Follow by Email

domingo, 26 de fevereiro de 2012

SÓ VOCÊ PODE MUDAR SUA ESTÓRIA 1ª PARTE



As reflexões que fazemos, baseados no que ouvimos e/ou assistimos, devem imediatamente servir de ponto de referência para avaliar nossos próprios comportamentos e, não, o comportamento dos demais.
Essa a única maneira e a mais simples, de melhorar em tudo o nosso viver.
Sim, porque é do nosso comportamento que se extrai nossa boa ou má estória.
Portanto, os que ainda estão cheios de reclamações da vida, com enredos não satisfatórios, que procurem mudar esses enredos, já que este poder de mudança está na própria pessoa e, não, fora dela.
Cada qual tem que contar é consigo mesmo, porque o seu comportamento é que determina e direciona sua estória, porque não há efeito sem causa.
E ninguém pode se comportar pelo outro.
Os pais, por exemplo, por mais experientes que sejam, por mais visão que tenham e tentem repassar essa bagagem para os filhos, para evitar que esses sofram, não o conseguirão. Todos somos diferentes, todos temos nossas deformações de personalidade que nos conduzem a situações capazes de corrigir essas distorções.
Resumo, cada qual tem que carregar a sua cruz. Essa cruz é o ponto de convergência do bem com o mal, do certo com o errado. Esse ponto é o sofrimento, até que o nosso mal, o nosso erro seja extinto, através unicamente do nosso comportamento.
Portanto, contar com outras pessoas, com nossos familiares, com as autoridades e outros mais, para garantirmos nosso equilíbrio, nossa paz, é absolutamente em vão.
A mudança que precisamos deva de ser feita em nós mesmos e por nós mesmos, por mais ninguém.
Enquanto não procedemos assim, nossa estória continua no mesmo lugar comum, viajando nas asas da rotina, rumo ao mundo do vazio e da depressão.
Sim, porque todos estão no mesmo barco, também ocupados com seus problemas, carregando suas cruzes, tentando se entenderem, que dirá entender o outro, outro mundo tão diferente!
Não se trata nem de egoísmo. É mesmo questão de naturezas diferentes: como a água, com sua natureza líquida, tão diferente da natureza do sol, puro fogo.
Por isso, por todos serem diferentes, cada qual tem que procurar seu próprio caminho para poder se entender e se valer. Podendo, assim, dar um rumo positivo e consciente à sua vida, escrevendo uma estória de final feliz.
Então, essa tarefa de melhorar a nossa vida é com cada qual de nós mesmo, é dever unicamente de cada qual para consigo.
Mas, para iniciar a reescrever sua estória, positivamente, você precisa, antes de tudo, de SE CONHECER e de querer SE CONHECER.
E para passar a se conhecer, é preciso que reserve num canto tudo o que você já aprendeu e que veio de fora de você, para fazer essa viagem, ao seu interior, com ausência de valores e padrões, como se nada ainda soubesse da vida.
Bem, isso feito, agora você está pronto para saber toda a verdade sobre sua pessoa, na obra mais fantástica que já apareceu na Terra: Universo em Desencanto.
E ao começar a estudá-la, surpreender-se-á com o número incontável de provas e de comprovações que mostrarão a você que todos que habitam este mundo, a ele não pertencem.
Somos todos extraterrenos.
Aí, passo a passo, muito naturalmente, vai começar a compreender o porquê o ser humano nunca se conformou com a vida que sempre levou – vai saber que todos estamos fora do nosso verdadeiro estado natural, todos estamos fora do nosso mundo verdadeiro, o MUNDO RACIONAL.
Compreenderá quem somos, de onde viemos, para onde vamos e como vamos.
Essa compreensão vai se transformando em certeza absoluta crescente, dando lugar em sua pessoa a uma nova consciência lapidada, onde tudo que você sabia e que não correspondia à realidade, vai naturalmente sendo deletado do seu interior.
É quando você, com muita alegria, se vê renascer, renascendo das cinzas da inconsciência, que você julgava se tratar de consciência.
É quando você começa a perceber que era um vivo morto, que era um verdadeiro moribundo, vivendo como um papagaio, admitindo este mundo como verdade, sem saber por que vivia, por fazer tudo que tudo e todos lhe diziam, ensinavam e indicavam, sem o crivo do bom senso e, o pior: só não fazendo o que o seu SER VERDADEIRO interior lhe pedia.
Sim, triste realidade! Mas, você não podia atender ao seu EU VERDADEIRO, o SER RACIONAL, porque ele há muito estava esquecido por você e você desligado dele.
E, assim, quando passa a perceber essa sutil realidade dentro de você, tão poderosa, tão amorosa, tão simples, você se entusiasma e começa a investir sem reservas nela e se desligar deste tudo aparente de matéria, que sempre lhe impingiu falsas realidades, falsos valores, falsos desejos, mantendo sua pessoa um escravo da matéria e divorciado de si mesmo.
Como é lindo se conhecer!
E no se conhecer, terá também provas e comprovações de que este EU interior natural é exatamente o mesmo EU integrante de todas as pessoas no mundo inteiro.
Aí mesmo é que sua pessoa se deslumbra de alegria e quer, cada dia mais, se conhecer.
Pois, logo, logo vai concluindo na maravilha em que o mundo irá se transformar, quando todos tiverem conhecimento do que você já está conhecendo, quando todos também passarem a se conhecer.
Para início de conversa, uma coisa de antemão passa a ter fim: a inveja.
Sim, pois, se o EU VERDADEIRO de todos é idêntico, não caberá mais inveja em ninguém. A inveja pertence ao EU PANTOMINEIRO, o EU animal, o falso EU, onde todos são diferentes e, por isso, ninguém pode fazer nada por ninguém.
Então, o EU animal é das divergências, das discórdias. E o EU RACIONAL é das convergências, da concórdia universal.
E, assim, o investimento de todos nessa viagem interior vai formando um outro mundo paralelo a este em que vivemos, um mundo energético de muita harmonia entre todos os seres, porque esse EU interior RACIONAL está conectado ao EU SUPREMO, essa força onipresente, onipotente e onisciente que é DEUS, o RACIOCÍNIO SUPERIOR A TODOS OS RACIOCÍNIOS e a ENERGIA SUPERIOR a todas as energias.
E por estar este EU RACIONAL conectado à FORÇA SUPREMA, que é DEUS, que está em todo lugar, a pessoa ligada ao seu EU interior, o raciocínio, ela se liga a toda a natureza, comunicando-se com todos os seres, por o raciocínio não ter idiomas diferentes.
É uma só linguagem universal, que se comunica e se entende com o sol, com a lua, com as estrelas, com a água, com a terra, com os animais e com os vegetais.
Comunica-se ainda com todos os elementos invisíveis em todas as esferas, das mais baixas às mais elevadas, num clima de elevado respeito fraternal, por passar a pessoa a ser respeitada por todas as forças da natureza.
Para verem como o SE CONHECER é a coisa mais importante da vida de todos nós.
Sem SE CONHECER ninguém jamais poderá alcançar essas grandezas, mas, o SE CONHECER verdadeiro, o se conhecer pelo desenvolvimento do raciocínio.
Por isso, é preciso desenvolver o raciocínio na cultura dele, a CULTURA RACIONAL, dos Livros Universo em Desencanto.
E à medida que a pessoa vai fazendo o curso de CULTURA RACIONAL em sua própria casa, vai chegando à conclusão de que esse caminho Racional é o único que equilibra, porque nele todos se completam pelo saber verdadeiro adquirido e se identificam uns com os outros pela unidade do SER RACIONAL.
E esse curso se faz em seu próprio lar, não precisando freqüentar templos, igrejas, sinagogas e casas de pregação, pois se trata de um tratamento energético individual.
E é disso que toda a humanidade está precisando e necessitando: se conhecer para parar de viver moribundamente, renegando o seu EU Verdadeiro RACIONAL.
Moribundamente, porque sem se ligar ao EU RACIONAL, a pessoa está vivendo uma falsa vida, do EU animal, ficando morta para a vida verdadeira, a vida eterna.
Raciocinar é ressuscitar, em vida, da vida dos mortos, a vida da matéria, para a vida real, a vida eterna, a vida RACIONAL.
E é por isso que quem estuda CULTURA RACIONAL não tem hora, não tem dia, não tem noite, não tem tempo, não tem despesas, nem distâncias que a impeçam de levar a todos a propaganda da CULTURA RACIONAL, porque já passou a se conhecer e é sabedor de que a paz do mundo e a concórdia universal só serão alcançadas quando todos passarem a raciocinar, porque com o pensamento ninguém resolve mais nada, como nunca resolveu, caso contrário não haveria desacertos na vida dos pensadores.
(Continua na próxima postagem: 2ª parte)

Nenhum comentário: