Follow by Email

terça-feira, 19 de março de 2013

VIAJANTES

(Angela Maria da Silva, Recife, PE)
Ouvindo certa canção deparei comigo mesma, viajante na condição de ser materializado, num tempo em que se faz necessário conhecer a si mesmo.
Sei que não há mais tempo para perder tempo com experimentações que levam a lugar nenhum.
Ao meu lado percebo uma humanidade (da qual faço parte) apressada em adquirir bens materiais, na esperança de amenizar os sofrimentos diários. Não importa a nacionalidade, em qualquer lugar que seja, todos buscam encontrar o certo, sem se dar conta de que cá onde estamos o certo não é verdadeiro.
Temos tantos conceitos formulados, tantas respostas que levam o nada ao nada, tanta luta para acabar em uma cova! E lá vamos todos sem saber o que nos aguarda o amanhã, tantos zelos com a vida material, que criamos crenças, seguimos filosofias, nos agarramos ao divino criado por nossas mentes, sem sabermos o que de fato é verdade.
Tantos livros escritos, tantos pensadores desde remotas épocas e as mesmas perguntas rondam o ser humano, a ciência em luta com a religião, cada qual dando sua versão de nossa existência.
O que chama minha atenção é que a humanidade já não aceita mais respostas infundadas, não aceita mais o tudo prontinho de quando aqui chegamos e encontramos.
Há uma certa concentração de pessoas que busca mais, pessoas que buscam a si mesmas. E dessa maneira acabam por encontrar um caminho jamais esperado.
Encontram a si mesmos descobrindo o ser real existente dentro dessa máteria a que estamos ligados.
Essa viagem que leva qualquer um a encontrar a si mesmo é clara, com provas e comprovações, nos Livros Universo em Desencanto, diferente de qualquer livro dantes lido; é fazer a prova do ler para formular opinião, porque o novo pode nos causar diversas sensações, a verdade relatada é uma viagem de volta à nossa origem de seres puros, limpos e perfeitos, nossa volta ao divino sem a necessidade de sermos conduzidos por outrem.
Amigos um convite: leiam Universo em Desencanto e formulem suas opiniões.

Nenhum comentário: