Follow by Email

quinta-feira, 7 de março de 2013

COMPOSIÇÃO E CONSTITUIÇÃO DA MATÉRIA

(Wilma Fernandes)
A natureza (água, terra, ar) é composta por diversos elementos químicos, que também compõem o corpo humano.
Alguns deles:
Oxigênio, hidrogênio, carbono, nitrogênio, ferro, fósforo, cálcio etc.
Na vida da matéria nada se acaba, tudo se transforma. Tudo se dilui por ser formado por vírus e micro-vírus deletérios (e, por isso, aparece e desaparece; tem vida e perde a vida; tudo se dilata e se decompõe).
O antes de ser matéria é energia, energia essa composta por esses elementos químicos fluídicos, que são assim formados por vírus e micro-vírus invisíveis.
Como entender que um corpo físico é composto pelos mesmos elementos químicos existentes na natureza?
Explicamos a seguir.
Primeiro precisamos entender que o ser humano já nasce respirando o ar, que é o elemento fluídico imprescindível para a manutenção, ostentação do corpo físico, sendo esse alimento da mesma composição química que constitui o corpo.
Ora, o sêmen (espermatozoide, semente da vida material) é constituído por estes mesmos elementos químicos existentes na natureza, através da respiração, a qual é feita não tão somente pelas narinas, mas, por todo o corpo.
Através da ação da natureza, os vírus e micro-vírus invisíveis se juntam, formando uma massa compacta, dando causa a uma goma (matéria visível fluídica).
Portanto, os vírus e micro-vírus invisíveis, dão causa aos vírus e micro-vírus visíveis da goma. Um é a causa e o outro é o efeito, pois não há efeito sem causa.
E sendo os vírus e micro-vírus invisíveis de vida limitada, e, por isso, em constante transformação (de uma forma para outra e de uma vida para outra), ao término de uma validade, vão se transformando e se retirando para o espaço, e o seu feito, que é o corpo físico, vai perdendo, paulatinamente, sua sustentação, até a transformação total, o que chamamos de morte.
Por isso tudo na matéria gera, nasce, cresce, amadurece, decresce e desaparece.
Portanto, os corpos materiais, inclusive dos seres humanos, não se acabam, vão murchando aos poucos e apenas se transformam.
Por quê?
Porque os vírus e micro-vírus deletérios vão, lentamente se diluindo, colocando fim na matéria bruta, e retornando ao espaço dentro desta deformação Racional em que vivemos.
Tal como as nuvens, por exemplo, que são constituídas por milhões de vírus e micro-vírus invisíveis e que se juntam formando nuvens gasosas visíveis, com pouco tempo de duração. Esses vírus e micro-vírus se diluem rapidamente, voltando ao que era no ar.
E, assim, na vida da matéria nada se acaba, tudo se transforma. Tudo se dilui, por tudo ser formado por vírus e micro-vírus deletérios, que são os fluídos.
E aí pergunta-se:
“E de onde se origina essa natureza fluídica deformada, que dá origem aos seres de matéria bruta, aos corpos físicos?
“Apesar da natureza ser constituída dos mesmos elementos químicos que formam os corpos físicos, por que ela não depende de nós e nós dependemos dela?”
“Por que dependemos da água como outro vegetal qualquer?”
“Qual a força poderosa natural que constitui a ação invisível?” “Por que a natureza parece ser eterna e nós somos mortais, com pouca duração de vida, sempre nos transformando em outras vidas?”
E essas perguntas e uma infinidade de outras deixavam-nos nas trevas, sem esclarecimentos, sem base e lógica, sem provas e comprovações, pintando o mundo de preto: vivíamos no escuro. E hoje acabando as trevas! Tudo branco, tudo claro, tudo cristalino, por estar tudo isso (e muito mais) respondido e desvendado nos Livros Universo em Desencanto.

Nenhum comentário: