Follow by Email

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

A LUA É DOS NAMORADOS



(Porfirio J. Neves)

Com a devida vênia dos astrônomos - nossos irmãos científicos, apresento este assunto com base na descrição do Racional Superior sem me importar muito com algumas verdades da Astronomia. Como eu sei que eles não sabem explicar a maior parte do universo observado, e isso são eles que dizem, então, por que não aceitar uma descrição verdadeiramente original, que vai muito além daquilo que os cientistas poderiam imaginar ou calcular com suas equações mirabolantes?

(H-44 pág. 5) “Os movimentos naturais da Natureza Astrológica. Não cessam os seus movimentos, porque são seres de vida própria. E cada qual tem sua ação, a sua influência sobre os movimentos da Terra”.

Esta é uma contemplação que nos proporciona o Racional Superior com a Cultura Racional. Tudo se constitui neste mundo em três partes unidas em uma. Uma ação, qualquer que seja, pode ser dividida em 3 partes. Um corpo, a vida, tudo está dividido em três partes. E, quando juntamos três partes com outras três partes, formamos as sete partes, justamente porque para juntar duas partes de três, temos que contar o elemento de junção, mantendo assim três partes (3-1-3).

“Céu, terra e água. Os três reinos da bicharada que vive nesse vasto e grande dilúvio de fogo que aí surgiu, que aí está e que ninguém nunca soube definir, nem divulgar o porquê de assim serem como são e do mundo ser como é”.

Esta é uma visão em três partes do princípio do mundo que nos apresenta o Racional Superior no livro Universo em Desencanto.

“Os três reinos, céu, terra e água, dependem de outros três: sol, lua e estrelas, para formar as multiplicações dos seres, e desses seres, se contam mais um reino”.

E aí estão os sete reinos da Natureza. Cada reino com seu reinado. Cada reinado com a sua ação natural, que cada ação se divide em três. E por isso, os sete reinos da Natureza têm 21 reinados. Cada reino é constituído de 3 reinados.

E aí está a Lua! A lua é dos namorados e das namoradas também! E, com um pouquinho de verdade, também é dos cientistas. A lua, vista por três perspectivas diferentes: dos namorados, das namoradas e dos cientistas. Virtudes da Água, virtudes da Terra e parte de corpos dos Racionais.

Isto até está parecendo um “samba do crioulo doido”, mas não fique abismado, o que é natural não se ensina. O que é natural já se sabe, porque é natural. E o natural da Natureza todos já sabem.

O grande problema do ser humano, que ainda não desenvolveu seu raciocínio completamente, é que para desenvolver, ou melhor, até desenvolver, precisa primeiro, satisfazer sua curiosidade a respeito da formação do mundo, que nunca soube explicar, mas que, agora, estamos encontrando a definição real e verdadeira da origem e formação de tudo e de todos. Universo em Desencanto, sim senhor!

Notem bem, estar dividido em três não significa estar separado em três. É como os três ponteiros de um relógio: são três divisões do movimento, porém em um corpo só, um movimento só, que é a marcação do tempo. E assim é tudo nesta Natureza deformada, degenerada e poluída.

Além da concepção do tempo em três partes, temos a concepção do espaço onde se realiza o movimento. E aí é que vem o conceito da deformação do espaço-tempo. O espaço é quadrado (quatro cantos do mundo), porém pode ser descrito tridimensionalmente em três eixos, por causa do tempo.

A deformação espaço-tempo, naturalmente, precisa do referencial do que não é deformado. E o referencial desta deformação é o Raciocínio. No Raciocínio está este referencial. No Raciocínio está o caminho, a verdade, a vida. Porque o Raciocínio é o Filho do Mundo Racional. O Mundo Racional, o Pai Eterno.

E a Lua é dos namorados quadrados, por isso a Lua faz seu movimento em quatro fases, mas não se esqueçam que a Lua é um foco de luz formado por três Energias: virtudes da Terra, virtudes da Água e alguns corpos dos Racionais que se extinguiram nesta deformação.

E tudo abaixo da Lua se torna quadrado, como o próprio Carbono que a Química estuda, é tetraédrico. O átomo de carbono é um tetraedro e o carbono é a base da vida que dizemos conhecer, a vida material.

Na descrição feita pelo Racional Superior, apesar de estar numa linguagem muito simples e objetiva para a compreensão dos mais humildes em primeiro lugar, os que se dizem rebuscados intelectualmente vão encontrar as mais preciosas respostas a todas as eternas indagações sobre o Universo e sua formação.

Todos, indistintamente, poderão encher a “pança” de tanto saber até compreenderem aquilo que o mais simples já compreendeu, que é voltar tudo e todos ao nosso verdadeiro estado natural, já que todo este universo é uma pequena deformação de um Mundo incrivelmente muito maior que este onde tudo se desfaz. Ora, se neste mundo tudo se desfaz, para que perder tempo com aquilo que vai terminar mesmo?

Bom, cada qual com seu julgamento. O certo é que ninguém está certo neste mundo, por que todos estão fora do estado natural, sendo esta a grande razão do por que tudo se transforma.

Somente com a definição do Racional Superior nos é facultado compreender que no princípio dos princípios havia um corpo não pronto para o progresso Racional e que uma infinidade de habitantes naquele mundo quiseram progredir este corpo por livre e espontânea vontade.

Este Corpo a que me refiro é uma parte da Planície que não estava pronta para entrar em progresso e que sofreu uma divisão provocada pelo Foco de Luz formado pelas virtudes de uns tantos Habitantes.

O Foco de Luz, por ser uma reunião de virtudes, ou vidas dos Racionais, dividiu a Planície em duas partes: uma degenerada e uma deformada. A parte deformada o Racional Superior chamou de Resina, que é a massa cósmica daquele corpo. Representa o “TU”. A outra parte é parte invisível da Planície ou degenerada, representa o “EU” de todas as coisas que existem, como uma espécie de alma.

Dividida em duas partes, mas em um corpo só, que continua com o mesmo nome: Planície. A formação dos três Princípios Universais é descrita pelo Racional Superior no primeiro volume do livro Universo em Desencanto. O primeiro princípio, ou primeira deformação, ou primeira fôrma, é o Foco de Luz formado pela reunião das Virtudes que os Racionais vinham perdendo dentro da Planície. A Planície se divide em duas partes e surge o segundo Princípio, ou segunda forma que é a Resina. O terceiro Princípio, ou terceira forma, é a Goma que se forma quando a Planície vai amolecendo a parte deformada com o calor do Foco de Luz. Aí se forma a Goma, terceira deformação, terceira forma.

Resumindo: daquele Corpo de Energia de Massa Cósmica, que era uma parte da Planície que não estava pronta, saiu uma “costela deformada” que é a Resina, que representa o princípio universal feminino, a Mulher. Só então, após esta deformação é que surge a Goma que representa o princípio universal masculino, o Homem deformado.

A parte da Planície representa o Homem puro, limpo e perfeito, porém não pronto para entrar em progresso. O Foco de Luz resume a vontade divina daquela infinidade de Racionais. Este Foco deforma a Planície, primeiro em Resina e fica uma parte degenerada da Planície que depois sofre uma segunda deformação, derretendo a Resina e formando a Goma, formando assim a terceira forma construtora deste Universo.

Aquele Corpo, dividido em duas partes começou a perder suas virtudes e formando as duas energias: o princípio da Energia Elétrica e da Energia Magnética.

E aí estão os namorados dentro da Lua, duas Energias reunidas em um foco, abençoados pelo Energia do primeiro foco, que deu origem ao Sol. A Lua elétrica e a Lua magnética.

Assim, por ser formada pela reunião de duas virtudes, Energia Elétrica e Energia Magnética, ficou duas fases predominando o princípio masculino e duas fases predominando o princípio feminino, constituindo as quatro fases da Lua que nos fazem perceber o espaço deformado, correlacionando, assim, com os quatro cantos do mundo encantado.

A descrição da formação da Lua é explicada como sendo um corpo da Planície onde se reuniram as Virtudes da Goma e da Resina pela ação do calor do Foco de Luz. Assim, ficaram três Energias constituindo este corpo misterioso para quem pensa e quem imagina. À semelhança da formação do Sol ser feita pelas virtudes dos Racionais que se reuniram num Foco e que se expandem, a Lua também é formada pela reunião das duas Virtudes da Planície que estava dividida. O princípio masculino e o princípio feminino – os quase eternos namorados.

O princípio masculino é a Energia Elétrica que se forma pela reunião das virtudes da Planície, que vira Goma, virtudes da Goma que vira Água Espacial e virtudes da Água Espacial (acima do Firmamento) que vira Água Líquida (abaixo do Firmamento).

O princípio feminino é a Energia Magnética que se forma pela reunião de virtudes da Resina que vira Cinza, das virtudes da Cinza que vira Terra e virtudes das Terras que se separam.

Dois princípios em três dimensões, feita esta junção pelo princípio dos princípios, o calor do Foco de Luz. Eis as sete partes deste corpo chamado Lua. Que assim é toda esta Natureza constituída pelas sete partes do por que tudo assim é.

O Sol, por sua vez, na mesma razão de semelhança, também se deforma em três estágios: Foco de Luz, Brasão e o Sol elétrico e magnético. Os habitantes do Mundo Racional também perdem virtudes em três dimensões diferentes: as virtudes que se reuniram para formar o Foco de Luz; as virtudes perdidas pela deformação que o Foco de Luz faz sobre Eles e as virtudes perdidas na sua extinção sobre a Goma e a Resina. Virtudes são vidas que se transformam em outras vidas, mas são três qualidades de virtudes.

Por isso o Sol é o gerador e criador de todos os seres e a Lua rege os namorados, elétrico e magnético, amadrinhando e apadrinhando os seres feitos pela matéria elétrica e magnética. Assim o Sol e a Lua em um corpo só construindo todo o Universo com o seu giro elétrico e magnético.

Vejam: a lua cheia está carregada de Energia Magnética e quase vazia de Energia Elétrica, é clara e representa a clarividência; a lua minguante vai descarregando o magnetismo e se enchendo de Energia Elétrica, alternando assim os dois princípios feminino e masculino, por isso a lua minguante é afirmativa. Afirma que o homem original prevalece sobre a deformação que dele saiu. A lua nova é vazia de magnetismo e cheia de Energia Elétrica, por isso fica quase invisível e diz que é variante. Diz-se que a lua nova é variante. A lua crescente volta a carregar de magnetismo e vai esvaziando a Energia Elétrica, é a lua de mudanças para voltar ao poder clarividente do princípio feminino.

Lua cheia, clarividente; lua minguante, afirmativa; lua nova, variante; lua crescente, mudanças. E assim rege todo o magnetismo dos seres materiais, dos quase eternos namorados.

Tudo isto e, naturalmente, muito mais, muito melhor será compreendido com o desenvolvimento do Raciocínio, tudo isto já pode ser observado numa leitura atenta do livro Universo em Desencanto.

Em nada fere os princípios e modelos científicos, tampouco as crenças dogmáticas religiosas e também não somos contra os românticos que se apossaram da Lua, muito antes da NASA querer enganar todos que esteve lá. Estiveram sim, mas em outras partes da Terra, que a Terra é muito grande.

A Lua é um corpo de essências de vidas de massa cósmica e, por ser de essências, não tem SOLO para ser explorado. O solo a que os cientistas se referem são partes da Terra que se separou em várias terras. Quem conhece o Livro Universo em Desencanto, tem todo este referencial apresentado pelo Racional Superior.

Tentamos explicar assim as três visões sobre a lua que faz quatro quartos e que no princípio começou com apenas um quarto, depois dois, depois três e finalmente quatro, completando assim a deformação da matéria cósmica que desceu. Acompanhando com seus quartos a evolução de tudo que diz respeito aos seres de matéria.

E agora, como nos explica o Racional Superior a Lua vai deixar de fazer estes quatro quartos, voltando a fazer três, dois, depois um e voltando a ser o que era, cinza. Assim como o Sol também vai perder sua ação vibratória pelo progresso de retorno dos habitantes que “recuperam” suas virtudes pela Imunização Racional, voltando a ser o que era: Cinza. E aquele Corpo que não estava pronto, assim ficará pronto para entrar em progresso ligado à Energia Racional. Leia o Livro Universo em Desencanto e busque a compreensão de que tudo retorna ao seu estado natural.





(*) H = Livros dos Históricos de Universo em Desencanto

Nenhum comentário: