Follow by Email

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

A VIDA É UMA ESCOLA


(Porfirio J. Neves)
Dedico este assunto a todos aqueles que estudam Cultura Racional como sendo uma Escola. Aqueles que estudam Cultura Racional como sendo uma Igreja não estão errados, mas demoram muito a perceber sua própria realidade de estudante, atrasando assim o seu próprio aperfeiçoamento.

Quero dizer que a Cultura Racional, portanto, já está oficializada nas escolas e não nas igrejas, e de forma brilhante na Escola da Vida, porque agora aprendemos na Escola da Vida que a Natureza é a dona de tudo e de todos e é quem providencia para que tudo e todos tenham o seu alimento e tudo que é necessário.

É que a humanidade não sabia olhar para a verdadeira dona de tudo e de todos, como se unir à sua verdadeira mãe. Somente hoje, na fase Racional, passando para novas classes de vida é que estamos começando a enxergar quem é esta verdadeira mãe Natureza.

Vejam como é a escola da vida! Passamos da classe de Animal Racional para novas classes de vida. A escola da vida, de modo semelhante a uma escola formal, tem suas classes de vida, onde cada um vai fazer por onde ser promovido nas classes superiores ou nas classes inferiores.

Sim, quem vai para as classes inferiores também é promovido. É como aqueles alunos que ficaram em recuperação, mas depois acabam passando de ano. Todos serão promovidos, porque todos voltarão ao seu verdadeiro estado natural. Cada qual faz por onde merecer a classe de vida em que está. Nesta comparação, toda a humanidade está em recuperação das classes inferiores, por estar imbuída na matéria. A vida material é uma classe inferior de vida. A Natureza, como dona desta escola da vida, não desampara ninguém, mas tem as suas leis e exige respeito para organizar a vida e desenvolver tudo. E, assim, todos cumprirem sua brilhante missão, que se resume na Racionalização de tudo e de todos, conhecendo o verdadeiro Mundo de Origem e sabendo como voltar para o ELE, o Mundo Racional.

Aprender a olhar para a Natureza, portanto, é como faz um bom estudante numa escola. Além dos exercícios diários, além de assistir as aulas da vida, precisa, e muito, compreender o significado de ir a uma escola; precisa compreender a finalidade de existir a escola e estar nesta escola.

Por que vamos para as escolas? Jardim da infância, alfabetização, primário, nível médio e nível superior? É para obtermos uma formação adequada e muito necessária com a finalidade de alcançarmos a verdadeira compreensão da paz, do amor e da fraternidade, felicidade eterna.

Resumindo, podemos dizer que vamos para uma escola para ganharmos a vida. Lamentavelmente, por não sabermos olhar para a Natureza, por ainda não estarmos com a devida instrução natural, é que a Escola da vida tornou-se muito áspera nos últimos anos e tudo está aí em liquidação, aparente.

Os maus estudantes, por não perceberem os avisos da Natureza, acharam que ganhar a vida seria ganhar mais patrimônio material e se deixaram envolver por todo esse artificialismo e materialismo consumista que está, transitoriamente, causando tantas infelicidades. E outros que ficaram condenando tudo isso, mas não podiam e nem sabiam dar a devida solução. Reinado da confusão.

Não sabíamos que a Natureza foi quem fez a escola dos pensadores, a escola do artifício, através de suas ferramentas, justamente para lapidar e aperfeiçoar suas próprias ferramentas.

E o que é que a Natureza fez? Fez o homem, fez a mulher, fez o pensamento, fez a imaginação, fez o artifício, fez tudo que foi preciso e necessário para aprimorar todas estas ferramentas na Escola da Vida.

(H-038 p-62) “O homem foi apenas uma ferramenta da Natureza, com o que a Natureza, com essa ferramenta fez tudo que foi preciso e necessário fazer para lapidação de suas ferramentas – os seres humanos”.

Este é o título de uma lição que está no livro da Escola da Vida: o Universo em Desencanto. Se a vida é uma escola, então tinha que ter um livro na escola da vida para esclarecer tudo e todos do por que dessa escola, do por que dessa vida.

Assim como tinha os livros dos mistérios, dos enigmas e dos fenômenos, para lapidar e aperfeiçoar, a Escola da Vida tinha que ter o livro para solucionar tudo isso.

Analise esta forma de ver: o homem e a mulher nada mais são que ferramentas feitas pela Natureza para lapidar as ferramentas que são os seres humanos. Podemos assumir que o homem é o feito da Natureza e o ser humano é a forma de vida que precisa evoluir para retornar ao estado natural. O homem e a mulher são mortais, tem seu tempo de duração, mas o ser humano, mesmo que no estado de deformado, é eterno.

É que nem um aluno na escola. O homem ou a mulher correspondem ao aluno, mas a pessoa humana existe antes e depois de ser aluno numa escola. Portanto, o homem ou a mulher, são apenas uma classe de vida, um feito da Natureza, para aperfeiçoar o ser humano, que já existe antes de ser homem ou mulher, assim como uma pessoa já existe antes de ser aluno numa escola.

Então, a Natureza fez uma escola da vida para lapidar e aperfeiçoar suas ferramentas, os seus filhos, os seres humanos. Os seres humanos é que são os verdadeiros filhos em aperfeiçoamento.

E por que foi necessário fazer esta escola da vida? A própria Natureza, dona da vida e dona de tudo e de todos que assim foram feitos, tem a resposta. Cada um na sua classe de vida compreendendo à sua maneira, à sua forma de ser, mas não se esqueça: cada qual faz por onde merecer a classe em que está. Tudo isso foi feito para eliminar a rudez, o atraso e a brutalidade, em razão do ser humano ter se tornado pó – pueril com a vida da matéria. Se a Natureza promove uma grande reforma na escola da vida, todos serão beneficiados por esta reforma, mas nem todos saberão explicar que reforma é esta e para que fosse feita e, sem saber, acabam escolhendo as classes erradas para continuar vivendo.

É o que acontece hoje na sociedade cristã que ainda não aprendeu a olhar para a Natureza: esses apontam para um Messias Salvador, e ficam aguardando a vinda desse Messias para alcançarem a glória do bom Deus, o senhor dos exércitos e salvador dos cristãos, e por aí vai, como dizem.

O que nos parece ridículo nessas histórias é a crendice de alguns religiosos de que uma entidade divina venha resgatar os seus fiéis seguidores. Eles nem ao menos percebem que, ao afirmarem que Jesus Cristo tem a incumbência de resgatar os seus fiéis, como apregoam, condenam, assim, os infiéis em Cristo. Mas, vejam, os infiéis em Cristo são justamente os fiéis ao profeta Maomé ou são os seguidores de Buda. E, diga-se de passagem, os muçulmanos e os budistas são maioria absoluta sobre os cristãos, mesmo quando consideramos todas as denominações cristãs. Imagine o quanto eles condenam os cristãos, que para eles, é que são os verdadeiros infiéis!

Isso é apenas para esclarecer certas mentalidades atrasadas (espero que estejam nos ouvindo) de que a salvação da humanidade não reside numa ideologia religiosa, não reside nas idéias que os religiosos sectários fazem da ação divina sobre a humanidade, não reside nas práticas, rituais ou obrigações a cumprir. Reside, tão simples, na compreensão e no entendimento claro de seus deveres, reside no Conhecimento. São péssimos argumentadores, porém, ótimos sugestionadores e por isso carregam para o atraso a opinião de outros tantos atrasados.

Existe uma ação divina de resgate sobre a humanidade sim, como podemos confirmar culturalmente, mas esta ação não está dogmatizada em nenhuma religião criada pelo homem ou religião usada pelo homem para dominar seu semelhante.

Vamos encontrar esta salvação como sendo uma mudança de classe de vida, assim como quem passa de classe numa escola, como é na escola da vida, pelo mérito do conhecimento adquirido e sua conseqüente aplicação na vida.

Assim, todas as ideologias religiosas, filosóficas e científicas, se tivessem sido perfeitamente usadas conforme seus propósitos naturais, já teriam alcançado a verdadeira meta de transformar o ser humano em um brilhante filho da Natureza.

É que a humanidade não sabia olhar para a verdadeira dona de tudo e de todos, não sabia como se unir à sua verdadeira mãe. E ficaram perdidos com as aparências. Somente hoje, na fase Racional, passando para novas classes de vida é que estamos começando a enxergar quem é esta verdadeira mãe Natureza.

E assim ELA nos esclarece:

(H-038 p-142) “Tudo somente aparência. Assim, a Natureza tudo fez, todo o artifício que aí está, com suas ferramentas, para lapidação das próprias ferramentas. Para afiar e afinar as ferramentas. Para, por meio da lapidação, botar todos bem afiados e bem afinados. Quer dizer: botar todos finos. Destruindo assim a rudez, por meio da lapidação, o atraso e a brutalidade”.

Está aí a Escola da Vida: a Natureza - a verdadeira mãe de todos - abrindo novas classes de vida através do desenvolvimento do Raciocínio e encerrando as classes de vida regidas pelo pensamento e pela imaginação, acabando com a rudez, o atraso e a brutalidade.

E por isso, todos esses feitos da fase do pensamento estão em liquidação. A fase agora é Racional, porque é a fase do desenvolvimento do raciocínio pela ligação de todos com a Mãe Natureza, lendo e relendo o livro Universo em Desencanto, em sua casa própria e não mais na casa dos outros ou na casa das outras.

A sua casa própria é a casa de Deus, que está materializada em forma de máquina do Raciocínio na Glândula Pineal.

E, neste sentido, lembremos este chamado de atenção do Racional Superior. “Está aí o ponto glorificador do animal Racional, a IMUNIZAÇÃO RACIONAL. Todos, sem esforço, muito naturalmente, vendo dentro dos seus lares a Luz Racional, e sendo atendidos dentro dos seus lares. Não havendo necessidade de ir a lugar nenhum, pois dentro dos seus lares são orientados em tudo, receberão todas as orientações precisas para o seu equilíbrio. É como estão vendo, o conhecimento natural, não de ciência da imaginação de ninguém. Não é arte, pois ciência é arte e sim, de cá de cima, do outro mundo, a PLANÍCIE RACIONAL”.

Está aí: quem anda pela casa dos outros e pela cabeça dos outros é piolho. E acabou a fase do piolho. Desenvolva o Raciocínio e entenda por que a Verdade veio para libertar, lendo e relendo o livro Universo em Desencanto.

Nenhum comentário: