Follow by Email

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

RETIRO RACIONAL



(Mary Sana, estudante de Cultura Racional, Belo Horizonte, MG)

De volta para casa, depois de passar os dias 30/12 (aniversário do mestre M.J.C.) e 31/12 (Réveillon) nesse lugar ímpar. De volta para casa?
Uma controvérsia, porque aqui me sinto de verdade em casa.                         
Retiro Racional, que lugar é esse?                                                                            
A primeira foto que a mim foi mostrada daqui há 31 anos atrás, do Centro Científico de Cultura Racional, defini como uma Universidade. Hoje constato que acertei! Aqui se aprende na velocidade da nova regência da Natureza do Terceiro Milênio.
Estudando a Cultura Racional, dos livros Universo em Desencanto e acrescentando a esse estudo a observação silenciosa do lugar, o nosso “grande mestrado” vai sendo feito e o resultado é sentir a nossa capacidade superior, o raciocínio, em franco desenvolvimento.
Pois bem, continuando a relatar esse sentimento de vindas e despedidas temporárias daqui do Retiro Racional, eu, que sempre busquei e valorizei o “saber”, por considerar humilhante o peso da ignorância, posso lhes  afiançar meu (minha)  amigo(a), que não importa a religião que professe, porque todas, absolutamente todas, são necessárias e igualmente importantes. As várias religiões beneficiam, ajudam, encaminham o ser,  na busca pelo seu “Eu” interior, pelo Deus, que mora dentro de cada um de nós.
No momento de sair dessa Casa, aberta aos homens de boa vontade pela benevolência construtora do “Saber Maior”, a emoção, a gratidão aumentam a cada ano, porque a conquista do que aprendemos é a única fortuna que jamais corremos o risco de perder. E mesmo sendo ou parecendo um clichê, a afirmativa é verdadeira.
A energia que está na regência desse milênio, o Terceiro Milênio, nos impulsiona para o estudo que limpa as crostas da obscuridão. E sendo estudiosos, seremos por consequência guerreiros pela sobrevivência, até alcançarmos o ingresso na vivência eterna.
A humanidade, já é uma evidência, é vítima de uma ‘’guerra’’ a nível mundial. Uma guerra fria, cruel, uma guerra materializada na desumanidade, no egoísmo, na ganância, no envenenamento da atmosfera, que contamina o que ingerimos. Guerra das doenças horrorosas e muitas vezes de formas silenciosas, que liquidam milhares de vidas. Guerra da discórdia nas famílias, nos governos, nas religiões.
Então, a natureza chora e implora que tenhamos discernimento, sabedoria, entendimento e essas virtudes só virão através do estudo.
Estudo iluminador, que nos ligará a essa mãe soberana, pois ninguém caminha sem ela, sem suas orientações.
Estudar a Cultura Racional, a Cultura da Mãe Natureza, não significa   mudar de religião. Significa mudar de ligação ou fazer a religação ao nosso verdadeiro natural e por consequência, mudarmos de comportamento.
Se Deus existe e existe. E se Ele é o Pai Maior e se todos são filhos de Deus, para haver o encontro definitivo do rebanho único a um só Pastor, a ordem é raciocinar!
Voltando do Retiro Racional, que é a raiz construtora do conhecimento Divino na Terra, trazemos também mais aprendizado na bagagem.  Bagagem, que ao contrário do que se acumula na matéria, traz acúmulo de peso, trazemos conosco a leveza de mais um “ tanto” que aprendemos lá, lendo e relendo a “Obra Redentora”, que já se encontra na Terra, ao alcance de todos os sedentos de Luz.

Nenhum comentário: