Follow by Email

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

TRANSFORMAÇÃO VERSUS REENCARNAÇÃO! E A VIDA CONTINUA



(Porfirio J. Neves)
Tudo que se pode definir com palavras é certamente ambíguo. Para tudo sempre existe um outro lado. A Natureza é assim: elétrica e magnética, direita e esquerda, superior e inferior. Então, pela formação natural ser feita em duas partes, tudo se torna ambíguo, tudo tem seu duplo sentido.

Vem daí o conceito e o pré-conceito: o que se define e o que previamente se define. Por sua vez o pré-conceito varia entre o positivo e o negativo; pré-conceito necessário e pré-conceito desnecessário.

Por exemplo, qual é o seu conceito de encanto e desencanto? Ou, qual o seu pré-conceito? Nem vou analisar as possibilidades porque teria de considerar as respostas de quem conhece e de quem não conhece o que é encanto e o que é desencanto. E ainda tem os que sabem, mas ainda não conhecem, porque saber é uma coisa, conhecer é outra, entender é outra e sentir é outra coisa.

Mas, quem quer saber, tem o conceito de desencanto como sendo a solução final e quem não quer conhecer fica com o pré-conceito de achar que desencanto é desilusão.

Quem não conhece a realidade encara o mundo pelas avessas, porque fica apenas no pré-conceito!

Isto é uma pequena introdução, para esclarecer que o conceito de reencarnação, que nos foi ensinado pelo mundo espiritual, de forma doutrinária, foi especialmente positivo para podermos encarar uma nova realidade, que são as transformações, porém, ficou apenas no pré-conceito.

Porque a reencarnação ficou no pré-conceito? Aliás, tudo na vida do Animal Racional ficou no pré-conceito, tanto na Ciência, na Filosofia ou nas doutrinas religiosas. Por que tudo ficou no pré-conceito? Porque de realidade ninguém conhecia nada.

Por exemplo, sobre a nossa verdadeira origem. Sabíamos que tinha que existir um outro mundo que deu conseqüência a este, por não haver efeito sem causa! Sabíamos, mas não conhecíamos esse primeiro mundo, porque não podíamos nos ligar.

Esse sempre foi o maior sofrimento dos homens do saber. Saber que existe e não poder se ligar, não poder tocar; ficou tudo na crença e na fé e na esperança. Sei que Deus existe, mas não posso me ligar a ELE.

Hoje, com o Desencanto Universal, na Fase do Terceiro Milênio, podemos nos ligar a ELE com a Cultura Racional; este é o objetivo da Cultura Racional. Agora, veja: ligar a ELE é uma coisa, ter acesso a ELE é outra coisa totalmente diferente.

Compreendam que tudo é uma questão de conceito até podermos sentir sem ter que usar palavras. As palavras, portanto, apesar de serem extremamente necessárias para definir os conceitos, são totalmente dispensáveis para o verdadeiro sentimento. A prova disto está no seguinte fato: quando temos um forte e autêntico sentimento, dizemos que não há palavras para expressar esse nosso sentimento.

Nada se perde, nada se cria, tudo se transforma!

Há correntes doutrinárias que afirmam que os espíritos não foram criados, tanto os espíritos materializados quanto os não materializados; todos os espíritos são de vida eterna. Outras correntes doutrinárias afirmam que os espíritos foram criados incultos e atrasados para poderem se aperfeiçoar.

Seja qual for a ótica doutrinária sobre o espírito do ser humano, todas essas doutrinas podem ser contempladas dentro de um contexto Racional único das transformações.

O que se chama de encarnação ou reencarnação pode ser entendido, com base e com lógica, dentro do contexto de transformação. Cada ciclo de vida, chamado de encarnação, também pode ser chamado de ciclo de vida em transformação, ou simplesmente transformação.

Assim, o Animal Racional é uma encarnação do Raciocínio ou uma transformação do Raciocínio.

Quais são as leis da transformação?

(H-26 p-52) “Tudo que se transforma, se polui cada vez mais. Tudo que se transforma, enfraquece. O enfraquecimento feito pela transformação. Até vir o enfraquecimento total e sendo extinta a classe de animal de origem Racional. E no extinguir a classe de Animal de origem Racional, haveria a transformação para outra classe que é de irracional. Porque corpo nenhum termina de vez. Tudo é energia em transformações. Tudo é energia deformada, em deformação e transformação”.

Corpo nenhum termina de vez! Esta é a grande concepção que nos passa o Racional Superior sobre a vida. Corpo nenhum termina de vez. E Ele nos esclarece, ainda:

“Aparentemente há a extinção daquela vida, daquele corpo de vida, mas não há extinção (é o mesmo que dizer que não existe morte). Parece que se extinguiu, mas não se extinguiu; sendo um corpo que terminou a sua duração e se transformando em outro corpo inferior em tudo e em classe, por vir a extinção total da classe de animal. Da mesma forma que se extingue a classe de Animal Racional também os Racionais que vieram perdendo virtudes se extinguiram”.

Neste sentido o Racional Superior me esclareceu que a verdadeira vida se deformou em diferentes categorias de vida e cada categoria com suas classes e o que o Animal Racional não conhecia era a categoria de vida.

Todas estas categorias, que hoje estamos tendo ciência, foram derivadas em razão da verdadeira origem da humanidade que é o antes do ser e que ninguém conhecia: nem filósofos, nem religiosos, nem cientistas. O antes do ser é que ninguém, na classe de pensador, tinha condições de conhecer, porque o pensamento foi feito dos restos da transformação da Planície Racional que não estava pronta para entrar em progresso. Leia o Livro Universo em Desencanto e entenderá bem melhor estes conceitos. Planície, Habitantes, Vida cósmica, vida degenerada, etc.

Assim, podemos resumir as categorias sobre três aspectos derivados dos Habitantes do Mundo Racional, puros, limpos e perfeitos, com seu corpo de energia de massa cósmica:

Primeiro aspecto. Os habitantes que ficaram no estado de extinção da vida e do corpo, deram causa à categoria dos seres deformados em Bicho, dividida em duas classes: animal racional e animal irracional, que está em transformações de multiplicações de corpos de vida, nascendo e morrendo.

Segundo aspecto. Os habitantes que ficaram no estado de extinção da vida, mas não tiveram o corpo original extinto no chão, deram formação aos habitantes do Astral Inferior, como uma bateria que perdeu toda a sua carga e se encheu com outra energia; perderam toda a Energia Racional e se encheram com Energia Elétrica e Magnética. Claro, o corpo sofreu adequações ou deformações. Assim são os astros e os espíritos. Astral Inferior.

Terceiro aspecto. Os habitantes que não foram à extinção nem do corpo nem da vida, porque interromperam o progresso por conta própria, formando assim o Astral Superior, ou campo mediador da vida eterna com a vida espiritual. Note bem, habitante do Astral Superior não é espírito; não são espíritos. São Habitantes do Mundo Racional, podemos dizer levemente deformados, que perderam poucas virtudes. Se não há como conceber o Astral Superior em nossas mentes pensantes, imagine conceber os Habitantes do Mundo Racional. Quando muito, mal compreendemos os espíritos.

Tudo o que conhecemos, mais ou menos, é o Mundo do Astral Inferior com seus habitantes, que são os espíritos e esta nossa categoria de bichos. Espírito que ficou com o corpo original deformado ligado na Energia Elétrica e Magnética e os bichos, cujos corpos originais, entraram em extinção sobre a Goma e a Resina formando todo este campo de vírus e micro vírus, multiplicando os corpos de vida em transformações.

Os espíritos não ficaram em transformações, portanto ninguém tem, nem podia ter espírito no corpo. O que nós não conhecíamos era a categoria, que cada um fez por onde merecer ela. O que os espíritos mais elevados queriam nos dizer era isto: a vida eterna ficou dividida em categorias; isso eles percebiam - os espíritos mais elevados que muitos confundiam com o Astral Superior.

Mas, basta ser espírito para não ser do Astral Superior. Não existem espíritos no Astral Superior. No Astral Superior são Habitantes do Mundo Racional, levemente deformados, que ficaram como mediadores.

Assim, vejam que o termo reencarnação do espírito que aprendemos com as diversas doutrinas precisa ser bem entendido à luz do Conhecimento Racional. Ter espírito no corpo seria o mesmo que dizer que dois corpos podem ocupar o mesmo lugar no espaço: o corpo do bicho e o corpo do espírito; dois corpos e duas vidas em um corpo só, isso não existe. Existe sim, a magnetização entre os corpos do Astral Inferior e daí toda essa irradiação e comunicação – os espíritos com seus corpos de vida eterna, porém, elétricos e magnéticos (lembrem da bateria com nova energia). E daí, os espíritos formaram todas essas doutrinas para lapidação do Animal Racional.

Nós somos dois em um só, nesta categoria da vida material, simplesmente pelo fato da Planície ter-se dividido em duas partes: a degenerada, o “eu” e a deformada, o “tu”. A Goma e a Resina, como se diz na gênese bíblica: filhos de Adão e Eva, querendo dizer, feitos do “eu” e do “tu” de um só corpo de massa cósmica que é aquela parte que não estava pronta para entrar em progresso e que também entrou em estado de extinção, a verdadeira origem desta Natureza – este imenso organismo, ou conjunto fluídico elétrico e magnético, onde os corpos de vida se multiplicam até serem extintos.

É por isso que tudo aqui está em extinção, porque tudo neste mundo é originário de duas extinções.

Extinção dos Habitantes do Mundo Racional e extinção daquela parte que se transformou em dois.

Portanto o Verdadeiro Espírito do Ser Humano está no Ego Supremo, o Raciocínio, que é a vida eterna e que se manifesta, assim, em três ciclos. A vida eterna, a vida eterna degenerada em extinção e a vida eterna em multiplicação de corpos descendo, sempre para classes inferiores.

Quem és Tu (o “eu” e o “tu” da Planície) que a ilusão é tanta, incapaz de definir o teu “EU” (o Ego Supremo).

Assim começou a Cultura Racional em 1935, na Tenda Espírita Francisco de Assis, através do Porta Voz do Mundo Racional, o Grão Mestre Varonil, esclarecendo e provando que a Cultura Racional é a continuação de todo o Conhecimento humano, em favor de tudo e de todos, porque tudo e todos são de uma origem só: os Habitantes do Astral Superior, os Habitantes espíritos do Astral Inferior e os Habitantes materializados em forma de máquina do Raciocínio, todos são da mesma origem, que se deformaram em diferentes categorias e em diferentes classes de vida.

Tudo em transformação sempre: cada categoria com seu nível de transformação. E na categoria de bicho, tudo em constantes renovações para poder voltar tudo e todos ao seu estado original de Habitantes do Mundo Racional, com seu corpo de Energia de massa cósmica. O livro universo em Desencanto revela todas estas transformações e como é feita a recuperação de todos para o Mundo Racional.

Por isso, terminou a fase das experiências, terminou a fase do espiritismo, a fase da vida agora é a Fase Racional, da verdadeira Natureza humana. Leia o livro Universo em Desencanto.

Nenhum comentário: