Follow by Email

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

LIVRE ARBÍTRIO E CONSCIÊNCIA


(Edna Meire Pinto estudante de Cultura Racional, Cuiabá – MT)

Aprendemos lendo os livros Universo em Desencanto de Cultura Racional que, o Livre Arbítrio é o que governa os seres, na verdade  ele é a grande lei que rege o universo, tendo em vista que tudo começou materialmente devido a ele.
As transformações da energia original (transformações estas chamadas nas religiões de: pecado original) em outras energias e posteriormente a transformação de parte destas energias em seres e objetos materiais, estão interligadas ao uso do livre arbítrio. Ou seja: o início do universo material que conhecemos partiu da utilização do livre arbítrio de muitos dos seres que inicialmente se encontravam somente em estado energético e que resolveram adentrar em uma região energética não adequada ao seu desenvolvimento de ascensão.
Todos foram criados na forma energética eterna e muitos ainda permanecem nesta forma com seu progresso energético consciente e em planos superiores ao que vivemos, apesar da escolha de muitos outros, que é o nosso caso, em estarmos provisoriamente vivendo como seres materiais.  Formas de vivências materiais variáveis como as das categorias de animal racional ou irracional, vegetal, mineral, planetária, estrelar ou galáctica, todas elas, interligadas ao uso do livre arbítrio, mas não deixando de estarem sujeitas à regência e comando da energia superior. Todas estas formas de vivência com início, meio e fim de durações.
Este uso do livre arbítrio, este pecado original, nada mais foi que uma opção consciente de transformar parte da energia original em matéria de vida provisória de longa ou de pouca duração, sofrendo assim todas as consequências do uso deste livre arbítrio.
As boas ou más consequências da utilização do livre arbítrio todos viveram ou ainda vivem, e estas consequências dependem do grau de conscientização de cada um. Quem faz o bem ou o mal, para si faz.
A partir do momento em que o ser humano passar a se conhecer na sua real forma de ser, a ficar consciente do papel de cada um neste mundo, além de respeitar e aceitar o uso de forma racional do livre arbítrio de cada um, mudanças para melhor em todos os sentidos acontecerão. Portanto será uma questão de conscientização.


Nenhum comentário: