Follow by Email

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

ENTORPECENTES



(Porfirio J. Neves)

Vamos falar hoje sobre entorpecentes! Mas, eu prefiro falar sobre os entorpecentes que são tidos como lícitos, ou melhor, falar daqueles que a maioria nem percebe que são entorpecentes, porque vive entorpecida por eles e não sabe.

Falar dos entorpecentes ilícitos seria fazer apologia ao que não presta mesmo, e que só serve para destruir a saúde e a vida de quem faz uso desses entorpecentes cruéis.

Vamos falar dos entorpecentes do dia a dia e mostrar que o ser humano não precisa mais viver entorpecido pelos sonhos e pelas ilusões. É destes entorpecentes que precisamos falar, das aparências que entorpecem a alma, porque os pensadores não têm coragem de encarar a realidade da vida de animal, justo por não conhecer a sua verdadeira origem de Racional.

Se conhecesse a sua verdadeira origem já teria encontrado o bálsamo da realidade em suas mãos e estaria vislumbrando o que foi a sua vida, o que é a sua vida e o que será a sua vida.

Se conhecesse a sua verdadeira origem estaria, hoje, deslumbrado pelo que passou a conhecer, pelo que sabe e pelo que está vendo e sabendo: a realidade positiva, Racional, do verdadeiro Mundo Intercósmico, que é o mundo interior, o Mundo Racional, o mundo dos mundos.

Se conhecesse a sua verdadeira origem não estaria mais dependente desses entorpecentes da vida do Animal Racional, pensador sofredor e mortal.

Esses entorpecentes são necessários para aqueles que ainda vivem pensando e imaginando, fase de Animal Racional; mas, na medida em que vai passando a se conhecer, vai se livrando desta terrível dependência dos entorpecentes, vai se livrando dos sonhos, das ilusões, das esperanças, enfim, vai se livrando das aparências, dos entorpecentes que atrofiam a nossa existência.

E o Racional Superior nos alerta, no livro Universo em Desencanto, definindo o que é entorpecente, para os que viviam na fase do pensamento, da seguinte maneira.

(H-20 p-94) “Viviam atrofiados, cheios de ilusões, atrofiados pelas fantasias, atrofiados pelas aparências, atrofiados pelos sonhos e atrofiados pelas esperanças, mantendo a vida com esses entorpecentes todos. A fantasia é um entorpecente. A aparência é um entorpecente. A ilusão é um entorpecente. A esperança é um entorpecente. Os sonhos, outro entorpecente. Todos entorpecidos pelos sonhos, pelas fantasias, e ilusões; por ser entorpecente é que tudo é passageiro. Por ser entorpecente é que tudo é aparência só. Por ser entorpecente é que tudo se acaba. Por ser entorpecente é que sofrem sempre. Por ser entorpecente é que tudo se acaba de repente. E assim a vida se constitui com todos esses entorpecentes, para lapidar todos e nessa lapidação, o sofrimento sempre”.

Por que então as pessoas levam essa vida de adotar os sonhos, as fantasias, as esperanças, as ilusões, enfim, de adotar todos esses entorpecentes?

Porque muitos estão vivendo, porém, vivem completamente desiludidos de tudo, por procurar a verdade das verdades em relação à vida e ao mundo e não encontrar.

Essa é a grande causa das pessoas usarem tantos entorpecentes. E aí podemos incluir os lícitos e os não lícitos. É a desilusão de procurar a verdade em relação à vida e nunca encontrando.

A desilusão, de não encontrar a verdade, deixa a pessoa com um grande vazio no interior de seu eu, perguntando ao mundo: (H-020 p-60) -“Quem és tu, mundo, que não me dizes quem tu és, nem quem eu sou, nem por que eu assim sou”?

-“Quem és tu, mundo, que não me dizes o porquê que assim és e o porquê todos assim são”?

-“Quem és tu, mundo, que não me dizes o porquê da vida, a causa e a origem da vida”?

-“Quem és tu, mundo, que não se sente falar com ninguém”?

-“Quem és tu, mundo, que te conservas mudo e solitário, com tuas vidas, com teus feitos”?

-“Quem és tu, mundo, que não dizes o porquê assim és e o porquê os seus feitos assim são”?

-“Quem és tu, mundo, que não dizes o que somos e o porquê assim somos”?

-“Quem és tu, mundo, que conservas os sonhos, as fantasias e as ilusões”?

-“Quem és tu, mundo, que conservas essa angústia dentro de todos”?

-“Quem és tu, mundo, que conservas esse vazio dentro de todos”?

-“Quem és tu, mundo, que nunca disseste a ninguém o porquê que assim és”?

-“Quem és tu, mundo, que ninguém sabe de onde vieste e para onde vais”?

-“Quem és tu, mundo, que mantém essas vidas sofredoras , angustiosas e mortais”?

-“Quem és tu, mundo, que esperamos um dia te ouvir e nos diga: quem és tu, para que acabem todas as ilusões sobre tu”?

E hoje, o mundo respondendo quem és tu que a ilusão era tanta, incapaz de definir o teu eu e definir o mundo. Está hoje aí em suas mãos, quem és tu e quem é o mundo e quem é a Natureza e o que é tudo. De onde vieram e para onde vão. Estão aí todas as respostas do mundo, para o mundo, que é a Natureza.

-“Quem és tu, Natureza, que ninguém nunca soube o porquê de tua existência”?

Então, perguntavam ao mundo, mas o mundo, na qualidade de deformado, não podia responder. O mundo do pensamento humano era deformado e os pensadores não sabiam que este mundo é uma deformação de origem Racional.

Somente quem podia responder a todas essas perguntas, o Mundo de Origem, o MUNDO RACIONAL, de onde originou esta Deformação Racional. Somente a verdadeira origem da humanidade podia encaminhar as respostas, com base e com lógica.

E onde está a base e a lógica disto tudo? Responde o Racional Superior: (H-24 p-106) “Então, não estão vendo que o Poder Supremo não ia fazer todos deformados dessa maneira? O Poder Supremo só fez puros, limpos e perfeitos, como estão no Mundo Racional, de onde todos vocês eram. Se são assim é porque se fizeram assim, por entrar pela parte que não estava pronta para entrar em progresso, fazendo uso da vontade por a vontade ser livre”.

A base está no Mundo Racional e a lógica está na transformação de uma PLANÍCIE que não estava pronta para entrar em progresso e que uns tantos habitantes do MUNDO RACIONAL começaram a progredir por conta própria.

Consagramos assim que este mundo é conseqüência de seus próprios habitantes e não precisamos mais ficar entorpecidos com essa história de que foi Deus quem criou o mundo.

Esse é entorpecente da pesada: Foi Deus que criou o mundo! Deus criou o homem e a mulher. Então, Deus seria capaz de criar um mundo cheio de sofrimento e dor?

Agora, na Fase Racional, vem a resposta com base: Deus, o Poder Supremo só fez puros, limpos e perfeitos. Se somos assim, degenerados e deformados, é porque nos fizemos assim. O mundo é conseqüência de seus próprios habitantes.

Se tivemos liberdade para estragar o mundo, transformando a PLANÍCIE pura limpa e perfeita neste canto de sofrimento e dor, então devemos ter a hombridade de reparar os danos causados. Essa é a verdadeira lógica da vida.

Então chega de entorpecentes, chega de viver sem base e sem lógica. A base da nossa existência é o verdadeiro Deus, o Mundo Racional. E a lógica da nossa existência é o uso da liberdade por conta própria, de acordo com as vontades e que vem transformando o mundo.

Essa é a verdadeira lógica da nossa vida: O mundo está ruim? Fomos nós que o fizemos ruim! Fomos nós que o transformamos e continuamos transformando. Chega de botar a culpa em Deus. Chega de ficar vivendo sem base, porque, quem vive sem base, vive sem Deus e um dia cai na desilusão. E quem cai na desilusão se torna usuário de entorpecentes de todo tipo para esquecer a desilusão, para poder abrandar o sofrimento. O que falta é conscientização. Vejam quanto sofrimento vai pelo mundo! Vejam quantos entorpecentes se tornaram necessários para esquecer o sofrimento! Eis a lógica: quem transformou o mundo se tornou um grande sofredor, porque, justamente, veio fazendo isso por conta própria.

Mas, o Racional Superior, o Mundo Racional e a Natureza, o Poder Supremo da vida, vêm orientando todos aqueles que querem se livrar de todos esses entorpecentes, que viram, pela lógica das transformações, a verdadeira base de origem de tudo e de todos. A base de origem do mundo e sua criação, ou se preferirem, a base do mundo e a sua transformação.

Quem transformou? Os próprios habitantes; que aqui estamos sofrendo as conseqüências do que fizemos para nós mesmos. Chega de agredir a inteligência divina com essas estórias de que Deus fez este mundo e que nos botou aqui para sofrer ou para nos castigar. Chega de entorpecentes! Vamos nos conhecer, vamos desenvolver o Raciocínio! Vamos Raciocinar, que é o nosso legítimo direito conferido por Deus, a todas as criaturas, para poderem se libertar de si mesmas.

Desenvolver o Raciocínio é adquirir a verdadeira base para poder se libertar de si mesmo. Chega de pensamento. O pensamento entorpece, enfraquece e aborrece; o Raciocínio engrandece, fortalece e leva todos de volta para o nosso estado natural de puros limpos e perfeitos, como Deus realmente nos fez.

Essa é a verdadeira salvação da humanidade, agora na Fase Racional; ninguém mais precisa ficar usando entorpecentes com medo da realidade, porque na Fase Racional não há mais desilusões, somente a verdade das verdades.

Então, você que sabe como salvar a humanidade, tem que sair noite e dia para levar o conhecimento a todos, para a salvação de todos, com programas de todo jeito, de toda forma, de toda maneira, falado e escrito. O que não pode é mais perder tempo.

Leia o livro Universo em Desencanto e divulgue esta realidade, sem entorpecentes, a nova fase da Natureza, a Fase Racional.

Nenhum comentário: