Follow by Email

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

CADA CABEÇA, SUA SENTENÇA



(Porfirio J. Neves)


Qual a função da cabeça? É só pensar ou existem outras serventias?

A cabeça do ser humano é um relógio com sete ponteiros. Cada ponteiro marca a sua ação, a qual é refletida no pensamento e no sentimento.

Assim, as vistas são os dois ponteiros da visão; a boca, o ponteiro do paladar; os narizes, os ponteiros do olfato; e os ouvidos, os ponteiros do som.

Todos esses ponteiros marcam o bom e o ruim. Se a pessoa provou isto ou aquilo, achou bom ou ruim, cheirou isso ou aquilo, achou bom ou ruim; ouviu isso ou aquilo, achou bom ou ruim.

São os ponteiros que regulam a vida do ser humano, quando o relógio é normal. Mas, quando o relógio está variando, por alguma enfermidade mental, vem a desregulagem dos ponteiros.

Está aí uma visão Racional da cabeça do ser humano: sete ponteiros marcando o bom e o ruim. E se analisaram bem a conjunção destes sete ponteiros com os sentidos humanos, veja que os sentidos da visão, da audição e do olfato usam ponteiros duplos; dois olhos, dois ouvidos e dois narizes (parece ser um nariz, mas são dois), enquanto que a boca é que é uma só, mas parece valer por sete!

Por isso vale a máxima: “ver, ouvir, cheirar e calar, se vive bem em qualquer lugar”!

Quer dizer, então, que a cabeça da gente é um relógio? Sim! Relógio no sentido de marcação, relógio no sentido de regulagem.

A cabeça, portanto, é um órgão fundamental para a comunicação do ser humano com todo o universo ao seu redor. Como nos confirma o Racional Superior:

(R-17 p-70) Porque sendo a cabeça o relógio, são transmitidos dos astros os pensamentos, as intuições, as aspirações e as imaginações. Todos vendo os astros desse campo astrológico do Astral Inferior. Então, o Astral Inferior é composto do elétrico e magnético, que compõe a formação dos astros do Astral Inferior. Esse campo astrológico do Astral Inferior é onde rege a astrologia desse curso primário.

Esta é a primeira parte de serventia da cabeça. Vejam que Astral Inferior, neste trecho, refere todo o conjunto fluídico elétrico e magnético, incluindo a matéria fluídica elétrica e magnética que dá o sensoriamento na nossa cabeça. Por isso estamos dentro de um curso primário.

Curso primário pode ser entendido também como primeiro curso da vida dos seres que nasceram do Chão, como um rio que segue seu curso em direção ao mar. Assim nós seguimos no curso primário da vida, usando estes sete ponteiros ligados ao plano dos astros ou Astral Inferior. Curso primário ou primeira jornada no caminho de retorno ao Grande Oceano da Vida.

Formou-se assim um grande labirinto na vida do ser humano como um quebra cabeças.

Tanto assim é que dentro deste curso primário logo todos se põe a imaginar e a pensar na busca de um curso alternativo, secundário, buscando se promover e subir na vida. Ninguém gosta de se sentir no primário. Depois do primário, todos buscam o secundário e quem sabe, chegar ao superior.

Cada cabeça sua sentença: pensou e imaginou errou! Não acerta mesmo!

Porque ninguém chega ao curso secundário da vida com base no curso primário. Isso mesmo! Quando vamos para um curso secundário, precisamos antes saber qual o curso superior que pretendemos trilhar.

O curso superior é a base para definir o curso secundário a seguir. Essa é a verdadeira lógica da vida. Tem que saber para onde vai, para daí saber como vai.

O labirinto aumentou porque todos estavam apenas ligados no curso primário, com a cabeça no Astral Inferior, pensando e imaginando que podia se ligar ao Astral Superior, sem saber de onde veio nem para onde vai. Eis aí a razão de a vida ter se tornado um grande labirinto.

Se não sabe para onde vai, como é que já quer falar e estudar o como vai? O para onde vai é o curso superior da vida e o como vai é o curso secundário. A gente só precisa e só deve estudar o como vai se souber primeiro para onde vai. Está aí a lógica perfeita para que a cabeça da gente fique perfeitamente regulada nos cursos da vida.

“Ninguém vai ao PAI se não for por MIM”! Palavras do FILHO, representando o curso secundário ou Astral Superior da mente humana. Representando um sentido de grande elevação.

Se o PAI representa o curso superior da vida, o FILHO representa o curso secundário. Eis a grande verdade e eis a grande confusão histórica do pensamento humano. Todos se ligaram no FILHO e ficaram desenvolvendo e buscando o curso secundário da vida, baseados apenas no curso primário, porque não tinham nenhum conhecimento de como era o curso superior, a vida com o PAI.

Não se basearam no Conhecimento do PAI que é a meta final, basearam-se no conhecimento do FILHO, que é o caminho.

Então a principal serventia da cabeça fica sem base e sem lógica, quando a cabeça não conhece para onde vai. Se não sabe para onde vai como é que vai ficar estudando o caminho? Esqueceram que tudo progride e tudo evolui, inclusive o caminho.

Desta forma, tudo que foi feito neste curso primário da vida, querendo atingir um curso secundário, pensando e imaginando que assim alcançaria o curso superior, ficou tudo dentro de um grande labirinto.

Então, ninguém podia se ligar ao Astral Superior, que representa o curso secundário da vida, sem antes saber para onde vai, sem antes conhecer qual é o curso superior da vida, Racional.

Por esta razão, todo o progresso humano tornou-se aparente, sem nunca chegar à definição de nada. Muitos bem intencionados, julgando ter a lógica perfeita de fazer o curso secundário para depois conhecer o curso superior. Ledo engano: primeiro tinha que saber ou conhecer qual era o curso superior, para então, aí sim, definir o curso secundário.

E o curso superior da vida só veio ser revelado no terceiro milênio do desenvolvimento humano.

A cabeça tinha primeiro que se desenvolver nestes dois Milênios: imaginação e pensamento, porém dentro de um curso primário, dentro de um astral inferior; chegando, assim, ao terceiro milênio de seu desenvolvimento.

Desta forma, no terceiro milênio, passa a desenvolver-se para poder conhecer o curso superior. Somente assim, poderá, então, definir como vai cursar o caminho de volta para o seu Mundo de Origem, a meta final da vida.

Quem achou que já podia estabelecer o caminho de volta sem saber para onde ia, perdeu tempo e muito tempo dentro do curso primário. E muitos ainda continuam perdendo esse tempo precioso, sendo totalmente reprovados no pretendido curso secundário, por não terem nenhum conhecimento do curso superior.

E o curso superior da vida está revelado no livro Universo em Desencanto – é a Meta Final, tendo este livro sua origem no curso superior da vida. Conhecendo a Meta Final, aí sim, cada um definirá o seu Caminho - cada cabeça, sua sentença. Aí passa a valer, ninguém vai ao PAI senão por MIM.

E o Racional Superior informa a todos que estamos na fase de Aparelho Racional e que é nesta fase que todos podem se ligar ao Mundo Racional, que é o curso da vida eterna. Esta ligação, como Ele afirma, é uma OUTORGA do MUNDO RACIONAL, para todos conhecerem e saberem qual é o curso superior da vida. E assim nos confirma:

(R-06 p-133,134) Todos se ligando ao Mundo Racional pela Jurisprudência Outorgante do mundo em evolução, por ser a ação da ORIGEM sobre toda a humanidade (ação da origem refere-se ao conhecimento da Cultura Racional). E esta ação trazendo a fórmula, a convicção real do ponto de vista, no senso da indução ao sentimento, que cresce e resplandece o progresso audiferido, da audição Racional, que é o referencial da ligação exata e perfeita do relógio, que é a cabeça, na parte que estava paralisada, entrando imediatamente em função Racional e cessando as outras partes astro magnéticas.

Eis aí a principal serventia da cabeça e que muitos ainda não perceberam. É o órgão da audição Racional que está na nossa glândula Pineal, como se fosse um oitavo ponteiro – referencial da ligação exata e perfeita do relógio que é a cabeça, até cessar toda e qualquer influência astro magnética.

Simples assim: basta saber e basta conhecer a Cultura Racional para que tudo aconteça de bom e de melhor em nossas vidas. O progresso Racional já está em marcha na cabeça de muitos que observaram e obedeceram aos preceitos mais preciosos durante o curso primário da vida. “Ninguém vai ao Pai se não por Mim”. Mas precisava primeiro conhecer o PAI.

Cada cabeça, sua sentença. Agora, que todos já sabem quem é o PAI, agora sim, podemos definir em nossas cabeças o curso secundário, ou o caminho que vai nos conduzir ao Supremo. Agora e somente agora, vale a pena se definir em seu caminho de volta, que é como vai voltar - pelas classes superiores ou pelas classes inferiores.

Cada cabeça, sua sentença. Cada cabeça tem seu próprio caminho a ser definido e não adianta querer fazer a cabeça de ninguém, neste sentido, porque todos têm glândula pineal diferente. Naturalmente, é muito precioso esclarecer-se e esclarecer os demais que a vida tem seus três cursos revelados na Cultura Racional. Isso é que precisa ser divulgado.

(T-08 p-20) Este Conhecimento é do Mundo Racional e quem está com um livro desses na mão, está em contato com o Mundo Racional... Este livro não é de ninguém aí do chão, não é de ninguém aí da Terra, para ser manuseado igualmente aos livros aí do chão, os livros feitos aí na Terra, das cabeças dos terra-terras, das imaginações dos terra-terras.

Sabe o que quer dizer terra-terras? São todos aqueles que acharam que podiam trilhar um curso secundário sem ter ciência ainda do curso superior da vida. Todos ficaram na ligação terra-terra e não se ligaram em nada de superior, a ligação ficou apenas na superstição, ficou na vontade, ficou na esperança. Ninguém ligou, porque o curso primário não podia ligar ninguém.

E assim ficou toda a literatura do pensamento e da imaginação humana, perdidos neste curso primário, curso encantado da vida humana. Está aí o Universo em Desencanto para dar a devida solução na sua cabeça.

Nenhum comentário: