Follow by Email

quarta-feira, 6 de maio de 2015

SÍNTESE DO QUE É CULTURA RACIONAL


Amigos, SALVE!

Enquadrar é a tendência da maioria ao conhecer algo novo, inédito. Busca nos pontos de referência tradicionais uma identificação, ou uma justificativa que satisfaça a sua sede de definição.
O homem é inseguro e precisa rotular tudo dentro de padrões que já conhece, que já domina. Com isso, esquece que a Natureza é de transformações, nada se repete: nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.
A CULTURA RACIONAL não é um conjunto de princípios que se presta para base de alguma coisa. Ela é a cultura natural da Natureza, base VERDADEIRA da VIDA.
Não é função da CULTURA RACIONAL dar instruções sobre a filosofia cristã ou outras. Sua função é unir pelo conhecimento completo que dá sobre a Natureza – seu mecanismo, sua causa, sua origem e sua base.
A CULTURA RACIONAL não é um ensinamento de vida e, sim, um conhecimento sem mistérios da vida. Ela nada prega, porque respeita o livre arbítrio de cada qual.
A CULTURA RACIONAL é inédita para a humanidade, não é extraída do saber humano. É extra cósmica.
A CULTURA RACIONAL não é regra, preceito ou norma, porque é absolutamente dinâmica, natural e não impõe, não determina, nem estabelece regra alguma de comportamento ou de vida. E quem passa a tê-la se harmoniza consigo mesmo, com qualquer meio ambiente e se torna ligado à Natureza, adquirindo, por si mesmo, pelo autoconhecimento, equilíbrio perfeito.
A CULTURA RACIONAL é o conhecimento que dá a consciência plena e verdadeira natural, desmistificada de toda existência. Quem crê é convicto; quem conhece é consciente.
A CULTURA RACIONAL não dá convicção. Dá consciência. Consciência é o mesmo que com saber.
O consciente raciocina, porque conhece e pode fazer justa avaliação das coisas, a avaliação real, imparcial, isenta de preconceitos, natural, porque tem conhecimento racional da vida, é culto racionalmente, é culto verdadeiramente, porque é possuidor de CULTURA RACIONAL. E a CULTURA RACIONAL não tem cultos, nem rituais a serem praticados como virtudes.
Virtude na CULTURA RACIONAL é a ausência de ritos de mistificação. Virtude na CULTURA RACIONAL é viver naturalmente, ou seja, em harmonia com as leis naturais da Natureza.
A CULTURA RACIONAL prova que tudo tem a mesma origem, e que tudo deva ser encarado como realmente é, dentro de sua função cósmica e natural. Tudo tem uma razão de ser (não existe efeito sem causa). Por isso, tudo e todos merecem respeito, sem minimizar ou maximizar o valor de coisa alguma.
A CULTURA RACIONAL é a cultura do desenvolvimento do raciocínio, do SER RACIONAL, que, inclusive, traz ao conhecimento da humanidade que a fase do pensamento terminou em 1935, provando e comprovando que forças são o pensamento e a imaginação e o porquê acabou a fase dessas forças, dessas energias.
E, consequentemente, não existe filiação da CULTURA RACIONAL a nenhuma instituição do pensamento, seja ela social, política, doutrinária, filosófica, científica ou religiosa.
A CULTURA RACIONAL é universal e anterior à existência do mundo em que vivemos. É a cultura natural da Natureza e, queiram ou não queiram, todos fazem parte dela, porque todos somos filhos naturais da Natureza.
A CULTURA RACIONAL não é modo de pensar. É o conhecimento natural que nos leva a raciocinar. Não é modo de agir, porque não interfere no natural de cada qual – todos somos diferentes, a desempenhar nossa função no contexto universal.
Ela é, sim, um conhecimento de paz, de amor, de fraternidade e de concórdia – que todos querem e procuram.
É um conhecimento a favor da lógica, da razão e da concórdia entre os povos; o que, inclusive em lei, ao longo dos tempos, a humanidade vem defendendo como necessário à preservação da vida. Não é contra sistema algum, e prova que todos os sistemas são necessários para a lapidação da humanidade e preparação dela, no sentido de se compreender e entender que fora do natural nada dá certo, não se consegue equilíbrio, não há paz.
Portanto, a CULTURA RACIONAL não é contra nada nem contra ninguém. Apenas nos mostra, de forma justa, como colocar e unir esses sistemas já existentes, para o equilíbrio do animal Racional e sua consequente harmonia com a Natureza.
Quem se dedica ao estudo da CULTURA RAIONAL, é porque se identificou naturalmente com as verdades que ela encerra. Pois, a CULTURA RACIONAL não depende de reconhecimento, porque a VERDADE independe de qualquer reconhecimento. Ela existe e, por si mesma, se basta.
Não precisa dos seres, quer sejam visíveis ou invisíveis. Mas, todos os seres precisam dela. É a força poderosa e natural, a FORÇA RACIONAL, que dá causa, origem e base a todas as demais forças existentes. Tal como o ar que alimenta a todos indistintamente e independe de reconhecimento ou consideração qualquer.
Ao ar não importa o que dizem dele os ateus e os religiosos, os poetas e os empresários, os governantes e os governados, os ricos e os pobres, os homens e as mulheres. Tecem opiniões sobre ele, mas, nenhuma irá alterar a verdade que é o ar. E nem mesmo irá interferir na função que ele tem.
A CULTURA RACIONAL é uma cultura superior, portanto, aberta – não é contra nada, nem contra ninguém, sendo em favor de tudo e de todos. Ela prova que tudo é preciso e necessário, merecendo respeito – por isso, não é radical.
Não há conversão para a CULTURA RACIONAL, porque ela é o conhecimento que universaliza e completa todo ser humano, ou seja, unifica o saber existente.
A CULTURA RACIONAL une, acaba com as divergências, com os sectarismos, com as divisões que trazem conflitos à humanidade. Ela une as partes existentes, sem subestima-las.
Então, não há conversão e, sim, uma real valorização da vida através da consciência completa da existência.
A CULTURA RACIONAL, contida nos livros UNIVERSO EM DESENCANTO, é um conhecimento natural da Natureza, cujo estudo desenvolve a parte RACIONAL do animal Racional, pelo equilíbrio que se adquire com esse conhecimento, que dá saber completo e desmistificado da vida. E, por assim ser, une todos, provando-nos que o que causa a desunião, a discórdia, os preconceitos, os atritos, os conflitos, as guerras e a mortandade, de uns contra os outros e destruindo uns aos outros, é o desconhecimento da Natureza.
O objetivo da CULTURA RACIONAL é ligar toda a humanidade ao seu Verdadeiro Mundo de origem, o MUNDO RACIONAL, retornando o animal Racional ao seu verdadeiro estado natural de SER RACIONAL, pelo desenvolvimento do raciocínio (glândula pineal). E, assim, passando a humanidade a viver com perfeito equilíbrio na vida da matéria, beneficiando-se pelo seu bom comportamento, pelo uso racional do seu livre arbítrio. É quando se findam todos os desequilíbrios morais, físicos e financeiros.
O objetivo dos estudantes de CULTURA RACIONAL é a conscientização Racional dos povos, de forma a que toda a humanidade tome conhecimento da nova fase em vigor na Natureza, a Fase Racional. Razão pela qual todos que estudam essa cultura transcendental procuram participar de movimentos ecológicos, cívicos e sociais, interagindo com as instituições de um modo geral.
Os estudantes de CULTURA RACIONAL são conscientes de seu dever humano e fraternal para com toda a coletividade mundial. Razão pela qual colaboram, de livre e espontânea vontade, com seus próprios recursos, para que toda a humanidade tenha ciência da Fase Racional, sabedores de se tratar de um novo tempo da vida na Terra, onde, finalmente, haverá justiça real e fraterna, sem prejuízo para ninguém, o que nunca aconteceu na fase do pensamento, que nunca atendeu ao objetivo maior da humanidade: que é a paz, o amor, a fraternidade e a concórdia universal – POSSÍVEL AGORA, COM O DESENVOLVIMENTO DO RACIOCÍNIO!
Leiam o livro UNIVERSO EM DESENCANTO, de CULTURA RACIONAL!

Nenhum comentário: