Follow by Email

quarta-feira, 6 de março de 2013

AS DUAS ORIGENS DA HUMANIDADE

(Porfirio Jesus das Neves)
Há muito o ser humano foi classificado como ANIMAL RACIONAL. Alguns atribuíram o termo Racional à capacidade do uso da razão; em realidade, a classificação se deve ao fato do ser humano ser um animal dotado de raciocínio. Note que este DOTE nunca foi usado enquanto o ser humano é um animal livre pensador.
Quanto ao uso da razão, vemos hoje, pelos experimentos com os animais irracionais, que eles também usam a razão. Em menor grau de liberdade, evidentemente, porque o pensamento deles não é um pensamento livre. É um pensamento exclusivamente condicionado.
Neste aspecto, já muito bem experimentado (conto com as ilustrações conhecidas de quem está lendo este artigo, para não me alongar), todos os seres materiais usam o pensamento para se comunicarem entre si e para se reproduzirem. Isto é extensivo aos animais, aos vegetais e aos minerais, constituindo assim uma coisa que ninguém conhecia até então, a CATEGORIA.
A CATEGORIA é de bicho, porque todos estes seres foram feitos da ÁGUA. Por isso se diz que sem água não há vidas. E o pensamento foi feito da ÁGUA. E por isso a ÁGUA gera todos os seres através do pensamento. O “macho” pensa na “fêmea” e vice-versa. O ácido “pensa” na base e por isso há uma reação química dentro da água. O pensamento é um potencial elétrico e magnético gerado pela ÁGUA (sem maiores delongas).
O pensamento do animal racional é livre! Em realidade, tem uma parte condicionada ou vegetativa, que é igual, em razão de semelhança, à dos demais seres animais, vegetais e minerais e tem uma parte que é livre ou lógica, indevidamente chamada de raciocínio – essa foi a grande confusão. A parte livre é uma apenas uma confirmação intuitiva de sua origem.
A origem do animal Racional sempre foi motivo de grandes confusões históricas. Muitos atribuíam a origem do animal Racional a “uma criação divina” [criacionismo] e muitos outros atribuíam esta origem à transformação evolutiva das espécies [evolucionismo]. E no princípio dos princípios foi dito que todos os seres humanos tinham RACIOCÍNIO.
Neste ponto, você tem o direito de questionar ou analisar que o assunto vai tratar destas “duas origens”: o criacionismo e o evolucionismo.
Ao contrário, estes dois aspectos constituem apenas uma das origens do animal racional. Estes dois aspectos se referem apenas à origem da parte ANIMAL, do animal racional.
Tanto o criacionismo quanto o evolucionismo se referem apenas à origem da parte animal, que podemos qualificar como sendo a origem do SEGUNDO MUNDO, ou origem da CATEGORIA.
Há uma origem anterior que é a formação da parte RACIONAL, e que é tratada como sendo a verdadeira origem da humanidade que, de igual modo, podemos qualificar como PRIMEIRO MUNDO, ou ORIGEM DO RACIOCÌNIO. E agora vem a revelação dos dois mundos.
A verdadeira origem é o primeiro mundo (as coisas de Deus). É a origem da parte RACIONAL do animal, ou seja, a ORIGEM DO RACIOCÍNIO.
A segunda origem, decorrente da primeira, é a origem da CATEGORIA (que ninguém conhecia) de BICHO RACIONAL. E por isso ficou esta categoria dividida em duas classes: animal racional e animal irracional. Animal dotado do RACIOCÍNIO da verdadeira origem e animal sem o dote da verdadeira origem. Que assim foram originadas infinitas classes de vida a partir da água, por pertencerem todas à mesma CATEGORIA.
“No princípio, criou Deus os céus e a terra. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo, e o espírito de Deus pairava sobre as águas...”
Esta descrição inicial de Genesis propicia várias perguntas com base na lógica de causa e efeito.
Como foi que Deus criou os céus e a terra? Como e por quê?
O que significaria exatamente uma terra sem forma e vazia, criada por Deus? Por que ELE a teria criado sem forma e vazia?
E o que dizer da existência das trevas sobre a face do Abismo? Seriam estas, trevas e abismo, também uma criação divina?
Como poderíamos entender ou justificar a existência de trevas e de um Abismo num mundo onde havia somente Deus? Ou será que havia outro tipo de manifestação ou ocorrência de algo ou alguém que não tivesse uma natureza divina? E teria este tipo de manifestação ou “alguém” contribuído para a criação deste mundo em que vivemos?
Em caso afirmativo para esta última pergunta, logo deduziríamos que estaríamos diante de pelo menos dois criadores do mundo e não apenas de um só! Seriam duas naturezas criadoras?
E ainda poderíamos perguntar, qual seria a sugestão na afirmação de que o espírito de Deus pairava sobre as águas? Olha a CATEGORIA aí gente! É por isso que ninguém conhecia a categoria, porque tudo foi feito da ÁGUA, pela origem do “espírito de Deus”. Por isso se afirma:
–“O Raciocínio é a raiz mestra da fecundação universal.
Em questão do mérito destes “fundamentos” apresentados em Genesis, posso assegurar, que não há discordância alguma, nem impropriedades com relação ao Conhecimento da Verdadeira Origem da Humanidade.
Asseguro que, pelo Conhecimento da Verdadeira Origem da Humanidade, fazendo uma adequada tradução do IDIOMA da primeira origem para os idiomas usados pela segunda origem - criacionismo e evolucionismo - poderemos fazer uma harmonização entre as duas origens, desde que tomemos o cuidado de analisar os eventos, relatados em ambas, na ordem de cima para baixo, do primeiro para o segundo.
Isto significa dizer que o texto bíblico não pode ser usado como querem os criacionistas, ou seja, as coisas de Deus não se discutem, simplesmente por que temos fé, nem tampouco podemos desprezar os fundamentos do texto só porque não apresentou a base e a lógica da criação do segundo mundo, ou da segunda origem, se assim nos propusermos a entender.
A BASE é o MUNDO RACIONAL – dele deriva-se o espírito de DEUS – e a lógica é a Planície Racional, que se transformou em ÁGUA e que deu causa e origem à CATEGORIA.
Esta revelação da Verdadeira Origem da Humanidade é a revelação mais assombrosa que já pudemos conhecer ao longo da nossa história neste mundo encantado, neste segundo mundo.
O mundo ficou encantado simplesmente pelo fato de uma desobediência à Natureza (ÁGUA no princípio) pelo abuso do livre pensamento, criando todo esse obscurantismo artificial formando as velhas tradições.
Mas, estas histórias da humanidade precisam ser conhecidas em sua profundidade para justificarem a existência de tudo que existe neste mundo, porque tudo tem uma razão de ser.
O antes do ser é a sombra daquilo que eram. A sombra daquilo que eram é a sombra daquilo que foram. A sombra daquilo que foram é a sombra de onde saíram. E a sombra de onde saíram é dos corpos puros e limpos, sem defeitos.
Este é um resumo da Verdadeira Origem da Humanidade, ou seja a origem do antes do ser, o que equivale no conhecimento de Genesis bíblica ao espírito de Deus que pairava sobre as águas. Traduzindo para o idioma Racional este “espírito de Deus” é o RACIOCÍNIO.
Com esta informação, fica fácil entender porque o ANIMAL nunca usou o Raciocínio, embora seja uma espécie dotada de Raciocínio. Isto também se justifica pela seguinte lógica simples: filho de boi, nasce boi; filho de homem, nasce homem e filho de Deus... por que nasceria animal?
Definitivamente, temos duas origens: a origem do primeiro mundo, ou do “filho de Deus” e a origem da CATEGORIA, ou do Bicho Racional. E, por isso, nunca ninguém usou o Raciocínio. Agora, sim, no terceiro milênio, mudando para a fase de desenvolvimento do Raciocínio a fase Racional da humanidade. E aí muda de categoria!
E por isso, está aqui a Divina Providência provada e comprovada e com uma infinidade de comprovações, com sua base sólida e a sua lógica no conhecimento dela, o conhecimento de Cultura Racional no livro Universo em Desencanto, onde todos precisam, urgentemente, conhecer a verdadeira origem da humanidade, para complementar justamente a segunda origem, que todos viam de forma tão diversificada, por acharem que havia apenas uma única origem.
E a Cultura Racional acontece, em início, com a seguinte questão: “Quem és tu que a ilusão é tanta, incapaz de definir o teu EU? Sabei vós, que sois uns corpos imprudentes no ABISMO de dia para dia ambicionando tudo quanto é de material, por grande obscuridade do ESPÍRITO”.
Por este e por muitos outros esclarecimentos, a Cultura Racional é a favor de tudo e de todos.

Nenhum comentário: