Follow by Email

terça-feira, 20 de março de 2012

PASSAPORTE TRANSCENDENTAL



No mundo todos clamam por paz, todos anseiam por concórdia universal.
Mas, concórdia universal não se consegue dividindo e, sim somando.

E para somar, há que ter um só ponto de vista, enxergar o universo como um todo, sentir-se partícula desse todo, onde todas as partículas, para alcançar a visão única desse todo, precisam SOMAR e, não, dividir.

E o que faz a divisão no mundo é o pensamento magnético, o mal puro. Pois, o mal puro, sua ação é de divisão.

E no texto de ontem deixamos, bem claramente explicada, a infiltração do mal puro, das forças ocultas do mal em todos os meios, sem que os viventes se dêem conta dela, sem que percebam essa infiltração, devido à falta do desenvolvimento do raciocínio, pelo desconhecimento verdadeiro da vida.

Esse o porquê da necessidade urgente e inadiável de todos passarem a se conhecer pelo desenvolvimento do raciocínio, nos Livros Universo em Desencanto, de Cultura Racional, o curso superior da vida, para saber, com consciência cristalina, separar o que é verdade daquilo que é mentira. Para saber distinguir o Bem do mal. A verdade é uma só, RACIONAL e, não, irracional.

Portanto, o BEM que todos procuram e anseiam é também UM só, é RACIONAL e, não irracional. Daí, o desenvolvimento RACIONAL ser condição fundamental para se alcançar o BEM verdadeiro.

Quando todos passarem a se conhecer, muito naturalmente, todas as instituições tomarão um rumo muito diferente, um rumo único, voltado para a união de todos e, não, para a divisão entre os povos.

Todas as ações individuais voltar-se-ão para a conclusão definitiva da paz verdadeira, do amor verdadeiro, da fraternidade verdadeira e da concórdia universal entre os povos, pelo desenvolvimento do raciocínio.

E, assim, todos dentro deste caminho de recuperação da personalidade aparente para a personalidade verdadeira, Racional, e, empenhados neste caminho com muito amor, firmeza e alegria, as instituições, então, serão a soma do propósito e ação consciente benfeitora de cada vivente deste mundo em que vivemos.

Mas, para isso, é preciso se conhecer no Universo em Desencanto, de Cultura Racional, concluindo todo o curso do conhecimento superior da vida, conhecimento esse que esclarece com base, com lógica, com infinidade de provas e comprovações quem somos, de onde viemos, para onde vamos e como vamos.

Por quê?

Porque quem se conhece verdadeiramente sabe reconhecer o seu lugar de partícula do Universo, que precisa e necessita estar em harmonia com todas as demais partículas, com todos os seres, não se deixa desvirtuar de sua grandiosa missão de compor este colossal quebra cabeças universal RACIONAL, não se deixando desvirtuar do seu ser verdadeiro RACIONAL, pois, RACIONAL tudo e todos são, porque a origem de todos e de tudo é RACIONAL.

Quem sabe de onde veio, mantém atitudes acertadas, paralelas com as ações do seu mundo de origem, neutralizando as ações contrárias, firmando-se no BEM e desligando-se do mal.

Quem sabe para onde vai, não perde o fio da meada e caminha firme, inabalável na linha Racional, o rumo certo de retorno à sua eterna morada, de onde se originou, que essa origem é o MUNDO RACIONAL.

Quem sabe como vai voltar à sua origem verdadeira, é porque já reconheceu o seu lugar de Racional, não tendo dúvida alguma de que este mundo em que vivemos é um falso mundo, provisório e passageiro, um mundo aparente e transitório, um mundo de transformações constantes.

Quem já reconheceu tudo isso, não se ilude mais com a matéria, por já estar desencantado dela, pela consciência absoluta de que neste mundo de matéria só encontra adversidades e que essas adversidades são um mal para o BEM, o bem de motivá-lo a retornar para de onde veio.

E, assim, este mundo em que vivemos é um mundo animal, animado artificialmente pelas energias elétrica e magnética que, antes de serem assim deformadas, eram também componentes do MUNDO RACIONAL, origem de tudo e de todos.

Portanto, esses seres, essas energias deformadas também querem voltar a ser o que eram, mas, que somente poderão retornar ao seu verdadeiro estado natural de ENERGIA RACIONAL, depois que nós, animais Racionais, passarmos a raciocinar e retornarmos triunfantes ao nosso verdadeiro estado natural de Racionais puros, limpos e perfeitos com nosso progresso de pureza, no MUNDO RACIONAL.

Esse o porquê dessas duas energias do chão, elétrica e magnética, do pensamento e da imaginação, desfavorecerem tanto a quem ainda não passou a se conhecer, por se manter iludido e encantado com essa vida de matéria.

A vida da matéria é de sonhos e ilusões. Sonha o rico, sonha o pobre, sonham todos.

E enquanto continuarmos iludidos, sonhando com este mundo provisório e passageiro, continuaremos a sofrer as conseqüências deste grande erro de querer encontrar o Bem no mal (que é a matéria), sem nunca poder o BEM verdadeiro encontrar, porque na matéria não existe bem verdadeiro. Na matéria só existe o mal, que é o bem pantomineiro, o bem embusteiro, o bem aparente que atrai, embriaga, fanatiza e corrompe o vivente, desvirtuando-o do Bem para o mal.

É preciso o vivente acordar, para não ser engolido pelo seu próprio desconhecimento da vida.

E quando o vivente é engolido, quando o vivente cai, quem é o culpado?
O próprio vivente que, por negligência ou por indolência, não se deu ao simples trabalho de procurar saber o que é a vida e o que ela representa.
A vida é boa, quando baseada no amor ao próximo como a si mesmo e no fazer o bem sem olhar a quem.

Saiu disso, não há mais vida, pois, fora disso, o vivente se atropela, atropela tudo e atropela todos. Fica nas malhas da morte.
Passa por cima de si mesmo, de sua natureza de RACIONAL e passa por cima dos seus semelhantes e da dona de todas as vidas: a Natureza.
Fica contra a Consistência Divina.

Minha Gente!

O pensamento magnético desconhece tudo isso.

Já o pensamento natural, voltado para o amor ao próximo como a si mesmo, tudo isso reconhece e eleva o vivente à instância suprema, o raciocínio.

E o que é natural? Natural é tudo aquilo que pode ser sem prejuízo de ninguém.

E onde está o natural?

Na nossa origem verdadeira, o primeiro mundo, o MUNDO RACIONAL, de onde tudo e todos são.

Portanto, aqui neste mundo provisório e passageiro, tudo é artifício, tudo é artificial, não estando ainda o mundo por conta de DEUS Verdadeiro, porque os viventes deste mundo em que vivemos, ainda pensam na matéria, ainda acreditam na matéria como base de suas vidas e, não, em DEUS. Razão por que não acreditam que a vida verdadeira consiste em DEUS e que em DEUS deve se basear. Deus aguarda o acordar de cada qual para essa realidade, para que o mundo fique por conta dEle e, não, por conta de seus habitantes.
A base é DEUS e, não, a matéria, porque DEUS é a origem, é RACIONAL e, não irracional.

E é por isso, minha Gente, que o passo inicial para ligação a DEUS é o desprendimento da matéria.

Mas, para iniciarmos esse desprendimento material, é preciso conhecer o que é a matéria e o que é DEUS.

E onde encontrar esse conhecimento, se este mundo em que vivemos é só matéria? Tudo aqui é matéria!

Claro está que esse conhecimento nunca esteve antes na Terra, caso contrário, sendo o mundo de matéria tão antigo, todos nós já seríamos possuidores desse conhecimento libertador da matéria e já nos encontraríamos completamente desligados da matéria, sem envolvimento com ela, vivendo nela, mas, desprendidos dela.

E, assim, já estaríamos, há muito, ligados diretamente a DEUS e o mundo estaria por conta de DEUS. E, conseqüentemente, as leis do mundo não seriam essas em que os animais Racionais se baseiam, feitas pelos homens e, sim, a lei feita por DEUS, que é amar o próximo como a si mesmo e fazer o bem sem olhar a quem. Tínhamos conhecimento do amor ao próximo, mas, a energia que positiva esse amor, que dá ação e viabiliza esse amor ainda não estava em vigor na Terra. Que energia? A ENERGIA RACIONAL. Pois, todas as fases anteriores à Fase Racional, vigorava a fase do pensamento e da imaginação, energia elétrica e magnética, para lapidação de todos e, não para a união. A prova disso é essa infinidade de segmentos culturais diferentes, jogando irmãos contra irmãos.

Mas, por desconhecimento da vida, essa lei do amor ao próximo ficou relegada a um canto, trocada pela ambição e a ganância, que fizeram dos viventes seres desequilibrados, agindo sob o impulso dos gostos e das vontades sem limites. E dessa forma, intuídos pelas forças ocultas da matéria, o desequilíbrio foi aumentando de tal forma, que os viventes se viram obrigados a criar, cada dia mais, leis e mais leis, na tentativa de colocar limite nos abusos incontroláveis, que transtornaram a vida dos próprios viventes e da natureza.

Tanto são incontroláveis, que faz necessária a criação constante de novas leis, que nada solucionam, apenas remedeiam por certo tempo.
E, assim, por a vontade e os gostos serem livres, essas leis criadas não surtem os efeitos esperados, por não darem conta de frear a ferocidade dos viventes, dada a influência invisível do pensamento magnético e, sob essa influência, os viventes se acham com todos os direitos, em prejuízo de todos e de tudo e de si mesmos.

O livre arbítrio para o bem, tudo bem.

Mas, o livre arbítrio para o mal, tudo mal.

Quem não se conhece, quem não conhece a vida como foi constituída pela Natureza (e que é como deva ser), não tem condição alguma de exercer seu livre arbítrio para o bem.

Mas, estamos falando do BEM verdadeiro, não deste falso bem, o bem embusteiro, que leva o vivente a procurar o seu bem-estar em detrimento de seus semelhantes e de toda a Natureza.

Por isso é que a vida para ser bem formada, bem constituída, firme, equilibrada para o bom viver, é preciso que os viventes e as organizações caminhem paralelamente dentro do amor ao próximo como a si mesmo e fazer o bem sem olhar a quem.

Quando todos entenderem e compreenderem isso, enxergarão a necessidade vital e urgente de passarem a se conhecer e de conhecer a vida como ela foi verdadeiramente constituída.

Como surgiu este mundo em que vivemos? De onde ele veio? Por que veio? Para onde tem que voltar? E o que é preciso cada vivente fazer individualmente para concretizar esse retorno? Pois, pelo sofrimento terrível e monstruoso existente neste mundo de matéria, está mais do que provado e comprovado, que este mundo e tudo que nele existe está mesmo fora de lugar, por estar em constante desequilíbrio.

Tal como um peixe fora d’água, se debatendo, sofrendo, necessitando de que algo ou alguém coloque esse peixe de volta ao seu habitat, que é a água, para que ele não perca a vida.

Assim estão todos e tudo neste mundo de matéria: sofrendo, sofrendo, sofrendo, se debatendo, se debatendo, se debatendo, por tudo e todos estarem fora do seu verdadeiro lugar, que é de onde tudo e todos vieram, do MUNDO RACIONAL.

Precisamos, tal como o peixe fora d’água, de algo ou de alguém que nos coloque de volta no nosso habitat natural.

E esse algo é a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto. E esse alguém é o Verdadeiro DEUS, o RACIONAL SUPERIOR, autor dos Livros Universo em Desencanto, representado em nossas cabeças pelo raciocínio, que é um Habitante do MUNDO RACIONAL materializado na glândula pineal.
Busque a Verdade e ela lhe libertará!

Busque Universo em Desencanto, o Livro de DEUS na Fase Racional, onde todos saberão como viver em equilíbrio e em paz, nesta derradeira fase da vida da matéria.

E, assim, na Fase Racional, finalmente haverá o ENCONTRO RACIONAL, que é o encontro de todos com DEUS, que quer todos os seus filhos de volta pra Casa, porque todos nós somos filhos de DEUS, o RACIONAL SUPERIOR!

Todos somos RACIONAIS. Mas, estamos deformados em animais e precisamos, para colocar fim no nosso sofrimento, providenciarmos, cada qual individualmente, nosso retorno à nossa origem verdadeira, o MUNDO RACIONAL.

E o passaporte para esse retorno é Cultura Racional, dos Livros Universo em Desencanto – comprove você mesmo.

Abracemos nosso passaporte transcendental, com firmeza, amor e gratidão e teremos todos, COM ABSOLUTA CERTEZA, uma boa viagem de retorno à eternidade.

Nenhum comentário: