Follow by Email

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

OS DIREITOS HUMANOS

(Severino dos Reis)
Tenho certeza de que as novas gerações do século vinte e um, não terão nenhum motivo de se orgulhar da geração do século vinte, que inventou o avião, o Rádio, a televisão, desenvolveu os supercomputadores, que enviou o primeiro homem à Lua.
Porque terão conhecimento de que essas inteligências do século vinte, também se prestaram a desenvolver as fórmulas do horror e pavor da humanidade: as bombas atômicas e as drogas alucinógenas. E não descobriram nada sobre si mesmo, quando já estava na terra a CULTURA RACIONAL para se conhecer, desde 1935.
Nesta matéria, vamos falar da lei dos “direitos humanos”.
A vida não tem nenhuma segurança! Se perde a vida por qualquer coisa: ao atravessar uma rua ou por uma comida envenenada.
Mas, como instrumento de proteção, nós recebemos da Natureza a liberdade individual, o livre arbítrio, como defesa dos perigos, que rondam essa fragilidade humana, que nós chamamos de vida. Porque o livre arbítrio nos permite conhecer tudo que existe, tudo que aparece no mundo como orientação de “DEUS”, para sabermos o que é melhor para o nosso grau de evolução. Pois, não existem nem duas pessoas iguais no mundo! Logo, o que é bom para uns, pode não servir para outros; por isso, existe o livre arbítrio.
Mas, depois que abandonaram a Cultura Astrológica da energia mediadora e se ligaram na energia magnética, começaram os primeiros casos de morte e a descida para a classe de animais irracionais.
Então, a Natureza por complacência, ligou a eles também a energia elétrica, para inverter a descida: de irracionais para animais Racionais, lhes dando chance de se organizar um novo progresso cultural artificialmente, uma nova forma de se entenderem.
Desde então, não fizeram outra coisa, senão subordinar ou ser subordinado por alguém.
Desde os primeiros chefes de família, dos primeiros sábios, que uns se julgam mais inteligentes, mais puros, mais perto de Deus, como os líderes religiosos, por exemplo, para ensinar e dirigir os demais! E lá se vai a liberdade individual.
Sabemos que a lei da Natureza é de livre arbítrio e a lei dos homens confirma através dos direitos humanos.
Oras! Se a lei dos direitos humanos diz que o homem nasce livre e como tal deve viver, por que nós continuamos uns seguindo os outros?
É exatamente porque a cultura da civilização é artificial e a lei do livre arbítrio é natural, porque é Racional!
Na Cultura da Astrologia ninguém mandava em ninguém, todos eram livres, só prestavam obediência à Natureza que dirigia todos com a Energia Racional, porque a Cultura era Racional.
Mas, tempo passou, a humanidade evoluiu artificialmente, com as culturas da pré-história, seguidas pela cultura da civilização, e em 1903 entrou novamente a Fase Racional; e a Natureza reeditou a sua lei de livre arbítrio, através da lei dos direitos humanos.
Parece que é lei dos homens, porque foi feita pelos homens, mas é da Natureza Racional, porque foi feita na Fase Racional.
Por isso estamos sabendo que a lei existe, mas não funciona! Porque é uma lei Racional, que só vai funcionar quando todos estiverem estudando a CULTURA RACIONAL, ligados na Energia Racional, raciocinando. E, por enquanto, estamos todos pensando.
O pensamento foi feito para lapidar os pensadores. Lapidar quer dizer, dar nova forma: é uma pedra bruta e nós queremos dar a ela uma forma perfeita, de um brilhante. Então, ela sofre com a lapidação, mas vai brilhar, vai ser perfeita.
Lapidação é sinônimo de sofrimento: sempre foi e é essa a função do pensamento, lapidar a humanidade. Quanto mais pensa, mais sofre! E o sofrimento vai aperfeiçoando os seres humanos.
Muitas vezes nós daríamos tudo para tirar da mente um pensamento vergonhoso, uma dívida, a saudade de um filho distante, e não conseguimos, porque aquele pensamento é para nos lapidar! Nos evoluir! Nos preparar.
Por isso, quando conseguirmos nos livrar dele, já estaremos mais maduros, mais experientes – aprendemos muito com aquele sofrimento. E assim, de pedras brutas que éramos no início, que nem sabíamos falar, que não tínhamos nenhuma instrução, o pensamento veio nos lapidando e hoje estamos como um brilhante, lapidado, preparado para desenvolver o Raciocínio, como a imaginação nos preparou para desenvolver o pensamento.
Mas, foi com muito sofrimento, muitas mortes, muitas guerras através dos tempos, para alcançarmos novamente a fase Racional: um novo tempo de redenção, que é, na verdade, o tempo de retorno à nossa origem.
Se no início éramos Racionais e nos transformamos em animais Racionais, com certeza teremos que nos transformar novamente em Racionais, para adentrarmos em nosso mundo de origem, o MUNDO RACIONAL, a eternidade.
Para isso, precisamos do livre arbítrio; a liberdade para examinar todas as escrituras, como tão bem nos orientou o grande mestre Jesus. Porque ele sabia, que no futuro íamos deparar com a escrituração Racional, que tem a Energia Racional, capaz de desvencilhar da matéria o Raciocínio; o ser Racional, que se materializou como animal Racional.
Mas para ter a certeza de que tudo isso é verdade, você não tem que acreditar no que eu estou dizendo; eu também era como você, não seguia ninguém, só acreditava nas minhas convicções e na minha religião! Descobri essa realidade, porque fui curioso e comecei a ler o livro UNIVERSO EM DESENCANTO de CULTURA RACIONAL e não pude contestar, porque a verdadeira verdade, não tem como contestar; então, eu enfrentei até o fim.
Agora, a humanidade tem que se conscientizar de que é impossível a redenção, o retorno do homem à sua origem, através de religiões. Qualquer um com o mínimo de conhecimento da história universal, sabe como foi o perfil religioso do mundo no passado e como é atualmente. Na Grécia antiga, eram tantos deuses, que cada família tinha o seu deus particular; no Egito tinha uma infinidade de deuses; e as religiões de hoje, tem raízes nessas heranças antigas.
Por isso em muitos países ainda persiste a pluralidade de deuses e de religiões.
Percebemos, então, que as religiões são instrumentos generosos da Natureza, que vem adequando ao desenvolvimento de cada povo; que sempre serviu apenas para conter a fúria do instinto de fera do animal humano, que é oriundo de monstros, até chegar a fase Racional para desenvolver o Raciocínio de todos.
Porque com o Raciocínio desenvolvido, ele volta para a sua origem que é eterna, no MUNDO RACIONAL. Mas primeiro tinha que desenvolver a imaginação e o pensamento para lapidarem todos.
A imaginação desenvolveu, na total ignorância dos trogloditas selvagens, a Cultura da pré-história, mas que serviu para memorizar algumas práticas da Cultura Astrológica, que era uma CULTURA RACIONAL. Tanto que se tem registro de alguns dos últimos Racionalistas da antiguidade, como Tales de Mileto, Anaximandro e tantos outros!
E o pensamento desenvolveu ao inverso: esquecendo o Racionalismo, inventando lendas, criando deuses e multiplicando religiões; progredindo a civilização com o materialismo, valorizando as descobertas materialistas como máquinas, bombas, drogas, sempre aumentando o sofrimento para melhor lapidar a humanidade.
Com tudo isso, o tempo foi passando, foram esquecendo, mudando os termos daquela Cultura, e hoje, a Bíblia apenas menciona em alguns trechinhos, a palavra Racional.
Mas, você que está lendo este comentário, sabe que foram muitas as implorações da humanidade à Divina Providência pedindo socorro. Pedindo soluções para os problemas da vida, pedindo perdão dos pecados para a salvação da alma; e você e eu, certamente, não somos a exceção! Esperamos 21 eternidades para essa viagem de volta, para o MUNDO RACIONAL, a eternidade real.
Agora está aí o socorro da DIVINA PROVIDÊNCIA! Esta vida é a chance, se ela passar, não tem volta. Então, não siga ninguém! Aproveita a sua liberdade, o seu livre arbítrio e vai estudar a CULTURA RACIONAL, vai desenvolver o seu Raciocínio.
http://www.universoemdesencanto.com.br
http://www.culturaracional.com.br

Nenhum comentário: