Follow by Email

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

APARÊNCIAS NÃO SÃO VERDADES

A internet trouxe para dentro de nossas casas o retrato do mundo. Um retrato onde nem todas as nuances são agradáveis.
De repente a gente começa a constatar que a humanidade é mais teimosa do que desinformada. Mais vaidosa que sofredora. Mais prepotente do que fraterna. Mais arrogante que amorosa.
Sim, mais teimosa do que desinformada, pois, a quantidade de pessoas que utiliza a internet para recomendar comportamentos nobilíssimos é muito grande! Em contrapartida a quantidade de pessoas no mundo que age de forma atrasada, selvagem é muito maior. Será que o que andam recomendando não serve para os próprios que recomendam?
E porque mais vaidosa que sofredora?
Porque todos sofrem muito, os desequilíbrios são assustadores, mas, nem assim, com tanto sofrimento, a maioria não se rende à paz, ao amor e à fraternidade. E isso é vaidade, por julgarem-se certos, donos da verdade, como diz: “o outro é que está errado”.
E dessa teimosia e vaidade, vem a prepotência (ignorando a fraternidade) e a arrogância, que desconhece o amor.
Sendo tudo isso fruto de um grande atraso, onde julgam que sabem e que não precisam aprender mais nada de novo, virando as costas para as coisas inéditas, ainda desconhecidas da humanidade, acostumados que ficaram com o viver de aparências.
Mas, aí vem o sofrimento e prova ao atrasado que ele não sabe nada, pois, quem sabe não sofre.
Onde está a sabedoria de um sofredor, que não o livra do sofrimento e da dor? E aí é que reina a ignorância, de se acomodar com o que aprendeu, mesmo debaixo de muito sofrimento, prejudicando a si mesmo e aos demais, por nada de real saber da vida, do mundo e de si mesmo.
Aparências não são verdades! Verdade que traz sacrifícios, lágrimas, dores, padecimentos: ela mesmo já está dizendo que não é verdade, parece que é, mas, aparências não são verdades!
E, por isso, por a humanidade admitir aparências como verdades é que o sofrimento é o maior brilhante do dia e da noite.
Enquanto a humanidade viver de aparências, admitindo a mentira como verdade, continuará sofrendo terrivelmente e cada vez mais e pior.
A mentira tornou todos escravos da matéria, fanatizados com a matéria, embriagados com a matéria, obsedados pela matéria, por todos viverem DESCONHECIDOS de si mesmo e da Natureza.
E quem NÃO SE CONHECE, PADECE! Padece, por viver de aparências, admitindo aparências como verdades, passando a ser um traidor de si mesmo, por viver SEM SE CONHECER e, portanto, vivendo completamente contra a Natureza. E quem vive contra a Natureza, não tem com quem contar nem onde se agarrar, porque é da Natureza que dependemos em tudo para viver.
Procuremos, então, conhecer a nós mesmos e à Natureza, deixando os pré-conceitos de lado e tratando de conhecer a cultura mais elevada que existe, a cultura natural da Mãe Natureza, para poder nos entender, nos conhecer e entender e conhecer a nossa geradora, criadora e mantenedora, que é a Natureza.
Só assim conseguiremos sair deste grande atraso milenar, que nos manteve escravos da ferocidade, da vaidade, da ambição, da ganância, dos sonhos, das fantasias e das ilusões, que fizeram do mundo um mar de lama ao invés de um doce abrigo.
Procuremos conhecer e estudar a cultura natural da Natureza, a Cultura Racional.

Nenhum comentário: