Follow by Email

domingo, 12 de fevereiro de 2012

SOMOS SERES DE OUTRO MUNDO - AQUI ESTAMOS DE PASSAGEM



(Porfirio J. Neves)


(Texto extraído do Programa a Voz Racional, Rádio Tropical de Nova Iguaçu, do dia 10.02.2012)
Você está nos ouvindo agora pelo rádio em AM e talvez nem perceba que temos dois tipos de audição: a audição auditiva propriamente dita e a audição visual. A “audição visual” é aquela que nos faz enxergar as coisas e os fatos através das palavras que ouvimos. Esta é uma característica de quem ouve rádio. Quando vemos televisão não se desenvolve esta “audição visual”, porque os olhos já estão vendo e os ouvidos pouco precisam ouvir.

(Podemos dizer com uma bela rima: Você vê o Mundo Racional, ouvindo pela Rádio Tropical, o programa A Voz Racional – não é só uma rima é também uma solução.)

Então, eis algumas perguntas para nos aguçar e estimular a “audição visual” usando a nossa “audição auditiva”.

Que vida é esta, que ninguém se conhece?

Que vida é esta, que vivemos sem saber por que vivemos?

Que vida é esta que ninguém sabe o porquê foi feito assim?

Que vida é esta que não sabemos o porquê assim somos e o que somos?

Que vida é esta que ninguém sabe de onde veio nem para onde vai?

Se você usou a “audição visual”, já viu as respostas de todas estas perguntas. Se você ainda não sabe ver as respostas pela audição visual, está na hora de desenvolver seu Raciocínio, porque ainda tem um terceiro tipo de audição, que se traduz no sentimento vibratório auditivo, é a audição Racional.

(R-06 pág. 134) “...o progresso audiferido, da audição Racional, é o referencial da ligação exata e perfeita do relógio, que é a cabeça, na parte que estava paralisada (o Raciocínio), entrando imediatamente em função Racional e cessando as outras partes astro magnéticas. E a função vibratória da ação humana, (tornar-se-á) somente Racional, por o elo, referencial da cabeça estar ligado ao Mundo Racional, e daí, entra em primazia de uma evolução rapidíssima”.

Este é um trecho de uma mensagem intitulada: “A Ligação com o Mundo Racional e a Fase Racional”.

Todo este preâmbulo é para prevenir que o nosso entendimento não depende apenas de quem fala, mas, principalmente de quem ouve. Quando você ouve a Voz Racional lendo o livro Universo em Desencanto, aí tudo isso se realiza de natural dentro de si mesmo: é esta ação vibratória humana que nos faz voltar ao nosso Mundo de Origem, o Mundo Racional. Isto faz cessar as vibrações astro magnéticas na nossa cabeça. Vibrações astro magnéticas são fontes do pensamento.

Resumindo: quem ouve a Voz Racional lendo o livro Universo em Desencanto pára de pensar e aí passa a acertar em tudo, no sentido de voltar para o mundo de onde veio, o Mundo Racional.

Somos seres de outro mundo, que não sabíamos por que estávamos vivendo neste mundo, porque o nosso pensamento não tinha o alcance vibratório da nossa verdadeira origem, mas agora descobrimos que o verdadeiro referencial auditivo está no desenvolvimento do Raciocínio, o oitavo ponteiro, em nossas cabeças que estava parado.

Desta forma, agora passamos a compreender melhor, porque esta passagem sempre foi muito tumultuada, cheia de atropelos, cheia de lapidações. Pois esta passagem pelo mundo material foi justamente a parte de aperfeiçoamento para chegarmos ao entendimento objetivo e compreensão sobre o nosso ponto de partida e sobre o ponto de chegada, o alfa e o ômega e a ligação entre estes pontos.

Aí, se olhamos para as religiões espirituais, filosóficas e científicas, com este sentido de aperfeiçoamento e de lapidações necessárias, temos a certeza de que todas elas são boas, todas elas serviram muito bem para o nosso aprimoramento, nossa própria lapidação.

Todas estas religiões são em verdade, ou foram, o espiritismo do qual nos fala o Racional Superior no livro Universo em Desencanto. A palavra espiritismo usada pelo Racional Superior, embora em certos trechos pareça se referir com exclusividade às doutrinas espíritas, conhecidas pelos homens de baixo para cima, ela se refere de modo abrangente a todos os tipos de religiões, não havendo necessidade de diferenciar religiões espirituais, de religiões filosóficas nem de religiões científicas, porque tudo é espiritismo, ou tudo era espiritismo, porque todos viviam em experiência.

Bem compreendido este aspecto, então a passagem que fazíamos neste mundo era regida pelas religiões e pelas crenças criadas através da mente humana. Religião quer dizer regência. Tudo que rege é religião. Assim, a religião espírita é a regência feita pelos habitantes do Mundo Espiritual e, por isso, todos em lapidação.

Esta passagem em que vivíamos era regida pelo espiritismo ou espiritualismo, como queiram, até o momento em que surge no Universo uma “Luz Auditiva Racional”, nos perguntando: -“Quem és tu, que a ilusão é tanta incapaz de definir o teu eu?”

Este foi realmente o primeiro clarão da Luz Racional que se ouviu através daquela “Voz de Trovão” na Tenda Espírita Francisco de Assis, no Méier, em 1935, indicando para a humanidade o final da religião espírita, indicando para a humanidade o final do pensamento, indicando para a humanidade o desenvolvimento do Raciocínio.

Terminava ali, de forma simbólica, a idade das trevas criadas pelo pensamento humano que, embora soubesse que todos estão de passagem neste mundo, não tinha o alcance de saber o alfa e o ômega.

Digo de forma simbólica, me referindo ao ato de terminar, como uma lei que só vai ser cumprida depois de promulgada. A promulgação da lei é a forma simbólica da lei. Os verdadeiros efeitos surgem no cumprimento da mesma.

Assim, quem obedece à lei da Natureza, que é a Lei de Deus, promulgada por este ato simbólico do “quem és tu”, passa a ser regido pela Fase Racional. Passa a viver com a regência da Cultura Racional continuando tudo aquilo que vinha sendo regido pela religião espírita. Religião espírita, novamente lembrando, abrangia todas as formas religiosas extraída através da mente humana em razão das boas e más experiências.

E quem ainda não está obediente à lei da Natureza, da nova fase, a Fase Racional, esses continuam por conta de suas experiências, cada vez mais amargas, nesta passagem que parece não ter princípio nem fim, regidos pelo pensamento e pela imaginação.

Na verdade, não são mais regidos nem pelo pensamento nem pela imaginação, são regidos pelo magnetismo que se apresenta como se fosse espiritismo.

Depois daquele clarão da Luz Auditiva Racional em 1935, a regência do pensamento ficou que nem um decreto vencido que passou a ser usado pelo lado magnético do mundo invisível como se ainda prevalecesse. Cai no conto do vigário quem ainda se fia nesses meios espirituais.

A lei mudou e os incautos que não querem adotar a nova lei teimam em se dar pela regência do que não vale mais, nem rege mais.

Isso é o mesmo que dizer: as religiões dos homens terminam, chegam ao seu ponto final, quando alcançam a religião de Deus, do Racional Superior.

As religiões dos homens são de baixo para cima e a Religião de Deus é de cima para baixo, é Racional.

A Religião de Deus, ou regência de Deus sobre este fim da passagem de todos pelo mundo, é a Cultura Racional, é a Cultura do desenvolvimento do Raciocínio, promovendo a ligação e o conseqüente retorno à eternidade, como assim foi concebido pelas religiões extraídas através da mente humana, usando a audição auditiva e a audição visual.

Agora, na Fase Racional, entrou em vigor o desenvolvimento do Raciocínio, a audição Racional, todos ouvindo a Voz Racional em seus lares ou onde estiverem.

E, para concluir este assunto, de forma espetacular, eis um trecho do livro Universo em Desencanto para cientificar todos qual é o objetivo de estarmos divulgando este livro. Isto é coisa de Deus, minha gente, para cada um saber escolher o que quer para si

Ou escolhe a Religião de Deus, ou continua com as religiões dos homens inspiradas por Deus e que já não vigoram mais, pois a fase agora é inteiramente regida pelos habitantes do Mundo Racional – a nova LUZ que brilha no Universo.

(R-06 pág. 33) “Então, chegou Deus à Terra, para a Salvação de todos, porque se Deus não viesse à Terra não podia salvar ninguém e, por Deus estar na Terra, é que está aí a salvação de todos. Se EU não estivesse na Terra , não podia salvar ninguém, como estou aqui na Terra , estou salvando todos e dando esta grande satisfação do princípio do passado, do presente e do futuro”.

Estas são palavras de um Salvador, primeiro e único que traz o conhecimento Redentor, revelando em cada ser o verdadeiro Criador.

E, por isso, quando ficamos sabendo que o mundo é conseqüência de seus próprios habitantes, também compreendemos que isso pode deixar de ser assim. Podemos deixar de sofrer e deixar de morrer nestas passagens, que pareciam intermináveis.

A escolha é sua! Basta adquirir este bilhete, agora, na última passagem pela vida da matéria, para reingressar na eternidade, porque somos seres de outro mundo.

Onde está o bilhete? O bilhete está nas entrelinhas do livro Universo em Desencanto.

Nenhum comentário: