Follow by Email

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

QUEM SOUBE GARIMPAR JÁ ENCONTROU O BRILHANTE


(Prof. Porfirio J. Neves)
Dizem as “Sagradas Escrituras” que no princípio tudo era trevas e que por isso foi feita a Luz e que foram feitos o céu e a terra e que do barro, pelo “Sopro Divino”, Deus fez o Homem e depois, vendo a solidão do bicho, pegou-lhe de uma costela e fez a Mulher, que passaram a viver no “Paraíso” até desobedecerem e caírem em desgraça. Seria cômico, se não fosse trágico.

Alguns dizem que foi o tal do “pecado original” e faturaram muito com esse tal “pecado”, como quem diz, precisamos nos purificar. Foi preciso e foi necessário.

Essa idéia de purificação continuou em todas as novas versões doutrinárias que se seguiram ao longo dos tempos, com pecado ou sem pecado, até mesmo nas doutrinas científicas.

E, por incrível que pareça, todas essas estórias, contos e lendas, sem base e sem lógica, acabam mostrando um fundamento muito interessante para quem já encontrou o brilhante da vida, que é o Raciocínio. Raciocínio é o brilhante porque a origem é Racional. Por isso era Animal Racional.

A vida é um garimpo e a pedra preciosa é saber do seu verdadeiro mundo, saber como para Ele voltar; deixar de viver como garimpeiro, à procura daquilo que não perdeu. Á procura do que não é seu. E por não ser seu é que tudo se acaba e eu e você também nos acabamos.

O Raciocínio é o caminho, a verdade, a vida, por isso é o brilhante que muitos estão encontrando em suas vidas. Certamente, este brilhante precisou de muita lapidação e aperfeiçoamento.

Eis a vida do garimpo: sofrimento e morte, lapidando as formas brutas da matéria que nasceram do chão, ou do barro, como queiram, e renovando as novas gerações até atingir o aperfeiçoamento completo. Eis o brilhante que se encontra em si mesmo, a Imunização Racional.

Todos viviam procurando como se o tivessem perdido, na realidade ninguém perdeu nada. Então, a lapidação consistiu em procurar o que não conhecia, onde achava que tinha perdido, sem nunca ter perdido nada, pelo simples fato de não ser dono de nada.

Ninguém é dono de coisa nenhuma - ninguém perde o que não tem - até a vida é emprestada e provisória. Portanto, todos ficaram procurando o que não tinham perdido. Eis a essência da lapidação da vida de garimpeiros.

O brilhante sempre esteve em nós mesmos. Foi uma concessão da Natureza Divina que providenciou uma “Máquina do Raciocínio”, ou “Sopro da Vida”, para criar este brilhante interior naquelas formas rudes feitas do Chão ou do Barro.

As formas eram brutas, monstruosas, selvagens, mas foram aprimoradas pela lapidação de querer encontrar o que não perdeu, porque havia um brilhante a ser descoberto na essência huamana.

Mas, por que queríamos encontrar o que não perdemos? Porque, em verdade, éramos nós que estávamos perdidos!

Nós, quem? Aqueles tantos Habitantes do Mundo Racional, que se extinguiram em cima da goma e da Resina, em cima da Água e da Terra, que ficamos perdidos dentro do “Barro”.

E como é que ficaram perdidos dentro do “Barro”? Esta é a parte da Verdadeira Origem da Humanidade que não foi contemplada nas “Escrituras Sagradas” do segundo milênio. Nas “Escrituras Sagradas” do segundo milênio, tudo começa das trevas, começa do barro, ou começa do caos, como insinuam os cientistas. Cada um com seus pontos de vista. Porém, não estava no pensamento humano a verdade. Certamente, no pensamento humano, nada podia estar certo.

Por isso foi dito: -“Conhecereis a verdade e a Verdade vos libertará!” Como quem diz, conhecereis toda a história do passado e antes dessa história, conhecereis a verdade dessas histórias. Mas somente a Verdade vos libertará! Como quem diz, somente o verdadeiro Redentor vos libertará, Aquele que, com seu “sopro da vida”, animou o barro onde estavam todos perdidos em estado de extinção e agora está aparelhando todos na Energia Racional dos Puros, Limpos e Perfeitos, através da Imunização Racional. É isso que quer dizer Fase Racional. Os aparelhos vão sendo ligados na Energia Racional dos puros limpos e perfeitos – tinha que haver uma purificação, não é mesmo? Mas não era a purificação da matéria, como muitos se atrapalharam.

As criaturas, criadas desta forma, passaram a ser dois em um, duas vidas em uma só. A vida que estava extinta na Lama, que se resume no verdadeiro Criador e a vida do Redentor que se resume no Raciocínio. A vida que ficou materializada em forma de máquina do Raciocínio, a causa, e a vida do Racional Superior, a origem, que aí então ficou o brilhante chamado Raciocínio, como sendo o verdadeiro Filho de Deus, o Salvador, se for desenvolvido de acordo com sua causa e sua origem.

A Máquina do Raciocínio foi a fôrma feita no Chão para tirar do chão a VIDA que estava em extinção na Lama e que, por isso, ficou materializada em forma de máquina do Raciocínio. Por isso, a missão do Raciocínio somente termina, pelo seu desenvolvimento, quando desmaterializar essa Energia que ficou materializada em forma de máquina do Raciocínio.

Essa é uma pequena noção que justifica e explica porque nas “Escrituras Sagradas” está lá o “Sopro Divino da Vida”, indicando que as formas criadas do Barro passam a ter uma segunda vida para poder resgatar a primeira vida que se extinguiu na Água e na Terra, e que assim formaram os dois sexos.

Na verdade, esta segunda vida que faz a junção do Corpo Humano, por ser uma partícula daquele “Sopro” da Individualidade Eterna, Pura, Limpa e Perfeita, torna-se a primeira, a verdadeira, que muitos confundiram como se Ele fosse o Criador de todas as coisas.

Esse é o Redentor, o Supremo Criador do Raciocínio, que assim manteve a Origem Racional, enquanto os verdadeiros criadores do mundo são aqueles tantos habitantes do Mundo Racional que foram à extinção na Goma e na Resina e que deram conseqüência à Natureza deformada, em transformações de vidas em classes inferiores.

A segunda virou primeira e a primeira ficou segunda. A forma do encanto e a forma do desencanto.

O Redentor foi o criador, sim, da máquina do Raciocínio, que intuitivamente, dá fundamento ao “Sopro Divino”, e que se torna a primeira vida - este é o desencanto - para resgatar a segunda vida que ficou encantada.

Podemos compreender assim por que a vida se tornou um garimpo, onde todos procuram o que não perderam. Não perderam, porque não são donos de nada! Ninguém é dono de nada. Por um lado estavam todos “mortos nas trevas”, em estado de extinção, por outro lado somos uma partícula divina.

O dono da primeira vida é o Racional Superior que criou ou formou um Corpo de Energia como representante do Pai Eterno para originar e dar base Racional à formação do pingo d’água. O pingo d’água é a semente da vida que se manifesta dois em um! O pingo d’água é dois em um!

A dona da segunda vida é a Natureza que está em transformações de classes de vida, que é conseqüência de uns tantos habitantes do Mundo Racional que se extinguiram no “Barro”.

E nós somos apenas ferramentas da Natureza, dona da vida, e ao mesmo tempo missionários do Racional Superior, dono da vida – instrumentos da Natureza. Então a vida tem um dono e tem uma dona e não somos nós, pobres figuras humanas, que vivemos garimpando na vida à procura do que não perdemos. Não perdemos, justamente porque nunca fomos donos de nada, nunca soubemos, com base e com lógica, o que agora estamos começando a aprender como estudantes da Cultura Racional.

Por isso, está no desenvolvimento do Raciocínio a grande soberania humana, surgindo assim o desencantamento da vida, do mundo e do ser, pela leitura atenta do livro Universo em Desencanto.

Esta é a fórmula final do Juízo Divino – desenvolver o Raciocínio pela leitura do livro Universo em Desencanto. Se você que já sabe deste Livro e ainda não está lendo, ou está lendo por ler, para não se sentir fora de moda, tenha certeza, está perdendo tempo.

Não se esqueça que a vida emprestada pela Natureza é uma vida de transformações em classes inferiores. Se não retirar o brilhante da Lama que é o Raciocínio, a Energia que está materializada nele, lá vai o brilhante escorregando na Lama da matéria deformada, ou mal formada em classes de vida cada vez mais inferiores. É a Lei da Termodinâmica da vida – todas as máquinas sofrem desgastes e se degeneram e enfraquecem pelas transformações sucessivas.

E não se esqueça também que a primeira vida, o Corpo de Energia Racional como um “Sopro Divino”, terminou sua missão de fabricar Animal de Origem Racional e já está de volta de sua missão. Terminou a missão deste Corpo de Energia porque os dois mundos foram unidos em um só.

É assim que nos explica o Racional Superior, dando uma noção preliminar aos pensadores de que tudo e todos já estão no Mundo Racional, mas nem todos voltaram a ser puros, limpos e perfeitos. Quem se liga à Energia Racional continua evoluindo em classes superiores de vida até alcançar a desmaterialização do brilhante que estava na Lama.

Naturalmente, quem não se ligar na Energia Racional, continua na vida de transformações em classes inferiores de vida, dentro do Mundo Racional até que tudo retorna ao estado fundamental da vida. Até que toda a Lama seja desfeita pelos próprios que a fizeram.

A escolha é sua, como sempre! Você que nos visita por este canal de comunicação procure compreender, se ainda não o fez, que tudo e todos merecem o máximo respeito em razão desta compreensão clara e simples, que se fundamenta na Verdadeira Origem da Humanidade. Tudo é de origem Racional!

Se você está no garimpo desta vida e acha que pode trapacear com Aquele que você não conhece, e somente Aquele que você conhece é merecedor de sua confiança e sua fé, não se esqueça que neste garimpo ninguém é dono de nada e, por isso, a vida é provisória.

O verdadeiro dono é um só, um Raciocínio Supremo. E a verdadeira dona é uma só, a Natureza. Está aí mais um fundamento para você saber escolher, pelo desenvolvimento do Raciocínio! Estude para saber como se ligar à Natureza e conhecer quem é Aquele que está tão perto de você. Quem soube garimpar já encontrou o brilhante da Imunização Racional.

Nenhum comentário: