Follow by Email

domingo, 29 de julho de 2012

SOMOS SEMPRE OS MESMOS A NASCER E A MORRER NESTE MUNDO PARTE 2

(Porfirio Jesus das Neves)
Esta afirmativa de sermos sempre os mesmos se reflete sobre o verdadeiro ser e não sobre o ser aparente de vida material, pois a matéria é uma vida provisória e única, não se repete. Por isso afirmamos que, em inteligência, as novas gerações são velhos transformados em novos. Novos corpos de vida, mas já trazem informações impressas em seu ser, o Raciocínio, derivadas de vidas anteriores. E por isso vejam as novas gerações, que, de forma crescente, já nascem sabendo mais coisas antes mesmo de serem ensinadas.
A palavra morte foi criada pelos bichos atrasados que não entendiam que os corpos de matéria precisavam ser reformados e transformados, mas o verdadeiro ser não morre – o verdadeiro ser é eterno. A matéria degenerou e enfraqueceu pelas transformações, mas o ser verdadeiro não, porque Racional não desvirtua de seu ser.
A segunda “morte” dos Racionais Puros, representada pela sua extinção, é que deu motivos para a criação do Raciocínio, porque seus corpos se transformaram conjuntamente com o corpo da Planície. Seus corpos de massa de Energia Cósmica se “desmancharam” em formação de “vírus de massa de energia” dentro da massa cósmica em degeneração e deformação da Planície Racional, Goma e Resina.
Então, A CAUSA do Raciocínio está naqueles tantos habitantes que se transformaram pela transformação da Planície em dois Princípios: o feminino e o masculino. Energia Elétrica e Energia Magnética. Que assim nos revela o Racional Superior no livro Universo em Desencanto:
(*H-169 p-140) “E quem é o dono do segundo mundo? Um Raciocínio Supremo (grifo meu) que se transformou, pela transformação da Planície, nessa infinidade de Raciocínios.
Um Raciocínio Supremo que se transformou pela transformação da Planície nesta infinidade de Raciocínios, porque era uma infinidade de habitantes progredindo por conta própria."
Mas, tem mais uma referência, neste sentido, para aprimorar nossa compreensão: (*H-169 p-140) E quem é o Deus verdadeiro dos Racionais? O Racional Superior (da Terra). Um Raciocínio supremo (grifo meu), por estar acima de todos e de tudo – o Raciocínio Supremo é que originou. É a origem verdadeira de todos os Raciocínios. E hoje, todos que passaram a se conhecer, sabem que todos os raciocínios são de origem do Mundo Racional. O Mundo Racional é o causador de todas as máquinas do raciocínio. E, por isso: Raciocínio – Racional; Racional – Raciocínio”.
Na primeira referência, acima, podemos ver a causa do Raciocínio e na segunda referência, a origem do Raciocínio, porque tudo tem uma causa e uma origem. E o Raciocínio teve o seu princípio e tinha que ter o seu fim. Porque o Raciocínio é uma divina providência para manter a vida eterna de uns tantos que entraram em estado de extinção.
A ORIGEM do raciocínio, e aí sim compreendemos a ação de um Redentor, é um Raciocínio Supremo que ORIGINA – a Divina Providência. O único Habitante do Mundo Racional que teve a coragem de “vestir esta roupa de Bicho” em que se transformou o Mundo. O primeiro e único, e só precisava de “UM”, para dar a instrução Racional (origem) e promover a ligação de todos no sentido de retornarem ao Mundo de Origem, após aquelas “duas mortes”.
O mundo virou bicho por causa dos vírus dos corpos dos Racionais “apodrecerem” em decomposições e mutações conjuntamente com os vitus do “corpo da Planície”, após múltiplas transformações degenerativas, porque tudo que se transforma, degenera e se extingue em formas de vida inferiores. Mas, nada termina de vez.
Um Raciocínio Supremo que ORIGINA é quem deu origem ao Raciocínio – aí vemos o Racional Superior da Terra. Primeiro e Único, provando que a base é o Mundo Racional e que ELE é o “AMOR DE UM POR TODOS” – Racional, Raciocínio.
E um Raciocínio Supremo que se transforma é quem deu CAUSA ao Raciocínio – “uns tantos” progredindo por conta própria. Por isso, O Raciocínio é o FILHO do MUNDO RACIONAL, a filial do Mundo Racional – tanto pela causa, quanto pela origem. Isto prova que a Lógica é a Planície e nela está o “AMOR DE TODOS POR UM” – Raciocínio, Racional.
Bem entendida a CAUSA e a ORIGEM do Raciocínio, começamos a entender por que “o Raciocínio é um Habitante do Mundo Racional materializado em forma de máquina do Raciocínio”.
Vemos o Raciocínio sendo criado por “duas máquinas” ou duas fôrmas: a “Máquina do Raciocínio Masculino” (na Planície Gomosa) e a “Máquina do Raciocínio Feminino” (na Resina). “Máquinas de Energia Racional” (no primeiro mundo) que vão gerar as máquinas na matéria (no segundo mundo).
É como dizermos numa figuração pessoal: “Deus, com as próprias mãos, fez a fôrma do Animal Racional no Chão”. Uma afirmativa deste nível está em concordância com a criação divina que se apresentou no Curso Primário em que Deus fez o homem do barro. Quanto à questão de ter feito a mulher da costela do homem, esta referência, certamente ficou por conta da má tradução e desconhecimento das duas vidas anteriores. A história da costela, para ser vista com fundamento, deve anteceder à extinção ou “segunda morte” dos Racionais.
Na verdade, a “costela” que se pode relacionar na Cultura Racional, é justamente a parte que não estava pronta para entrar em progresso e que foi deslocada do seu estado natural. Foi uma formação sólida que foi deslocada da Planície Racional. A Planície Racional representa o Homem Primordial, pois é dela que são tirados os vírus para a formação do sexo masculino
.
Com este sentido, fica o entendimento de que foi extraída uma “costela do homem”, ou formação sólida da composição da Planície, para a construção de todo o Universo. Por isso se diz que este universo é feminino, porque todo ele foi feito de uma “costela da Planície” – a parte que não estava pronta para entrar em progresso. Mas era uma pequena parte em relação à Planície.
Esses são alguns detalhes revelados exclusivamente pela Cultura Racional, que ainda não estavam no alcance da formação primitiva dos pensadores, por isso é que precisava chegar à fase de desenvolvimento do Raciocínio para a devida compreensão de tudo.
(*H-338 pág 20) “Antes de ser pensamento, desenvolvido e evoluído, era Energia Elétrica. Antes de ser imaginação, desenvolvida e evoluída, era Energia Magnética. E antes de ser máquina do Raciocínio, era Energia Racional, a causa da máquina do Raciocínio... E a mecânica Racional, a causa da mecânica material e da mecânica celeste. Porque foi o habitante do Mundo Racional que se extinguiu em cima da Resina e da Planície, que deu causa a essas duas máquinas. A máquina do raciocínio feminino, e a máquina do raciocínio masculino. Porque a Energia Racional se transformou nessas duas energias: Magnética e Elétrica”.
E muitas outras citações reveladoras são encontradas no livro Universo em Desencanto que podem servir para aprimorar esta narrativa da verdadeira Origem da humanidade, antes de existir este segundo mundo, de matéria.
Isto tudo é para justificar em que contexto se afirma sermos sempre os mesmos, com a devida causa e a devida origem.
Na vida de matéria do “Racional Animal”, que era chamado de animal racional, o Raciocínio é um só para cada ser que se forma e corresponde cada Raciocínio a cada um dos tantos Habitantes do Mundo Racional que estão em extinção pela “segunda morte”. Os corpos de matéria vão sendo renovados e multiplicados pelas transformações, mas o Raciocínio é sempre o mesmo, não há multiplicação de Raciocínios.
O Raciocínio é um direito concedido por Deus para manter e dar a origem de Racional ÀQUELES que se extinguiram no Chão da Planície, ou que ficaram em estado de extinção no “Barro”, pela segunda morte. O Raciocínio é a Divina Providência para que todos pudessem voltar.
Cada Raciocínio, que muitos ainda podem confundi-lo com um espírito, é único e indivisível e não se multiplica (por isso é o filho do Pai Eterno: Uno e Indivisível) e tem sua “estrutura de Energia” DISSEMINADA em sete partículas de energia, que estão nas sete partes do por que assim somos. E é este “Corpo de Energia”, em sete partículas, o gerador das sementes que dão origem aos pingos d’água, ou sementes geradoras do animal - a vida que faz a nossa vida.
Cada ser com seu pingo d’água! Cada ser na classe de vida que faz por onde merecer. E, por isso vinha aí a “terceira morte” que é a descida para as classes inferiores dos irracionais. Aí o Raciocínio não vincula com o corpo de vida, apenas dá causa, por ser uma classe muito inferior, porém, a origem é mantida nele e por isso todos regressarão, e muitos já regressaram da “segunda morte”. Regressar da terceira morte é muito mais demorado, porque persiste na deformação do tempo.
E aí vem a pergunta final: por que então cresce o número de habitantes na Terra? E a resposta está no fato de que foi uma infinidade de Habitantes do Mundo Racional que veio à extinção, na “segunda morte”. Existem mais “corpos de Energia” no ESPAÇO do que habitantes na Terra, mas nem todos entram na deformação temporal ao mesmo tempo.
Na vida espacial não existe tempo! Essa é uma forma de compreendermos a nossa verdadeira vida. O tempo, em três poderes, foi criado como uma segunda deformação, ou segundo mundo, para que houvesse o devido aprimoramento da infinidade de vidas que precisavam voltar ao Mundo de Origem pela evolução e pelo desenvolvimento Racional, o desencanto.
(*H-55 pág 38) E assim, hoje todos bem entendidos, bem compreendidos, bem evoluídos e amadurecidos e preparados para receber todos os esclarecimentos precisos e necessários sobre todo o passado, presente e futuro. Os três poderes: o passado, o presente e o futuro.
Isto resume que o segundo mundo é uma deformação espaço-temporal e equivale a dizer que na matéria tudo que tem princípio tem fim.
E cada Corpo de Energia é uma vida dentro de um Aparelho Racional que acompanha e mantém a vida de cada Habitante em estado de extinção e que habita no espaço, na “vida espacial”, no primeiro mundo.
A manifestação de cada um desses habitantes na matéria se dá por conta da ligação de seu corpo de energia no tempo da deformação; sai da vida espacial para entrar na deformação do tempo: passado, presente e futuro. E assim tem mais uma chance de evoluir pelo seu próprio desenvolvimento.
É dizer que para cada habitante do Mundo Racional, em extinção, foi preparado um “aparelho” para conter sua vida, como se estivesse numa UTI cósmica, por isso se diz que os habitantes ficaram em estado de extinção e as suas vidas mantidas por “aparelhos”, no primeiro mundo cósmico. O aparelho Racional é do primeiro mundo, não é da matéria que é do segundo mundo. O primeiro mundo é apenas uma deformação espacial, enquanto que o segundo mundo é uma deformação espaço-temporal.
O livro Universo em Desencanto consagra assim toda a evolução de natureza espiritual, que foi precisa e necessária neste imenso Curso Primário, para chegarmos a esta compreensão Racional de que somos Habitantes do Mundo Racional, materializados em forma de máquina do Raciocínio, e sempre os mesmos a nascer e a morrer neste mundo, enquanto aqui permanecermos encantados.
E somente a leitura do livro Universo em Desencanto e a áurea da Fase Racional podem esclarecer e desenvolver o Raciocínio de cada um no objetivo maior de retorno ao Mundo de Origem, o Mundo Racional.
(*) Livros dos Históricos de Universo em Desencanto

Nenhum comentário: