a ilusão é tanta que não sei nem mesmo definir meu próprio eu”. É que a lógica atrasada do rústico bicho Racional, sempre filosofando em seu encantamento, não lhe permitia nesse estágio aprofundar o conhecimento de si próprio.
É nesse autoconhecimento que estão as respostas para perguntas como; quem sou eu, de onde vim, o que estou fazendo aqui neste mundo, para onde vou, como, quando e para onde irei, por que nasço, vivo, sofro e morro sem saber quando, como e onde?
Quando Rodin esculpiu sua obra prima, o pensamento ainda se achava no Segundo Milênio e em pleno vigor, permitindo ao vivente se equilibrar e se orientar dentro de um mundo não tão conturbado como o de agora. A partir de 1935, com a chegada do Terceiro Milênio e da Fase Racional, o pensamento que era comandado pelas energias elétrica e magnética enfraqueceu e deixou de atuar passando a mente a ser regida por aquelas energias destrutivas, o que resultou no estado caótico em que vive a humanidade; física, moral e financeiramente falida. A lapidação das pessoas, obra da Natureza no comando das energias elétrica e magnética foi intensificada a um grau muitas vezes maior, tornando a vida da maioria insuportável.  
Com a chegada da Fase Racional com a Energia Racional que fala a verdade, conta a verdade,e é a verdade, o Raciocínio veio para ficar e para equilibrar o vivente, por meio dos ensinamentos difundidos pelos Livros da Cultura Racional que narram em linguagem simples, clara e objetiva, a real história da humanidade, como ditada por Deus, o RACIONAL SUPERIOR, ao Senhor Manoel Jacintho Coelho, o RACIONAL SUPERIOR da Terra. A seguir, abreviando o que a Obra relata com abundância de detalhes, eis o que ocorreu: uns tantos seres Racionais, puros, limpos e perfeitos, adentraram por livre e espontânea vontade uma parte da Planície Racional que não estava pronta para entrar em progresso. Foram avisados e alertados para que não o fizessem, porém não deram ouvidos e continuaram a progredir por conta própria. A parte da planície que não estava pronta para progredir começou a se movimentar e a se deslocar gradualmente em descida espiral, levando todos aqueles seres com ela. Tem início então a história da formação da matéria pelas virtudes perdidas da planície e de seus habitantes. Deu-se então o princípio da origem deste mundo. Essas virtudes, que eram formadas pela Energia Racional, se reuniram e tornaram-se um foco de luz que com o tempo começou a esquentar, se transformando no sol, tendo a Energia Racional se desligado e sendo substituída pelas virulentas energias elétrica e magnética. Iniciou-se aí o progresso regressivo de tudo e de todos com constantes transformações, degradações, diminuições e extinções.
Com o decorrer do tempo, o foco de luz, o sol, começou a esquentar mais e mais, derretendo uma parte da planície que virou resina e outra parte que virou goma. A resina produziu bolhas e torrou, criando cinzas por baixo. Do outro lado, a goma sob intenso calor derreteu tornando-se uma substância pastosa depois liquida grossa, depois líquida mais fina e finalmente água. A água por sua vez, penetrou por baixo da resina, umedecendo as cinzas e criando o mofo, ambiente propício para a geração e proliferação dos micróbios, bactérias e vírus visíveis e invisíveis.
Da água, o elemento produtor e reprodutor, veio o ser masculino, e da terra o elemento incubador e formador, veio o ser feminino, pela ação dos vírus. A gota d´água, ou sêmen, corpo gomoso, fluídico e viral, tornou-se o veículo portador do Habitante do MUNDO RACIONAL para a formação da máquina do Raciocínio, materializado na glândula Pineal. Eis aí, de forma muito abreviada, como se processou o início da vida na matéria, a vida da humanidade e de tudo mais que compõe a existência no Planeta.
Voltando ao pensamento e ao Raciocínio, à proporção que o estudante de Cultura Racional se aprofunda na leitura da Obra, ele desenvolve refina e eleva seu Raciocínio, passando a Raciocinar no Raciocínio de Deus, o RACIONAL SUPERIOR. Quanto mais o estudante Raciocina no RACIOCÍNIO DIVINO através da leitura das palavras, frases, parágrafos e páginas do Livro, mais próximo Dele está. Chama-se isso de IMUNIZAÇÃO RACIONAL; o vivente se transporta para dimensões elevadas de conhecimento, adquire a Clarividência Racional, e passa a ter uma visão antecipada de seu Mundo de Origem; a fazer contacto com seus irmãos puros, limpos e perfeitos; e a perceber com clareza Racional todo o trajeto de sua existência na matéria durante as vinte e uma eternidades até o triunfal retorno ao Paraíso Racional. Deixou de Raciocinar no  Raciocínio Divino para Raciocinar o  Raciocínio Divino. Eis o momento culminante do Corpo de Energia Racional, que se liberta do jugo da matéria, da força descomunal das energias elétrica e magnética, seus carcereiros, carrascos e lapidadores, e de um longo e penoso exílio forçado no interior da glândula Pineal de um moribundo corpo físico, para finalmente adentrar a Estrada Racional, seguindo em marcha triunfal até o Pórtico Racional na Planície Racional, apoteoticamente aclamado por todos os seus irmãos, iluminado pela Luz Racional, e finalmente acolhido e abençoado pelo PAI, o RACIONAL SUPERIOR. Antecipando-se a esse glorioso momento, as sete partículas deformadas em sete partes; sol, lua, estrelas, água, terra, animais e vegetais, já lá estavam retornadas ao seu estado natural formando o Corpo Racional, que não mais nascerá no mundo deformado de matéria. 
Eis aí como se processa a Salvação Eterna.
A IMUNIZAÇÃO RACIONAL é a Redenção Universal, a Salvação Eterna de todos que assim desejarem. Quanto mais o estudante Raciocina no RACIOCÍNIO SUPERIOR de DEUS, mais ajudado ele é por esse RACIOCÍNIO. Mas para que isso aconteça é preciso grande constância e persistência na leitura conscientizada, para se assenhorear do Saber Racional que conduz À IMUNIZAÇÃO RACIONAL. Deus estendeu Sua mão aos viventes aqui na Terra, oferecendo com ela o Livro UNIVERSO EM DESENCANTO. É a Dádiva Divina, o mais precioso presente que a humanidade poderia receber, pois é a sua leitura que permite à mesma mão de Deus reconduzir todos ao seu Mundo de Origem.
O reverso da moeda é a descida dos inconscientes, materialistas decadentes, obnubilados, sonhadores de olhos abertos, para classes inferiores dos irracionais, comandada pelas energias lapidadoras elétrica e magnética, onde as penas serão muito mais severas, sem possibilidade de comutação. Haverá o retorno, mas a duração da viagem levará muitas eternidades.  Ainda há tempo de decidir o que ser:
Racional ou irracional.
SER OU NÃO SER, EIS A QUESTÃO!
E encerrando, eis o que diz nosso Pai sobre o dever da divulgação:
“É preciso que o vivente seja um fervoroso divulgador do que conhece, para salvar-se e salvar o próximo. O mérito do próprio vivente aumenta e tudo lhe cresce, tudo lhe reluz de bom e de bem para si”.
Ninguém se salva sem o devido mérito. Palavras do RACIONAL SUPERIOR.
SALVE!

Nenhum comentário: