Follow by Email

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

OS TRÊS MILÊNIOS DO ENCANTO (Ver também os Três Milênios do Desencanto)



(Prof. Porfirio J. Neves)


No calendário de origem cristã contamos até hoje 2011 anos d.C. Portanto, já se passaram dois milênios ou dois mil anos, estamos no terceiro milênio da era cristã. Entretanto, em outros calendários, como o de origem judaica, ou o chinês já se contam mais de 4.000 a 5.000 anos.

Logo, a expressão: “estamos no terceiro milênio”, quando se refere a um coletivo de 1.000 anos somente se torna verdadeira na consideração do calendário cristão. Nos calendários mais antigos teríamos que dizer que estamos no quinto ou no sexto milênio.

Quando o Racional Superior nos apresenta a expressão “Terceiro Milênio”, indicando que a Cultura Racional é a Cultura do Terceiro Milênio, Ele apenas aproveitou-se do calendário cristão para, com sutileza, nos apresentar o Terceiro Conhecimento Divino na Terra como sendo do Terceiro Milênio.

Para quem estuda e sabe e procura entender, a expressão “Milênio” é muito mais abrangente e qualifica a forma do Mundo Racional nos apresentar o contexto da Unidade Universal. A Unidade Universal é ternária: o “Pai”, o “Filho” e o “Espírito Santo”. Assim como, geração, criação e formação são ternárias; o desenvolvimento, o amadurecimento e a compreensão são ternários. E por aí vai, até as cores para nossas impressões gráficas são ternárias. Tudo neste universo é composto em três partes e se desenvolve em três partes ou três cursos ou três ciclos. O Mundo, a vida e os seres.

Com este sentido, que nos inspira a palavra Milênio, garbosamente ostentada no peito de todos os estudantes da Cultura Racional como sendo a Cultura do Terceiro Milênio e sem maiores preâmbulos, vamos ao nosso tema de hoje, para divulgação cultural do livro Universo em Desencanto.



OS TRÊS MILÊNIOS DO ENCANTO

Encanto ou mundo encantado é uma definição que se aplica a toda forma de existir, em que os envolvidos nessa forma de vida não têm consciência daquilo que são ou que estão deformados de sua verdadeira realidade. É assim que se apresentam os contos de fadas com seus príncipes encantados em forma de sapos. O sapo é uma deformação do príncipe encantado.

Encanto quer dizer, ignorância do seu ser. Encanto quer dizer atraso de vida. Encanto quer dizer, viver sem saber por que nem para que, por não se conhecer. Encanto é aparência, só aparência.

Encantados são os nossos cientistas que afirmam conhecer apenas 5% do universo, como se soubessem o que é conhecer 100%. Encantados são os nossos religiosos que afirmam a existência de Deus sem nunca o ter conhecido, nem muito menos se ligado a Ele. Encantados são os nossos filósofos que afirmam que o ser humano desenvolveu apenas 10% de sua capacidade mental, como se soubessem o quanto é desenvolver 100%.

Encanto é sofismar; encanto é sofrer sem saber dar definição de nada, supondo coisas imaginárias, supondo conhecer a realidade, vivendo com todo este “supositório universal”, por não terem conhecimento da Base e da Lógica. Encanto é todo este conjunto de suposições de quem não tem base, nem lógica. O encanto é um “supositório universal”, todos supondo ser isso ou aquilo sem nenhum conhecimento de causa e origem, nem destino, todos com suas sub-posições.

Encanto, enfim, está no pensamento e na imaginação humanos. Todos encantados, sem se conhecer, sem conhecer o mundo, sem conhecer a verdadeira razão da vida, e todos se apresentando como se fossem sábios, falando de “sabedorias” e ao mesmo tempo sofrendo e morrendo e criando mais suposições imaginárias e sempre contraditórias. Isso é encanto.

Onde está o encanto? Está em todos os lugares deste mundo encantado. Está nas TV’s, está nas Rádios, está na Internet, está nos jornais, está nos livros, está nos hospitais, está nas escolas, está nos Shoppings. O encanto está em todos os lugares e em todas as mentes humanas de quem não se conhece sem saber o que somos e por que assim somos. Sem saber o que somos e o porquê assim somos.

Procurar resolver este enigma, mistério ou fenômeno, em que se encontram os seres, a vida e o mundo, isso seria a parte mais importante que todos deveriam já estar há muito tempo buscando de uma forma Racional, ao invés de se manterem no encanto do infinito “Amém”, no “Glória a Deus nas Alturas” e sem querer largar de suas convicções científicas, como se suas teorias fossem certas.

O que todos deveriam estar buscando compreender é justamente o Desencanto. Desencanto é encontrar a verdadeira solução do seu ser, sem suposições, sem “sub posições”.

Desencanto é assumir a posição mais alta de todas, é assumir a posição de um Superior a tudo e a todos, a posição do Racional Superior. Desencanto não é ser subalterno, com sub-posições, desencanto é ser digno e conferir dignidade, mesmo sabendo que provisoriamente está enlameado pela vida do encanto.

Desencanto é a solução dos mistérios dos religiosos, é a solução dos fenômenos dos cientistas e é a solução dos enigmas dos filósofos.

Desencanto é conhecer a Base e a Lógica. A Base é o Mundo Racional e a Lógica é a Planície Racional. A Base está em cima, é o Verdadeiro Deus. A Lógica está na Natureza em que se transformou aquela parte do Mundo Racional que não estava pronta para entrar em progresso.

Resumindo, Desencanto é saber que Deus é a Base do Mundo, da Vida e dos Seres, é saber que a Natureza é a Lógica, com suas transformações da Vida em classes de vidas inferiores. E assim, por saber onde está a Base e a Lógica, desencantar é procurar se ligar na Base e na Lógica, se ligar no Racional Superior e se ligar na Natureza.

Então, como se ligar? Eis a questão! Qual é a fórmula do Desencanto? “Por o ser humano ser um Centro Astrológico, é que, com o tempo, tinha que chegar à conclusão de encontrar em si mesmo a IMUNIZAÇÃO RACIONAL, e nela, o porta-voz da verdade das verdades, por a natureza dos viventes ser adequada à Natureza que os fez, pois são formados por esta Natureza, e por isso, dependem dela para viver, sendo então formados por sete partículas e dependerem delas”.

Aí está a NOTA do Livro que mostra a Fórmula do Desencanto. E somente um Livro podia ter este título, Universo em Desencanto.

A Imunização Racional é o “Sopro de Vida” do Racional Superior para a redenção dos habitantes do Mundo Racional que estão em estado de extinção, como viventes que têm de se adequar ás transformações da Natureza, que nos fez e, com o tempo, chegaríamos à conclusão de encontrar em si mesmo este verdadeiro ser.

Então precisamos conhecer as transformações da Natureza para compreendermos estas duas vidas que constituem assim uma terceira vida, a vida do magnetismo, a vida de suposições ou a vida da matéria, que se supõe ser verdadeira, quando é apenas uma vida supositório, que assim é referida como sendo a vida dos infantes.

A vida dos habitantes é a verdadeira causa das transformações por terem saído do seu estado natural, a vida dos viventes é a vida animada pela Imunização Racional, o Sopro Divino, que agora todos estão encontrando na Cultura do Terceiro Milênio, e a vida dos infantes é a vida do magnetismo, do ser magnético, do ser efêmero, do ser supositório, sofrendo e morrendo.

Na fórmula do Desencanto Universal encontramos a verdadeira definição do Mundo, da Vida e de todos os seres que estão com os seus corpos em transformações, por estarem todos fora do verdadeiro natural.

A extinção de uns tantos Habitantes do Mundo Racional numa parte do Mundo Racional que não estava pronta para entrar em progresso, é que foi o motivo pelo qual a Divina Providência teve de animar ou reanimar esses viventes e por isso os seres humanos ficaram com forma de animais racionais, seres animados pela origem que é o Racional Superior, o verdadeiro Deus, o Redentor. Na verdade deveriam ser tratados como Racionais em forma de animal.

Deus não criou o mundo, como as suposições humanas nos fizeram crer. Essa foi a forma do encanto. O encanto, é que criou esta aversão da realidade cósmica, como se Deus fosse o culpado do sofrimento que os próprios viventes do mundo criaram para si mesmos. Isso foi o encanto.

E por isso, o Encanto teve que ter três Milênios até desencantar. O primeiro Milênio foi o desenvolvimento da imaginação, o íntimo do “ser animado” que apenas via imagens e criava imagens; foi um desenvolvimento muito lento, milênios. O único referencial de existir se traduzia em imagens. O segundo Milênio foi o desenvolvimento do pensamento, o íntimo dos “seres animados” começaram a se relacionar entre si, buscando desenvolver a civilidade. O segundo milênio é a fase das civilizações onde o pensamento se desenvolve com base nas suposições, com base nos contos e nas lendas, ficando todos cada vez mais desconhecidos de si mesmos e esperando que tudo se resolva. É a fase da fé, da esperança e da caridade, sem ninguém dar solução porque é encanto. Todos tinham certa suposição da existência de Deus, mas ninguém conhecia, porque ninguém se ligava diretamente a Ele, apenas pelos intermediários do Mundo Espiritual, donos do encanto.

O terceiro Milênio é a fase do desenvolvimento do Raciocínio, onde todos provam e comprovam que a Base está em cima e a Lógica está na Natureza, buscando o desenvolvimento das razões de tudo e de todos. Na fase do Terceiro Milênio é que passamos a conhecer a real posição e abandonamos as sub-posições, abandonamos esta vida de supositórios.

O desenvolvimento do Raciocínio certifica o ser humano, com base e com lógica, da existência do verdadeiro Deus, certifica como são as transformações da Vida Eterna feitas pela Natureza. E, por isso, o desenvolvimento do Raciocínio faz surgir a Racionalização Universal, pelo conhecimento do nosso verdadeiro Mundo de Origem e sabendo como voltar para Ele, que é a fase do desencanto com seus três Milênios para a verdadeira compreensão da existência humana.

Na Fase Racional, ou fase de Aparelho Racional, todos deixam de ser figuras humanas animadas pelo Sopro Divino e se aparelham ou se tornam paralelos com a Energia Racional que nos deu causa e que esta Energia Racional, com a providência divina, ficou materializada em forma de máquina do Raciocínio. Assim, estamos encontrando o equilíbrio perfeito para habitar, viver e sermos infantes felizes neste Terceiro Mundo, ou terceiro ciclo de vida, até aprendermos como voltar, conscientemente, para o nosso estado fundamental de VIDA ETERNA, no Mundo Racional. Tudo isto se compreende muito bem pela leitura simples, atenta e assídua do livro Universo em Desencanto.

Nenhum comentário: